Notícias da Igreja

Papa Francisco agradece, em carta ao presidente da CNBB, acolhida recebida no Brasil
Sex, 16 de Agosto de 2013 14:42 – CNBB

O presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis, recebeu esta semana uma carta do Papa Francisco. No texto, o Santo Padre agradece a acolhida recebida no Brasil e, em especial, na cidade de Aparecida.

Confira a íntegra da carta:

Querido irmão,

Venho renovar-lhe a expressão do meu agradecimento e, através de sua pessoa, a todos quantos o mesmo seja devido nessa amada diocese, particularmente no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, pelo carinho que me receberam e tudo predispuseram da melhor maneira para que eu pudesse visitar a casa da Mãe de todos os brasileiros.

Guardo indeléveis, na memória e no coração, as imagens daquela ativa assembleia litúrgica e da multidão festiva que na esplanada do Santuário, mesmo com frio e a chuva, quiseram acompanhar-me na minha peregrinação à Aparecida. Sem dúvidas foi também uma oportunidade para reviver as belas recordações da minha permanência no Santuário, durante a Quinta Conferência do Episcopado Latino-Americano e do Caribe. Confiei a Ela, Nossa Mãe, a vida de cada brasileiro, bem como pedi que fizesse arder no coração de cada sacerdote desse imenso País um zelo sempre maior por anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo.

Peço-lhe também para que, na sua qualidade de Presidente da CNBB, se faça intérprete do meu vivo apreço e gratidão aos Bispos do Brasil, a todos os párocos, pastorais e movimentos eclesiais pelo carinho e empenho postos na preparação e realização da Jornada Mundial da Juventude. Esta foi, certamente, um evento em que o Senhor cumulou de graças a Igreja que está no Brasil. Faço votos para que as sementes que foram lançadas possam frutificar permitindo uma nova primavera para a Igreja nesta amada Nação.

Reconhecido, retribuo todas as gentilezas recebidas, confiando a Deus, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, as dioceses e prelazias brasileiras, juntamente com os seus pastores, enquanto de coração a todos concedo uma especial Benção Apostólica e peço que, por favor, não deixem de rezar por mim.

Vaticano, 2 de Agosto de 2013.

 

——————————————–

Finanças: «Banco do Vaticano» chega à internet em nome da transparência

Cidade do Vaticano, 31 jul 2013 (Ecclesia) – O Instituto para as Obras de Religião (IOR), conhecido como o Banco do Vaticano, apresentou hoje a sua página na internet, num esforço de “transparência”, segundo os seus responsáveis.

O site www.ior.va antecede a publicação, pela primeira vez, do balanço anual da instituição ligada à Santa Sé.

O presidente do IOR, Erns von Freyberg, disse à Rádio Vaticano que a presença na internet procura informar colaboradores, clientes, “a Igreja e a opinião pública que esteja interessada” sobre o Instituto, os seus objetivos, as reformas em curso e o apoio prestado à missão da comunidade católica “nas suas obras caritativas”.

——————–

Hóstia que sangra: arquidiocese mexicana investiga ocorrido da última quarta, 24

26/07/2013

“Este é um momento de grande benção para a comunidade e para o mundo inteiro”, foi o que afirmou o sacerdote José Dolores Castellano Gudiño, conhecido na região como padre Lolo, a respeito do possível milagre eucarístico ocorrido na última quarta-feira, 24 de junho, em sua paróquia, no qual o sangue brotou de uma hóstia consagrada.

Em meio a músicas, aplausos e lágrimas, muitos fiéis católicos e também não católicos têm se aglomerado na paróquia de “Maria Madre de la Iglesia” (Maria, Mãe da Igreja), localizada em Jardines de la Paz (em Guadalajara, no México), para testemunharem e registrarem este momento único.

Um clarão e uma voz

Eram 12h (hora local), no mesmo dia do acontecimento, em que o sacerdote estava fazendo sua oração diária, rezando diante do Santíssimo Sacramento, quando de repente viu um clarão, e uma voz lhe deu algumas indicações:

“Toque os sinos para as participarem e bençãos serão derramadas para aqueles que estejam presentes todo o dia. Leve seu pequeno sacrário e coloque-o no altar da paróquia, ao lado do sacrário do templo e não abra-o até as três da tarde, quando ocorrerá um milagre eucarístico no qual será chamado ‘Milagre da Eucaristia na Encarnação do Amor junto de nossa Mãe e Senhora'”.

Depois “a voz” disse-lhe para transmitir aos “apóstolos” (sacerdotes) para atendê-los em sua conversão e todas as almas se encheriam de bençãos.

Um padre emocionado

O padre Lolo disse que não conseguia dizer uma palavra para esta voz, mas disse apenas: “Meu Senhor, sou teu servo, a tua vontade”. Sem conseguir esconder a voz embargada pela emoção, o sacerdote continuou a narrar o acontecimento:

Fiz o que me foi ordenado, pedi para abrir as portas do templo às 14h30 e também ordenei que fizessem os sinos soarem. Peguei em minha capela privada este humilde tabernáculo de madeira e coloquei-o no altar, e pedi que as pessoas, por volta das 15h, se reunissem para rezar diante do Santíssimo Santíssimo. Às três horas da tarde foi abrir o sacrário, e a hóstia consagrada estava banhada em sangue”.

Em 24 de julho

O sacerdote explicou que Jesus deseja que adoremos seu Corpo e Sangue juntos à sua Mãe Santíssima e no dia 24 de junho este milagre foi realizado, como queria que se chamasse: “Milagre da Eucaristia na Encarnação do Amor junto de nossa Mãe e Senhora”.

“[A voz] também me disse que deveria ser erguido na comunidade nicho onde todos pudessem realizar a adoração, e que se em algum momento quiserem enviar para serem realizados estudos, que levem uma parte para que realizem todos os estudos que quiserem”.

Por fim o sacerdote disse que “Ele [Jesus] está aqui presente e eu transmito só o que ouvi, junto daqueles que viram o que eu também vi”.

Uma multidão devota

Mais de 4 mil fiéis passaram durante toda a tarde e noite na paróquia de testemunharem o fato. Ontem, 25 de julho, foi celebrada uma missa na comunidade paroquial, e, em seguida, o sacrário foi retirado do tempo para que a arquidiocese de Guadalajara possa investigar o ocorrido.

Os motivos da retirada foram confirmados em uma nota da assessoria de imprensa da arquidiocese. Segundo a nota, “a Igreja, nestes casos, pede que se jugue com muita prudência e moderação um acontecimento como este, com a finalidade de dar a veracidade ou não do ocorrido. A Igreja agirá com muito cuidado para chegar à confirmação se, de fato, trata-se de um milagre eucarístico”.

A nota ainda assinala que durante o primeiro dia da exibição pública da chamada “hóstia sangrenta”, era evidente o transtorno causado dentro do templo, em que ocorreram gritos e empurrões de adultos e crianças que queria chegar ao altar e testemunhar o possível milagre.

Por fim, o comunicado da imprensa da arquidiocese afirma que serão realizadas as investigações cabíveis, que serão confiadas a especialistas, para que possam ser anunciados os resultados.

“O cardeal arcebispo (Francisco Robles) indicou que a hóstia apresenta algumas particularidades especiais e preferiu não manter a exposição ao público para que sejam realizados os estudos necessários, para garantir ou não se trata-se de um milagre”, disse o vigário geral da arquidiocese de Guadalajara.

Um sacerdote apreciado pelos paroquianos

A imprensa mexicana tem recorrido à revista da arquidiocese afim de obter mais informações da paróquia e do sacerdote José Castellanos, de 45 anos, no qual está confiada. Tem se percebido o sentimento dos paroquianos que têm boa imagem de seu pastor: atribuída a um “aumento da fé” na comunidade, por seu trabalho em “reconciliação e busca da verdade”.

Uma paróquia muito eucarística

O padre Lolo escreveu em um informativo da paróquia que “temos uma participação grande da juventude comprometida, responsável e trabalhadora”. São jovens participativos, que frequentemente se aproximam do Sacramento da Reconciliação. Têm muitas necessidades espirituais. É também uma comunidade eucarística, onde o Santíssimo Sacramento é exposto durante todo o dia, e nunca é deixado sozinho. (VH)

Fonte: http://www.religionenlibertad.com/articulo.asp?idarticulo=30384

—————————————————————————————————-

Em visita à Favela da Varginha Papa conversou e rezou com pastor e fieis reunidos na porta de sua Igreja evangélica
Quarta coletiva de Imprensa com Pe. Federico Lombardi, SJ, diretor da Sala de Imprensa do Vaticano

Rio de Janeiro, 26 de Julho de 2013 (EWTN)

Mãos congeladas, chuva constante e muita alegria no coração. Assim estavam os jovens na festa de acolhida do Papa Francisco na noite de ontem em Copacabana. Com essas circunstâncias, às 20h30 dessa quinta-feira, no  Media Center do Forte de Copacabana, Pe. Federico Lombardi, diretor da Sala de Imprensa Vaticana, juntamente com Pe. Márcio Queiroz, diretor de comunicação da JMJ, concederam a coletiva de imprensa resumindo esse quarto dia do Santo Padre Francisco em solo brasileiro.

A agenda do Papa começou com uma atividade muito importante, foi o que referiu o Porta-voz do vaticano. O Pontífice celebrou uma missa com a presença de todos os seminaristas da arquidiocese, do seminário maior, propedêutico e do seminário Redemptoris Mater, juntamente com os seus formadores. Umas 300 pessoas no total. Na homilia o Santo Padre disse aos seminaristas que levam tesouros em vasos de barro, e que portanto deveriam, conscientes disso, buscar com muita frequência a confissão e a adoração eucarística.

Logo após o Papa recebeu a Chave da Cidade e abençoou as bandeiras da Olimpíada e da paraolimpíada de 2016. Abençoou e cumprimentou diversos deportistas, dentre os quais Oscar Schmidt, jogador de basquete brasileiro que luta contra o câncer. “Mas, não vi Pelé. Não sei se estava, mas não o vi”, disse Pe. Lombardi.

“Fomos à paróquia do Pe. Márcio em Varginha, como vocês puderam ver pela televisão”. Dessa visita Pe. Lombardi destacou duas coisas: primeiramente “durante a visita vi os olhos do Papa cheios de lágrimas”, o que mostra que ele estava emocionado e muito feliz com o que estava vivendo. Em segundo lugar “destaco quando o Papa entrou na pequena casa da família, 4 por 5 metros”. Ali, disse Pe. Lombardi, havia umas 20 pessoas, da criança recém-nascida, à senhora de 93 anos. O Papa conversou, tirou fotos e rezou com eles.

O sacerdote afirmou que a família só foi avisada à meia noite do dia anterior quando “liguei e perguntei se ela sabia guardar segredo e se tinha problema cardíaco”, disse Pe. Márcio. Em seguida “perguntei-lhe se podia receber o Papa na sua casa”. A senhora, emocionada, disse ao padre que toda a família tinha se reunido na sua casa para ver o Papa no Rio, todos são da Paraíba, e que isso estava sendo um grande presente.

Até mesmo um encontro ecumênico aconteceu de forma espontânea, quando ao sair da casa da família – disse pe. Márcio – o Papa parou em frente de uma Igreja evangélica, cujo pastor e fieis estavam na porta e tinham o desejo de cumprimentar o Papa. O Pontífice cumprimentou-os e rezou com eles um Pai Nosso“.

“Com a visita ao hospital ontem à tarde e com esta na comunidade de Varginha, acho que o Papa conseguiu ter esses dois encontros tão desejados com os pobres e sofredores”, afirmou Pe. Lombardi.

Sobre o famoso encontro com os argentinos, Pe. Lombardi confirmou o número de aproximadamente 30 mil peregrinos, a maioria fora da Catedral. Papa Francisco falou na catedral que os jovens deveriam “hacer líos” nas suas dioceses, bagunçar as suas dioceses,  “no sentido de sair do fechamento, pois é a sua clássica mensagem de missionariedade, embora crie terremotos, é necessário”… disse o porta-voz da Santa Sé.

Pe. Lombardi confirmou a notícia de que a missa de envio do Papa já não será em Guaratiba, mas em Copacabana. “Os organizadores se reuniram com as autoridades e viram que não era prudente que os jovens passassem a noite ali”. Depois de ligarem para o Papa com o fim de saber o seu parecer, o Pontífice mostrou-se completamente de acordo, dado que os organizadores do evento tinham chegado à conclusão de que não era prudente realizar o encontro naquelas circunstâncias.

Na manhã da sexta-feira, às 7h30 o Papa Francisco vai celebrar a missa privada na residência so Sumaré. Às 10h ouvirá confissões na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na Zona Norte. Em seguida, se encontrará com 5 jovens detentos no Palácio  São Joaquim, residência do Arcebispo do Rio de Janeiro, “Um encontro muito pequeno”, mas que o Papa tem no coração. Às 12h o Papa rezará o Angelus da janela do Palácio São Joaquim. Após a oração o Papa almoçará com 12 jovens. A previsão é que pela tarde o Papa chegue por volta das 17h45 em Copacabana, do Posto 6 até o Leme. Às 18h começará o terceiro evento Central da JMJ, com a celebração da Via Sacra.

(26 de Julho de 2013)

Papa Francisco encontra presidente da Igreja evangélica alemã

Cidade do Vaticano (RV) – O Pontífice recebeu em audiência na manhã desta segunda-feira, no Vaticano, o presidente da Igreja Evangélica na Alemanha, Dr. Nikolaus Schneider, acompanhado de sua consorte e comitiva. Sobre o importante encontro de caráter ecumênico falou-nos o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi.

O encontro foi realmente muito cordial e o Dr. Schneider fez ao Santo Padre as suas felicitações, inclusive pelo início tão feliz e emocionante do novo Pontificado, e manifestou também o seu apreço pela escolha do nome “Francisco”, porque é um nome de um Santo que realmente fala a todos os cristãos num modo extremamente eficaz.

O presidente da Igreja Evangélica na Alemanha falou também sobre as enchentes e os sofrimentos que têm atingido recentemente a Argentina, manifestando ao Santo Padre a sua participação nos sofrimentos do povo argentino.

Em seguida, a conversação sobre o tema ecumênico deteve-se em particular acerca do valor do ecumenismo dos mártires, ao qual o Papa Francisco dá um peso particular, conhecendo profundamente os sofrimentos que muitas pessoas também da Igreja evangélica viveram no tempo do nacional socialismo e em outras circunstâncias.

O sangue derramado dos mártires é algo que une profundamente as diferentes confissões cristãs no testemunho comum por Cristo.

O Dr. Schneider recordou o aproximar-se da memória da Reforma tendo em vista o ano 2017, momento extremamente importante, evidentemente, para a Igreja evangélica na Alemanha, e o Santo Padre aproveitou a ocasião para recordar os discursos de Bento XVI em Erfurt, na Alemanha, no lugar onde Martinho Lutero viveu e atuou.

Portanto, foram colocações particularmente significativas no que diz respeito ao ecumenismo e às relações entre a Igreja Católica e a tradição da Reforma e a figura de Lutero. Efetivamente, o encontro foi particularmente frutuoso e significativo no contexto do caminho ecumênico que também este Pontificado porta avante sem incertezas. (RL)

—————————————————-

Papa Francisco explica escolha do nome: gostaria de uma igreja pobre

Do UOL, no Rio

16/03/201307h18 > Atualizada 16/03/201307h21

O Papa Francisco afirmou neste sábado (16), em pronunciamento para jornalistas, que escolheu o nome de São Francisco de Assis após ser lembrado pelo arcebispo emérito de São Paulo, dom Cláudio Hummes, que estava a seu lado no momento da eleição, de que era preciso se lembrar dos pobres. “Quando os votos chegaram a dois terços, aconteceu o aplauso esperado, pois afinal eu havia sido eleito papa. E ele me abraçou, me beijou e disse: “não se esqueça dos pobres”. Eu lembrei imediatamente de Francisco de Assis.”

Segundo o papa, seu desejo seria “uma igreja pobre, para os pobres”. “O nome apareceu no meu coração. Para mim, o homem da pobreza, o homem da paz, o homem que ama e proteje a criatura.”

O papa comentou ainda que considera dom Cláudio Hummes um “grande amigo”. “Quando a coisa começou a ficar um pouco perigosa, ele começou a me tranquilizar”, contou.

———————————————————————————————————————————————-

Papa proíbe cardeal acusado de encobrir 250 casos de pedofilia de frequentar basílica

15.03.2013 às 11h48 > Atualizado em 15.03.2013 às 15h08

Vaticano – O papa Francisco teve um embaraçoso encontro nesta quinta-feira, na Basílica Santa Maria Maior com o cardeal Bernard Law, acusado de ter encoberto cerca de 250 padres pedófilos entre 1984 e 2002, quando foi arcebispo da diocese de Boston (EUA).
Em reunião nesta sexta-feira, papa recebe as boas-vindas | Foto: Repredução Internet
Em reunião, nesta sexta-feira, papa fez um pronunciamento ao receber as boas-vindas | Foto: Repredução Internet

Em seu primeiro dia de pontificado, Francisco visitou nesta quinta Santa Maria Maior, onde mora o cardeal aposentado, de 82 anos, que estava no local no momento, segundo reconheceu depois o porta-voz da Santa Sé, o jesuíta Federico Lombardi.

O jornal italiano “Il Fatto Quotidiano” publicou nesta sexta-feira que Francisco comentou aos que lhe acompanhavam: “Não quero que (o cardeal) frequente esta Basílica”.

O cardeal Law, é arcipreste (presbítero mais antigo) emérito da Basílica Santa Maria Maior e, após os casos de pedofilia que teria encoberto, abandonou o cargo de arcebispo de Boston.

“O cardeal Law estava presente em Santa Maria Maior como arcipreste emérito e viu o papa, depois cumprimentou Francisco e continuou seu caminho”, relatou Lombardi.

As informações são da EFE

————————————————————————————————————————————

14/03/2013 – 21h41

Em bom português, papa Francisco confirma viagem ao Rio

FABIANO MAISONNAVE
ENVIADO ESPECIAL A ROMA
CRISTINA GRILLO
FABIO BRISOLLA
DO RIO

O papa Francisco fala português com desenvoltura. Sua pronúncia foi considerada “muito boa” por alguns religiosos brasileiros que o ouviram confirmar presença na Jornada Mundial da Juventude, encontro de jovens católicos que será realizado entre os dias 23 e 28 de julho no Rio.

“Sem dúvida, ele não vai precisar tomar aulas para ir ao Brasil”, disse o monsenhor Antônio Luiz Catelan, assessor do presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno Assis.

Na tarde de ontem, Catelan esteve entre os passageiros do ônibus que levou o novo líder da Igreja Católica até a Capela Sistina para a missa de encerramento do conclave. De acordo com o monsenhor, ao entrar no ônibus, o papa observou alguns lugares vazios e disse, em português:

“Vou me sentar com o Raymundo”.

O novo papa elogiou a alegria do povo brasileiro.

“E ainda cantou o trecho de uma musiquinha brasileira, que não vou revelar qual. É segredo pontifício”, disse Catelan, com bom humor.

A afinidade do papa Francisco com integrantes da comitiva nacional pode favorecer a programação da JMJ.

Responsável pelo comitê organizador local da jornada, o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, já prepara ajustes no roteiro da visita.

“Vamos manter as atividades já propostas e acrescentar sugestões. Antes a orientação era reduzir os deslocamentos por conta da saúde de Bento 16″, disse Dom Orani.

O arcebispo revelou à Folha detalhes do primeiro compromisso do papa na JMJ, no dia 25 de julho, em Copacabana. O papa desembarcaria de helicóptero no Forte de Copacabana e seguiria de papamóvel por toda a praia (um percurso de quatro quilômetros) até o altar instalado no Leme (no ponto oposto ao Forte).

“Essa é a ideia, mas não está decidido”, ressaltou Dom Orani.

Em janeiro, uma comissão da JMJ esteve em Roma para discutir o assunto.

“O Vaticano prefere o altar no Leme, de frente para toda a praia de Copacabana e sem público atrás do papa”.

Antes descartada, a visita ao Cristo Redentor volta a entrar na pauta. Outro passeio em análise é a ida do papa a uma favela, repetindo João Paulo 2º que visitou o Vidigal em 1980.

Em Roma, o cardeal Dom Odilo Scherer apostou na disposição do novo líder da igreja: “Um papa com saúde, com menos idade, poderá eventualmente ousar mais e incluir mais programas em sua visita ao Brasil.”

Alberto Gasbarri, emissário do Vaticano responsável pelas viagens papais, vem ao Rio no início de abril para definir os últimos detalhes da visita.

14/03/2013 – 14h12

Nobel da Paz nega que Bergoglio tenha colaborado com ditadura argentina

DE SÃO PAULO

A rede britânica relaciona as acusações de participação da ditadura com reportagens do jornal “Página/12″ que o acusavam de colaborar com os ditadores da época.

As notícias, de um dos donos da publicação, Horacio Verbitsky, acusavam Bergoglio de ter tirado a proteção de dois padres jesuítas, Orlando Yorio e Francisco Jalics, que faziam trabalhos sociais em bairros pobres.

No mesmo ano, ele negou as acusações, em sua autobiografia “O Jesuíta”. “Fiz o que pude com a idade que tinha e as poucas relações com as que contava, para advogar pelas pessoas sequestradas”.

