Para Refletir

Quando eu era jovem teólogo, antes e até mesmo durante as sessões do Concílio, como aconteceu e como acontecerá a muitos, eu alimentava uma certa reserva sobre algumas fórmulas antigas como, por exemplo, a famosa De Maria nunquam satis – “Sobre Maria jamais se dirá o bastante”. Esta me parecia exagerada.

Encontrava dificuldade, igualmente, em compreender o verdadeiro sentido de uma outra expressão bastante famosa e difundida repetida na Igreja desde os primeiros séculos, quando, após um debate memorável, o Concílio de Éfeso, do ano 431, proclamara Nossa Senhora como Maria Theotokos, que quer dizer Maria, Mãe de Deus, expressão esta que enfatiza que Maria é “vitoriosa contra todas as heresias”.

Somente agora – neste período de confusão em que multiplicados desvios heréticos parecem vir bater à porta da fé autêntica –, passei a entender que não se tratava de um exagero cantado pelos devotos de Maria, mas de verdades mais do que válidas.

Cardeal Joseph Ratzinger – Entretiens sur la Foi, Vittorio Messori – Fayard 1985.

(Publicado originalmente na festa da Imaculada Conceição de 2008)

Não adoro cruzes
Padre Zezinho, SCJ

Ele era de outra igreja e apostrofou-me à queima roupa:
– Você adora ou não adora cruzes? Sua Igreja até reza isso na semana santa!
Olhei com calma e disse:
-Se prometer não me interromper, eu explico. Prometeu.
Então eu lhe disse:
– Você tem carinho especial pela sua Bíblia. É justo que tenha. Aprende nela! Eu aprendo com a Bíblia e com a cruz. Esta cruz pequena aqui no meu peito, eu não adoro, nem aquele enorme cruzeiro lá no morro, nem cruzes nas salas ou nas torres de igreja. São obras de marceneiros, carpinteiros e artesãos. Eu não poderia adorá-las porque são apenas objetos de devoção. Ela lembram Jesus, mas Jesus não está nelas. Se pegarem fogo Jesus não se queimará.
Mas, como você diz que adora Jesus, e que o sangue de Jesus tem poder e por isso mesmo adora Jesus, entenderá que aquela cruz na qual ele morreu tornou-se especial, porque seu sangue escorreu por ela. Eu nunca cheguei perto dela ou do que dizem que ainda existe dela. Então, recorro a símbolos.
Aquela cruz única empapada com o sangue redentor do Cristo foi madeiro santificado. Se eu chegasse perto de um pedaço dela eu o beijaria com a maior reverência, em memória do sangue que escorreu por aquele lenho. Ao adorar aquele sangue do meu Senhor misturado ao lenho onde ele morreu eu estaria, sim, adorando tudo o que teve a ver com a morte dele por nós.
Quando digo que adoro a santa cruz não falo desta aqui, nem de milhões de pequenas cruzes espalhadas pelo mundo. Estou pensando naquele sangue derramado numa delas e naquela cruz especial que foi testemunha do maior amor do mundo. Esta aqui que você vê no meu peito não teve o sangue dele a escorrer por ela. É simbólica e é sinal de gratidão. Esta, eu reverencio, porque aponta para a outra e para quem morreu na outra. A outra que eu nunca vi, eu venero de maneira muito especial. Gostaria de chegar perto, ao menos da parte que dizem que restou dela! Se você soubesse que ainda existe o rolo da lei que Jesus leu e logo após anunciou sua missão, como você o trataria? Como um documento qualquer?
Olhou-me assombrado e disse: – “Faz sentido!” De vez em quando, havendo tempo, a gente toma um café ecumênico na padaria de um senhor espírita…É… Pois é!

