Eu danço como o Rei Davi? Uma proposta de reflexão para os dançarinos di Zizuiz

 

Obra de James Tissot: Davi dançando diante do Senhor com toda a sua energia[/caption]
Na procissão triunfal da entrada da Arca de Aliança em Jerusalém, ele dançou empolgadão ao som dos tamborins. O Rei Davi jamais poderia imaginar que este gesto o levaria, dois mil anos depois, a ser “eleito” o padroeiro extra-oficial dos sacolejantes “ministros da dança litúrgica”.

A passagem bíblica que cita a dança diante da Arca é usada como um muro de intransigência, que torna os padres modernistas e dançarinos di Zizuiz imunes a qualquer questionamento. Não adianta citar as declarações do Cardeal Arinze; é inútil apresentar as observações de Bento XVI ou relembrar os documentos da Igreja sobre o significado do santo Sacrifício da Missa. Tudo isso bate no muro e se espatifa, como coisa sem valor.

Seguir a Tradição da Igreja e as orientações do Papa pra quê, se eu sei interpretá a bibra? Solta a musiquinha da Mara Marabília, didjêi! “Eu danço, eu daaaançoooo”…

Mas, vamos refletir um pouco: é válida a comparação entre a dança de Davi diante da Arca e a dança na Missa? Estas são coisas equivalentes?

Vejamos…

Arca da Aliança: guardava as tábuas dos Dez Mandamentos. Sumiu no século I e até hoje ninguém sabe onde foi parar.

Então, Davi dançou em uma procissão de rua diante de uma caixa com pedras dentro (pedras sagradas, certamente, mas efetivamente pedras).

Missa: é o rito mais importante e sagrado da Igreja Católica. Nela, fazemos memória do sofrimento, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O mesmo sacrifício do Calvário é feito verdadeiramente presente, porém, sem que Ele sofra (é incruento).

O altar é como o solo onde foi fincada a cruz de Cristo, pois ampara o sangue que Ele derramou na cruz.

Bem, tendo esclarecido isso, vale perguntar aos partidários da dança di Zizuiz:
Você já dançou durante o julgamento e condenação de um inocente?
Já dançou em algum evento em que se fez memória de uma longa e atroz sessão de tortura?
Medo das respostas… Tem bizarrice pra todos os gostos neste mundo, né?

E quanto à Ressurreição de Cristo? Não devemos nos alegrar por isso na missa? Sim! Porém, agora, imagine que você está em Jerusalém, há 2 mil anos. Está triste, diante do santo sepulcro, quando algo maravilhoso acontece: Jesus acaba de ressuscitar! O Senhor está ali, de pé, em carne e osso, diante de você! E aí, qual a sua reação?

– Opção 1. Forma um “corpo de baile” com a galera e sai dançando para celebrar o momento.

– Opção 2. Adora aquele fato com uma alegria profunda e reverente. A mesma alegria que demonstraram as santas mulheres e os Apóstolos.

Quem escolhe a opção 1 deve saber que está muito mais próximo dos costumes de protestantes neopentecostais do que da tradição católica. Afinal, essa prática de dançar no culto foi copiada deles.
Fonte: http://www.ocatequista.com.br/blog/item/6573-eu-danco-como-o-rei-davi-uma-proposta-de-reflexao-para-os-dancarinos-di-ziziuz

Anúncios
por Católicos na Rede Postado em Artigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s