PERFIL

Bergoglio nasceu na capital argentina e, depois de cursar o seminário no bairro Villa Devoto, entrou para a Companhia de Jesus aos 19 anos, em 1958. Foi ordenado padre pelos jesuítas um ano depois, quando estudava teologia e filosofia na Faculdade de San Miguel.

De 1973 a 1979, ele foi provinciano pela Argentina e, a partir de 1980, reitor da faculdade de San Miguel –cargo que ocupou por seis anos. O papa obteve o título de doutor na Alemanha.

Foi nomeado bispo em 1992 e elevado a arcebispo em 1997, passando a chefiar a arquidiocese de Buenos Aires desde então. O argentino ingressou no Colégio de Cardeais em 2001.

Na Santa Sé, participava de diversos órgãos: era membro da Congregação para o Culto Divino e para a Disciplina dos Sacramentos, da Congregação para o Clero e da Congregação para os Institutos da Vida Consagrada e das Sociedades da Vida Apostólica, além do Conselho Pontifício para a Família e da Comissão Pontifícia para a a América Latina.

Ele era considerado “papável” desde o conclave que elegeu o alemão Bento 16 para suceder o polonês João Paulo 2º, em 2005. Com a renúncia do primeiro, o nome do arcebispo de Buenos Aires voltou a ficar entre os mais cotados ao posto de papa.

Em 2010, quando a modalidade foi permitida pela legislação argentina, o então arcebispo de Buenos Aires –que já disse que a adoção de uma criança por um casal gay é uma forma de discriminação ao jovem– entrou em confronto com o governo de Cristina Kirchner. A presidente argentina, por sua vez, replicou dizendo que a posição da Igreja evocava a época medieval.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1246176-nobel-da-paz-argentino-nega-que-bergoglio-tenha-colaborado-com-ditadura.shtml

Novo Papa paga a conta de hospedagem

Cidade do Vaticano (RV) – Até se tornar o Papa Francisco, o Card. Bergoglio ficou hospedado na Casa Internacional do Clero, a Casa Paulo VI, no período pré-Conclave.

Esta manhã, o Pontífice voltou lá, na “via dela Scrofa”, para pagar a conta dos dias de hospedagem.

Um residente desta casa é o Padre José Maria Pacheco, do Programa Português, que relata esta surpreendente visita que durou cerca de meia-hora.

Presidente da CNBB confirma visita do papa Francisco ao Brasil em julho

Em entrevista exclusiva ao ‘Estado’, dom Raymundo Damasceno disse que a escolha do argentino Jorge Mario Bergoglio para o pontificado foi ‘uma bela surpresa’

14 de março de 2013 | 6h 20

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno, afirmou na manhã desta quinta-feira, 14, que o papa Francisco confirmou que visitará o Brasil em julho para a Jornada Mundial da Juventude.

Nem bem terminado o conclave, dom Damasceno saiu na manhã de hoje no Vaticano para comprar jornal. “Eu estava muito curioso para saber qual é a reação mundial dessa eleição”, afirmou dom Raymundo com exclusividade ao ‘Estado’.

“Eu tive a oportunidade de falar com Bergoglio (papa Francisco) e ele me disse ontem mesmo que vai ao Brasil”, destacou o cardeal brasileiro, que participou do conclave.

“Eu o conheço muito bem. E trabalhamos juntos em Aparecida. Foi uma grande escolha”, afirmou Dom Damasceno.

O cardeal brasileiro também disse que o argentino foi ganhando votos à medida que a eleição ocorria, num pleito em que ele não era favorito.

“Bergoglio veio surgindo. E foi uma bela surpresa”, completou Damasceno, que, com um saco de jornal na mão, voltou ao Vaticano.

Missa de abertura do Conclave: “Que Deus queira em breve conceder outro Bom Pastor à sua Igreja”

Cidade do Vaticano (RV) – O Decano do Colégio Cardinalício, Card. Angelo Sodano, presidiu na manhã desta terça-feira, na Basílica Vaticana, à missa pro eligendo Pontefice – “para a eleição do Romano Pontífice”.

A Basílica, aberta aos fiéis, estava lotada, para invocar a ação do Espírito Santo. Em sua homilia, logo no início o Card. Sodano renovou a gratidão de toda a Igreja ao “amado e venerado Pontífice Bento XVI”. E recordou a intenção desta Missa, ou seja, “implorar do Senhor que mediante a solicitude pastoral dos Padres Cardeais queira em breve conceder outro Bom Pastor à sua Santa Igreja”.

Comentando as leituras do dia, o Decano falou primeiramente sobre a mensagem de amor de Deus – mensagem que se realiza plenamente em Jesus, vindo ao mundo para tornar presente o amor do Pai pelos homens. É um amor que se faz notar particularmente no contato com o sofrimento, a injustiça, a pobreza, com todas as fragilidades do homem, tanto físicas quanto morais.

“É este amor que impele os Pastores da Igreja a realizar a sua missão de serviço aos homens de todos os tempos, do serviço caritativo mais imediato até o serviço mais alto, o serviço de oferecer aos homens a luz do Evangelho e a força da graça.”

A seguir, o Card. Sodano falou da mensagem de unidade. O Apóstolo São Paulo ensina-nos que também todos nós devemos colaborar para edificar a unidade da Igreja, porque para realizá-la é necessária “a colaboração de cada conexão, segundo a energia própria de cada membro” (Ef 4,16). “Todos nós, portanto, somos chamados a cooperar com o Sucessor de Pedro, fundamento visível de tal unidade eclesial.”

Essa cooperação levou o Decano a falar sobre a missão do Papa: a atitude fundamental de todo bom Pastor é dar a vida por suas ovelhas (cfr Jo 10,15). Isto vale, sobretudo, para o Sucessor de Pedro, Pastor da Igreja universal. Porque quanto mais alto e mais universal é o ofício pastoral, tanto maior deve ser a caridade do Pastor.

No sulco deste serviço de amor pela Igreja e pela humanidade inteira, recordou, os últimos Pontífices foram artífices de muitas iniciativas benéficas também para os povos e a comunidade internacional, promovendo sem cessar a justiça e a paz. Rezemos para que o futuro Papa possa continuar esta incessante obra em nível mundial, disse o Card. Sodano, que concluiu:

“Meus irmãos, rezemos a fim de que o Senhor nos conceda um Pontífice que realize com coração generoso tal nobre missão. É o que Lhe pedimos por intercessão de Maria Santíssima, Rainha dos Apóstolos, e de todos os Mártires e Santos que ao longo dos séculos deram glória a esta igreja de Roma.”

(BF-RL)

5 cardeais brasileiros participarão do próximo conclave

11 Fev. 13 / 05:41 pm (EWTN Noticias).- Após o anúncio da iminente renúncia do Papa Bento XVI neste 11 de fevereiro, foi anunciada também a realização de um conclave para eleger o próximo Sumo Pontífice. Somente cardeais da Igreja participam do evento e para ter direito ao voto, estes devem ter menos de 80 anos. Atualmente há um total de 119 cardeais com direito a voto dos quais 5 são brasileiros. Estes purpurados, 4 residentes no Brasil e um no Vaticano constituem um dos maiores grupos nacionais de cardeais que estarão presentes no próximo conclave, que seria realizado em março.

Um dos votantes será Dom Raymundo Damasceno Assis, de 76 anos, atual arcebispo de Aparecida e Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O Cardeal Damasceno destacou-se pelo seu empenho na organização da V Reunião Geral do Episcopado Latino-Americano em Aparecida (SP) em 2007, evento que contou com a presença de Bento XVI e que marcou a primeira viagem intercontinental do Pontífice. Ordenado bispo pelo Cardeal José Freire Falcão, foi primeiramente auxiliar de Brasília, onde permaneceu até 2004 e Presidente do CELAM (Conselho Episcopal da América Latina) entre os anos 2007 e 2011. Ele foi criado cardeal pelo Papa Bento em 2010.

Outro cardeal votante, que participou também do conclave que elegeu Bento XVI, é Dom Cláudio Hummes, de 78 anos, Arcebispo Emérito de São Paulo e Prefeito Emérito da Congregação para o Clero. O purpurado foi ordenado bispo em 1975 tomando posse da diocese de Santo André (SP), e foi sucessivamente Arcebispo de Fortaleza (CE), de 1996 a 1998, quando foi nomeado por João Paulo II Arcebispo Metropolitano de São Paulo (SP), onde permaneceu até 2006. Nomeado pelo Papa Bento XVI como prefeito da Congregação para o Clero em 31 de outubro de 2006 serviu na cúria romana até 2010, quando teve sua renúncia aceita por Bento XVI. Atualmente, e mesmo sendo emérito, Dom Hummes segue servindo a Igreja como Vigário-Geral da Arquidiocese de São Paulo, e desde 2011 é membro da Pontífica Comissão para a América Latina (CAL).

Dom Odilo Scherer, de 63 anos, é o atual Cardeal Arcebispo de São Paulo, a terceira maior arquidiocese católica do mundo e sucedeu Dom Claudio Hummes no cargo em 2007. Anteriormente serviu como Auxiliar da mesma desde 2002, ano em que recebeu a ordenação episcopal. Ao longo do seu ministério como bispo Dom Odilo ocupou os cargos de Secretário-geral da CNBB (entre 2003 e 2007); secretário-geral adjunto da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina CELAM e do Caribe, em maio de 2007. Criado cardeal por Bento XVI em 2007, Dom Odilo também atua em órgãos do Vaticano como membro da Congregação para o Clero, da Comissão Cardinalícia de Vigilância do Instituto para as Obras de Religiões, do XII Conselho Ordinário da Secretaria do Sínodo dos Bispos, do Pontifício Conselho para a Família, da Pontifícia Comissão para a América Latina e do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização. O Arcebispo esteve presente na Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização ocorrida em outubro de 2012.

Já Dom Geraldo Majella Agnelo, de 79 anos,  Arcebispo Emérito de Salvador (BA) é o cardeal de maior idade do grupo e com mais tempo no episcopado, tendo recibo a sagração em maio de 1978. O Cardeal poderá participar do conclave, que provavelmente terá lugar em março, pois só virá a atingir a idade limite de cardeal votante em outubro deste ano.  Tendo passado pela diocese de Toledo (PR) (1978-1982) e pela arquidioceses de Londrina (PR) (de 1982 a 1991), serviu na cúria romana como Secretário Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos entre 1991 a 1999 quando foi nomeado foi Arcebispo Primaz do Brasil assumindo a diocese de São Salvador na Bahia em 99. Em 2001 foi criado cardeal por João Paulo II e permaneceu em Salvador até 2011, quando foi sucedido por Dom Murilo Krieger. O Cardeal Majella também foi nomeado membro da Pontifícia Comissão para a América Latina (1994), do Pontifício Comitê para os Congressos Eucarísticos Internacionais (1997) e dos Pontifícios Conselhos para os Migrantes e os Itinerantes e dos Bens Culturais a Igreja. Votante no conclave que elegeu Bento XVI o Cardeal Majella também serviu como presidente da CNBB entre os anos 2003 e 2007.

Finalizando a lista está o recém criado Cardeal João Braz de Aviz, atual Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, quem recebeu o barrete cardinalício no consistório público de 2012. Antes de servir na cúria romana o Dom João Braz foi Bispo de Ponta Grossa (PR) de 1998 a 2003, Arcebispo de Maringá (PR) de 2003 a 2004 e arcebispo de Brasília (DF) de 2004 a 2011, quando mudou-se a Roma para assumir seu cargo na Santa Sé, sucedendo assim o Cardeal Franc Rodé. Na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil o prelado foi membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé e vice-presidente das Edições CNBB. Dom Braz de Aviz destacou-se em 2010 pelo seu empenho à frente da organização do XVI Congresso Eucarístico Nacional que aconteceu em Brasília, ano do cinquentenário da capital federal cujo delegado papal foi o Cardeal Claudio Hummes.

Papa concede Comunhão Eclesiástica ao novo Patriarca de Alexandria dos Coptas



Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Bento XVI concedeu sexta-feira, 18, a Ecclesiastica Communio (Comunhão Eclesiástica) à Sua Beatitude Ibrahim Isaac Sidrak, canonicamente eleito Patriarca de Alexandria dos Coptas terça-feira, 15.

O anúncio da renúncia do até então Patriarca, Sua Beatitude Cardeal Antonios Naguib, foi feito durante o Sínodo dos Bispos da Igreja Copta Católica, realizado de 12 a 16 de janeiro. Sua Beatitude Ibrahim Isaac Sidrak era até então bispo de Minya, no Egito.

“Um evento importante para toda a Igreja” – assim define Bento XVI a eleição do Patriarca Sidrak na Carta apostólica em que acolhe o pedido da Comunhão Eclesiástica. “Que o Senhor possa assisti-lo em seu ministério de ‘Pai e Líder’ ao anunciar a Palavra de Deus; para que seja vivida e celebrada com devoção, segundo as antigas tradições espirituais e litúrgicas da Igreja copta!”.

Na Carta, Bento XVI também saúda fraternalmente o predecessor do atual Patriarca, Cardeal Antonios Naguib, e os membros do Sínodo da Igreja Patriarcal.
(CM)

*Estudo da Agência Fides aponta crescimento da estrutura católica no mundo*Apesar da crise demográfica e vocacional que atinge a Europa, a Igreja católica cresce em todo o mundo e particularmente na Ásia e na África.
Dados extraídos do “Anuário Estatístico da Igreja” (atualizado em 31 de dezembro de 2010) e dizem respeito aos membros da Igreja, suas estruturas pastorais, atividades no campo da saúde, assistencial e educacional.Católicos no mundoEm 31 de dezembro de 2010, a população mundial era de 6.848.550.000 pessoas, com um aumento de 70.951.000 em relação ao ano anterior. O aumento global também se aplica este ano a todos os continentes: os aumentos mais consistentes estão na Ásia (+40.510.000) e África (+22.144.000) seguidos pela América (+5.197.000), Europa (+2.438.000) e Oceania (+662.000).
Na mesma data de 31 de dezembro de 2010, o número de católicos era 1.195.671.000 unidades com um aumento total de 15.006.000 pessoas em relação ao ano anterior. O aumento diz respeito a todos os continentes e é maior na África (+6.140.000), América (+3.986.000) e Ásia (+3.801.000); seguem Europa (+894.000) e Oceania (+185.000).
A percentagem de católicos aumentou globalmente 0,04%, num total de 17,46%. Em relação aos continentes, houve aumentos em todos os lugares, exceto na Europa: África (+0,21), América (+0,07), Ásia (+ 0,06), Europa (-0,01) e Oceania (+ 0,03).
Bispos
O número total de bispos no mundo aumentou de 39 unidades, atingindo um total de 5.104. Em geral aumentam os bispos diocesanos e diminuem os bispos religiosos. Os bispos diocesanos são 3.871 (43 a mais que no ano anterior), enquanto os Bispos religiosos são 1.233 (4 a menos). O aumento de Bispos diocesanos diz respeito a todos os continentes exceto a Oceania (-4), África (+13), América (+22), Ásia (+11), Europa (+1). O bispos religiosos aumentam na África (+3), Ásia (+1) e Oceania (+1), diminuem na América (-7) e Europa (-2).SacerdotesO número total de sacerdotes no mundo aumentou 1.643 unidades em relação ao ano precedente, atingindo a cota de 412.236 padres. Mais uma vez a Europa registra o menor índice (-905), enquanto os aumentos se registram na África (+761), América (+40), Ásia (+1.695) e Oceania (+52). Os sacerdotes diocesanos no mundo aumentaram globalmente de 1.467 unidades, atingindo o número 277.009, com um aumento na África (+571), América (+502), Ásia (+801) e Oceania (+53) e ainda uma diminuição na Europa (-460). Também os sacerdotes religiosos aumentaram 176 unidades e são 135.227. A marcar um aumento, seguindo a tendência dos últimos anos, são a África (+190) e a Ásia (+894), enquanto a diminuição se verifica na América (-462), Europa (-445) e Oceania (-1).
Diáconos permanentes
Os diáconos permanentes no mundo aumentaram 1.409 unidades, atingindo um total de 39.564. O maior aumento se confirma mais uma vez na América (+859) e na Europa (+496), seguido pela Ásia (+58) e Oceania (+1). Uma única diminuição, também este ano, na África (-5). Os diáconos permanentes diocesanos no mundo são 39.004, com um aumento total de 1.412 unidades.
Aumentam em todos os continentes, com exceção da África (-6) e da Oceania (nenhuma variação), precisamente: América (+863), Ásia (+60), Europa (+495). Os diáconos permanentes religiosos são 560,3 a menos em relação ao ano precedente, com leves aumentos na África (+1), Europa (+1) e Oceania (+1), reduções na América (-4) e Ásia (-2).ReligiososReligiosas
 e religiosos não sacerdotes aumentaram globalmente em 436 unidades, chegando ao número de 54.665. Registraram-se aumentos na África (+254), Ásia (+411), Europa (+17) e Oceania (+15). Diminuíram apenas na América (-261). Confirma-se a tendência à diminuição global das religiosas (-7.436) que são 721.935 no total, assim divididas: neste ano, também os incrementos são na África (+1.395) e Ásia (+3.047), as reduções na América (-3.178), Europa (-8.461) e Oceania (-239).
Missionários leigos e catequistas
O número de Missionários leigos no mundo é de 335.502 unidades, com um aumento global de 15.276 unidades e aumentos continentais na África (+1.135), América (+14.655), Europa (+1.243) e Oceania (+62); a única redução é na Ásia (-1.819).
Os Catequistas no mundo aumentaram no total em 9.551 unidades, alcançando 3.160.628. Os aumentos se registram na América (+43.619), Europa (+5.077) e Oceania (+393). Diminuições na África (-29.405) e Ásia (-10.133).Institutos de instrução e educaçãoNo campo da instrução e da educação, a Igreja administra no mundo 70.544 escolas, frequentadas por 6.478.627 alunos; 92.847 escolas fundamentais, com 31.151.170 alunos; 43.591 institutos secundários, com 17.793.559 alunos. Além disso, segue também 2.304.171 alunos de escolas superiores e 3.338.455 estudantes universitários. O confronto com o ano precedente indica um aumento de escolas (+2.425) e uma redução de alunos (-43.693); uma leve redução no número de escolas fundamentais (-124) e um aumento de alunos (+178.056); aumentam os institutos secundários (+1.096) e seus respectivos alunos (+678.822); em aumento também os estudantes de escolas superiores (+15.913) e de universitários (+63.015).Institutos de saúde, de beneficência e assistênciaOs institutos de beneficência e assistência administrados no mundo pela Igreja incluem: 5.305 hospitais, com maior presença na América (1.694) e África (1.150); 18.179 postos de saúde, em maioria na América (5.762), África (5.312) e Ásia (3.884); 547 leprosários, distribuídos principalmente na Ásia (285) e África (198); 17.223 casas para idosos, doentes crônicos e portadores de deficiência, em maioria na Europa (8.021) e América (5.650); 9.882 orfanatos, um terço dos quais na Ásia (3.606); 11.379 jardins de infância; 15.327 consultórios matrimoniais, distribuídos em grande parte na América (6.472); 34.331 centros de educação ou reeducação social e 9.391 instituições de outros tipos, em maioria na América (3.564) e Europa (3.159).Agência Fides
Religiosas abandonam anglicanismo para entrar na Igreja CatólicaLONDRES, 03 Jan. 13 / 03:55 pm (ACI/EWTN Noticias).- Onze religiosas da Comunidade da Santíssima Virgem, uma das primeiras ordens anglicanas criadas depois da separação da Igreja Católica no século XVI, uniram-se ao Ordinariato criado pelo Papa Bento XVI para receber a ex-anglicanos.As tensões ao interior dos anglicanos estão ficando mais fortes a raiz de terem tentado aprovar a ordenação de mulheres bispos, disposição que foi aprovada pelos bispos mas rejeitada pelos leigos em novembro de 2012.A Santa Sé anunciou, em janeiro de 2011, a criação oficial do Ordinariato Pessoal Nossa Senhora de Walsingham para a Inglaterra e Gales, como “uma estrutura canônica que permite uma reunião corporativa de tal modo que os ex-anglicanos possam ingressar na plena comunhão com a Igreja Católica preservando elementos de seu patrimônio anglicano”.As ex-religiosas anglicanas, cujas idades variam entre os 45 e os 83 anos, foram recebidas na Igreja Católica em 1º de janeiro, e serão conhecidas daqui para frente como as Irmãs da Santíssima Virgem Maria.Em sua homilia, o Pe. Daniel Seward, Pároco do Oratório de Oxford (Inglaterra), deu as boas-vindas às religiosas à Igreja Católica, e lhes assegurou que “ao que vocês se estão unindo não é nada estranho ou estrangeiro, mas é o seu próprio patrimônio”.”O gênio espiritual de São Bento, cuja regra vocês vivem, o estudo e a prática da sagrada liturgia, e a veneração e amor à Mãe de Deus, Nossa Senhora de Walsingham, todas estas coisas são parte da antiga glória deste país, que foi uma vez uma ilha de Santos e de Maria”.As religiosas permanecerão em sua atual residência de forma temporária, até que encontrem um lar permanente.
Papa nomeia bispo auxiliar para a arquidiocese de Aparecida
A Nunciatura Apostólica informa que o Santo Padre, o papa Bento XVI, atendendo ao pedido do arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno, em contar com um bispo auxiliar, nomeou o atual reitor do Santuário Nacional de Aparecida, padre Darci José Nicioli, bispo auxiliar de Aparecida.
Monsenhor Darci Nicioli é natural de Jacutinga (MG). Fez Teologia no Instituto Teológico São Paulo (SP) e mestrado em Teologia, no Pontifício Ateneo Santo Anselmo, em Roma. Tem ainda, licenciatura em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (SP).
O novo bispo auxiliar de Aparecida já desempenhou as funções de reitor do Instituto Filosófico Redentorista; professor de Teologia no Instituto Teológico São Paulo e na Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Foi ainda superior da Comunidade Religiosa de Campinas; Superior da Casa Geral dos Missionários Redentoristas, em Roma; Superior e Reitor do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (2009-2013) e vigário provincial da Província Redentorista de São Paulo (2010-2014), entre outros.
Mensagem do arcebispo de Aparecida
Atendendo ao nosso pedido, para satisfazer melhor as necessidades pastorais da Arquidiocese, o Santo Padre Bento XVI concedeu-nos, benignamente, um bispo auxiliar na pessoa do Revmo. padre Darci José Nicioli, CSsR, atual Reitor do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida.
Como colaborador do bispo diocesano, o bispo auxiliar exerce o múnus episcopal como serviço a toda a diocese. É um irmão que colabora e caminha lado a lado com o bispo diocesano na missão de pastor, de servidor, a exemplo de Jesus, o Bom Pastor, que veio para servir e não para ser servido.
São mãos que se unem para a promoção do bem do Povo de Deus e da Igreja de Cristo. O bispo auxiliar é chamado a participar da solicitude do bispo diocesano e a desempenhar seu múnus em harmonia com ele em trabalho e espírito. Ele presta um serviço à Igreja presente no território da diocese, ao colocar-se ao lado do bispo diocesano, e ao trabalhar com ele em unidade, respeito e total comunhão. Cabe a ele exercer seu episcopado abraçando com amor e dedicação a caminhada e a vida da Igreja local. Como todo ofício e múnus exercido na Igreja de Cristo, o bispo auxiliar como sucessor dos Apóstolos, participa da missão salvífica confiada à Igreja pelo próprio Salvador.
Agradecemos, de coração, ao Sumo Pontífice pela acolhida ao nosso pedido. Ao padre Darci José Nicioli, que já exerceu a função de ecônomo do Santuário Nacional e hoje é seu Reitor, nossos cumprimentos pela sua disponibilidade a serviço do Reino e as nossas mais fraternas boas-vindas ao colégio episcopal, à CNBB, e à arquidiocese de Aparecida, como bispo auxiliar. O Espírito Santo o ilumine e o fortaleça no seu ministério episcopal e a Virgem da Conceição Aparecida, sob cujo manto inicia sua nova missão, o proteja sempre.
Aparecida, 14 de novembro de 2012.
Dom Raymundo Cardeal Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida, SP
Presidente da CNBB

19/10/2012 20h22 – Atualizado em 19/10/2012 21h06

Papa indica pesquisador da USP São Carlos para Academia do Vaticano

Vanderlei Bagnato é o segundo brasileiro que integra atual equipe em Roma.
Professor realizou diversos trabalhos inovadores, como relógio atômico.