 

O papa Bento XVI no livro DIO E IL MONDO diz que Jesus não veio ao mundo fazer milagres e, sim, ensinar a conviver e anunciar o reino. Sua Palavra eram seus maiores milagres. De certa forma devolver a vista é mais fácil do que devolver a paz. E foi por isso que duas vezes Jesus perdoou e curou com um solene: não tornes a pecar. ( Jo 5,14; Jo 8,11)- Padre Zezinho, SCJ

O mesmo Deus que mandou fazer dois querubins de ouro e outras imagens, aprovou a destruição do bezerro de ouro. Moisés quebrou as tábuas da lei. Era como se hoje um pastor ou um padre rasgassem uma bíblia de maneira dramática para seu povo entender o que é adoração e o que é idolatria. Moisés fez isso. Padre Zezinho, SCJ

Quando alguém me acusa de idólatra por ter imagem eu o acuso de incendiário por ter fósforos em casa. Ele responde que sabe usar o fogo com responsabilidade. E eu retruco que eu também sei o que fazer com as imagens. De quebra mando ler umas dez passagens da Bíblia!-Padre Zezinho, SCJ

Siga Jesus, e ouça os seus pregadores, mas não acredite nos que dão o endereço e a hora para o milagre, ou para o exorcismo. Demônio que só se manifesta diante das câmeras, ao comando do apresentador e com hora marcada, é suspeito. Nem todo demônio de palco, de rádio e de televisão é demônio de verdade. É criação do pregador para mostrar que tem autoridade. Demônio de holofote em geral é mais obediente que cão amestrado. Seguramente ele leu o script e o roteiro. O demônio real é bem mais desobediente! Eu acreditaria mais na missão e no poder dos que expulsam demônios via satélite, e diante das câmeras, se de vez em quando eles não conseguissem. Milagres e exorcismos, com hora marcada, que sempre exaltam o pregador, tem cheiro de charlatanismo. Nem os apóstolos conseguiram sempre. (Mt 17,15-20) Os de hoje conseguem mais do que os apóstolos conseguiam. Não é estranho? Jesus diz que isso não vai impressioná-lo no dia do julgamento( Mt 7,22) Não será um sinal de santidade ou de eleição! Deixa claro que muita gente enganará o povo com falsos milagres e falsos exorcismos. Ele já previa tudo isso! ( Mt 24,24) – Padre Zezinho, SCJ

Tenha isso em mente. Bíblia é livro não é porrete. Usá-la para atacar os outros, é transformá-la em arma de agressão. Use a sua Bíblia para dialogar sobre a versão da sua Igreja e a versão da Igreja dos outros. Se este livro não gerar dialogo e fraternidade, vira porrete e se virar porrete, transforma o pregador em provocador. Diálogo é bom. Debate acaba em provocação verbal. Não aceito nunca ir a debates. Menos ainda, na televisão. Há o debate que é positivo, mas depende de quem o modera. Quando o debate é usado como estratégia de segurar a audiência, é melhor não ir. Há muitas maneiras de provocar: podemos chamar para a briga, para a reflexão ou para a conversão. Com diálogo, tudo é mais sereno. Não há outro caminho para o céu senão o diálogo com Deus, consigo mesmo e com os outros. O amor consiste nisso!

Padre Zezinho, SCJ

Muitos irmãos cristãos só se lembram da passagem em que Moisés mandou destruir um bezerro de ouro por ser um uso idolátrico, mas não se lembram das outras passagens, em que Deus mandou fazer dois querubins de ouro, na arca da aliança. Só interessa a passagem onde é proibido? Não interessa onde é permitido. São crentes sinceros ou não são? Querem a verdade ou não querem ? Pregam a verdade ou só a parte que interessa ao seu grupo?  O mesmo Deus que mandou fazer dois querubins de ouro e outras imagens aprovou a destruição do bezerro de ouro. Moisés quebrou as tábuas da Lei. Era como se hoje um pastor ou um padre rasgassem uma Bíblia, para seu povo entender o que é adoração e o que é idolatria. Moisés fez isso. Escandalizou, mas fez pensar. O povo podia ter imagens desde que não as adorasse e desde que apontassem para o verdadeiro Deus e não para um falso deus.
Padre Zezinho, SCJ

