10 razões do sacramento da confissão

Estamos no tempo Quaresma, tempo de graça, de conversão. É um momento oportuno também para nós católicos de nos aproximarmos do sacramento da confissão. Seu que é um sacramento bastante exigente. O texto abaixo nos ajuda a melhor compreender e participar mais plenamente. Não deixe passar essa graça de Deus na sua vida. Por esses dias, nossas paróquias estão realizando mutirão de confissão, com a presença de vários padres. Confesse-se. Não se esqueça os santos sempre se confessaram. e quem se confessa torna-se santo.

1 – Por que confessar é difícil? Por ter que reconhecer e contar as próprias falhas. O ser humano tende a aumentar as próprias qualidades e a diminuir ou mesmo omitir suas próprias falhas e fraquezas.

2 – Deus e Jesus perdoam – o Antigo até o início do Novo Testamento, somente Deus podia perdoar os pecados: “Só Deus pode perdoar os pecados”(Mc 2,7). Jesus Ele herdou do Pai esse poder. Para prová-lo curou um paralítico: “Para que saibais que o Filho do Homem(Jesus) tem poder de perdoar os pecados na terra, eu te ordeno, disse ao paralítico, levanta-te, toma teu leito e vai para a tua casa”(Mc 2, 1-12; Mt 9, 1-8).

3 – Os apóstolos perdoam – Jesus, o enviado do Pai, envia os apóstolos para perdoarem os pecados: “Ele(Jesus) disse de novo(aos apóstolos): a paz esteja convosco! Como o Pai me enviou Eu também vos envio. Dizendo isso, soprou sobre eles e lhes disse: recebei o Espírito Santo! Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, aqueles ao quais retiverdes, ser-lhes-ão retidos”(Jo 20, 21-23).

4 – Os Padres e Bispos perdoam – Hoje, os sucessores dos apóstolos são os Bispos. Eles herdaram o poder de perdoar quando foram ordenados. Os padres(presbíteros) são ministros ordenados colaboradores dos Bispos; a eles cabe “administrar” o perdão em nome do Deus Trino e seguir suas exigências e condições: que o pecador esteja arrependido e reconheça os seus pecados.

5 – A todos os homens – Não existe a instrução de não perdoar, e sim de perdoar sempre. Por isso Jesus disse: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”(Mt 5, 44); “Perdoar até 70 vezes 7”(Mt 18, 22). Sete representa a perfeição. Jesus multiplica essa perfeição por 70, para indicar que é preciso perdoar sempre!

6 – Por que se confessar com padre? Ele também é pecador? Como vimos em Jo 20,21-23, é Deus mesmo quem quer que seja desta forma. O fato de o padre ser pessoa humana pecadora não é fator negativo. Por também ser pecador, ele compreende as fraquezas humanas, é capaz de compreender e aconselhar o penitente, de ajudá-lo a vencer as próprias fraquezas e a perseverar nos caminhos de Deus. “Ele(o sacerdote) é capaz de sentir justa compaixão por aqueles que ignoram e erram, porque também ele próprio está cercado de fraqueza”(Hb 5,2). A vida é assim, sempre precisamos uns dos outros e por isso procuramos médicos, dentistas, psicólogos, psiquiatras, advogados e tantos outros que também são humanos.

7 – O penitente precisa ter vergonha do padre? Não! O padre, quando concede o perdão, está revestido do próprio Cristo, que não quer a condenação, mas vida e salvação de todos. É certo que o pecado causa vergonha e humilhação, porém, é grandioso e nobre o desejo do penitente em reconhecer as próprias faltas e querer mudar de vida.

9 – Raiz do pecado – Mais do que contabilizar pecados, o penitente deve se preocupar em eliminar a raiz do pecado no próprio coração: “A raiz dôo pecado está no coração do homem, em sua livre vontade, segundo o ensinamento do Senhor: ‘Com efeito, é do coração que procedem más inclinações, assassínios, adultérios, prostituições, roubos, falsos testemunhos e difamações. São estas coisas que tornam o homem impuro’(Mt 15, 19-20). No coração reside também a caridade, princípio das obras boas e puras, que o pecado fere”(CIC – Catecismo da Igreja Católica, 1853).

9 – Confissão é poda dos excessos – Poda, tal como se faz em árvore e jardins. Podar no tempo certo, e eliminar o quanto antes as pragas e ervas daninhas é o melhor que se faz para um bom reflorescimento e a boa frutificação. Assim também deve acontecer na vida humana, através de uma boa confissão.

10 – O pecado e a confissão – Pecado é tudo que ofende a Deus, o próximo, a criação e a si mesmo. Onde se ama pouco se peca muito. Só reconhece o pecado quem se deixa iluminar por Deus. Após um bom exame de consciência, o penitente deve ser pontual na descrição do pecado e evitar expressões genéricas ou detalhistas na confissão; não deve contar os pecados alheios nem vantagens pessoais para aliviar as próprias falhas. Após a confissão, o penitente deve rezar o ato de contrição e pode também ler o Salmo 51, de Davi, que suplicou o perdão de Deus por ter cometido um pecado grave(2º Samuel 11 e 12).

Jornal Presença Viva, Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora – Fevereiro de 2015.

Anúncios
por Católicos na Rede Postado em Artigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s