O professor e pesquisador do Instituto de Física da USP de São Carlos (SP), Vanderlei Bagnato foi indicado pelo papa Bento XVI como membro da Academia de Ciências do Vaticano. Bagnato é o segundo brasileiro que integra a atual equipe da academia de ciências em Roma e o único que vive no Brasil.

A indicação é feita diretamente pelo papa, que dará uma medalha ao pesquisador da USP no próximo dia 7 de novembro. O grupo da academia se reúne periodicamente para discussões, no Vaticano, a cada três meses.

A academia foi criada em 1603 em Roma. Em mais de 400 anos passaram por lá grandes cientistas, como Galileu. Hoje o grupo é formado por 80 pesquisadores, que se reúnem com o papa para falar sobre questões científicas polêmicas para a igreja. “Eu acho que eles estão realmente preocupados em ter pessoas que discutam a ciência e como ela vai ajudar o homem”, declarou Bagnato.

A equipe liderada por Bagnato já realizou diversos trabalhos inovadores, como um relógio atômico que mede o tempo com precisão. O professor também se destacou por pesquisas com o uso do laser na odontologia e na medicina. Entre os aparelhos desenvolvidos na USP está um equipamento usado para o diagnóstico e tratamento de um tipo de câncer de pele.

“Foi muito importante para mim e eu considero uma contribuição que eu dei para a sociedade brasileira, disponibilizando a ela aquilo que pode ter de mais moderno em tecnologia para o seu próprio tratamento da saúde”, disse o pesquisador.

FONTE: http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2012/10/papa-indica-pesquisador-da-usp-sao-carlos-para-academia-do-vaticano.html

Cardeal Raymundo Damasceno trata da Semana Nacional da Vida

Realizada entre os dias 1º e 7 de outubro, em todos os Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Semana Nacional da Vida, foi uma oportunidade para os cristãos refletirem, em suas dioceses, sobre a importância de defender e promover a vida. No período, as comunidades de base desenvolveram atividades e encontros, sugeridos pelo subsídio “Hora da Vida”, para trabalhar e refletir sobre o tema “Vida, saúde e dignidade humana: direito e responsabilidade de todos”.

Em entrevista, o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno, trata da importância da Semana Nacional da Vida e outras questões ligadas ao direito à vida e à preservação da dignidade humana.

Leia a entrevista:

1. Qual a importância de um evento como a Semana Nacional da Vida para o Brasil?

A Semana Nacional da Vida é, com certeza, uma ocasião propícia para a realização de atividades em âmbito eclesial, familiar e social que suscitam a reflexão, o diálogo e a celebração em torno da questão da acolhida, do respeito, do cuidado, da promoção e da defesa da vida desde a sua concepção até o seu fim natural.

2. Como o senhor analisa o tratamento que a sociedade dá, atualmente, às questões da vida?

O povo brasileiro é um povo apaixonado pela vida, alegre, esperançoso, corajoso, batalhador. No entanto, no coração do homem, infelizmente, a maldade encontra abrigo. Convivemos com altos índices de violência, desde a negação do direito à vida de um ser humano frágil, ainda em gestação, até o descaso com as crianças, as populações vulneráveis e os doentes. A lógica utilitarista, consumista e hedonista das sociedades pós-modernas avaliam a vida sob a ótica de sua utilidade e não como um valor em si mesmo.

3. De que forma a Igreja pode promover e defender a vida? Quais são as ações já realizadas nesse sentido?

Poder-se-ia afirmar que o papel da Igreja, antes de tudo, é pedagógico. A Igreja, como presença do Senhor da Vida na sociedade, formada por vários membros e presente em todos os ambientes, se esforça por transmitir uma educação para a vida através da compreensão e da promoção do valor perene da dignidade de cada ser humano, que é concebido, que se desenvolve, que constitui família, que trabalha, que adoece e envelhece. Ademais, a Igreja não cessa de anunciar que a pessoa possui uma vocação que vai além da vida presente, e, por isso, é testemunha da esperança.

4. Qual o objetivo de instituir uma data como o Dia do Nascituro?

Nesta data, celebramos o início de toda vida humana. Não haveria o ser humano se ele antes não tivesse passado pela fase da gestação. A palavra “nascituro” designa aquela criança que ainda está se desenvolvendo no seio materno. Quando uma mulher almeja ter filhos e quando se percebe grávida, faz tudo para proteger e acolher aquela nova vida. Nosso ordenamento jurídico afirma, justamente, que esta vida tem o direito de ser salvaguardada. Continuar alimentado esta consciência na Igreja, na família e na sociedade é dever de todos nós.

5. Como o senhor avalia a atenção que o Estado dá às questões da vida?

O Estado, através da participação social, inclusive da própria Igreja, deu significativos passos quanto à atenção às questões do direito à dignidade de vida em todas as suas fases, idades e situações existentes no seio da sociedade brasileira. Todavia, muito ainda resta a se fazer. A qualidade de vida que todos nós almejamos não se resume à melhora do poder aquisitivo e ao acesso aos bens de consumo. Ela significa sobretudo ter as condições necessárias para que as relações humanas permitam a realização de cada pessoa no dom de si mesma para o comprometimento com o outro, em particular no seio de uma família, célula primeira da sociedade brasileira.

6. Que tipo de ajustes a legislação necessita para, de fato, promover e defender a vida?

Há de se ter o cuidado em querer fazer ajustes precipitados na legislação brasileira, pois isso pode acabar comprometendo a verdadeira promoção e a real defesa da vida. Exemplo disso são algumas propostas do anteprojeto de reforma do Código Penal. Nestas propostas temos, por exemplo, a redução da idade de 14 para 12 anos para se considerar que uma criança sofreu o chamado “estupro de vulnerável”. Por outro lado, alguns projetos de lei podem ser instrumentos jurídicos que reforçam a defesa da vida em nossa legislação. Como exemplo disso, temos iniciativas de propostas de leis em nível estadual que explicitam a defesa do nascituro. O mesmo acontece com o Projeto de Lei conhecido como “Estatuto do Nascituro”, já aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, e para o qual uma coleta de assinatura está sendo feita a nível nacional, inclusive com o apoio do site da Pastoral Familiar do Brasil.

Copyright © 2012 CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Todos os direitos reservados.

Bispos no Iraque lançam página web em árabe para ajudar a viver o Ano da Fé

Roma, 01 Out. 12 / 04:57 pm (ACI).- Os católicos do Iraque poderão agora aprofundar em seus conhecimentos sobre a fé católica, através do site Bagdá da Fé, um portal em árabe desenvolvido pelos bispos locais para oferecer recursos para o Ano da Fé, que começa no próximo 11 de outubro.
Conforme informou o site Baghdadhope, a página oferece a carta Apostólica Porta Fidei com a que o Papa Bento XVI anunciou o Ano da Fé, e outros documentos necessários para viver este tempo intenso para a Igreja Católica.
O Conselho de Bispos Iraquianos, dirigido pelo Arcebispo de Bagdá, Dom. Ephrem Yousif Abba Mansoor, são os principais promotores da iniciativa.
Os organizadores, esperam que o site ajude a comunidade iraquiana cristã -tal como alentou o Presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella-, a “sustentar a fé de muitos fiéis que no cansaço de cada dia, não cessam de confiar com convicção e coragem, a existência do Senhor Jesus”.
Entre suas diferentes iniciativas, destaca-se um programa de eventos para festejar o início do Ano da Fé. No dia 12 de outubro, está previsto que na catedral caldéia de São José, realize-se uma cerimônia de abertura, enquanto que já fixaram para seu fim, no 22 de novembro de 2013, o encerramento deste especial ano de reflexão na igreja armênio-católica de Nossa Senhora das Flores.
Para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, prevista geralmente de 18 a 25 de janeiro, espera-se um encontro ecumênico na igreja siro-católica de Nossa Senhora da Salvação. É neste mesmo templo, onde no dia 31 de outubro de 2010, aconteceu uma dos mais sangrentos ataques contra a minoria cristã. Nele, durante a celebração da Missa, 60 fiéis perderam a vida em um ataque perpetrado por islamistas vinculados ao Al Qaeda.

Enquanto que para o dia 21 de março de 2013, na igreja latina de São José, haverá uma oração; e de 26 a 28 de setembro, está previsto um encontro catequético sobre o Ano da Fé.

Já no 28 de setembro do mesmo ano, os jovens iraquianos, começarão um caminho de preparação com uma conferência do pároco cladeu da igreja de São Paulo, Pe. Albert Hisham, sob o lema “A porta da fé: Vocação e missão”.
Conforme explicou o Pe. Hisham ao site Baghdadhope, “a dificuldade em ter fé no Iraque, e sobre tudo no Oriente Médio, é diferente daquela advertida na Europa. Nós devemos enfrentar principalmente o desafio da migração como resultado das mudanças políticas e sociais, a emigração, que ameaça esvaziar a região dos cristãos”.
Por isso “é importante o Ano da Fé no Iraque. Para buscar fortalecer a fé de seus cristãos mantendo-a viva, de modo que possa iluminar a sociedade iraquiano. Em um país que mudou tão rápido como o Iraque, é preciso voltar a pedir a ajuda da fé, fonte de nossa vida, e tentar vivê-la apesar das muitas dificuldades que enfrentamos cada dia”.
“Esperamos e confiamos em que o Ano da fé nos ajudará neste retornar à fonte”, concluiu.

Bispos brasileiros discutem sobre o rumo da evangelização da juventudeBrasília (RV) – Em setembro de 2013, após a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), jovens e assessores das diferentes expressões que atuam junto à Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB participarão de um encontro para dar o rumo à evangelização da juventude da Igreja no Brasil. A proposta foi decidida entre 15 dos 17 bispos referenciais da juventude nos 17 regionais, reunidos na última terça e quarta-feira (4 e 5) em Brasília. O encontro deverá ser na Capital Federal.Segundo o Presidente da Comissão e Bispo auxiliar de Campo Grande, Dom Eduardo Pinheiro, esse evento vai amarrar propostas concretas para dinamizar a pastoral juvenil nas dioceses. Os bispos regionais já estão levantando sugestões para se trabalhar o caminho de evangelização após a jornada. “A ação evangelizadora da juventude é a grande meta da JMJ em um país. Já estamos vivendo essa meta com a peregrinação da Cruz e do Ícone nas dioceses, que desafia a ação para novas posturas”, disse Dom Eduardo Pinheiro. A pesquisa dos bispos deve continuar com um questionário a ser enviado a todas as dioceses.Além desse encontro, há outras metas para 2013 traçadas pela Comissão Episcopal: Implementar o projeto de revitalização da Pastoral Juvenil; aprofundar e vivenciar a Campanha da Fraternidade 2013; aprofundar o Documento 85 e o Documento Civilização do Amor e continuar acompanhando a organização do Setor Juventude no âmbito diocesano. O bispo de Caxias (MA), referencial para a juventude do Regional Nordeste 5 da CNBB (Maranhão) e membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, Dom Vilson Basso, lembrou que a Igreja no Brasil sempre esteve ligada ao trabalho com a juventude na dimensão latino-americana. ”Desde Medelín e Puebla, o Brasil tem participado de todos os encontros latino-americanos de pastoral juvenil, dos congressos e outros eventos. A Igreja no Brasil tem trabalhado junto com o Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) nesse serviço bonito”.Durante a reunião, foi feita uma retrospectiva da caminhada da atual Coordenação Nacional de Pastoral Juvenil, em particular sobre a sua comunhão com as atividades e projetos do Cone Sul e da Pastoral Juvenil Latino-americana.A preparação para a Semana Missionária, atividade em todas as dioceses que antecederá a Jornada Mundial da Juventude, e os subsídios elaborados em preparação para esse momento e para o Dia Nacional da Juventude foram apresentados pelos bispos. Segundo o Assessor da Comissão, Padre Antônio Ramos do Prado, a reunião foi uma das mais produtivas por aprofundar o projeto da identidade da pastoral juvenil. De acordo com ele, a peregrinação da Cruz e o Bote Fé têm ajudado gerar unidade na juventude e a aproximação do clero. (SP-CNBB)

Líbano: Papa oferece 50 mil exemplares de catecismo juvenil em árabe

«YouCat» com tradução inédita vai ser distribuído durante encontro de Bento XVI com os jovens, a 15 de setembro

Lisboa, 06 set 2012 (Ecclesia) – Bento XVI vai oferecer 50 mil exemplares do catecismo juvenil ‘YouCat’, na nova tradução em árabe, durante o encontro com jovens libaneses marcado para o próximo dia 15, anunciou o Vaticano.O gesto retoma a iniciativa levada a cabo na última Jornada Mundial da Juventude, que decorreu em Madrid, capital espanhola, em agosto de 2011.A edição árabe do YouCat segue as primeiras 7 traduções (incluindo o português), apresentando um conjunto de respostas a 527 questões relativas a temas da fé, ao longo de cerca de 300 páginas.Bento XVI vai visitar o Líbano entre os dias 14 e 16 deste mês, para assinar a exortação apostólica pós-sinodal para o Médio Oriente, documento conclusivo da assembleia especial do Sínodo realizada entre 10 e 24 de outubro de 2010, no Vaticano.O segundo dia da visita inclui um encontro com jovens, a partir das 18h00, na praça do Patriarcado Maronita de Bkerké, 25 km a norte de Beirute.O padre Andrzej Halemba, responsável pelo Médio Oriente e mundo árabe na fundação pontifícia Ajuda à Igreja que se Sofre (AIS) – que assume os custos de impressão da obra -, sublinha a importância do primeiro catecismo para a juventude árabe.“Esperamos que este catecismo ajude a fortalecer os jovens na fé”,
Internacional | Agência Ecclesia | 2012-09-06 | 11:57:32 | 1277 Caracteres | Bento XVI

Os olhos da Virgem de Guadalupe oferecem ao mundo uma mensagem a favor da família, destaca perito

Lima, 28 Ago. 12 / 07:37 pm (ACI).- Segundo o cientista José Aste Tonsmann, quem há 34 anos investiga as imagens encontradas nos olhos da Virgem de Guadalupe, ao centro do olhar da Guadalupana se observa uma família. Para o Dr. Tonsmann esta é uma mensagem de Nossa Senhora a favor da vida e da família em um momento em que ambos são duramente atacados em todo mundo.

Em uma conferência oferecida este sábado, 25, no Instituto Cultural Teatral e Social (ICTYS) em Lima, Peru, Aste Tonsmann, peruano naturalizado mexicano e doutor em Engenharia de Sistemas pela universidade de Cornell, Estados Unidos, compartilhou com os presentes que no centro dos olhos da Virgem de Guadalupe se pode observar um total de 13 figuras.

As seis primeiras figuras descritas pelo perito se encontram na área do olho da Virgem correspondente à córnea. Estas imagens são: um indígena sentado; um ancião que, baseado nas representações de Miguel Cabreras, pintor do século XVIII, trataria-se do bispo Juan de Zumárraga; um homem jovem que se trataria de Juan González, tradutor do bispo; o santo mexicano São Juan Diego Cuauhtlatoatzin; uma mulher negra que teria embarcado com o bispo na Espanha para servi-lo no México e a quem o prelado concedeu a liberdade antes de seu falecimento, e um homem barbado com facções européias.
As demais sete figuras, achadas exatamente ao centro do olhar da Virgem conformam o que o Dr. Tonsmann denomina um “grupo familiar indígena”.

Trata-se de um agrupamento composto por uma moça que se destaca por estar ao centro do grupo e parece olhar para baixo, e que o perito acredita ser a mãe desta família. Junto a ela está um homem com chapéu e entre ambos, um casal de crianças. Outro par de figuras representando um homem e mulher maduros (provavelmente os avós desta família, segundo o Dr. Tonsmann) encontram-se de pé, atrás dos demais. O homem maduro é a única figura que o investigador só encontrou no olho direito da Imagem da Guadalupana.

O perito destacou que os olhos da Virgem trazem para os homens de hoje eloquentes mensagens.
Um delas se fundamenta no argumento de que todas as raças da américa estão no centro do olhar da Virgem: brancos, negros, e índios. Para o investigador isto ressalta o fato de que a Virgem, Patrona das Américas e Filipinas, acolhe filhos de todas as raças. “Em minha este opinião é uma mensagem contra o racismo, um fato que está cada vez pior no mundo de hoje”, destacou.

Entretanto, o Dr. Tonsmann acredita que a mensagem mais importante escondida nos olhos da Guadalupana é que ao centro de seu olhar se encontre uma família. “É como se a Virgem nos assinalasse a importância da família em um tempo em que esta sofre constantes ataques”, ressaltou o perito.

Em entrevista exclusiva à ACI Digital em Lima o Dr. Tonsmann afirmou que não foi uma coincidência que só com a atual tecnologia possamos “decifrar” esta mensagem oculta nos olhos da Virgem. “O avanço da tecnologia coincidiu com uma época em que a família é denegrida em todo mundo, por isso, podemos afirmar que a Virgem quis que em nosso tempo a família seja posta de relevo”.

A outra mensagem da Virgem de Guadalupe para nosso tempo, segundo o cientista latino-americano, é que ao aparecer grávida, fala aos homens e mulheres de hoje que a vida nascente deve ser respeitada.
“É triste mas é um fato, a agenda do aborto começou nos países desenvolvidos e chegou a nossas terras. Não há dúvida que a Virgem de Guadalupe traz para o mundo de hoje uma forte mensagem a favor da família e também do direito à vida de todos os latinos, de todas as crianças do mundo”, concluiu o cientista católico.

Mais de 115 mil pessoas se tornaram católicas nos EUA em 2011

13 de Abril de 2012

Washington (Sexta-feira, 13-04-2012, Gaudium Press) Segundo dados difundidos pela Conferência Episcopal dos Estados Unidos, mais de 115 mil pessoas se tornaram católicas no país em 2011. Dessas, 43.335 eram adultos, que não eram batizados; e 72.859 pessoas que já haviam sido batizadas na religião protestante.

É no sul do país onde há o maior número de conversões, recebendo o sugestivo nome de “boom”, mas há batismo de adultos em todo o território. Na arquidiocese de Nova York, por exemplo, região nordeste, onde há cerca de 2,6 milhões de católicos, aproximadamente 1500 adultos foram batizados durante a vigília do dia da Páscoa.

Enquanto na parte sul, a Arquidiocese de Houston, que possui mais de 1 milhão de católicos, recebeu mais 2.400 integrantes e a Arquidiocese de San Antonio, teve acrescido em mais 1.165 pessoas sua população católica, que já é de 700 mil.