“Foi cômico, mas valeu. O fanático apontou para cruz no meu peito e me perguntou se eu sabia o que estava fazendo como aquele ídolo. Apontei para a Bíblia dele e lhe perguntei se ele sabia o que estava fazendo com um livro tão santo debaixo das axilas? Aquilo não era lugar para um livro tão santo! Eu cultivava no peito, em forma de cruz, a memória da morte de Cristo por mim e ele carregava esta memória escrita no sovaco. E daí?  Sentiu-se desrespeitado. E eu lhe disse – Você começou a me desrespeitar quando em troca de nada  me acusou de idólatra só porque viu uma cruz no meu peito. Pecou contra Mateus 7,1. Julgou-me sem ter esse direito! Acusou-me de idólatra e me caluniou! Nós dois somos cristãos e está na hora de aprendermos a  ser irmãos. Respeito é bom e eu gosto!  Nunca mais nos vimos. Mas espero que ele nunca mais tenha agredido quem traz uma cruz no peito! Acho bonito ver quem traz a Bíblia debaixo do braço. Espero que ele também ache bonito ver que eu cultivo a memória do imenso amor de Cristo por nós. Afinal, Paulo disse que pregava um Cristo crucificado pedra de tropeço para os judeus e loucura para os olhos dos pagãos.( Rm 1,23) Cristãos de verdade não deveriam se incomodar  com o irmão que leva um cruz no peito!”

Padre Zezinho, SCJ

Jesus é o nosso porquê. Eu sou católico porque acredito que Jesus Cristo é o Filho de Deus e pode mudar este planeta. Maria, os santos, os sinais, pra mim, são conseqüências de Jesus; existiram por causa dele, por ele e nele. É por isso, que eu digo que sou católico: por causa de Jesus Cristo. Maria, os santos, as velas, o terço são conseqüência. Não são a primeira razão”. – Padre Zezinho, SCJ

“Costumo orar a Jesus, para que fale por mim ao Pai. Isso está na Bíblia. Se eu posso rezar desse jeito, porque a mãe dele Maria poderia? Porque está morta e esperando ser salva? E Jesus até agora não conseguiu levar nem mesmo a mãe dele para o céu? Mas que cristianismo é esse? É isso que me distingue como cristão católico. Eu creio na passagem em que Jesus disse que viria buscar os que ele ama. Não disse que seria cem mil anos depois de sua morte!”  ( Jo 14,3) – Padre Zezinho, SCJ

“Devemos seguir Cristo por aquilo que Ele é e não por aquilo que Ele pode nos dar”

Citação do livro “Palavra e Vida 2012 – Instituto dos Frades de Emaus

——————————————————————————————————————-

Sou dos que não sabem crer sozinhos. Por isso escolhi a Igreja Católica para crer com ela. Se outros escolhem outra igreja é um direito deles. Terão meu respeito. Só não aceito que me digam que são mais sábios ou mais santos porque aderiram a uma outra igreja. Pode ter certeza que entrarei no debate. Nem eles gostam que se fale mal da mãe deles, nem eu da minha!

Padre Zezinho,SCJ

———————————————————————————————————-

Na Hora de Nossa Morte

Padre Zezinho, SCJ

Nós, católicos, como todo e qualquer ser humano, não sabemos como e quando será o nosso fim. Por isso é que oramos a Maria todos os dias para que ore conosco e rogue por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Cremos em intercessores da terra e em intercessores do céu. Mas apostamos mais nas orações de quem já está salvo. Irmão que não crêem que há gente no céu, e que apostam que todo mundo esta dormindo o sono dos justos não pedem ajuda de intercessores do céu, a não ser que sejam anjos… Nós cremos no poder salvífico de Cristo que, se pode ressuscitar Lázaro, a menina e o rapaz, ali mesmo no ato, pode nos levar para o céu quando quiser. Damos mais destaque ao virei e levarei comigo ( ) do que ao soar a ultima trombeta. Como sempre, a escrituras sugerem leituras… E há leitores que entendem que a morte não no fará esperar séculos até o fim dos tempos. Ela nos levará para onde Jesus está. Maria, a mãe dele é a primícia dos que ele santificou. Então oramos a ela a respeito deste assunto de morrer bem. Ela estava ao pé da cruz e ela morreu bem…
A Ave Maria, é uma das orações mais realistas de todas as orações dos cristãos. É tipicamente católica. Evangélicos não a rezam. Direito deles, direito nosso! Entre nós, junto à prece do Pai Nosso que encontra paralelo no Hagadish dos hebreus, o texto “não nos deixeis cair em tentação mais livrai-nos do mal” soa em harmonia com “rogai por nó pecadores”. Estão cheias de injunções psicológicas.
Sozinhos não conseguiremos. Por isso pedimos ajuda. Não deixa de ser atitude inteligente. Os que acham que conseguirão sozinhos sem ajuda de irmãos daqui e de irmão de lá prossigam. Faço parte dos que admitem que precisam de intercessores, aqui e lá! Ainda não aprendeu a orar como deveria…

