Santa Rita de Cássia

Cardeal Orani Tempesta

Rita nasceu por volta do ano de 1381 em Roccaporena, uma aldeia situada na Prefeitura de Cássia na província de Perugia, filha de Antonio Lotti e Camata Ferri. Os seus pais eram pessoas de fé e a situação econômica não era das melhores, mas decorosa e tranquila.

A história de Santa Rita foi repleta de eventos extraordinários e um destes se mostrou na sua infância. São situações que a tradição dos cristãos quis expressar a missão e vocação dela. A criança, talvez deixada por alguns minutos sozinha em uma cesta na roça enquanto os seus pais trabalhavam na terra, foi circundada dá um enxame de abelhas. Estes insetos recobriram a menina mas estranhamente não a picaram. Um caipira, que no mesmo momento havia ferido a mão com a enxada e estava correndo para ir curar-se, passou na frente da cesta onde estava deitada Rita. Viu as abelhas que rodeavam a criança, começou a mandá-las embora e com grande estupor, à medida que movia o braço, a ferida se cicatrizava completamente.

Continuar lendo

Catequese do Papa – Educação dos filhos

Hoje, queridos irmãos e irmãs, desejo dar-vos as boas vindas porque vi entre vocês tantas famílias, bom dia a todas as famílias! Continuamos a refletir sobre família. Hoje nos concentraremos em refletir sobre uma característica essencial da família, ou seja, a sua vocação natural para educar os filhos para que cresçam na responsabilidade de si e dos outros. Aquilo que ouvimos do apóstolo Paulo, no início, é tão belo: “Filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isso agrada ao Senhor. Pais, deixai de irritar vossos filhos, para que não se tornem desanimados” (Col 3, 20-21). Esta é uma regra sábia: o filho que é educado a escutar os pais e a obedecer aos pais, os quais não devem operar de maneira bruta, para não desanimar os filhos. Os filhos, de fato, devem crescer sem se desanimar, passo a passo. Se vocês pais dizem aos seus filhos: “Vamos subir nessa escada” e pegam a mão deles e passo após passo os fazem subir, as coisas irão bem. Mas se vocês dizem: “Vá em frente!” – “Mas não posso” – “Vá!”, isso se chama irritar os filhos, pedir aos filhos as coisas que não são capazes de fazer. Por isso, a relação entre pais e filhos deve ser de uma sabedoria, de um equilíbrio tão grande. Filhos, obedeçam aos pais, isso agrada a Deus. E vocês pais, não irritem os filhos, pedindo-lhes coisas que não podem fazer. E isso é necessário ser feito para que os filhos cresçam na responsabilidade de si e dos outros.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

Um Manuscrito Polêmico

Dom Fernando Rifan

Bispo Ordinário da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney – Campos dos Goytacazes/RJ

 

Foi encontrado no Oriente, em escavações arqueológicas, um “manuscrito” em aramaico, dos fins do século I, atribuído a um grupo de cristãos reacionários, oriundos das seitas dos fariseus (críticos radicais) e dos saduceus (incrédulos). Por isso, esse documento, cuja autenticidade ainda está sendo estudada, foi classificado como CrisFarSad I, do qual citamos alguns trechos. O que é interessante é que o texto coincide com muitos fatos narrados nos Evangelhos e nos Atos dos Apóstolos.

Continuar lendo

As chaves de Davi

Scott Hahn*
Considerando-se que o reino de Davi seria eterno, este viria a definir o “reino” para todas as gerações subsequentes elevadas sobre a palavra de Deus. Não era apenas um conceito teórico ou uma metáfora teológica. Ele tinha uma forma histórica, definida de maneira vívida e especificamente registrada pelos historiadores, poetas e profetas de Israel. E as qualidades que eles registram se relacionam diretamente com os termos da aliança revelada pelo próprio Natã.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Artigos

Catequese do Papa sobre a família

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

A catequese de hoje é como a porta de ingresso de uma série de reflexões sobre a vida da família, a sua vida real, com os seus tempos e os seus acontecimentos. Sobre esta porta de ingresso estão inscritas três palavras que já utilizei aqui na Praça diversas vezes. E estas palavras são “licença”, “obrigado”, desculpa”. De fato, estas palavras abrem o caminho para viver bem na família, para viver em paz. São palavras simples, mas não são assim tão simples de colocar em prática! Requerem uma grande força: a força de proteger a casa, também através de mil dificuldades e provações; em vez disso, a falta delas, pouco a pouco, abre rachaduras que podem fazê-la desmoronar.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Papa

Cumpro o preceito dominical participando da Celebração da Palavra?

Padre Paulo Ricardo

O Catecismo da Igreja Católica ensina que “a celebração dominical do Dia e da Eucaristia do Senhor está no coração da vida da Igreja. O domingo, dia em que por tradição apostólica se celebra o Mistério Pascal, deve ser guardado em toda a Igreja como dia de festa de preceito por excelência.” (CIC 2177) Portanto, o católico tem a obrigação de participar da celebração dominical. Mas, em que consiste esta celebração? O mesmo Catecismo segue ensinando:
“O mandamento da Igreja determina e especifica a lei do Senhor: ‘Aos domingos e nos outros dias de festa de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da missa’. Satisfaz o preceito de participar da missa quem assiste à missa celebrada segundo o rito católico no próprio dia da festa ou à tarde do dia anterior. (CIC 2180)
A celebração que cumpre o preceito é a Santa Missa e o motivo é bastante simples, pois é a “Eucaristia do domingo [que] fundamenta e sanciona toda a prática cristã”, diz o Catecismo. E continua dizendo que:

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Padres

Bênção para as mães

Para rezar pela sua mãe e por todas as mães do mundo

Pai celestial,
nós vos damos graças pelas nossas mães,
a quem confiastes o cuidado precioso
da vida humana desde seu início no ventre.

Vós destes à mulher a capacidade de participar
convosco da criação de novas vidas.

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Artigos

A Mentira…. Como se livrar dela…

Padre Edvan Pedro

Esse texto foi publicado originalmente no dia 01 de abril, dia da mentira. Mas pode nos ajudar a nos livrarmos desse comportamento que sempre nos coloca em situações difíceis, e vira uma bola de neve. Mentir não é a saída. Mentira é bumerangue. É lançada, vai longe, atinge pessoas, ferindo-as, e certamente, pode até demorar, irá voltar para quem lançou. E daí, tudo fica muito mais complicado. Mentira rompe a confiança. E não há como se relacionar com ninguém num nível mais profundo sem confiança. A verdade pode até causar um desconforto, mas será sempre a melhor saída. Pode-se gerar uma espécie de frustação, mas jamais quebrará a confiança. Esforce-sempre pela verdade, nas pequenas e grande situações. E verá como sua vida será menos ansiosa e mais equilibrada, mais livre e serena.

Você já mentiu hoje?

Continuar lendo

por Católicos na Rede Postado em Padres