Segundo o site ReligiónEnLibertad, o Estados Unidos é definido como uma país “dinâmico” em matéria religiosa. Quase 45% da população adulta do país professa uma convicção religiosa diferente a de sua infância.
Com informações de ReligiónEnLibertad.

Igreja Católica doou em 2011 6,8 milhões de euros para situações de emergência em todo o mundo.

Ansa

A Igreja Católica doou neste ano 3 milhões de euros (cerca de R$ 7 milhões) para situações de emergência em todo o mundo, segundo o balanço do Pontifício Conselho Cor Unum, o dicastério de caridade da Cúria Romana.

Segundo o jornal vaticano L’Osservatore Romano, também foram doados US$ 2 milhões (cerca de R$ 3,7 milhões) para a Fundação Populorum Progressio a serviço das comunidades rurais da América Latina e do Caribe.

Também foi doado US$ 1.860.000 (cerca de R$ 3,4 milhões) para os projetos da Fundação João Paulo II para o Sahel — região da África entre o deserto do Saara e as savanas ao sul — para o apoio aos países africanos ameaçados pela desertificação.

Entre as situações de emergência atendidas estiveram o terremoto e o tsunami seguido de desastre nuclear em Fukushima, as inundações no sudeste asiático, a reconstrução do Haiti, atingido por um terremoto há dois anos.

Segundo o secretário do conselho, Giampietro Dal Toso, “a crise [econômica] pesa sobre as famílias e é significativo como a Caritas, em diversos níveis, ou como o Banco Alimentar na Itália estejam cada vez mais empenhados em assegurar itens de primeira necessidade a famílias pobres, idosos e pais com filhos”.

——————————————
Papa convoca «ano da fé» lembrando Vaticano II

Cidade do Vaticano, 16 out 2011 (Ecclesia) – Bento XVI anunciou hoje a celebração de um «ano da fé», entre outubro de 2012 e novembro do ano seguinte, para assinalar o 50.º aniversário do Concílio Vaticano II (1962-1962), para relança o anúncio da “fé” à sociedade contemporânea.

A revelação foi feita pelo Papa na homilia da missa a que presidiu, na basílica de São Pedro, no final de um encontro internacional com pessoas “empenhadas, em muitas partes do mundo, nas fronteiras da nova evangelização”.

“Decidi proclamar um «Ano da Fé», que terei modo de ilustrar com uma Carta Apostólica. Terá início a 11 de outubro de 2012, no quinquagésimo aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, e concluir-se-á a 24 de novembro de 2013, solenidade de Cristo Rei do Universo. Será um momento de graça e de empenho para uma cada vez mais plena conversão a Deus, para reforçar a nossa fé e para anuncia-lo com alegria ao homem do nosso tempo”, indicou.

O encontro internacional foi promovido, entre sábado e domingo, pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, sobre o tema ‘Novos evangelizadores para a Nova Evangelização – A Palavra de Deus cresce e se multiplica’, contando com a participação do padre Manuel Morujão, secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP).

Após o final da missa, na recitação do Angelus, o Papa voltou a anunciar aos peregrinos reunidos na Praça de São Pedro (Vaticano) a celebração de um “especial ano da fé”, meio século depois da abertura do Concílio Vaticano, por considerar “oportuno recordar a beleza e centralidade da fé, a exigência de reforça-la e aprofunda-la a nível pessoal e comunitária”, numa perspectiva “não tanto celebrativa, mas antes missionária”.

Na homilia que pronunciara na basílica do Vaticano, o Papa afirmou que “a teologia da história é um aspeto importante, essencial, da nova evangelização”, porque “após a nefasta época dos impérios totalitários do século XX, [os homens] têm necessidade de reencontrar um olhar abrangente sobre o mundo e sobre o tempo, um olhar verdadeiramente livre, pacífico”.

“Trata-se daquele olhar que o Concílio Vaticano II transmitiu nos seus documentos e que Paulo VI e João Paulo II ilustraram com o seu magistério”, sublinhou.

No sábado, Bento XVI esteve na sala do Sínodo, no Vaticano, para saudar os participantes no encontro sobre a nova evangelização, num encontro precedido por uma atuação do tenor italiano Andrea Bocelli.

O Papa mostrou-se otimista quanto ao “crescimento e difusão” da Palavra de Deus no mundo, mesmo se o “mal faz mais barulho”.

Bento XVI convidou os católicos a serem um sinal de “esperança” para comunicarem a alegria da sua fé, mesmo no meio da indiferença.

“Ser evangelizadores não é um privilégio, mas um compromisso que vem da fé. Sejam sinais de esperança, capazes de olhar para o futuro com a certeza que vem de Cristo Jesus”, concluiu.

OC

Internacional | Agência Ecclesia | 2011-10-16 | 11:00:29 | 2881 Caracteres | Bento XVI

————————————————————–

O Papa envia nova ajuda de 400 mil dólares ao Chifre da África

VATICANO, 08 Out. 11 / 12:57 pm (ACI/EWTN Noticias)

O Pontifício Conselho Cor Unum informou que o Papa Bento XVI enviará uma nova ajuda de 400 mil dólares para auxiliar as vítimas da fome que ainda açoita a região do Chifre da África.

Em julho deste ano a Santa Sé comunicou que o Santo Padre enviou uma doação de 50 mil euros à Somália, e em agosto informou sobre o envio de uma “substanciosa ajuda”-sem revelar cifras- a cinco diocese do Quênia e outras seis de Etiópia que enfrentam uma grave crise de mantimentos.

O anúncio foi feito pelo Presidente do Cor Unum, Cardeal Robert Sarah, durante uma conferência de imprensa de informação e atualização por parte de seu dicastério junto com alguns principais organismos caritativos, sobre a situação e a intervenção no Chifre da África.

Na roda de imprensa também participaram o Administrador Apostólico de Mogadiscio (Somália), Dom Giorgio Bertin, o Secretário Geral da Cáritas Internationalis, Michel Roy, e o Diretor Executivo do Serviço Católico a Refugiados, além de representantes de organismos caritativos católicos que trabalham na região.

Em sua intervenção, o Cardeal Sarah recordou que se trata de uma questão muito querida pelo Santo Padre que foi um dos primeiros a pedir ajuda à comunidade internacional.

A nova ajuda se acrescenta à também comprometida participação da igreja local da Somália, Etiópia e Djibuti, que além disso ofereceram acolhida e ajuda às vítimas.

“A Igreja Católica continuará fazendo sua parte e procurará ainda a colaboração com as demais comunidades cristãs para desempenhar uma parte ativa na solução do drama humano que se está consumando no Chifre da África”, afirmou o Cardeal e pediu aos fiéis para que não se esqueçam de seus irmãos que sofrem.

Roberto Carlos recebe comenda no Santo Sepulcro

Leia, na íntegra, a mensagem que o patriarca Fuad Twal leu para o cantor durante a entrega da da Cruz do Mérito, no Santo Sepulcro, neste sábado (3):

“Prezado Senhor Cantante Roberto Carlos, prezados peregrinos e amigos presentes, prezado povo do Brasil,

A todos a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo!

Bem-vindos na Terra Santa, na Igreja de Jerusalém, que é a mãe de todas as Igrejas, onde estão as raízes do Cristianismo.

Quando o Patriarca Católico Romano Latino da Cidade Santa diz ‘bem-vindos’, isto não significa que vós sois estrangeiros, mas antes ‘bem-vindos em vossa casa’, à qual pertenceis desde o dia do vosso batismo.

Obrigado por estar aqui, perto do Cristo Salvador no Calvário, perto da sua Mãe, Madre Dolorosa, do seu Sepulcro vazio, donde ressuscitou e venceu a morte.

Obrigado pela disponibilidade dos amigos e benfeitores do Patriarcado, em particular a Ordem Equestre do Santo Sepulcro, que está crescendo e desenvolvendo em todo o Brasil, para ‘ajudar a Mãe das Igrejas nas suas instituições e necessidades’, como nos tempos do Apóstolo Paulo!

Obrigado pela presença e pela missão do Senhor Cantante Roberto Carlos, embaixador de paz e de fraternidade, que fala, além das línguas que sabe, o idioma universal e internacional da música e do amor, que todos entendem e apreciam.

Como o declarei no Sínodo Extraordinário dos Bispos Católicos pelos Cristãos do Médio Oriente, a Igreja Mãe de Jerusalém precisa amor, compreensão e solidariedade. O primeiro modo de amá-la é de visitá-la e rezar por ela. Não tem nenhum perigo, nenhum problema ao vir ao País de Jesus como peregrinos.

O único perigo que ameaça a Igreja em Jerusalém e no resto do Médio Oriente é a extinção dos cristãos, por causa da emigração dos fiéis, dos desafios, do isolamento longe da comunhão e da comunicação com as igrejas filhas.

Por isso pedimos todos os nossos irmãos e irmãs do grande Brasil de rezar insistentemente pela paz aqui na Terra Santa para todos os seus habitantes – judeus, muçulmanos e cristãos.

Obrigado por escutár-nos na ternura de Cristo!

Em Jesus, somos um só Corpo, sendo ele a cabeça! Somos um só povo de Deus,’disponível para toda a obra boa’!

Ao querido povo, à querida Igreja do Brasil, desejos de cada favor celestial, paz e prosperidade no Senhor!

Desde Jerusalém, da Catedral da crucificação e ressurreição de Jesus Redentor, desde o centro do mundo, dou-vos, ao povo da Terra da Santa Cruz, a minha benção paterna e apostólica.

Patriarca Fuad Twal”

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/09/em-jerusalem-roberto-carlos-recebe-comenda-no-santo-sepulcro.html

————————————————————————————

Teólogo protestante alemão quer nomear o Papa como o líder de todos os cristãos

Outra proposta parecida foi feita há 10 anos por um bispo Anglicano da Alemanha

O teólogo protestante Reinhard Frieling defende a proposta de que o Papa Bento XVI seja nomeado como o “porta-voz de todos os cristãos”. Isso daria ao líder católico o direito de falar em nome de todos os cristãos do mundo em caso extraordinários.

“O sonho da comunhão de todos os cristãos pode se tornar realidade se os protestantes oferecerem ao papa o papel de chefe honorário da cristandade”, disse o teólogo alemão que é ex-líder do Institute Kundlichen, de Bensheim.

A ideia é que essa proposta seja aprovada antes de 2017 quando a Reforma Protestante comemorará 500 anos. O professor emérito da Universidade de Marburg sugere que as igrejas da Reforma abandonem sua “auto-suficiência” e assumam as “corajosas consequências ecumênicas”.

Há alguns anos um bispo da Igreja Luterana da Baviera, também na Alemanha, também propôs algo parecido. Johannes Friedrich argumentava que o papa poderia ser aceito como porta-voz do cristianismo mundial como serviço ecumênico de unidade.

A proposta de Friling surge poucas semanas antes da visita do líder católico a Alemanha. O Papa estará no país entre os dias 22 a 25 de setembro, e em sua visita inclui as cidades de Freiburg e Berlim, com um discurso diante do Bundestag (Parlamento) alemão, e uma reunião com representantes da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) no mosteiro agostiniano em Erfurt.

FONTE: http://noticias.gospelprime.com.br/teologo-protestante-alemao-quer-nomear-o-papa-como-o-lider-de-todos-os-cristaos/

Com informações ALC

———————————————————————————————————
Quinta-feira, 25 de agosto de 2011, 14h02

Carta final do 13º Congresso Nacional da Pastoral Familiar

CNBB

A Pastoral Familiar Nacional reuniu seus agentes no 13º Congresso Nacional nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2011 na cidade de Belo Horizonte em Minas Gerais; realizou palestras, debates e painéis, cujo tema foi “Família, Pessoa e Sociedade” e o lema “Somos cidadãos e membros da família de Deus” (cf Ef 2, 19) e sob a proteção de Nossa Senhora da Piedade, padroeira do Estado de Minas Gerais, se dispõe a continuar afirmando que a família é a primeira e fundamental célula da sociedade e a base para a ação missionária da Igreja.

A Pastoral Familiar reconhece sua missão como incentivadora de uma experiência familiar como desejo vivo de comunhão entre as pessoas, tendo como modelo a Comunhão Trinitária, para que os membros de cada família sejam iluminados pelo Espírito Santo em sua vivência de fé, fraternidade e caridade.

“A família é um espaço de convivência humana ao qual cada membro pertence. Ela constitui uma rede de relacionamentos que define o “rosto” com o qual cada um participa dos diversos ambientes que cotidianamente frequenta e no qual encontra as outras pessoas”¹

A Pastoral Familiar se empenha ainda na busca do bem do homem ajudando-o a redescobrir os valores implantados em seu coração por seu Criador.

É claro para a Pastoral Familiar que “se a família de Deus alimentada for pela Palavra, Eucaristia e Oração, com sabedoria viverá então, nesta tal globalização, num lar cristão”².

Que cada pessoa se reconheça como membro de sua família e participante da sociedade, ciente que todos “somos cidadãos e membros da família de Deus” (cf. Ef 2,19) e por isso cada um é co-responsável pelo bem do mundo, nossa casa.

Os congressistas, no intuito de serem fiéis à história do povo de Deus, desejam caminhar unidos como Pastoral Familiar no empenho de suscitar grupos de vidas fraternas pois, como diz o Bem Aventurado João Paulo II “ A família é um dos tesouros mais importantes dos povos latino-americanos e caribenhos e é patrimônio da humanidade inteira”³.

Pedimos, pois, à Senhora da Piedade, padroeira de Minas, que interceda por todas as famílias brasileiras, para que nunca falte em nossos lares a harmonia, o amor, a graça e a Paz de Deus.

Belo Horizonte, 21 de agosto de 2011.

Pe. Jorge Alves Filho
Ass. Arquidiocesano da PF
da Arquidiocese de BH/MG

Pe. Rafael Fornasier
Ass.Nacional da Comissão Episcopal
Vida e Família/CNBB
Secretário Executivo da CNPF


1. SCOLA, A. O Mistério Nupcial. Bauru: EDUSC, 2003.
2. Refrão do Hino do 13º Congresso Nacional da Pastoral Familiar (Composição de Mirani e Valéria)
3. Documento de Aparecida, 432.

—————————————————-

Divulgada agenda de atividades dos símbolos da JMJ no Brasil

Publicado 2011/08/23

São Paulo (Terça-feira, 23-08-2011, Gaudium Press) Assim que o nome do Rio de Janeiro foi anunciado pelo Papa Bento XVI em Madri como sede da próxima Jornada Mundial da Juventude em 2013, a Igreja brasileira já começou a se movimentar para tornar este evento o mais importante já realizado até hoje.

Os dois principais símbolos da Jornada – a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora – já tem data para chegar ao país. Será num domingo, 18 de setembro com horário previsto para às 16hs no aeroporto Campo de Marte, localizado na Zona Norte da capital paulista, o mesmo que acolheu a Santa Missa de canonização de Frei Galvão em maio de 2007.

Para este importante evento – que marca oficialmente o ínicio das atividades preparatórias da JMJ 2013 – está sendo programada uma série de atividades que começam às 9hs e seguem durante todo o dia. Uma Santa Missa está marcada para às 16h30 no próprio Campo de Marte e será presidida pelo arcebispo metropolitano de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer.

No mesmo dia, às 21hs, uma carreata com a Cruz e o Ícone segue para a Catedral da Sé onde os símbolos passarão a noite.

No dia seguinte (19/09) começa uma peregrinação por várias igrejas da capital paulista. Um dos pontos marcantes desta passagem dos símbolos por São Paulo, é a celebração eucarística que está marcada para o dia 20, terça-feira, às 8hs numa das regiões mais degradadas da cidade: a Cracolândia, localizada na área central da capital.

Os dois símbolos seguirão para Guarulhos no dia 23 e depois para o interior de São Paulo, onde ficarão até 31 de outubro. Depois partem para Minas Gerais e Espírito Santo, permanecendo nesses Estados ao longo de novembro, segundo a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A intenção da entidade é que a cruz e a imagem passem por todas as 274 dioceses do País. A última parada antes de seguir para o Rio será no Vale do Paraíba, em março de 2013.

Normalmente esses símbolos chegam ao país-sede do evento no domingo de Ramos do ano anterior ao evento, mas a vinda foi antecipada para que a peregrinação envolva todo o País. A própria data da Jornada foi alterada – ela é realizada a cada três anos, mas, em sua 27ª edição, foi antecipada para não coincidir com a Copa do Mundo.

No Rio de Janeiro, poucas obras construídas para a Olimpíada de 2016 estarão prontas em 2013. Uma delas é a Transoeste, via que vai ligar os bairros de Santa Cruz e Barra da Tijuca, na zona oeste. Para hospedar os 3 milhões de fiéis que são aguardados, a administração municipal acredita que boa parte dos jovens fique hospedade nas casas de famílias católicas, aliviando assim, uma possível superlotação nos hotéis e pousadas da cidade.

————————————————————————————

Papa anuncia lema da Jornada Mundial da Juventude do Rio

Roma, 24 ago (EFE).- Na tradicional audiência das quartas-feiras, o papa Bento XVI avaliou a sua participação na Jornada Mundial da Juventude de Madri, no último final de semana, e comunicou o lema do próximo encontro.

Daqui a dois anos, o encontro de jovens será no Rio de Janeira e o lema “Ide e fazei discípulos em todas as nações”.

A partir da residência de verão de Castel Gandolfo, o pontífice agradeceu aos “que trabalharam generosamente nesta jornada espanhola” e mostrou seu reconhecimento aos integrantes da Igreja do último país-sede, além das autoridades, instituições e associações do país.

Na audiência desta quarta-feira, o pontífice descreveu sua participação como “um grande dom que dá esperança ao futuro da Igreja”.

Bento XVI expresso seu desejo de que este evento eclesial tenha feito crescer e despertar as vocações entre os jovens.

Para Bento XVI, a JMJ, que presidiu de 18 a 21 de agosto, “foi um ato emocionante, onde 2 milhões de jovens viveram com alegria a formidável experiência da fraternidade e do encontro com o Senhor”.

Segundo o papa, “para os jovens provenientes de todos os cantos da terra esta foi uma ocasião para refletir, dialogar, trocar experiências, rezar e renovar o empenho de uma vida em Cristo”.

O pontífice relembrou as diferentes celebrações que participou e destacou o “entusiasmo” da acolhida no primeiro dia de estadia na praça de Cibeles.

EFE

——————————————

Rio de Janeiro será a sede da próxima JMJ 2013, confirma o Vaticano

Vaticano, 12 Ago. 11 / 07:26 pm (ACI/Europa Press)

Esta sexta-feira o porta-voz da Santa Sé, o Pe. Federico Lombardi, confirmou que o Rio de Janeiro será a sede da 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no ano 2013, e precisou que esta será celebrada em sede internacional um ano antes para não coincidir com o Mundial de Futebol, que terá lugar em 2014 no Brasil.

Embora seja tradição que o Santo Padre anuncie a sede da seguinte JMJ ao concluir a Eucaristia de encerramento da jornada, nesta ocasião foi confirmada previamente a sede do seguinte encontro internacional.

Na quinta-feira 11 de agosto, fontes diplomáticas confirmaram à Europa Press que o governador de Estado do Rio de Janeiro (Brasil), Sergio Cabral, e o prefeito da cidade, Eduardo Paes, viajarão a Madri na próxima semana para comparecer aos atos que estarão sendo celebrados por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JM), que se realiza entre os dias 16 e 21 de agosto.

Assim, está previsto que tanto o governador como o prefeito do Rio de Janeiro estejam presentes nos eventos centrais celebrados com o Papa Bento XVI.

O Pontífice chegará na próxima quinta-feira 18 a Madri onde lhe aguarda uma cerimônia de boas-vindas na Praça de Cibeles, a Via Sacra no Passeio dos Recoletos, e a Vigília e a Missa ‘de envio’ no aeródromo de Quatro Ventos.

Também participarão de alguns dos eventos da JMJ com Bento XVI o chefe da Secretaria Geral da Presidência da República do Brasil, Gilberto Carvalho, e a secretária nacional de Juventude da Presidência da República, Severo Carmen Maceado, conforme informaram à Europa Press as próprias fontes.

No momento, há ao redor de 14 mil jovens brasileiros inscritos na Jornada, um cifra superada só pela Espanha, a Itália, a França, os EUA e a Alemanha.

Segunda cidade latino-americana a sediar a JMJ

Deste modo, depois de Buenos Aires (1987), a cidade brasileira será segunda da América do Sul em celebrar o encontro internacional. Com a de Madrid já foram celebradas 26 JMJs, todas elas presididas pelo Papa e onze delas fora do Vaticano.

Estas são: Buenos Aires (Argentina), Santiago de Compostela (Espanha), Czestochowa (Polônia), Denver (Estados Unidos), Manila (Filipinas), Paris (França), Roma (Itália), Toronto (Canadá), Colônia (Alemanha) e Sydney (Austrália). Perto de 20 milhões de jovens foram a estes encontros internacionais.

As Jornadas Mundiais da Juventude nasceram em 1984 por iniciativa do Papa João Paulo II. A primeira teve lugar em Roma no domingo de Ramos do mencionado ano, no contexto das celebrações setoriais do Ano Santo Jubilar da Redenção (1983-1984).