—————————————————————–

CONDIÇÕES PARA CELEBRAR A RELAÇÃO COM DEUS

Javé, quem pode hospedar-se em sua tenda e habitar em teu monte santo?

-Quem age na integridade e pratica a justiça
-Quem fala sinceramente o que pensa e não usa a língua para caluniar
-Quem não prejudica seu próximo, e não difama seu vizinho;
-Quem despreza o injusto, e honra os que temem a Javé;
-Quem sustenta o que jurou, mesmo com prejuízo seu;
-Quem não empresta dinheiro com juros, nem aceita suborno contra o inocente;
-Quem age deste modo, jamais será abalado!

Salmo 15

———————————————————————————————————-

Para todos aqueles que acham que a igreja católica não faz obras e pra confirmar a fé e crença daqueles que sabem que faz.

A Igreja Católica mantém na:

ÁSIA
1.076 hospitais
3.400 dispensários
330 leprosários
1.685 asilos
3.900 orfanatos
2.960 jardins de infância

África
964 hospitais
5.000 dispensários
260 leprosários
650 asilos
800 orfanatos
2.000 jardins de infância

América
1.900 hospitais
5.400 dispensários
50 leprosários
3.700 asilos
2.500 orfanatos
4.200 jardins de infância

Oceania
170 hospitais
180 dispensários
1 leprosario
360 asilos
60 orfanatos
90 jardins de infância

Europa
1.230 hospitais
2.450 dispensários
4 Leprosários
7.970 asilos
2.370 jardins de infância

O Conselho Pontifício –Cor Unum – ( organismo da Santa Sé encarregado de promover e organizar as instituições de caridade e assistência da Igreja) publicou num cd , um guia com 1.100 organismos da Igreja comprometidos com a ação social-caritativo, que ajudam, principalmente, em casos de catástrofes ou necessidades, sem distinção de religião.

Nicélia Pinheiro

—————————————————————————————————————————————————-

AUDIÊNCIA GERAL DO SANTO PADRE

Vaticano, 30/11/2011

Queridos irmãos e irmãs,

Depois de ter tratado alguns exemplos de oração no Antigo Testamento, convido-vos hoje a olhar para a oração de Jesus. Esta atravessa todos os momentos da sua vida, guiando-o até ao dom total de Si mesmo, segundo os desígnios de Deus Pai. Jesus é o nosso mestre de oração. Mas, quem O ensinou a rezar? O seu coração de homem aprendeu a rezar com a sua Mãe e a tradição judaica. Mas a sua oração brota duma fonte secreta, porque Ele é o Filho eterno de Deus, que, na sua santa humanidade, dirige a seu Pai a oração filial perfeita. Assim, olhando para a oração de Jesus, devemos nos perguntar: Como é a nossa oração? Quanto tempo dedicamos à nossa relação com Deus? Hoje, num mundo frequentemente fechado ao horizonte divino, os cristãos estão chamados a ser testemunhas de oração. E é através da nossa oração fiel e constante, na amizade profunda com Jesus, vivendo n’Ele e com Ele a relação filial com o Pai, que poderemos abrir, no mundo, as janelas para o Céu.

* * *

Saúdo os peregrinos de língua portuguesa, particularmente os brasileiros vindos de Lorena e de Curitiba, a quem desejo uma prática de oração constante e cheia de confiança para poderdes comunicar a todos quantos vivem ao vosso redor a alegria do encontro com o Senhor, luz para as nossas vidas! E que Ele vos abençoe a vós e às vossas famílias!

