A importância da Bíblia na Catequese

Dom Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro

Em nosso Plano de Pastoral, no capítulo IV sobre “A palavra de Deus: Lugar Privilegiado para o Encontro com Jesus Cristo”, recorda a importância da mesma na iniciação cristã: “É por isso que Iniciação Cristã e Sagrada Escritura possuem um vínculo muito forte, de modo que iniciar ou reiniciar na fé significa também iniciar ou reiniciar no contato com a Bíblia.” E a explicação vem logo a seguir: “A iniciação cristã nos leva a Jesus Cristo, e Jesus Cristo é a Palavra de Deus feita carne.” E a pergunta que se faz é significativa: “Como, portanto, não destacar ainda mais a Escritura Sagrada nestes tempos de iniciação ou reiniciação cristã?”.

Por isso, podemos afirmar com toda a certeza que a Bíblia é o principal livro da catequese, a mais importante fonte do processo de evangelização. E isso é fácil de entender, pois sabemos que a Bíblia contém a Palavra de Deus. Se na catequese o que se pretende é ajudar o catequizando a realizar o seu encontro com Deus, fica clara a importância da Palavra de Deus, por meio da qual se realiza esse encontro.

Sabemos que junto com a Sagrada Escritura, ainda mais neste Ano da Fé que iremos iniciar, o Catecismo da Igreja Católica, como sistematização de nossa fé, ocupa o outro lugar importante. Por isso, neste mês de Bíblia, ao salientarmos a importância da Bíblia na Catequese queremos que essa Palavra, luz para o nosso caminho, nos faça novos em nossa vida e caminhada.

A catequese deve, portanto, ser centrada na Palavra de Deus. O catequizando deve aprender a escutar a Bíblia e ser incentivado a vivenciá-la. Por meio da Palavra, Deus se comunica conosco e nós nos comunicamos com Ele. É importante conhecermos e aprofundarmos um pouco a Bíblia, criar intimidade com ela, pois isto nos facilitará uma experiência maior com o próprio Deus presente nela, e que nos fala por meio dela. Para usar a Bíblia na catequese temos que conhecê-la, saber usar seus textos adequadamente em cada situação e, principalmente, observar as etapas e idades dos catequizandos. Assim, consiste em conhecer a Palavra de Deus, e aprofundá-la para que, de fato, ela seja luz e vida na vida e no crescimento dos catequizandos.
Nela encontramos a história da nossa salvação. A história do grande amor de Deus por todos os homens. Por isso, seus ensinamentos são tão importantes. Eles são como a luz: iluminam e fortalecem os nossos passos para seguirmos o caminho do bem. Assim, tornamo-nos amigos de Deus e amigos uns dos outros.

A Palavra de Deus é o centro de toda ação catequética. O documento n.° 26 “Catequese Renovada, Orientações e Conteúdo” afirma que “o catequista dedica-se de modo especifico ao serviço da Palavra, tornando-se porta voz da experiência cristã de toda comunidade”. E continua: “Anuncia a Palavra, denuncia o que impede ao homem de ser ele mesmo e de viver sua vocação de filho (a) de Deus”. “Apresenta os meios para ser ele mesmo e para viver sua vocação de filho (a) de Deus, como também os meios para ser cristão e mostrar a alegria de viver o Evangelho”. O documento conclui dizendo “que a Bíblia é a primeira fonte da catequese”.

Se quisermos uma catequese pautada na Bíblia. temos que investir na formação de nossos catequistas, possibilitando a eles subsídios capazes de os ajudarem a aplicar a Palavra de Deus em seus encontros. E. diante disto, existem muitas publicações tanto científicas como de nível popular, e artigos em revistas. Alguns passos podem ajudar:

Motivar os/as catequistas, famílias e catequizandos para ter nas mãos uma Bíblia e assim familiarizar-se com ela. Este é o primeiro passo: ter a Bíblia nas mãos. Isto está muito claro em nosso Plano de Pastoral nº 57. Cabe aos coordenadores motivar para que as pessoas comecem a ver a Bíblia com um livro de oração, de reflexão, de meditação, de confronto com a realidade, e de acesso para todos.

Organizar cursos populares para clarear e aprofundas os textos. As Bíblias católicas têm no inicio, no final, ou antes de cada livro boas explicações que contribuem para o seu entendimento. “Tua palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho”, diz o salmo 118/119.

O capítulo IV de nosso Plano de Pastoral deveria todo ele ser meditado profundamente neste mês da Bíblia. Ali encontramos as orientações práticas de como fazer e atuar em nossa Arquidiocese sobre a Palavra de Deus. Ela deve penetrar na vida, levar a um diálogo com Deus e a um compromisso com a realidade. É escutar o que Deus fala hoje, é perceber em nossa vida e na caminhada da comunidade a presença ou ausência do plano de Deus. A Bíblia é o livro da comunidade, por isso é importante o estudo e a leitura bíblica em grupo. Formar grupos de catequistas para ler e estudar a Bíblia de maneira perseverante. Em pouco tempo esses grupos adquirem gosto pela Palavra de Deus e encontram segurança para trabalhar a Bíblia na catequese.

Assim, a Bíblia é o livro do povo de Deus. Ela quer construir e fazer crescer a comunidade de fé, a comunhão fraterna e a vida de oração. Leva à solidariedade e ao compromisso com a vida, com o Reino, com a Justiça e com a solidariedade. O uso da Bíblia na catequese e na iniciação cristã é um esforço continuado da Igreja para que os catequistas e introdutores possam fazer dela uma realidade viva e testemunhada na vida da comunidade.

FONTE: Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro/RJ

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s