Diante do êxito da convocatória e das urgências eclesiásticas da Pastoral de Juventude, João Paulo II as instituiu com caráter permanente. Cada encontro internacional tem como lema uma frase Bíblica e todos contam, além disso, com um hino. Ambos convidam os jovens a refletirem sobre o Evangelho.

Anualmente as Jornadas são celebradas em cada diocese; entretanto, a cada dois ou três anos se organiza um evento internacional em uma cidade do mundo. A celebração se prolonga durante uma semana e inclui encontros religiosos, culturais e festivos, e conclui com uma Vigília e a Eucaristia presidida pelo Sumo Pontífice.

O primeiro dos encontros internacionais ocorreu em 1987 em Buenos Aires, onde um milhão de pessoas foram convocadas pelo Papa João Paulo II para “construir uma sociedade melhor”.

Dois anos mais tarde, depois da capital Argentina, realizou-se em Santiago da Compostela, onde milhares de jovens peregrinos se reuniram com o Papa no Monte do Gozo.

A seguinte parada teve lugar em 1991 na cidade polonesa de Czestochowa, que representou a primeira reunião de João Paulo II com milhares de jovens em um país da Europa do Leste. À JMJ de Denver em 1993 compareceram meio milhão de jovens, convocados às Montanhas Rochosas, e foi a edição em que João Paulo II instaurou a Via Sacra.

A JMJ de 1995 se celebrou em Manila, a mais multitudinária da história com cinco milhões de assistentes. Dois anos mais tarde, em 1997, Paris foi a capital escolhida para festejar a XII Jornada Mundial da Juventude. Em 2000, coincidindo com o Jubileu, três milhões de jovens de todo o mundo atenderam o chamado do Papa e foram a Roma.

Toronto 2002 foi a última JMJ internacional à qual compareceu João Paulo II, já que faleceu meses antes da celebração da JMJ em Colônia, 2005. A esta foi o atual Pontífice, Bento XVI, para reunir-se com mais de dois milhões de jovens.

A cidade australiana de Sydney, em 2008, foi o último encontro internacional anterior ao de Madri.

————————————————————————————————————–
Parceria entre Vaticano e laboratório incentiva pesquisa com células-tronco adultas

Como bem sabemos, a Igreja Católica se opõe à pesquisa com células-tronco embrionárias, e vive sendo criticada por isso, como se os católicos fossem insensíveis ao sofrimento de quem tem alguma doença que poderia ser curada com algum tratamento que empregasse essas células. Mas, como também sabemos (embora alguns façam questão de ignorar), o Vaticano encoraja as pesquisas com células-tronco adultas, que vêm se mostrando muito mais promissoras que as embrionárias.

Esse encorajamento, no entanto, assume uma forma mais concreta na parceria do Vaticano, por meio do Pontifício Conselho para a Cultura, com o laboratório norte-americano NeoStem, conta Tom Gallagher, do National Catholic Report. Uma fundação mantida pela NeoStem e o projeto Science, Tecnology and the Ontological Quest (Stoq, parceria do Pontifício Conselho para a Cultura com seis universidades) são os responsáveis por colocar em prática a parceria.

Robin Smith, CEO da NeoStem, explica que a parceria tem quatro objetivos: influenciar a opinião pública a respeito de células-tronco, promover o avanço da pesquisa com células-tronco adultas, criar programas de Bioética em universidades e escolas de ensino médio, e treinar membros do clero e da academia em relação aos temas de bioética envolvendo células-tronco. Um dos frutos da parceria é o congresso “Adult Stem Cells: Science and the Future of Man and Culture”, que será realizado em Roma, entre 9 e 11 de novembro deste ano.

Também ontem, Cathy Lynn Grossman, do USA Today, blogou sobre uma sabatina realizada na terça-feira com o geneticista Francis Collins, autor de A linguagem de Deus e diretor dos National Institutes of Health norte-americano. Collins defendeu a pesquisa com células-tronco embrionárias, mas, se a descrição da sabatina no blog é precisa, eu considero que Collins partiu de uma premissa falsa: a de que só existem duas opções, destruir os embriões para fazer pesquisa ou jogá-los no lixo. Além de haver outras alternativas (que custam caro aos laboratórios, como manter os embriões congelados), nenhuma das duas opções (destruir para pesquisa ou mandar pelo ralo) é aceitável, e tampouco resolve o problema de fundo, que é a indústria milionária de criação de embriões por atacado.

—————————————————————————————————-
Populorum Progressio
Fundação do Vaticano aprova 189 projetos de desenvolvimento para a América Latina
Vaticano, 29 Jul. 11 / 01:21 pm (ACI)A fundação Populorum Progressio financiará 189 projetos destinados à realização de poços de água, cooperativas de trabalhadores, escolas, enfermarias, entre outros, na América Latina e no Caribe.Conforme informa a nota da Rádio Vaticano, com um orçamento de pouco mais de dois milhões e cem mil dólares este ano a fundação lamenta não ter podido responder aos 216 projetos apresentados ante o conselho de administração da Populorum Progressio reunido recentemente em Belém do Pará, Brasil.Entrevistado pela Rádio Vaticano Monsenhor Segundo Tejado Muñoz, subsecretário do Pontifício Conselho “Cor Unum” no Vaticano, do qual depende a fundação, especificou as características dos projetos apresentados nesta ocasião.Os projetos geralmente chegam através dos bispos locais que formam parte da mesma fundação onde estão representadas todas as nações.O subsecretário sublinhou que são os bispos os que têm o pulso da situação na região, de maneira que nas reuniões do conselho é possível aprofundar sobre os problemas e as conseqüências que a atual crise mundial teve sobre cada país.”Acima de tudo –disse Mons. Tejado– vimos que a crise, com suas repercussões nos países da América Latina e no Caribe não são apenas imputáveis a fenômenos como a expansão monetária ou o aumento descontrolado do crédito, mas também à imposição, a estas populações, de modelos ocidentais”.Por exemplo, acrescentou o monsenhor, foi denunciado o fato de que ideologias contrárias à família e contra a vida, entram com grande força e agressividade na região promovida, de certa forma, pelos próprios governos locais.Logo depois de referir-se à complicada situação das populações rurais e indígenas, o subsecretário explicou que também foi tratado o problema das seitas, que costumam estar presentes sobre tudo entre as populações mais frágeis e marginalizadas. “Ali onde a igreja não consegue estar presente por falta de médios ou de recursos econômicos e humanos- disse-, as seitas proliferam de maneira exponencial”.Neste contexto, o subsecretário do pontifício Conselho Cor Unum reiterou a necessidade de revitalizar o processo de nova evangelização, como o mesmo pediu Papa Bento XVI.Finalmente o sacerdote ressaltou a necessidade de voltar a propor as questões da fé, da vida e da família no debate público e do trabalho social de modo que a caridade possa contribuir a dar orientações à justiça para impedir que o mundo sucumba a lógicas deshumanizadoras.”O Evangelho –concluiu– segue sendo um fator decisivo de desenvolvimento, e por isso, a igreja aporta sua contribuição ao desenvolvimento quando anuncia, celebra e testemunha a Cristo, quer dizer, quando cumpre com sua missão”.
—————————————————————————————————————————————

Grupos de Luteranos pedem ao Papa um novo ordinariato para unirem-se à Igreja Católica

Fonte: InfoCatolica.com – 08/03/2011 – 8:33h
Tradução: Carlos Martins Nabeto

O diretor da Seção de Doutrina da Congregação para a Doutrina da Fé, Pe. Hermann Geissler, confirmou que após a “Anglicanorum Coetibus”, grupos de luteranos da América do Norte e Escandinávia solicitaram ao Papa Bento XVI a criação de um Ordinariato e o retorno à plena comunhão com Roma.

O diretor da Seção de Doutrina da Congregação para a Doutrina da Fé, Pe. Hermann Geissler, confirmou que após a autorização das conversões de grupos de anglicanos ao Catolicismo, agora o Papa Bento XVI está recebendo pedidos de grupos de luteranos que querem retornar ao seio da Igreja de Roma. O sacerdote fez essas revelações à revista “The Portal”.

Segundo Pe. Geissler, luteranos da América do Norte e Escandinávia têm se colocado em contato com anglicanos e também com a Sé Apostólica visando a possibilidade de o Papa vir a criar um ordinariato especialmente destinado a eles.

Em relação a isso, o sacerdote reconheceu que a Congregação para a Doutrina da Fé está estudando a questão e assegurou que “o Santo Padre fará todo o possível para levar outros cristãos à comunhão plena com a Igreja Católica”.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Nomeados novos bispos para as dioceses de Campos e Barra do Piraí-Volta Redonda

O papa Bento XVI aceitou, nesta quarta-feira, 8/6/2011, o pedido de renúncia dos bispos dom Roberto Gomes Guimarães, 75, da diocese de Campos (RJ), e dom João Maria Messi, 76, da diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda. A renúncia de ambos tem como base o cânon 401 § 1º, que prescreve o pedido da renúncia do bispo ao completar 75 anos.

Para a diocese de Campos, o papa nomeou o bispo auxiliar da arquidiocese de Niterói (RJ), dom Roberto Francisco Ferrería Paz. Para Barra do Piraí-Volta Redonda, foi nomeado dom Francesco Biasin, transferido da diocese de Pesqueira (PE).

Dom Roberto Paz
Ordenado padre no dia 16 de dezembro de 1989, dom Roberto nasceu no dia no dia 5 de junho de 1953, em Montividéu (Uruguai). Fez filosofia na Faculdade de Humanidade e Ciência-Universidade da República Oriental Del Uruguai e teologia na PUC do Rio Grande do Sul. Com mestrado em Direito Canônico, foi ordenado bispo auxiliar da arquidiocese de Niterói no dia 22 de fevereiro de 2008. Seu lema episcopal é “In libertatem vocati estis”.

Antes do episcopado foi vigário judicial do Regional Sul 3 da CNBB (Rio Grande do Sul); diretor espiritual regional do Encontro de Casais com Cristo no Rio Grande do Sul e Santa Catarina; pároco do Santuário N. Sra. da Paz; representante católico do Grupo de Diálogo inter-religioso de Porto Alegre; professor de Direito Canônico e de Direito Eclesiástico da PUC-RS e do CETJOV; membro do Conselho de Presbíteros e do Colégio de Consultores da arquidiocese de Porto Alegre; membro fundador do Movimento de Profissionais Católicos, da Associação de Juristas Católicos, do Grupo de Diálogo inter-religioso em Porto Alegre e membro da Associação Brasileira de Canonistas.

Dom Francesco Biasin
O novo bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda é italiano de Arzercavalli (Pádua). Foi ordenado bispo de Pesqueira (PE) em 12 de outubro de 2003. Na última assembleia da CNBB, no mês passado, dom Francesco foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso.

Dom Francesco nasceu no dia 6 de setembro de 1943 e foi ordenado padre em Padova (Itália) em 20 de abril de 1968. Fez os estudos de filosofia e teologia no Seminário Maior de Padova e especialização em catequese, em Milão. Veio para o Brasil como missionário “Fidei Donum” em 1972, radicando-se na diocese de Petrópolis (RJ).

Antes do episcopado foi vigário Paroquial na cidade de Fossò, Itália; assistente eclesiástico da Ação Católica – setor jovens. Na diocese de Petrópolis, foi pároco da paróquia de São Sebastião de Gramacho, em Duque de Caxias; coordenador da região pastoral da Baixada Fluminense e dos padres “Fidei donum” da diocese de Pádua no Brasil.

Na diocese de Duque de Caxias, criada em 1981, foi pároco da catedral; vice-presidente da Comissão Regional dos Presbíteros do Leste 1 da CNBB; membro da equipe central que preparou o 7º Encontro das CEBs em Duque de Caxias.
Na diocese de Itaguaí, foi vigário paroquial de Mangaratiba; diretor espiritual e professor de Pastoral e Teologia Espiritual no Seminário de Nova Iguaçu; pároco da paróquia Santa Terezinha de Piranema, em Itaguaí; diretor do Centro Missionário diocesano e administrador Diocesano de Itaguaí.

Seu lema episcopal é “Dar a vida pelos irmãos”.

FONTE: CNBB

——————————————————————————————————–

Abertas inscrições para Faculdade Canção Nova

Gracielle Reis
Da Redação, com informações da FCN

Pra quem pretende ou conhece alguém que pretende fazer faculdade de Administração, Filosofia, Jornalismo ou Radio e TV e gostaria de estudar num ambiente verdadeiramente católico (e não só no nome), a Comunidade Canção Nova finalmente realiza seu antigo sonho de ter um faculdade.

Reconhecida e aprovada pelo MEC, a inscrição para o vestibular está aberta até dia 24 de junho. Ver detalhes abaixo:

Começou nesta sexta-feira, 20, o período de inscrições para o processo seletivo de 2011 da Faculdade Canção Nova (FCN).

As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de junho, no valor de R$30,00, para os cursos de Jornalismo, Rádio e TV, Filosofia e Administração, exclusivamente pela internet, através dos endereços eletrônicos www.institutoaocp.org.br
e www.fcn.edu.br

O deferimento das inscrições será divulgado nos endereços indicados na data provável de 1º de julho.

Os candidatos realizarão as provas no dia 10 de julho, em horário e local informados pela internet. Os exames terão a duração de quatro horas e serão aplicados, preferencialmente, em Cachoeira Paulista (SP). Caso haja necessidade, as provas também poderão ser aplicadas nas cidades da região.

Provas

O processo seletivo será feito em etapa única e composto de prova objetiva, com 40 questões, além da prova de redação que deverá ser elaborada a partir de um tema proposto e no formato de “dissertação”.

Para ter a redação corrigida, o candidato não poderá tirar nota zero na prova objetiva.

O gabarito preliminar e os cadernos de questões serão divulgados através da internet um dia depois da aplicação das provas. O resultado final do processo seletivo será divulgado no dia 21 de julho.

Informações e dúvidas

Para maiores esclarecimentos e procedimentos da inscrição, consulte o edital no site da instituição.

Quaisquer dúvidas sobre os cursos, mensalidades, programas de bolsa etc, acesse os endereços eletrônicos mencionados ou entre em contato pelo seguintes canais:

- telefone: (12) 3186 2600
– e-mail: faleconosco@fcn.edu.br

————————————————————————————————————————–

sábado, 21 de maio de 2011

O papa vem aí

Na CNBB já se dá como certa a vinda do papa Bento XVI ao Brasil em 2012. O anúncio oficial acontecerá em agosto, em Roma.

Por Lauro Jardim

——————————————————————————————————

Confira o quadro da nova presidência da CNBB e das doze Comissões Episcopais
13/05/2011

 

Nova presidência da CNBB

- Presidência: Arcebispo de Aparecida (SP), Cardeal Dom Raymundo Damasceno de Assis

- Vice-presidência: Arcebispo de São Luís (MA), Dom José Belisário da Silva

- Secretário-geral: Bispo da Prelazia de São Félix da Araguaia (MT), Dom Leonardo Ulrich Steiner
As doze presidências das Comissões Episcopais

1- Ministérios Ordenados e Vida Consagrada: Arcebispo de Palmas (TO), Dom Pedro Brito Guimarães

2- Laicato: Bispo de Araçuaí (MG), Dom Severino Clasen

3- Vida e a Família: Bispo de Camaçari (BA), Dom João Carlos Petrini

4- Ação Missionária e Coooperação Intereclesial: Bispo de Ponta Grossa (PR), Dom Sérgio Arthur Braschi

5- Animação Bíblico-Catequética: Arcebispo de Pelotas (RS), Dom Jacinto Bergman

6- Educação e Cultura: Bispo Auxiliar de Belo Horizonte (MG), Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães

7- Liturgia: Bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), Dom Armando Bucciol

8- Doutrina da Fé: Arcebispo Piaui Dom Sergio da Rocha

9- Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso: Bispo de Pesqueira (PE), Dom Francisco Biasin

10- Serviço da Caridade, Justiça e Paz: Bispo de Ipameri (GO), Dom Guilherme Antonio Werlang

11- Comunicação Social: Arcebispo eleito de Campo Grande (MS), Dom Dimas Lara Barbosa

12- Juventude: Bispo Auxiliar de Campo Grande (MS), Dom Eduardo Pinheiro

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Cardeal Raymundo Damasceno é escolhido novo presidente da CNBB

MATHEUS MAGENTA
DE SÃO PAULO

O arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis, foi eleito na noite desta segunda-feira (9) para presidir a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) nos próximos quatro anos. Damasceno era considerado um dos favoritos para assumir a presidência da CNBB por causa, principalmente, do seu perfil conciliador e do prestígio que obteve após a visita do papa Bento 16 ao santuário nacional de Nossa Senhora Aparecida, em 2007. O novo presidente da CNBB é tido também como uma pessoa próxima ao papa e de fácil diálogo com setores da sociedade civil organizada e o governo. Natural de Capela Nova (MG), ele foi eleito no segundo escrutínio com 196 votos (71% dos votos válidos). O cardeal de São Paulo, d. Odilo Pedro Scherer, ficou em segundo lugar, com 75 votos. A partir de amanhã serão eleitos também o vice-presidente, secretário-geral e os presidentes das 12 comissões pastorais da CNBB. A eleição do novo presidente foi realizada durante a 49ª Assembleia Geral da CNBB em Aparecida, que começou na última quarta-feira (4) e vai até sexta-feira (13). No primeiro escrutínio, dom Raymundo havia obtido 161 votos contra 91 de d. Odilo. Por não ter alcançado dois terços dos votos, houve a necessidade do segundo escrutínio. Damasceno substitui o arcebispo de Mariana (MG), d. Geraldo Lyrio Rocha, que ficou por quatro anos no cargo e decidiu não tentar a reeleição. Durante as eleições do ano passado, ele defendeu que temas relacionados ao “direito à vida”, como o aborto, e ao matrimônio fossem debatidos pelos candidatos na campanha presidencial. Nomeado cardeal pelo papa em outubro passado, Damasceno é presidente da Celam (Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe) e já foi secretário-geral da CNBB por dois mandatos consecutivos, entre 1995 e 2003.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/913542-raymundo-damasceno-e-escolhido-novo-presidente-da-cnbb.shtml

————————————————————————————————————————————

Secretário geral da CNBB é nomeado arcebispo de Campo Grande. Belo Horizonte e São Paulo ganham bispos auxiliares

Qua, 04 de Maio de 2011 06:52 por: cnbb

O papa Bento XVI anunciou, nesta quarta-feira, 4, a nomeação do secretário geral da CNBB e bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Dimas Lara Barbosa, novo arcebispo da arquidiocese de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ele sucederá a dom Vitório Pavanello, 75, que teve seu pedido de renúncia aceito papa por causa da idade, conforme o cânon 401 § 1º.

Em saudação enviada ao povo de Campo Grande, dom Dimas se apresenta como um “irmão entre irmãos”.

“Venho até vocês como um irmão entre irmãos, com o firme propósito de dar o melhor de mim mesmo, para que todos possamos crescer no conhecimento e na vivência da Palavra de Deus e da Fé da Igreja”, disse.


Bento XVI nomeou também o assessor da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB, padre Wilson Angotti Filho, bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte (MG).

“Desde o momento em que, nos primeiros dias de abril, recebi a notícia de que o Santo Padre Bento XVI me nomeava como bispo auxiliar de Belo Horizonte, sinto-me muito unido a essa Igreja, situada no coração das Minas Gerais; o meu coração já começou a bater em sintonia com o de vocês, partilhando alegrias, preocupações, assim como as esperanças que os animam”, disse padre Wilson em mensagem enviada ao povo da arquidiocese de Belo Horizonte.

Com a nomeação do padre Wilson, Belo Horizonte passa a ter três bispos auxiliares.
Bento XVI nomeou, ainda, o padre Julio Endi Akamine bispo auxiliar de São Paulo, atual Provincial da Sociedade do Apostolado Católico (SAC), em São Paulo, ou Palotinos como a Sociedade é conhecida.

“Agradeço ao Papa Bento XVI por ter acolhido o pedido de nomear mais um bispo auxiliar para São Paulo e convido toda a Arquidiocese a agradecer comigo a Deus pela nomeação de Pe. Júlio”, disse o arcebispo de São Paulo, cardeal Pedro Odilo Scherer.

A ordenação episcopal do padre Júlio será no dia 9 de julho, na catedral metropolitana de São Paulo. Ele será o sexto bispo auxiliar da arquidiocese de São Paulo.

Dom Dimas

O novo arcebispo de Campo Grande é mineiro de Boa Esperança. Nascido em 1º de abril de 1956, foi ordenado padre no dia 3 de dezembro de 1988. Nomeado bispo auxiliar do Rio de Janeiro, recebeu a ordenação episcopal no dia 6 de setembro de 2003. Quatro anos depois, em maio de 2007, foi eleito secretário geral da CNBB.

Antes de entrar para o seminário, dom Dimas fez Engenharia Eletrônica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP). Estudou filosofia no Instituto de Filosofia São Bento, em São Paulo, e teologia no Instituto de Teologia Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté (SP). Na Universidade Gregoriana de Roma, fez doutorado em Teologia Sistemática.

Padre Wilson
Paulista de Tumiritinga, padre Wilson nasceu no dia 5 de abril de 1958. Fez seus estudos de filosofia e teologia, respectivamente, no Seminário Diocesano de São Carlos e na Faculdade Pontifícia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. Em Roma, na Universidade Gregoriana, fez mestrado em teologia dogmática.