Benedictus PP XVI

© Copyright 2011 – Libreria Editrice Vaticana

——————————————————–

Um Apoio onde apoiar a vida

Estava lendo um trecho do Segundo Livro das Crônicas. Deparei-me com uma frase que me impressionou, de tão real. Era a dura censura de um profeta, um tal de Hanani, ao rei Asa, de Judá. O governante tinha pedido ajuda ao rei de Aram na sua luta contra o rei Baasa, de Israel. Procurou ajuda noutro rei e não no Senhor… No aperto, foi lógico: procurou o apoio nos exércitos de um rei amigo. No entanto, as palavras de reprovação do Profeta Hanani são tremendas: “Porque te apoiaste no rei de Aram e não no Senhor teu Deus, as forças do rei de Aram escaparão de tuas mãos” (2Cr 16,7).

É isto mesmo, e se repete tanto, ainda hoje, ainda agora, comigo e com você, caro Leitor meu: toda vez que nos apoiamos em nossos cálculos, em nossas muletas, sejam de que tipo for, terminamos perdendo tudo. Sim, porque nossas muletas, nossos apoios humanos, nossas falsas seguranças nos escapam! O que é perene realmente, a não ser o Senhor?

Pense, Leitor! Pense e pense novamente: o que é perene nesta vida? O que é consistente neste mundo? O que é realmente garantido, assegurado? A resposta é tremenda: nada! Nada fora de Deus se sustenta realmente e nos assegura a vida! Tudo aquilo em que pomos nossa segurança e nosso tesouro de modo absoluto, nos escapa das mãos, como as forças e os exércitos do rei de Aram faltaram ao Rei Asa, de Judá! É a insustentável leveza do ser, sua fugacidade radical, aquela dolorosa constatação do Eclesiastes: “Vaidade das vaidades: tudo é vaidade!” (Ecl 1,1), tudo é fugacidade, é inconsistência…

É de nós mesmos, um vício nosso, fruto do nosso pecado original: a teimosia em buscar seguranças, alicerces e certezas certas fora de Deus e até contra Deus… No entanto, somente ele, o Senhor, é nossa certeza, somente ele, a Realidade real, que nunca nos faltará e pode ser apoio e rochedo da nossa incerta existência!

Cada vez que eu ou você buscarmos apoio absoluto, certo e garantido nas coisas que passam, ouviremos, dolorosamente, a terrível constatação: “Porque te apoiaste nessas coisas, nessas pessoas, nessas situações, e não no Senhor teu Deus, as forças dessas coisas, dessas pessoas, dessas situações escaparão das tuas mãos”, porque tudo passa. Só Deus permanece, só Deus basta!

Dom Henrique Soares da Costa, Bispo Titular de Acúfica e Auxiliar de Aracaju

———————————————-

ENXADAS E PICARETAS

É sabido que enxadas plantam melhor do que picaretas e que picaretas são ótimas para destruir e abrir sulcos. Precisa-se das duas. Mas quando picaretas ocupam o lugar dos enxadões e enxadas o plantador já sabe que o trabalho será mal feito. Dá-se o mesmo com máquinas de plantar e máquinas de revirar a terra. As destruidoras não servem para boa colheita.

Na politica, na fé e na mídia, há os que semeiam e plantam e os que desplantam… Sua ação é mais um desplante do que implante. O povo classifica os que agem errado no lugar errado e de um jeito errado como picaretas. Picaretas de palanques e de bancadas, picaretas dos templos, picaretas das redações. São os que estão lá, mas não servem o povo: servem-se da função. Dão um jeito de levar oi seu sem ética e sem limites. Se puderem levar vantagens pessoais, levarão. Descobriram que lá o dinheiro vem mais fácil.

Padre Zezinho, SCJ

—————————————————————————————————————–

UMA RESTAURAÇÃO DE FÉ

Maria Helena Chartuni fala sobre os 33 dias que restauraram a sua fé e a imagem de Nossa Senhora Aparecida

Revista de Aparecida: Como você se tornou responsável pelo restauro da imagem de Nossa Senhora Aparecida?

