A Mediação de Maria

Prof.: Felipe Aquino

“O meio mais seguro de conhecermos a vontade Deus é rezarmos à nossa boa mãe, Maria”. S. João Maria Vianney

O Concílio Vaticano II, na Lúmen Gentium, explica-nos bem como é a mediação de Nossa Senhora diante de Deus. Vejamos:

Continuar lendo

Angelus com o Papa Francisco – 19/7/2015

Queridos irmãos e irmãs, bom dia! Vocês são corajosos porque com este calor estão aqui na praça, parabéns!

 

O Evangelho de hoje nos diz que os Apóstolos, depois da experiência de missão, voltaram felizes, mas também cansados. E Jesus, cheio de compreensão, quis dar-lhes um pouco de alívio. Então, leva-os para longe, num lugar isolado para que possam descansar um pouco”(Mc 06:31). “Muitas pessoas os viram partir e perceberam… e foram primeiro que eles” (v. 32). E, neste ponto, o evangelista nos dá uma imagem de Jesus de intensidade singular, “fotografando”, por assim dizer, os seus olhos e colhendo os sentimentos de seu coração, e por isso o evangelista diz: “Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e compadeceu-se dela, porque era como ovelhas que não têm pastor. E começou a ensinar-lhes muitas coisas”(v. 34).

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

As 5 fases do casamento

Descubra em que etapa você se encontra e transforme os desafios em oportunidades de crescimento

Ainda que não haja regras gerais, é verdade que alguns fatores, tanto externos quanto internos, determinam circunstâncias especiais do casamento; por exemplo, estar casados e sem filhos não é a mesma coisa que levar 20 anos de união e ter filhos jovens.
Por isso, é de grande utilidade para os casais identificar a etapa em que vivem e as que estão por vir, para, assim, transformar os desafios em oportunidades de crescimento.
As 5 fases pelas quais o casamento passa são as seguintes:

Continuar lendo

Íntegra do discurso do Papa aos jovens na Costanera/Paraguai

Queridos jovens, boa tarde:

Após a leitura do Evangelho, Orlando aproximou-se e me cumprimentou, e me disse: te peço que rezes pela liberdade de cada um de nós, de todos. É a benção que pediu Orlando para cada um de nós. É a benção que pedimos agora todos juntos. A liberdade, porque a liberdade é um presente que nos dá Deus, mas é necessário saber recebe-lo, é necessário saber ter o coração livre, porque todos sabemos que no mundo existe muitos laços que nos amarram o coração. E não deixam que o coração seja livre. A exploração, a falta de meios para sobreviver, a droga, a tristeza, todas essas coisas nos tiram a liberdade. Assim que todos juntos, agradecendo a Orlando que tenha pedido esta benção, ter um coração livre, um coração que possa dizer o que pensa, que possa dizer o que sente e que possa fazer o que pensa e o que sente. Esse é um coração livre. E isso é o que vamos pedir todos juntos. Essa benção que Orlando pediu para todos.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

Homilia do Papa no Parque Ñu Guazú/Paraguai

«O Senhor dar-nos-á chuva e dará fruto a nossa terra»: assim diz o Salmo. Com isto, somos convidados a celebrar a misteriosa comunhão entre Deus e o seu Povo, entre Deus e nós. A chuva é sinal da sua presença, na terra trabalhada pelas nossas mãos. Uma comunhão que sempre dá fruto, que sempre dá vida. Esta confiança brota da fé, de saber que contamos com a sua graça que sempre transformará e regará a nossa terra.

Uma confiança que se aprende, que se educa. Uma confiança que se vai gerando no seio duma comunidade, na vida duma família. Uma confiança que se transforma em testemunho no rosto de tantos que nos encorajam a seguir Jesus, a ser discípulos d’Aquele que nunca desilude. O discípulo sente-se convidado a confiar, sente-se convidado por Jesus a ser amigo, a compartilhar a sua sorte, a partilhar a sua vida. «A vós, não vos chamo servos, chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que sabia do meu Pai». Os discípulos são aqueles que aprendem a viver na confiança da amizade.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

Homilia do Papa no Santuário Mariano de Caacupé/Paraguai

Estar aqui com vocês é me sentir em casa, aos pés da nossa Mãe, a Virgem dos Milagres de Caacupé. Num santuário, nós, filhos, nos encontramos com a nossa Mãe e nos lembramos de que somos irmãos uns dos outros. É um lugar de festa, de encontro, de família. Vimos apresentar as nossas necessidades, vimos agradecer, pedir perdão e recomeçar. Muitos batismos, muitas vocações sacerdotais e religiosas, muitos namoros e matrimônios nasceram aos pés da nossa Mãe. Muitas lágrimas e despedidas. Vimos sempre com a nossa vida, porque aqui estamos em casa e o melhor de tudo é saber que há alguém que nos espera.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

Discurso do Papa ao clero e religiosos no Paraguai

 

Como é belo rezarmos as Vésperas todos juntos! Como não sonhar com uma Igreja que espelhe e repita, na vida quotidiana, a harmonia das vozes e do canto! Fazemo-lo nesta catedral que tantas vezes teve de ser começada de novo; esta catedral é sinal da Igreja e de cada um de nós: às vezes, as tempestades de fora e de dentro obrigam-nos a pôr de lado o que se construiu e começar de novo. Sempre, porém, com a esperança em Deus; e, se olharmos para este edifício, sem dúvida Ele não decepcionou os paraguaios. Porque Deus nunca desilude! E por isso O louvamos agradecidos.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

A Eucaristia na Lua

 

        “Jesus Cristo quer de tal modo unir-se conosco, pelo amor ardente que nos tem, que nos tornemos uma só coisa com Ele na Eucaristia.”

São João Crisóstomo (349-407)

Doutor da Eucaristia e

Patriarca de Constantinopla

 

A nave espacial Apollo 11 aterrissou na Lua em 20 de julho de 1969 com três astronautas: Neil Armstrong (1930-2012), Buzz Aldrin e Michael Collins. A maioria de nós está familiarizada com a afirmação histórica de Armstrong, quando ele pisou na superfície da Lua: “Um pequeno passo para o homem; mas um salto gigante para a humanidade.” Poucos sabem a respeito da primeira Eucaristia realizada na Lua.

Buzz Aldrin havia levado à nave um pequeno estojo da Santa Ceia Eucarística. Ele fez uma transmissão via rádio a Terra, pedindo aos ouvintes para contemplar os acontecimentos daquele dia e dar graças a Deus. Depois, com o rádio desligado, para maior privacidade, Aldrin pôs o vinho num cálice de prata, e leu: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele,  esse dá muito fruto…” (João 15,5). Em silêncio, deu graças e serviu-se do pão e vinho.

Continuar lendo