Ordenado padre em 1982, exerceu inúmeras atividades na diocese de Jaboticabal, à qual pertence. Foi vigário paroquial nas Paróquias de São João Batista e Nossa Senhora Aparecida, de Bebedouro (SP), coordenador diocesano da Pastoral Vocacional, membro da Equipe de Formação do Seminário, membro do Conselho de Presbíteros e Colégio de Consultores, professor no Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto, no Instituto de Teologia Nossa Senhora do Carmo, em Jaboticabal, e Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese de Brasília, assessor diocesano da Catequese, coordenador diocesano de Pastoral, pároco em São Judas Tadeu, na cidade de Jaboticabal.

Desde 2007, padre Wilson é assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, da CNBB, e membro do Instituto Nacional de Pastoral (INP) e do Conselho Editorial das Edições CNBB.

Padre Júlio

Nascido em Garça (SP), no dia 30 de novembro de 1962, padre Júlio fez seus estudos de filosofia na Universidade Católica do Paraná, em Curitiba, e teologia no Studium Theologicum, também na capital paranaense. Ordenado padre no dia 4 de julho de 1988, padre Júlio fez mestrado e doutorado em Teologia Sistemática na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.

Padre Júlio foi vigário paroquial e, depois, pároco da paróquia Santo Antônio em Cambé; reitor do Seminário Maior Palotino, em Curitiba; assessor da Organização dos Seminários e Institutos Filosofófico-teológicos do Brasil (OSIB) no Regional Sul 2 da CNBB (Paraná), secretariado geral da SAC para a Formação; consultor local da Comunidade da Casa Geral, em Roma; diretor Espiritual do Seminário Maior Palotino, em Curitiba; reitor da Província São Paulo Apóstolo; professor de teologia no Studium Theologicum.

Copyright © 2011 CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

————————————————————————————————————————————–

Prêmio Nobel protestante preside academia papal

23/4/2011 3:36,  Por swissinfo.ch – O portal suíço de notícias

A Pontifícia Academia de Ciências, um conselho ocupado por grandes nomes, apóia o Papa em questões científicas.

Werner Arber, biólogo molecular e Prêmio Nobel suíço, é o primeiro protestante a presidir preside o Academia.

A Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano tem 80 membros, entre homens e mulheres. Eles não precisam ser necessariamente católicos. Cerca de um terço dos membros são vencedores do Prêmio Nobel.

O suíço Werner Arber foi Prêmio Nobel de medicina em 1978. Ele é professor aposentado de biologia molecular na Universidade da Basileia e, há trinta anos, membro desse conselho papal. Há três meses se tornou seu presidente.

swissinfo.ch: O senhor preside a Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano. Quais são suas funções nesse posto?

Werner Arber: Nós acompanhamos o progresso nas ciências e refletimos o que este significa para a sociedade. Periodicamente informo o Vaticano sobre as nossas reflexões.

swissinfo.ch: Como primeiro protestante a chefiar a Pontifícia Academia de Ciências, o senhor é tratado de outra forma que se fosse católico?

W.A.: Eu não posso responder essa questão, pois não tenho referências. Presumidamente tornei-me presidente porque as pessoas perceberam que sou um cientista que demonstra ter um amplo campo de interesses.

swissinfo.ch: O Papa determina quais são os temas a serem analisados pela Pontifícia Academia de Ciências?

W.A.: Vez ou outra, na verdade raramente, o Vaticano manifesta um desejo. Há alguns anos  organizamos uma conferência sobre o “Momento da Morte”. A questão era determinar se uma pessoa está morta quando seu coração ou o cérebro param. Esse foi um tema sugerido pelo Papa.

swissinfo.ch: Quais foram as conclusões tiradas pela Academia?

W.A.: Depois de consultar especialistas da área médica, chegamos à conclusão que a morte do cérebro é mais importante do que a do coração. Em todo caso, é possível reanimar alguém depois que seu coração cessa de bater.

Mas, honestamente, constatamos que nunca é possível determinar esse quadro na base dos segundos. Existem pessoas que vivem há anos em um quadro de coma. A medicina levanta a questão de saber quando é eticamente responsável retirar um órgão.

Além disso, o Vaticano interessa-se pela pergunta: qual é o momento em que a alma abandona o corpo. Obviamente não foi possível respondê-la do ponto de vista científico.

swissinfo.ch: Então a Pontifícia Academia de Ciências parece ser um órgão independente, de fato, do Vaticano?

W.A.: Sim, ela tem uma longa história. Dizem que existe há mais de quatrocentos anos, desde o tempo de Galileu Galilei. Foi um momento em que a Igreja cometeu muitos erros frente à ciência. Porém o Vaticano tem consciência disso e reabilitou Galileu em 1992.

swissinfo.ch: Qual é o nível de influência da Pontifícia Academia de Ciências em relação ao Papa?

W.A.: Eu diria que, vez ou outra, o Papa adota nossas reflexões e as utiliza em seu conhecimento. Suas decisões são, então, influenciadas por elas.

swissinfo.ch: O que une o Papa às ciências?

W.A.: São questões como saber o que é a verdade! Muitas outras pessoas também refletem sobre isso, sejam religiosas ou não. O que é a verdade? De onde venho? O que irá ocorrer no futuro? São também questões da evolução: qual a diferença entre a vida e a não-vida?

swissinfo.ch: Por trás da evolução o Papa vê um “Creator Spiritus”, uma força que planejou de forma direcionada a evolução, Deus. Como o senhor analisa essa visão?

W.A.: As ciências não podem até hoje – o que talvez seja possível em centenas de anos, não sei – provar se Deus existe ou não, não importando o que seja. Como cientista não vejo nenhum desejo primordial de criar o ser humano.

Para ser sincero, nós precisamos determinar: é possível afirmar muita coisa sobre a verdade, mas eu, como pesquisador da evolução, não posso dizer como surgiu a primeira forma de vida.

Biólogo molecular, detentor de um Prêmio Nobel e conselheiro científico do Papa: Werner Arber. (swissinfo)

swissinfo.ch: Como a ciência explica isso?

WW.A.: A ciência fala de auto-organização. Podemos dar informações detalhadas sobre como a evolução funciona nos dias de hoje. Podemos falar sobre a evolução cósmica ou sobre a evolução da vida. Se sabe quando o sol terá consumido toda sua energia e deixará de ser o sol. Isso é parte de uma evolução natural. Até então teremos as diversas formas de vida sobre o nosso planeta.

swissinfo.ch: Como devemos entender essa análise?

W.A.: Precisamos definir o que é a vida. A definição da NASA, a Agência Espacial Americana, contém dois critérios para a vida: em primeiro lugar, ele deve ser capaz de se reproduzir, ou seja, ter crias; em segundo, a população deve ser capaz de se adaptar às novas condições de vida, deve passar por uma evolução independente.

Esse é o caso no nosso planeta. Todos os seres vivos são capazes de fazê-lo. Eu parto do princípio que isso é uma boa definição do que é a “vida”.

swissinfo.ch: O que pensam os Papas sobre essa ampla definição

W.A.: Em 1995, o Papa João Paulo II confirmou em uma audiência com a Academia que é preciso levar em consideração que a vida passa por uma evolução e possa se adaptar a outras condições. Ele não disse que isso é um fato concreto, mas sim que é preciso levar esse ponto em consideração.

O Papa Bento XVI não afirmou até agora nada contra isso. Porém que eu saiba, ele também nunca debateu profundamente essa questão. Pessoas próximas do Papa me disseram que a Igreja Católica vê na evolução biológica e cósmica um processo de permanente criação.

Há alguns anos as universidades papais oferecem um programa denominado STOQ (de “science, theology and the ontologigcal quest”, ou ciência, teologia e a questão ontológica, a parte da filosofia que trata da natureza do ser). Eu faço parte da comissão de planejamento desse programa.

STOQ organiza seminários com a presença de cientistas, teólogos, filósofos, filósofos da ciência e historiadores da ciência. Neles discutem-se os pontos de confluência entre conhecimentos das ciências naturais, doutrinas teológicas e a verdade.

swissinfo.ch: Nesse programa discute-se também a questão de saber se a diferença feita pela Igreja Católica entre homens e mulheres é justificável?

W.A.: Tanto na Academia como também nesse programa atuam mulheres. Eu não sei se a posição da mulher na sociedade e na Igreja já foi um tema neles. No projeto STOQ – assim como na Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano – são debatidas questões ligadas às ciências naturais e não sociais.

Eveline Kobler, swissinfo.ch
Adaptação: Alexander Thoele

——————————————————————————————-

Papa vai se conectar com a Estação Espacial Internacional

O Papa Bento XVI vai se conectar via satélite, no próximo dia 4 de maio, com tripulantes, entre eles dois astronautas italianos, da Estação Espacial Internacional (ISS). A informação foi confirmada nesta quinta-feira pelo jornal do Vaticano, L”Osservatore Romano.

Pela primeira vez a estação espacial contará com austronautas italianos: o coronel Roberto Vittori, que recebeu uma medalha de prata concedida pelo Papa, e o engenheiro Paolo Nespoli.

Eles estarão a bordo do último do Endeavour e penúltimo de um ônibus espacial. O último será o do Atlantis, programado para o final de junho.

O Endeavour será lançado na sexta-feira, 29 de abril, às 16h47 do horário de Brasília, do Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral, na Flórida. A missão na ISS terá duração de 14 dias .

A ligação do Papa está prevista para as 12h30, hora de Brasília.

—————————————————————–

Arqueologia

Documentarista alega ter encontrado pregos usados na crucificação de Jesus Cristo

Peças de ferro estavam em túmulo descoberto em Jerusalém em 1990. Para especialistas, interpretação não tem base científica

O diretor de cinema canadense Simcha Jacobovici afirma ter encontrado os pregos utilizados na crucificação de Jesus Cristo. No recém-lançado documentário The Nails of the Cross (Os Pregos da Cruz, em tradução livre), ele alega ter provas históricas de que os pregos estavam na tumba que seria do sacerdote judeu que presidiu o julgamento de Jesus. Para especialistas, porém, o documentário não passa de uma peça publicitária.

O filme de Jacobovici começa revisitando um túmulo encontrado em Jerusalém em 1990, apontado por muitos na ocasião como sendo o local de sepultamento de Caifás. De acordo com o Novo Testamento, Caifás foi o religioso que presidiu o julgamento de Jesus. Desde então, o local foi selado novamente.

Foram encontrados dois pregos de ferro no túmulo que, segundo o documentário, desapareceram misteriosamente depois de encontrados. Jacobovici afirma ter rastreado as peças até um laboratório de um antropólogo em Tel Aviv, em Israel. O diretor acredita que o desaparecimento repentino dos pregos, torcidos e dobrados na ponta, pode ter sido um artifício para proteger a natureza das peças. “Se considerarmos a história toda, o contexto arqueológico e as provas, tudo parece dizer que os pregos foram utilizados em uma crucificação”, acredita. “Uma vez que Caifás está intimamente associado à crucificação de Jesus, não é difícil concluir que esses foram os pregos usados.”

O órgão do governo israelense responsável pela escavação em Jerusalém em 1990 disse que nunca foi provado definitivamente que o túmulo encontrado há 21 anos é o local de sepultamento de Caifás. Além disso, explicam, é comum encontrar pregos em túmulos dessa época. “Não há dúvidas de que o talentoso diretor criou um filme interessante com um artefato verdadeiro no centro. Contudo, a interpretação apresentada não possui base arqueológica”, informou.

—————————————————————————

Vaticano doará ofertas recolhidas durante a missa da Quinta-feira Santa a vítimas de terremoto no Japão


O Globo | Agência O Globo – qui, 14 de abr de 2011 12:15 BRT-CIDADE DO VATICANO – O Vaticano vai enviar às vítimas do terremoto no Japão o dinheiro arrecadado durante as celebrações pascais presididas pelo papa Bento XVI na Quinta-Feira Santa. As doações serão recolhidas na missa conhecida como “Ceia do Senhor”, que dá início ao Tríduo Pascal e onde é feita a lavagem dos pés de 12 sacerdotes, que será realizada na Basílica de São João de Latrão, em Roma.

O calendário de comemorações pascais foi divulgado hoje pela Santa Sé, de acordo com a agência de notícias italiana Ansa. No Domingo de Ramos, 17 de abril, o papa vai celebrar uma missa na Praça São Pedro, no Vaticano, pela manhã. Após a cerimônia haverá uma procissão.

Na manhã da Quinta-Feira Santa, o Pontífice vai celebrar a missa crismal, com a benção dos óleos usados em sacramentos, na Basílica Vaticana. Já na Sexta-Feira Santa ocorre a celebração da Paixão de Cristo, e, logo após, a Via Sacra no Coliseu.

Na noite de sábado, acontece a vigília pascal, na Praça de São Pedro, e, no domingo de manhã, a tradicional benção “Urbi et Orbi” (à cidade de Roma e ao mundo).

——————————————————————————————
Decreto sobre culto litúrgico ao Beato João Paulo II
Da Congregação para o Culto Divino

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 11 de abril de 2011(ZENIT.org) - Apresentamos, a seguir, uma tradução não-oficial realizada por ZENIT do texto do decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, no qual se regula o culto litúrgico reservado ao futuro Beato João Paulo II.

DECRETO

sobre o culto litúrgico a ser tributado em honra do Beato João Paulo II, Papa

Um caráter de excepcionalidade, reconhecido por toda a Igreja Católica espalhada sobre a terra, reveste a beatificação do Venerável João Paulo II, de feliz memória, a ser realizada em 1º de maio de 2011, na Basílica de São Pedro, em Roma, presidida pelo Santo Padre Bento XVI. Dada esta realidade extraordinária, após inúmeras solicitações com relação ao culto litúrgico em honra do novo beato, de acordo com os locais e formas estabelecidos pela lei, a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos se apressou em comunicar o que foi disposto a este respeito.

Missa de Ação de Graças

Dispõe-se que, no arco do ano posterior à beatificação de João Paulo II, ou seja, até 1º de maio de 2012, será possível celebrar uma Missa de ação de graças a Deus em lugares e dias definitivos. A responsabilidade de definir o dia ou dias, bem como o local ou locais de reunião do povo de Deus, pertence ao bispo diocesano para a sua diocese. Considerando as demandas locais e conveniências pastorais, concede-se que se possa celebrar uma Missa em honra do novo Beato em um domingo ‘durante o ano’, como também em um dia compreendido entre os números 10-13 da ‘Tabela dos dias litúrgicos’.

Da mesma forma, para as famílias religiosas, compete ao superior geral oferecer informações sobre os dias e locais significativos para toda a família religiosa.

Para a Missa, com a possibilidade de cantar a ‘Glória’, reza-se a coleta em honra do Beato (ver anexo); as demais orações, o prefácio, as antífonas e leituras bíblicas são tiradas do Comum dos Pastores, para um papa. Se for celebrada em um domingo durante o ano, para as leituras bíblicas podem ser escolhidos textos adaptados do Comum dos Pastores para a primeira leitura, com o correspondente Salmo responsorial e para o Evangelho.

Inscrição do novo Beato em calendários particulares

Dispõe-se que, no calendário próprio da diocese de Roma e das dioceses da Polônia, a celebração do Beato João Paulo II, Papa, seja inscrita em 22 de outubro e celebrada a cada ano como memória.

Sobre os textos litúrgicos, concedem-se como próprios a oração coleta e a segunda leitura do Ofício de Leitura, com o correspondente responsório (ver anexo). Outros textos são retirados do Comum dos pastores, para um papa.

Quanto aos demais calendários próprios, o pedido de registro da memória facultativa do Beato João Paulo II pode ser apresentado à Congregação para as Conferências Episcopais de seu território, pelo bispo diocesano para sua diocese, pelo superior geral para a sua família religiosa.

Dedicação da igreja a Deus em honra do novo Beato

A eleição do Beato João Paulo II como titular de uma igreja prevê o indulto da Sé Apostólica (cf. ‘Ordo dedicationis ecclesiae’, ‘Praenotanda’ n. 4), exceto quando sua celebração já estiver escrita no Calendário particular: neste caso, não se requer o indulto e ao Beato, na igreja da qual é titular, reserva-se a ele o grau de festa (cf. Congregatio de Cultu Divino et Disciplina Sacramentorum, Notificatio de cultu Beatorum, 21 de maio, 1999, n. 9).

Não obstante haja algo em contrário.

Pela Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, 2 de abril de 2011.

Antonio Card. Cañizares Llovera, Prefeito

Giuseppe Agostino Di Noia, op Arcebispo secretário

[Em Latim]

DECRETO

de cultu liturgico in honorem beati Ioannis Pauli ii, papae, tribuendo

Praecipuitatis mira virtute sua, quam universa catholica Ecclesia ubique per orbem terrarum diffusa agnoscit, beatificatio Venerabilis Ioannis Pauli ii, felicis recordationis, die 1 mensis maii anno 2011 apud Basilicam Sancti Petri in Urbe, Summo Pontifice Benedicto XVI praesidente, celebranda, praestat. Qua attenta eminentia ac petitionibus innumeris circa cultum liturgicum in honorem proximi Beati iuxta locos et modos iure statutos perpensis, haec Congregatio de Cultu Divino et Disciplina Sacramentorum quae de hac re decreta sunt publici iuris facere properavit.

Missa in actione gratiarum

Disponitur, ut intra annum a beatificatione Ioannis Pauli ii, scilicet usque ad diem 1 mensis Maii anno 2012, unam sanctam Missam in actione gratiarum Deo in locis et diebus peculiaris significationis celebrare liceat. Omnibus ac singulis Episcopis dioecesanis competit pro territorio eorum Dioecesium diem diesve, sicut et locum locosve ad populum Dei colligendum, apte statuere. Necessitatibus locorum et opportunitate pastorali perpensis, conceditur, ut una sancta Missa in honorem proximi Beati celebrari possit dominica qualibet per annum vel alia die, quae inter nn. 10-13Tabulae dierum liturgicorum recenseatur.

Item, pro familiis religiosis Supremo Moderatori competit dies et locos peculiaris significationis ad usum totius eiusdem familiae religiosae deligere.

Quoad sanctae Missae celebrationem, praeter facultatem Gloria canendi, oratio collecta propria in honorem Beati, prout in adnexu exstat exemplari, dicenda est; aliae orationes, necnon praefatio, antiphonae et lectiones biblicae, de Communi pastorum:pro papa, sumuntur. Si dies celebrationis in dominicam per annum incurrit, textus apti pro lectione priore, psalmo responsorio et Evangelio de Communi pastorum sumi possunt.

Inscriptio proximi Beati in Calendariis particularibus

Disponitur, insuper, ut celebratio Beati Ioannis Pauli ii, papae, in Calendario proprio Dioecesis Romanae seu Almae Urbis atque omnium Dioecesium Poloniae die 22 octobris gradu memoriae quotannis peragenda inscribatur.

Quoad textus liturgicos, uti proprii conceduntur oratio collecta et lectio altera pro Officio lectionum Liturgiae Horarum cum responsorio, prout in adnexu exstant exemplari. Alii textus de Communi pastorum: pro papa, sumuntur.

Circa caetera Calendaria propria, petitio de inscriptione memoriae ad libitum Beati Ioannis Pauli ii huic Congregationi subicienda singulis Conferentiis Episcoporum pro unaquaque natione vel Episcopo dioecesano pro Dioecesi vel Supremo Moderatori pro familia religiosa competit.

Dedicatio ecclesiae Deo in honorem proximi Beati

Electio Beati Ioannis Pauli ii uti Titularis ecclesiae indultum ab Apostolica Sede concessum postulat (cf. Ordo dedicationis ecclesiae, Praenotanda, n. 4), nisi celebratio eiusdem iam inscripta sit in Calendario particulari: hoc in casu, indultum non requiritur et in ecclesia, cuius est Titularis, gradus festi Beato reservatur (cf. Congregatio de Cultu Divino et Disciplina Sacramentorum, Notificatio de cultu Beatorum, diei 21 maii 1999, n.9).

Contrariis quibuslibet minime obstantibus.

Ex aedibus Congregationis de Cultu Divino et Disciplina Sacramentorum, die 2 mensis aprilis anno 2011.

Antonius Card. Cañizares Llovera Praefectus

Iosephus Augustinus Di Noia, op Archiepiscopus a Secretis

—————————————————————————–

Papa Bento XVI faz doação à Conferência Episcopal Japonesa

QUA, 16 DE MARÇO DE 2011 09:15  CNBB

No último fim de semana, 12 e 13, o papa Bento XVI enviou uma doação de 100 mil dólares à Conferência dos Bispos Católicos do Japão. A doação tem o intuito de ajudar as vítimas do terremoto e do tsunami que devastou a ilha na sexta-feira, 11 de março.

Dom Anthony Figueiredo, do Pontifício Conselho Cor Unum, encarregado das obras de caridade do Vaticano, falou à Rádio Vaticano que este dicastério trabalha de perto com os bispos japoneses, com a rede da Cáritas Internationalis e outras organizações de ajuda para determinar a melhor forma de responder às necessidades dos habitantes do Japão.

O bispo disse que o ocorrido no Japão é “uma grande tragédia” que se soma ao tsunami de 2004 na Ásia, o terremoto e as inundações no Paquistão e o devastador terremoto do Haiti em janeiro de 2010. “O que devemos fazer é rezar para que estas pessoas tenham esperança”, ressaltou.