Maria Helena Chartuni: Em 16 de maio de 1978 a imagem sofreu um atentado, ficou despedaçada em 165 pedaços e a cabeça foi reduzida a fragmentos milimétricos. O objetivo da Igreja era que o restauro fosse feito no Vaticano, mas foram orientados a procurar o fundador do Masp (Museu de Arte de São Paulo), Pietro Maria Bardi. Nessa época eu era chefe do Departamento de Restauração do Masp e fui incumbida de fazer o restauro. Fiquei temerosa quando vi a imagem porque ela estava totalmente destruída. Cheguei a pensar que não daria certo. A parte mais complicada foi a cabeça, quase não se podia identificar os pedaços. Os fragmentos, quase em pó, foram juntados com uma cola, à base de epóxi, e coladas no interior da imagem para ter o máximo possível de matéria original. Na época houve grande comoção quando todos a viram restaurada.

RdA: Como foi pra você restaurar a imagem mais venerada do país?

Maria Helena: Durante o restauro foquei no trabalho e não na importância religiosa, só queria fazer o melhor no menor tempo possível. Quando terminei e a imagem foi apresentada à imprensa, senti a forte emoção dos padres, dos jornalistas e também dos devotos. Quase todos choravam ao vê-Ia. A imagem saiu do Masp e foi para Aparecida em um carro do Corpo de Bombeiros, durante todo o percurso havia um corredor humano para sua passagem. Foi a partir daí que me dei conta de que algo tinha acontecido com a minha fé que até então estava “congelada”, apesar de eu ter sido criada numa família católica.

RdA: Os 33 dias de trabalho resultaram no encaixe perfeito dos fragmentos de barro e tam bem na restauração de sua fé. Conte-nos essa experiência.

“Enquanto eu reconstituía a imagem fisicamente, Nossa Senhora me reconstituía espiritualmente”

Maria Helena: A imagem foi quebrada em 165 pedaços. Fé e técnica se uniram na reconstrução desde sinal da presença amorosa da Mãe Aparecida entre nós.

Naquela época eu estava descrente, e fiz aquele trabalho como se tivesse restaurando uma obra como outras que eu já havia feito. Eu achava que o encontro da imagem no rio era uma lenda. Com o trabalho de restauro pude comprovar que a imagem realmente ficou um bom tempo na água. A terracota (barro cozido) quando quebra é seca, mas a imagem estava fragmentada, fragilizada pela umidade. Fiquei surpresa várias vezes porque tudo aquilo era um grande quebra-cabeça e eu pegava aleatoriamente um pedaço para tentar encaixar e, muitas vezes, encaixava perfeitamente. Tudo aquilo me mostrou que a imagem era muito especial. O trabalho de restauro da imagem de Nossa Senhora mudou a minha vida, minha fé. Hoje minharelação com Nossa Senhora é de profundo amor e gratidão. Além de ter feito o restauro, todos os anos eu faço a conservação da imagem, no Santuário Nacional. Eu me sinto abençoada por isso e agradeço muito a Deus e Nossa Senhora por essa oportunidade, essa felicidade.

RdA: Qual a mensagem que você deixa para nossos leitores?

Maria Helena: A mensagem de que Nossa Senhora é nossa grande protetora, a escolhida de Deus, ela foi mulher, foi humana e sabe de nossas necessidades. Ela é a mensageira de Deus, aceitou sua missão com humildade, pureza e obediência. Ela deve ser nosso exemplo de mulher de Deus e por isso devemos amá-Ia e respeitá-Ia sempre.

FONTE: Revista de Aparecida – Ano 10 – N0 110 – Maio 2011

————————————————————————————————-

Quanto mais te separares das coisas terrenas mais te aproximarás das coisas do céu e mais riquezas em Deus encontrarás.Aquele que souber morrer para tudo encontrará vida em tudo. Separa-te do mal, faz o bem, procura a paz (Sl 33,15). Aquele que se queixa ou que murmura não é perfeito nem sequer é bom cristão. Aquele que se esconde no seu próprio vazio e sabe abandonar-se a Deus é humilde. Aquele que sabe suportar o próximo e suportar-se a si mesmo é doce. Se queres ser perfeito, vende a tua vontade e dá-a aos pobres de espírito. Em seguida vira-te para Cristo para obteres d’Ele a doçura e a humildade e segue-O até ao calvário e ao sepulcro.