“Obviamente é necessária uma ajuda material e concreta. O Santo Padre enviou através deste Pontifício Conselho a quantia de 100 mil dólares à Conferência dos Bispos porque esta é a forma mais rápida que os recursos chegam as dioceses mais afetadas. Além disso, os bispos são os primeiros responsáveis pelas obras de caridade nas dioceses e eles conhecem as necessidades do povo”, disse dom Anthony Figueiredo.

—————————————————–

http://www.portalorm.com.br/2009/noticias/default.asp?id_modulo=21&id_noticia=511539

ECT lança selo em homenagem ao inventor do rádio

A ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) colocou nesta sexta-feira (21) em circulação um selo em comemoração aos 150 anos do padre Landell de Moura, inventor do transmissor de ondas.

A arte do selo é de Lídia M. Hurovich Neiva, com colaboração de Marco Aurélio Cardoso Moura, e retrata Landell de Moura falando ao microfone em sua invenção. Ao fundo, são reproduzidas a patente obtida em 1904, nos Estados Unidos, e a planta do aparelho. No lado esquerdo inferior, uma onda de rádio modulada em amplitude (ou AM, do inglês Amplitude Modulation, transmissão da voz humana a longas distâncias sem utilização de fios).

O selo tem valor facial de 1º Porte Carta Comercial (R$ 1,05), tiragem de 300 mil exemplares e poderá ser adquirido na loja virtual, na Agência de Vendas a Distância ou nas agências dos Correios.O padre Roberto Landell de Moura, considerado o inventor do rádio, nasceu em Porto Alegre no dia 21 de janeiro de 1861.

Guglielmo Marconi levou a fama, mas a obra do italiano foi o telégrafo sem fio, ou seja, pontos e traços do Código Morse sendo enviados pelo espaço. Já o padre Landell fez as primeiras experiências de transmissão da voz humana em 1893,  antes de Marconi e de Nicolá Tesla, gênio nascido na Croácia, que desenvolveu grandes experimentos e que é reconhecido nos Estados Unidos como o inventor do rádio.

A existência das ondas eletromagnéticas foi teorizada pelo escocês James Maxwell em 1873. O alemão Heinrich Hertz fez a primeira demonstração prática do fenômeno em 1888.

A década de 1890 fervilhava com a ideia da transmissão de mensagens a distância sem a necessidade de fios, fossem elas em código Morse, sons ou imagens.

Mas, mesmo que sejam desconsideradas as experiências pioneiras de Landell de 1893 e seja levada em conta apenas a transmissão de 3 de junho de 1900, na Avenida Paulista, em São Paulo, testemunhada e registrada na imprensa, vê-se claramente que o padre porto-alegrense foi o primeiro a levar a palavra do homem à distância sem o uso de fios. Só seis meses depois, em dezembro de 1900, haveria notícia de um feito semelhante, do canadense Reginad Fessenden, nos Estados Unidos.

O rádio nasceu pelas mãos de Landell. Apesar de ter obtido patentes para seus inventos no Brasil e nos Estados Unidos, no Brasil ele foi considerado louco e  féis da igreja como alguém que tinha pacto com o demônio.

Landell trabalhou com recursos próprios. O interesse do padre pela ciência já o havia colocado em contato com dom Pedro II, ainda durante o império. Pedro II foi um homem de visão e aficcionado pelas novidades científicas. No entanto, mais tarde, em 1904, já sob o regime republicano, quando Landell procurou o presidente Rodrigues Alves para obter auxílio em seus experimentos, foi visto como doido. Ele chegou a dizer que, futuramente, seu invento possibilitaria a comunicação interplanetária.

Landell estava certo. Existem hoje as espaçonaves não tripuladas Voyager, lançadas pela Nasa em 1977, saindo do sistema solar e enviando imagens e sons para a Terra.

Outro episódio marcante na vida de Landell foi a invasão e destruição de seu laboratório, construído a duras penas. Fiéis da igreja invadiram o local de trabalho e destruíram tudo.

Por volta de 1910, com outros cientistas estrangeiros levando as experiências adiante e ganhando as glórias pelo invento do rádio, Landell de Moura abandonou a ciência. Levou sua vida até 1928 apenas no exercício do sacerdócio.

Muito da sabedoria de Landell se perdeu por causa do descaso ou pela ação do tempo. Mas o jornalista Hamilton Almeida, maior pesquisador e autor de dois livros sobre o inventor brasileiro, registra que Landell tinha outras investigações científicas. Abordava até a possibilidade de comunicação entre as pessoas diretamente pelo que chamava de logus, ou ‘verbo mental’. São mistérios que, como o próprio Landell disse, teria que levar para o túmulo.

———————————————————————————————

Conferência Episcopal Italiana doa um milhão de euros para Diocese de Petrópolis

A Conferência Episcopal Italiana enviou à Região Serrana do Rio de Janeiro, 10 toneladas de materiais (roupa, alimento, material de higiene pessoal e limpeza e água. A doação vai atender, segundo informações da diocese de Petrópolis (RJ), os municípios de Petrópolis [2 paróquias]; Teresópolis [3 paróquias];Areal [1]; São José do Vale do Rio Preto [2]. Além desta doação, a diocese de Petrópolis recebeu a doação de um milhão de euros da Conferência Italiana.

O dinheiro arrecadado pela diocese de Petrópolis, inclusive o doado pela Cáritas Brasileira e pela Conferência Italiana, está sendo usado para a compra de material específico para as famílias, como roupa íntima e de higiene pessoal, quando falta nas paróquias para atender as vítimas. A matéria referente às doações é destaque no site oficial da Conferência Episcopal Italiana, nesta segunda-feira, 17.

Dom Filippo Santoro, bispo diocesano de Petrópolis, disse que as doações estão chegando de várias dioceses brasileiras, de empresas e instituições ligadas a Igreja Católica, como a Cáritas Brasileira e Internacional e da Conferência Episcopal Italiana. “A solidariedade as vítimas é muito grande. A Igreja Católica no Brasil está mobilizada para atender as vítimas na Região Serrana”.

O bispo de Petrópolis explicou que a doações que chegam as paróquias atingidas pela chuva, são levadas para os desabrigados ou para famílias que estão em locais de difícil acesso. “Estamos contando com voluntários que utilizam carro e motos, e até mesmo a pé, para fazer chegar aos sobreviventes todo material necessário para viverem este momento”.

Fonte: Diocese de Petrópolis

————————————————————————-

15/01/2011 – 14:36

Religião

Protestante assume presidência da Academia Pontifical de Ciências do Vaticano

Werner Arber ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 1978 pela descoberta da enzima de restrição

O Papa Bento XVI nomeou um não-católico, o prêmio Nobel Werner Arber, protestante suíço, como novo presidente da Academia Pontifical de Ciências. O anúncio oficial da Santa Sé aconteceu neste sábado. Trata-se de uma inovação na história da instituição, fundada em 1603.

Arber, 81 anos, geneticista e especialista em biologia molecular, sucede ao italiano Nicola Cabibbo, falecido em agosto passado.

O cientista suíço, mestre no ‘Biozentrum da Universidade de Bâle’, obteve o Prêmio Nobel de Medicina em 1978 pela descoberta da enzima de restrição – um mecanismo de defesa das bactérias contra agentes infecciosos – junto com os americanos Hamilton O. Smith e Daniel Nathans. É membro da Academia pontifical desde maio de 1981 e participa de seu conselho de direção.

Nos anos 1960, Arber também descobriu enzimas que permitem cortar o DNA, suporte do código genético, em locais precisos e em partes menores, tais como verdadeiras “tesouras moleculares”.

Academia Pontifical de Ciências – Trinta cientistas que receberam o Nobel fazem parte da Academia Pontifical de Ciências, herdeira da Academia de Lyunx, fundada pelo príncipe mecenas Federico Cesi, promotor do telescópio de Galileu.

A instituição se interessa pela pesquisa científica fundamental e por problemas da ética, principalmente nas questões ambientais. Os 80 cientistas que a compõe são todos nomeados pelo papa.

(Com Agência France-Presse)

FONTE : http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/protestante-assume-presidencia-da-academia-pontifical-de-ciencias-do-vaticano

—————————————-
http://noticias.terra.com.br/noticias/0,,OI4881433-EI188,00.html

Papa envia US$ 1,2 bilhão para população do Haiti

10 de janeiro de 2011 • 09h19

O papa Bento XVI enviou o cardeal Robert Sarah ao Haiti junto com uma ajuda financeira de US$ 1,2 bilhão para a população atingida pelo terremoto de 2009 que causou a morte de 250 mil pessoas e deixou 1 milhão de pessoas desabrigadas, anunciou o Vaticano nesta segunda-feira.

O cardeal Sarah, presidente de Conselho Pontifício Cor Unum, instituição vaticana que distribui os fundos econômicos recebidos pelo Vaticano, levará também uma mensagem do papa à população haitiana.

Sarah visitará algumas comunidades religiosas como a Irmãs de Cristo Rei, cujo hospital ficou destruído e lançará a pedra fundamental da Escola Notre Dame des Anges.

O cardeal levará uma ajuda econômica proveniente das contribuições para o terremoto: US$ 800 mil destinados à reconstrução de escolas e US$ 400 mil à reconstrução das igrejas.

Em 11 de janeiro, o presidente de Cor Unum acompanhado do subsecretário, o espanhol Segundo Tejado, se reunirá com o presidente da República, René Préval, e visitará o campo de refugiados onde realizará uma missa.

No dia seguinte, lerá a mensagem do papa durante a missa de celebração de um ano do terremoto.

————————————————————————————–

Arcebispo de Brasília nomeado Prefeito da Congregação Vaticana

Cidade do Vaticano, 04 jan 2011 (SIR) – Dom João Braz de Aviz, até agora arcebispo de Brasília é o novo Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica. Sucede ao card. Franc Rodé, que apresentou sua renúncia por limite de idade. Dom João nasceu em Mafra, Diocese de Joinville (SC), em 24 de abril de 1947. Depois de estudar Filosofia no Seminário Maior ‘Rainha dos Apóstolos’ de Curitiba e na Faculdade de Palmas, completou os estudos teológicos, em Roma, nas pontifícias universidades Gregoriana e Lateranense. Ordenado sacerdote em 26 de novembro de 1972 pela Diocese de Apucarana, desempenhou seu ministério como pároco em várias paróquias, como reitor dos Seminários Maiores de Apucarana e Londrina, e como professor de Teologia Dogmática no Instituto Teológico Paulo VI, em Londrina. No dia 06 de abril de 1994 foi eleito à sé titular de Flenucleta, com bispo auxiliar da Arquidiocese de Vitória e recebeu a consagração episcopal a 31 de maio do mesmo ano. Transferido como Bispo diocesano de Ponta Grossa(PR) a 12 de maio de 1998, foi promovido a arcebispo de Maringá (PR) a 17 de julho de 2002; e finalmente nomeado arcebispo de Brasília no dia 28 de janeiro de 2004. Em maio passado recebeu a assembléia plenária da CNBB e organizou também o XVI Congresso Eucarístico Nacional, em comemoração dos 50 anos de fundação da cidade.

————————————————————————————————

Aparição de Maria nos Estados Unidos, aprovada para o culto

A Virgem Maria apareceu a uma imigrante belga em 1859, em Wisconsin

GREEN BAY, quinta-feira, 9 de dezembro de 2010 (ZENIT.org) – Durante a festa da Imaculada Conceição, padroeira dos Estados Unidos, foi dada a aprovação diocesana oficial às aparições de Nossa Senhora em Wisconsin.

Durante a leitura do decreto, ontem, durante uma Missa especial no Santuário de Champion, Dom David Ricken, bispo de Green Bay, disse: “Declaro, com certeza moral e de acordo com as normas da Igreja, que os acontecimentos, aparições e locuções dadas a Adele Brise, em outubro de 1859, apresentam a substância de caráter sobrenatural, e eu, pela presente, aprovo tais aparições como dignas de fé – ainda que não obrigatórias – para os fiéis cristãos”.

A declaração de ontem converteu o santuário de Nossa Senhora do Socorro de Champion no primeiro e único lugar nos Estados Unidos de uma aparição da Virgem Maria oficialmente aprovada.

Deslumbrante

As aparições – foram três – ocorreram em 1859. Nossa Senhora falou com Adele Brise (1831-1896), uma jovem imigrante de origem belga.

Foi no começo de outubro quando Brise viu a Virgem pela primeira vez: uma Senhora vestida de branco deslumbrante, com uma faixa amarela na cintura e uma coroa de estrelas na cabeça.

A visão desapareceu lentamente depois de alguns instantes, sem falar com Brise.

No domingo seguinte, 9 de outubro, Brise estava indo à Missa quando a Senhora voltou. Depois da Missa, Brise teve a oportunidade de perguntar ao seu confessor sobre as aparições, e ele lhe disse que, se era uma mensageira do céu, ela a veria novamente. Ele a encorajou a perguntar-lhe, em nome de Deus, quem era e o que queria dela.

No caminho de volta para casa, Nossa Senhora apareceu novamente e Brise fez o que seu confessor tinha recomendado.

“Eu sou a Rainha do Céu, que reza pela conversão dos pecadores, e desejo que faças o mesmo – respondeu a Senhora à pergunta de Brise. Recebeste a Sagrada Comunhão nesta manhã e isso é bom. Mas deves fazer mais. Faze uma confissão geral e oferece a Comunhão pela conversão dos pecadores. Se não se converterem e fizerem penitência, meu Filho vai ser obrigado a castigá-los.”

Uma das mulheres que estavam com Brise lhe perguntou com quem ela estava falando e por que elas não conseguiam ver ninguém.

“Ajoelhem-se – disse Brise -, a Senhora disse que é a Rainha do Céu.” Diante disso, a Senhora olhou amavelmente para as companheiras de Brise e disse: “Bem-aventurados os que creem sem ver”.

A Senhora continuou: “O que fazes aqui parada, enquanto tuas companheiras trabalham na vinha do meu Filho?”.

“O que mais posso fazer, querida Senhora?”, perguntou Brise.

“Reúne as crianças deste país selvagem e mostra-lhes o que deveriam saber para salvar-se.”

“Mas como lhes ensinarei o que eu mesma sei tão pouco?”, replicou Brise.

“Ensina-lhes seu catecismo, como fazer o sinal da cruz e como se aproximar dos sacramentos; isso é o que eu desejo que faças – disse a Senhora. Vai e não tenhas medo. Eu te ajudarei.”

O pai de Brise construiu uma pequena capela no local e ela continuou cumprindo o mandato de Nossa Senhora, uma missão que continuou até sua morte, em 1896.

A aprovação de Dom Ricken chegou depois de uma investigação de quase dois anos – desde janeiro de 2009 – sobre os acontecimentos e suas consequências.

A diocese de Green Bay postou em seu site material sobre aparições na Igreja.

Os documentos esclarecem que é o bispo diocesano, e não a Santa Sé ou a conferência episcopal, o responsável por julgar a autenticidade das aparições que supostamente acontecem em sua diocese.

Também se observa que nem todas as supostas aparições são aprovadas pela Igreja, e que nos Estados Unidos, por exemplo, supostas aparições em Necedah (Wisconsin) e Bayside (Nova York) foram examinadas e declaradas falsas.

“Ninguém pode provar o sobrenatural – recorda a declaração. A Igreja julga as aparições com base na sua coerência com as Sagradas Escrituras, com a Sagrada Tradição e com os ensinamentos da Igreja, nos benefícios espirituais subsequentes na vida das pessoas, e se há algo na vida do vidente que desmente a credibilidade do relato

————————————————————————————————————

Vaticano escolhe O ECC do Brasil para representar as famílias em congresso internacional

Qua, 24 de Novembro de 2010 20:29

Ter e cultivar a Igreja dentro de casa. Essa é a missão maior da primeira comunidade de qualquer pessoa: a família. Contrariando o que muitos pensam ter a Igreja dentro de casa, não significa uma série de regras e imposições, mas simplesmente viver o maior de todos os mandamentos: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado” (Jo 13,34) e a partir dele tornar o cotidiano, repleto de tarefas, mais leve e mais feliz. A primeira manifestação do amor dentro de uma família é dada pelos responsáveis pela sua origem: o casal.Foi pensando na importância do casal como fonte da missionariedade e da presença da Igreja na família que nasceu o Encontro de Casais com Cristo (ECC). No ano em que este serviço completa 40 anos o ECC foi convidado pelo Pontifício Conselho para a Família (PCF) para mostrar ao mundo como a evangelização de casais pode transformar as famílias.

O anúncio da escolha veio do Bispo Auxiliar de Salvador (BA) Dom João Carlos Petrini, que é membro do Conselho Internacional do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família. Em visita a Roma (Itália) no início do mês de julho em função da reunião do Conselho, Dom Petrini conversou com o presidente do PCF, Cardeal Ennio Antonelli, e apresentou quatro experiências de evangelização da família no Brasil preparadas pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da CNBB. Depois de uma análise cuidadosa o PCF informou a CNBB que o ECC havia sido escolhido como modelo de evangelização da Igreja no Brasil a ser apresentado no Congresso da Família Cristã que acontecerá no final do mês de Novembro, em Roma (Itália).

O ECC será representado pelo Casal Alceu e Maria Lúcia, da Arquidiocese de Juiz de Fora/MG, com a aprovação do Conselho Nacional do ECC.

O tema do congresso deste ano é “Família Cristã- Sujeito de Evangelização” e é uma preparação para o grande evento do Pontifício Conselho para a Família (PCF) que acontecerá em Milão (Itália) em 2012.

© 2010 ECC – Encontro de Casais com Cristo – Conselho Nacional

———————————————————————-

Igreja Católica sobe para 2º lugar no ranking de instituições mais confiáveis


Uma pesquisa que aponta o Índice de Confiança na Justiça (ICJ Brasil), feita pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), revela que a Igreja Católica está em 2º lugar no ranking de confiança das instituições. Com 54%, ela fica atrás apenas das Forças Armadas, que têm 66%.

Antes a Igreja ocupava a 7ª posição, com 34%. Houve, portanto, um aumento de 60% no terceiro trimestre deste ano em comparação com os três meses anteriores.

“A Igreja só perde para as Forças Armadas e ganha de longe do governo federal e, inclusive, das emissoras de TV que normalmente são instituições consideradas confiáveis pela população”, disse a professora da Direito GV e coordenadora do ICJ Brasil Luciana Gross Cunha.

O ICJ Brasil foi criado pela Escola de Direito da FGV para verificar o grau de confiança no Judiciário e como a população utiliza o poder para a reivindicação de direitos e busca por soluções. Nesta pesquisa o Judiciário aparece em 8º lugar com 33%.

Outras instituições tiveram o seguinte resultado: Grandes Empresas (44%); Emissoras de TV (44%); Governo Federal (41%); Imprensa escrita (41%), Polícia (33%); Congresso Nacional (20%) e os partidos políticos (8%).

FONTE: Copyright © 2010 CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Todos os direitos reservados.
—————————————————————————————————–

Governo de Israel e Google vão pôr Manuscritos do Mar Morto online

Versão digitalizada, acompanhada de tradução para o inglês, deve estar na internet em alguns meses

19 de outubro de 2010 | 14h 38
Associated Press – AP

A Autoridade de Antiguidades de Israel e o Google anunciaram que estão juntando forças para pôr os Manuscritos do Mar Morto online, permitindo a estudiosos e ao público em geral acesso aos documentos antigos pela primeira vez.

O projeto abrirá acesso global e gratuito aos textos de 2.000 anos – considerados uma das maiores descobertas arqueológicas do século passado – ao colocar na rede imagens de alta resolução que são cópias exatas dos originais. As primeiras fotografias devem estar online dentro de alguns meses.

Os manuscritos estarão disponíveis nas línguas originais – hebraico, aramaico e grego – e, inicialmente, em tradução para o inglês. Mais tarde, outras traduções serão oferecidas. Também será possível realizar buscas no texto.

A funcionária israelense Pnina Shor disse que o projeto garantirá que os 30.000 fragmentos originais sejam preservados, ao mesmo tempo em que o acesso é ampliado. Os manuscritos, que incluem trechos da Bíblia hebraica e tratados sobre vida comunitária e sobre uma guerra apocalíptica, lançaram uma importante luz sobre o judaísmo e os primórdios do cristianismo.

“Qualquer um, no escritório ou no sofá, poderá clicar e ver qualquer fragmento ou manuscrito que quiser”, disse ela.

Especialistas queixam-se há tempos de que apenas um pequeno número de estudiosos tem acesso, a cada momento, aos manuscritos, que foram encontrados em cavernas perto do Mar Morto no fim da década de 40.

Os delicados manuscritos são mantidos no escuro, em salas climatizadas do Museu Israel de Jerusalém, onde somente quatro funcionários especialmente treinados têm autorização para manusear os pergaminhos e papiros.

Pnina disse que os estudiosos precisam coordenar o acesso aos manuscritos com as autoridades, que recebem um pedido ao mês. A maioria recebe autorização, mas como não mais de duas pessoas podem entrar na sala de leitura ao mesmo tempo, surgem conflitos de agenda.

Cada pesquisador recebe três horas de acesso, e apenas ao fragmento específico que pediu para ver.