[S. João da Cruz (1542-1591), carmelita, Dr. da Igreja – Conselhos e máximas, 169-175]

—————————————————————————————————————–

Ser humilde é ser santo, é descer do pedestal, é não se auto-adorar, é preferir fazer a vontade dos outros do que a própria, é ser silencioso, discreto, escondido, é fugir das pompas e dos aplausos, como Maria. Sendo Mãe de Deus nunca se orgulhou; mas permaneceu pobre e humilde. São João Batista nos ensina a humildade de Maria: “Importa que Ele cresça e que eu diminua!” (Jo 3,30). Jesus exaltou os “pobres de espírito” (Mt 5, 1) como a Virgem Maria que precisou de muito pouco das coisas materiais para servir o Seu Filho e Senhor, e ser aquela que, como disse João Paulo II, “foi a que mais cooperou para a obra da Redenção da humanidade”. Olhemos e imitemos a Estrela pobre e humilde, que é nossa Mãe.

Prof. Felipe Aquino

————————————————————————————————-

NEM TUDO ESTÁ NA BÍBLIA:

” Jesus realizou diante dos discipulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro.Estes sinais foram escritos para que vocês acreditem que Jesus é o Mesias, o Filho de Deus. E para que acreditando,vocês tenham a vida em seu nome”  (João, 20, 30-31)

” Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se fossem escritas uma por uma, penso que não caberiam no mundo os livros que seriam escritos” (João 21, 25)

“Tenho muitas outras coisas para escrever-vos, porém, não quero fazê-lo por tinta e papel, pois espero ir até vós e falar-lhes face a face, para que nosso gozo seja completo” (2João 1,12).

A Bíblia manda seguir a Tradição

Em nome de Nosso Senhor, Jesus Cristo, mandamos que vos afasteis de todo irmão que se entrega à preguiça e não segue a tradição que de nós recebestes” (2 Tm 3,6).

Tu, pois, meu filho, sê forte na graça de Cristo, e o que de mim ouviste perante muita testemunha confia-o a homens fiéis capazes de ensinar a outros” (2 Tm. 1-2). Eis aqui a tradição oral.

Irmãos, ficai firmes e conservai as tradições que aprendestes, quer por palavra, quer por escrita nossa” (2 Tess 2,15).

————————————————————————————————–

1Pedro 3,17

“Pois, se é da vontade de Deus que vocês sofram, é melhor que seja por praticarem o bem, e não o mal”

————————————————————————————–

“Cristo era o único filho de Maria. Das entranhas de Maria, nenhuma criança além dEle. Os ‘irmãos’ significam realmente ‘primos’ aqui: a Sagrada Escritura e os judeus sempre chamaram os primos de ‘irmãos’.”

(Martinho Lutero, Sermões sobre João 1-4, 1534-39)

———————————————————————————-

“Maria é a mulher mais elevada e a pedra preciosa mais nobre no Cristianismo depois de Cristo… Ela é a nobreza, a sabedoria e a santidade personificadas. Nós não poderemos jamais honrá-la o bastante. Contudo, a honra e os louvores devem ser dados de tal forma que não ferem a Cristo nem às Escrituras.”

(Martinho Lutero, Sermão na Festa da Visitação em 1537.)

———————————————————

1Cor 1,18

“A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina.”

——————————————————————————–

1Cor 7, 10-11

“Aos que estão casados, tenho uma ordem. Aliás, não eu, mas o Senhor: a esposa não se separe do marido; e caso venha a separar-se não se case de novo, ou então se reconcilie com o marido.E o marido não se divorcie de sua esposa”.

———————————————————————————-

Tiago, 5, 16

Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros para serdes curados. A oração do justo tem grande eficácia.

————————————————————–

João 3, 14-15

“Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem,para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna.”

—————————————————-

“Não há pecado nem crime cometido por outro homem que eu não seja capaz de cometer por razão de minha fragilidade, e se ainda não o cometi, é porque Deus, em sua misericórdia, não o permitiu e me preservou no bem.” Santo Agostinho,( Confissões 2,7)

————————————————————–

” Nós , porém, pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e insensatez para os pagãos.”