———————————————————————–

CARTA DO SANTO PADRE BENTO XVI AO PRESIDENTE DO PONTIFÍCIO CONSELHO PARA A FAMÍLIA EM PREPARAÇÃO AO VII ENCONTRO MUNDIAL DAS FAMÍLIAS, 24/09/2010

Venerável Irmão

Cardeal ENNIO ANTONELLI

Presidente do Pontifício Conselho para a Família

Na conclusão do VI Encontro Mundial das Famílias, que se desenvolveu na Cidade do México em janeiro de 2009, anunciei que o próximo compromisso das famílias católicas do mundo inteiro com o Sucessor de Pedro tomaria lugar em Milão, em 2012, sob o tema: “A Família: o trabalho e a festa”. Desejando agora iniciar a preparação para tal importante evento, tenho prazer em precisar que este, se Deus quiser, se desenvolverá de 30 de maio a 3 de junho, e ao mesmo tempo fornecer algumas indicações mais detalhadas a respeito da temátida e da modalidade de atuação.

O trabalho e a festa estão intimamente relacionados com a vida das famílias: as condicionam as escolhas, influenciam as relações entre os cônjuges e entre pais e filhos, incidem sobre as relações da família com a sociedade e com a Igreja. A Sagrada Escritura (cf. Gn 1-2) nos diz que família, trabalho e dia festivo são dons e bençãos de Deus para ajudar-nos a viver uma existência plenamente humana. A esperiência cotidiana atesta que o desenvolvimento autêntico da pessoa compreende seja a dimensão individual, familiar e comunitária, sejam as atividades e as relações funcionais, como também a abertura à esperança e ao Bem sem limites.

Infelizmente, nos nossos dias, a organização do trabalho, pensada e atuada em função da concorrência de mercado e do máximo lucro, e a concessão da festa como ocasião de evasão e de consumo, contribuem a desregrar a família e a comunidade e a difundir um estilo de vida individualista. Por isso, ocorre promover uma reflexão e um empenho dirigidos a conciliar as exigências e os tempos do trabalho com aqueles da família, e a recuperar o sentido verdadeiro da festa, especialmente do Domingo, páscoa semanal, dia do Senhor e dia do homem, dia da família, da comunidade e da solidariedade.

O próximo Encontro Mundial das Famílias constitui uma ocasião privilegiada para repensar o trabalho e a festa na perspectiva de uma família unida e aberta à vida, bem inserida na sociedade e na Igreja, atenta à qualidade das relações além da economia do próprio núcleo familiar. O evento, por alcançar muitos frutos, não deveria porém permanecer isolado, mas colocar-se dentro de um adequado percurso de preparação eclesial e cultural. Desejo portanto que já no curso do ano 2011, XXX aniversário da Exortação Apostólica Familiaris Consortio, “magna charta” da pastoral familiar, seja empreendido um válido itinerário com iniciativas a nível paroquial, diocesano, nacional objetivando a lançar luzes sobre experiências de trabalho e de festa nos seus aspectos mais verdadeiros e positivos, em particular no que diz respeito à vivência concreta das famílias.

Famílias cristãs e comunidades eclesiais de todo o mundo se sentem por isso interpeladas e implicadas, e se põem solicitamente a caminho rumo a “Milão 2012″.

O VII Encontro Mundial terá, como os anteriores, a duração de cinco dias e culminará no sábado à tarde com a “Festa do Testemunho”, e na manhã do Domingo com a Missa solene. Nestas duas celebrações, presididas por mim, nos veremos todos reunidos como “família de famílias”. O desenvolvimento conjunto do evento será cuidado de modo a harmonizar completamente as várias dimensões: oração comunitária, reflexão teológica e pastoral, momentos de fraternidade e de troca entre as famílias hóspedes com aquelas do território, ressonância midiática.

Por fim, que o Senhor recompense com abundantes favores celestiais a Arquidiocese ambrosiana pela generosa disponibilidade e pelo empenho da organização colocada ao serviço da Igreja Universal e das famílias pertencentes a tantas nações.

Enquanto invoco a intercessão da Santa Família de Nazaré, entregue ao trabalho cotidiano e assídua às celebrações festivas do seu povo, distribuo de coração ao senhor, venerável Irmão, e aos colaboradores a Bênção Apostólica, que com especial afeto estendo de boa vontade a todas as famílias empenhadas na preparação do grande Encontro de Milão.

Castel Gandolfo, 23 de agosto de 2010

BENEDICTUS PP. XVI

———————————————–

25/09/2010 12.32.21

PAPA FALA AOS BISPOS DO RIO DE JANEIRO

Castel Gandolfo 25 set (RV) – Disurso do Santo Padre aos bispos do Regional Leste 1 da CNBB na manhã deste sábado, 25 de setembro, em Castel Gandofo.

Venerados Irmãos no Episcopado,

Dou-vos as boas-vindas, feliz por receber-vos a todos no curso da visita ad limina Apostolorum que estais fazendo em nome e a favor das vossas dioceses do Regional Leste 1, para reforçar os laços que as unem ao Sucessor de Pedro. Disto mesmo se fez eco Dom Rafael Cifuentes nas palavras de saudação que me dirigiu em vosso nome e que lhe agradeço, muito apreciando as preces que dia a dia se elevam ao Céu por mim e pela Igreja inteira das várias comunidades familiares, paroquiais, religiosas e diocesanas das províncias eclesiásticas do Rio de Janeiro e de Niterói. Sobre todos e cada um desça, radiosa, a benevolência do Senhor: Ele «faça brilhar sobre ti a sua face, e Se compadeça de ti. O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz» (Nm 6, 25-26).

Sim, amados Irmãos, o fulgor de Deus irradie de todo o vosso ser e vida, à semelhança de Moisés (cf. Ex 34, 29.35) e mais do que ele, pois agora todos nós «refletimos a glória do Senhor e, segundo esta imagem, somos transformados, de glória em glória, pelo Espírito do Senhor» (2 Cor 3, 18). Assim o sentiam os Padres conciliares quando, no fim do Vaticano II, apresentam a Igreja nestes termos: «Rica de um longo passado sempre vivo, e caminhando para a perfeição humana no tempo e para os destinos últimos da história e da vida, ela é a verdadeira juventude do mundo. (…) Olhai-a e encontrareis nela o rosto de Cristo, o verdadeiro herói, humilde e sábio, o profeta da verdade e do amor, o companheiro e o amigo dos jovens» (Mensagem do Concílio à humanidade: Aos jovens). Deixando transparecer o rosto de Cristo, a Igreja é a juventude do mundo.

Mas será muito difícil convencer alguém disso mesmo, se não se revê nela a geração jovem de hoje. Por isso, como certamente vos destes conta, um tema habitual nos meus colóquios convosco é a situação dos jovens na respectiva diocese. Confiado na providência divina que amorosamente preside aos destinos da história não cessando de preparar os tempos futuros, apraz-me ver raiar o dia de amanhã nos jovens de hoje. Já o Venerável Papa João Paulo II, vendo Roma tornar-se «jovem com os jovens» no ano 2000, saudou-os como «as sentinelas da manhã» (Carta ap. Novo millennio ineunte, 9; cf. Homilia na Vigília de Oração da XV Jornada Mundial da Juventude, 19/VIII/2000, 6), com a tarefa de despertar os seus irmãos para se fazerem ao largo no vasto oceano do terceiro milênio. E, a comprová-lo, para além do mais aflui à memória a imagem das longas filas de jovens que esperavam para se confessar no Circo Máximo e que voltaram a dar a muitos sacerdotes a confiança no sacramento da Penitência.

Como bem sabeis, amados Pastores, o núcleo da crise espiritual do nosso tempo tem as suas raízes no obscurecimento da graça do perdão. Quando este não é reconhecido como real e eficaz, tende-se a libertar a pessoa da culpa, fazendo com que as condições para a sua possibilidade nunca se verifiquem. Mas, no seu íntimo, as pessoas assim «libertadas» sabem que isso não é verdade, que o pecado existe e que elas mesmas são pecadoras. E, embora algumas linhas da psicologia sintam grande dificuldade em admitir que, entre os sentidos de culpa, possa haver também os devidos a uma verdadeira culpa, quem for tão frio que não prove sentimentos de culpa nem sequer quando deve, procure por todos os meios recuperá-los, porque no ordenamento espiritual são necessários para a saúde da alma. De fato Jesus veio salvar, não aqueles que já se libertaram por si mesmos pensando que não têm necessidade d’Ele, mas quantos sentem que são pecadores e precisam d’Ele (cf. Lc 5, 31-32).

A verdade é que todos nós temos necessidade d’Ele, como Escultor divino que remove as incrustações de pó e lixo que se pousaram sobre a imagem de Deus inscrita em nós. Precisamos do perdão, que constitui o cerne de toda a verdadeira reforma: refazendo a pessoa no seu íntimo, torna-se também o centro da renovação da comunidade. Com efeito, se forem retirados o pó e o lixo que tornam irreconhecível em mim a imagem de Deus, torno-me verdadeiramente semelhante ao outro, que é também imagem de Deus, e sobretudo torno-me semelhante a Cristo, que é a imagem de Deus sem defeito nem limite algum, o modelo segundo o qual todos nós fomos criados. São Paulo exprime isto de modo muito concreto: «Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim» (Gl 2, 20). Sou arrancado ao meu isolamento e acolhido numa nova comunidade-sujeito; o meu «eu» é inserido no «eu» de Cristo e assim é unido ao de todos os meus irmãos. Somente a partir desta profundidade de renovação do indivíduo é que nasce a Igreja, nasce a comunidade que une e sustenta na vida e na morte. Ela é uma companhia na subida, na realização daquela purificação que nos torna capazes da verdadeira altura do ser homens, da companhia com Deus. À medida que se realiza a purificação, também a subida – que ao princípio é árdua – vai-se tornando cada vez mais jubilosa. Esta alegria deve transparecer cada vez mais da Igreja, contagiando o mundo, porque ela é a juventude do mundo.

Venerados irmãos, uma tal obra não pode ser realizada com as nossas forças, mas são necessárias a luz e a graça que provêm do Espírito de Deus e agem no íntimo dos corações e das consciências. Que elas vos amparem a vós e às vossas dioceses na formação das mentes e dos corações. Levai a minha saudação afetuosa aos vossos jovens e respectivos animadores sacerdotais, religiosos e laicais. Ergam o olhar para a Imaculada Conceição, Nossa Senhora Aparecida, a cuja proteção vos entrego, e de coração concedo-vos, extensiva a todos os vossos fiéis diocesanos, a Bênção Apostólica.

Benedictus PP XVI

————————————————————————————–

Vaticano reconhece PUC Minas como a maior universidade católica do planeta

Gustavo Werneck – Estado de Minas

Publicação: 07/09/2010 08:40 Atualização: 07/09/2010 08:50

São cinco câmpus: o Coração Eucarístico, em BH, e os demais no interior, em Arcos, Poços de Caldas, Guanhães e no Serro

O currículo da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), com 63,5 mil alunos, conquista mais um ponto de destaque. A instituição fundada há 52 anos pelo primeiro bispo de Belo Horizonte, dom Antônio dos Santos Cabral (1884-1967), foi reconhecida pela Santa Sé como a maior instituição católica de ensino superior do mundo. O anúncio oficial ocorreu durante recente visita, ao Vaticano, do arcebispo metropolitano de BH e grão-chanceler da PUC, dom Walmor Oliveira de Azevedo, e do bispo auxiliar e reitor, professor dom Joaquim Giovani Mol Guimarães. De acordo com a Federação Internacional de Universidades Católicas, há 214 escolas católicas espalhadas pelos cinco continentes, embora extraoficialmente o número possa ser multiplicado por 10.

Satisfeito com o reconhecimento da Congregação para a Educação Católica, ligada à Santa Sé, dom Mol diz que se trata de “uma honra, alegria, mas também de uma responsabilidade muito grande, pois queremos ser maiores também na missão de educar. Ou este título nos salva ou nos condena”. Já considerada a maior universidade do estado e uma das cinco primeiras particulares do país, a PUC reúne cinco câmpus, onde são desenvolvidos mais de 700 projetos de pesquisa, informa o pró-reitor de Pesquisa e de Pós-graduação, professor João Francisco de Abreu, certo de que o reconhecimento implica mais visibilidade internacional.

Por trás dos números superlativos está a trajetória da universidade e sua relação com a fé, ética, conhecimento e extensão. E diante da fachada da universidade, no Bairro Coração Eucarístico, na Região Noroeste de BH, o reitor mostra os caminhos que levaram a esse universo. Antes de tudo, ele lembra que não comanda uma empresa, mas um centro de educação. “A universidade é instrumento de transformação e agente de conhecimento, vindo sua inspiração de uma concepção humanística, cristã, que se traduz por justiça, paz, solidariedade e respeito às pessoas.”

O reitor diz que esta filosofia estava presente 10 anos antes da fundação da universidade, quando, em 1948, dom Cabral criou a Sociedade Mineira de Cultura, uma entidade para ser o esteio do futuro projeto de educação. “O objetivo era oferecer uma escola com diferencial, de qualidade, e não uma empresa de educação. Portanto, queremos que todos aprendam a pensar, a buscar o seu lugar na sociedade contemporânea por inteiro, de maneira holística.” A valorização do corpo docente também segue esta linha. Dos 1.990 professores do quadro permanente, 84% têm mestrado e doutorado. “O professor é uma referência para o jovem, deve ajudá-los a traçar uma linha para a sua vida”, acredita dom Mol.

Diretor do Instituto de Filosofia e Teologia Dom João Resende Costa, padre Antônio Francisco da Silva, conhecido como padre Chiquinho, joga mais luz sobre a escalada da instituição, onde está há 20 anos. “A PUC nasceu no coração da Igreja, movida pelo desejo de fazer a interlocução com a cultura, e vem se pautando em pilares como ética, teologia e filosofia. Isso se traduz pelo diálogo com a modernidade, fé, sem doutrinação, racionalidade e conhecimento.”

Futuro

De olho nos novos tempos, dom Mol vislumbra, para o futuro, a universidade cada vez mais consolidada na área de pesquisa, usando recursos da tecnologia a favor da educação. Nos últimos seis anos, os investimentos na área pularam de meros R$ 500 mil para R$ 30 milhões, em 2010, fruto de parcerias.

Dom Walmor conta que o anúncio foi feito durante a visita ad limina apostolorum, ao Vaticano, dos bispos de Minas e do Espírito Santo integrantes da Regional Leste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Para ele, o reconhecimento significa a renovação ainda mais forte do compromisso fiel com a identidade e a missão sempre presentes nessa história escrita por tantas referências ilustres de professores, funcionários, sacerdotes, bispos e alunos. “Que Deus fecunde o nosso caminho sob a proteção de Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas e da nossa instituição”, disse o grão-chanceler.

A PUC em números

63,5 mil

estudantes, sendo 48 mil nos cursos de graduação

4 mil

funcionários, sendo 1.990 professores do quadro permanente e 2.015 trabalhadores da área técnico-administrativa

Cinco

câmpus, sendo um em Belo Horizonte (Coração Eucarístico), Arcos, na Região Centro-Oeste, Poços de Caldas, no Sul de Minas, Guanhães, na Região Leste, e Serro, no Vale do Jequitinhonha. Há também cinco unidades: Praça da Liberdade, São Gabriel e Barreiro, vinculadas ao câmpus de BH, e núcleos universitários em Betim e Contagem, na região metropolitana. No total, são 158 prédios

101

cursos, incluindo os de graduação presencial, a distância e superior de tecnologia, mais de 200 de pós-graduação lato sensu e 27 cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado)

R$ 30 milhões

foram investidos em pesquisa em 2009

20,2 mil

bolsas de estudos foram concedidas, neste semestre, para alunos de gradução e pós-graduação

619,3 mil

exemplares (entre livros, periódicos, audiolivros etc.) integram o acervo da biblioteca da universidade, que abriga ainda o Museu de Ciências Naturais, Centro de Climatologia, complexo olímpico, Green Solar, TV Universitária e outros

84%

dos professores têm mestrado e doutorado

http://www.uai.com.br/htmls/app/noticia173/2010/09/07/noticia_minas,i=178431/VATICANO+RECONHECE+PUC+MINAS+COMO+A+MAIOR+UNIVERSIDADE+CATOLICA+DO+PLANETA.shtml

———————————————————————-

COMUNICADO DA CNBB

O jornal O Estado de S. Paulo, em sua edição de sexta-feira, 20, na página A7, trouxe uma nota afirmando que o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, “admitiu que os católicos votem em candidatos que são favoráveis ao aborto”. A citação, fora de seu contexto, leva o leitor a interpretações que não correspondem em absoluto à posição do secretário geral em relação a este tema.

Diante disso, o secretário solicitou uma retificação por parte do jornal que foi publicada na edição deste sábado, 21, na página 2, coluna Fórum dos Leitores.
Publicamos abaixo a íntegra do texto
Prezado Senhor Diretor de Redação,

Foi com desagradável surpresa que vi estampada minha fotografia no topo da página A7 da Edição de hoje, sexta-feira, 20 de agosto, com a nota de que eu teria admitido que os católicos votem em candidatos que são favoráveis ao aborto.

Gostaria de expressar, mais uma vez, a posição inegociável da CNBB, que é a mesma do Magistério da Igreja Católica, de defesa intransigente da dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural. O aborto é um crime que clama aos céus, um crime de lesa humanidade. Isso, evidentemente, não significa que o peso da culpa deva recair sobre a gestante. Também ela é, na maioria das vezes, uma grande vítima dessa violência, e precisa de acompanhamento médico, psicológico e espiritual. Aliás, esses cuidados deveriam vir antes de uma decisão tão dramática.

Os católicos jamais poderão concordar com quaisquer programas de governo, acordos internacionais, leis ou decisões judiciais que venham a sacrificar a vida de um inocente, ainda que em nome de um suposto estado de direito. Aqui, vale plenamente o direito à objeção de consciência e, até, se for o caso, de desobediência civil.
O contexto que deu origem à manchete em questão é uma reflexão que eu fazia em torno da diferença entre eleições majoritárias e proporcionais. No caso da eleição de vereadores e deputados  (eleições proporcionais), o eleitor tem uma gama muito ampla para escolher. São centenas de candidatos, e seria impensável votar em alguém que defenda a matança de inocentes, ainda mais com dinheiro público. No caso de eleições majoritárias (prefeitos, senadores, governadores, presidente), a escolha recai sobre alguns poucos candidatos. Às vezes, sobretudo quando há segundo turno, a escolha se dá entre apenas dois candidatos. O que fazer se os dois são favoráveis ao aborto? Uma solução é anular o próprio voto. Quais as conseqüências disso? O voto nulo não beneficiaria justamente aquele que não se quer eleger? É uma escolha grave, que precisa ser bem estudada, e decidida com base numa visão mais ampla do programa proposto pelo candidato ou por seu Partido, considerando que a vida humana não se resume a seu estágio embrionário. Na luta em defesa da vida, o problema nunca é pontual. As agressões chegam de vários setores do executivo, do legislativo, do judiciário e, até, de acordos internacionais. E chegam em vários níveis: fome, violência, drogas, miséria… São as limitações da democracia representativa. Meu candidato sempre me representa? Definitivamente, não! Às vezes, o candidato é bom, mas seu Partido tem um programa que limita sua ação. Por isso, o exercício da cidadania não pode se restringir ao momento do voto. É preciso acompanhar, passo a passo, os candidatos que forem eleitos. A iniciativa da Ficha Limpa mostrou claramente que, mesmo num Congresso com tantas vozes contrárias, a força da união do povo muda o rumo das votações.
Que o Senhor da Vida inspire nossos eleitores, para que, da decisão das urnas nas próximas eleições, nasçam governos dignos do cargo que deverão assumir. E que o cerne de toda política pública seja a pessoa humana, sagrada, intocável, desde o momento em que passa a existir, no ventre de sua própria mãe.

Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário Geral da CNBB

FONTE: CNBB 21/08/2010

 
———————————————————————————————————-

CNBB divulga notas sobre Código Florestal e Ficha Limpa

20/8/2010CNBB divulga notas sobre Código Florestal e Ficha LimpaO Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB (Consep) divulgou duas notas ao final de sua reunião, nesta quinta-feira, 17. Uma das notas manifesta a posição da Conferência dos Bispos acerca das reformas do Código Florestal, aprovadas em julho pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Na segunda nota, os bispos pedem a plena aplicação da lei 135/2010, conhecida como Ficha Limpa.“As alterações propostas [no novo Código Florestal], se aprovadas em definitivo, estarão em descordo com o compromisso de redução de gás carbônico, assumido pelo governo brasileiro em Copenhague, em dezembro de 2009, e transformado na lei nº 12. 187/ 09 (Política Nacional de Mudanças Climáticas)”, afirma a nota da CNBB.Em relação à lei Ficha Limpa, os bispos dizem que esperam empenho do Poder Judiciário na sua aplicação para as eleições deste ano.“Esperamos das instâncias do Poder Judiciário que têm a missão institucional de arbitrar as controvérsias em torno da aplicação da lei, marcadamente do Tribunal Superior Eleitoral e Supremo Tribunal Federal, o mesmo empenho efetivo que houve no Congresso Nacional na aprovação da iniciativa popular”, diz a nota.As duas notas serão apresentadas aos jornalistas numa coletiva de imprensa, hoje, às 14:30h, na sala de imprensa da CNBB. Participarão da coletiva o presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, e o secretário Geral, dom Dimas Lara Barbosa.Por uma plena aplicação da Lei da “Ficha Limpa”O Conselho Episcopal de Pastoral (CONSEP) da CNBB, reunido em Brasília, entre os dias 17 e 19 de agosto, avaliou o andamento do processo eleitoral no País. E vem a público reconhecer a vitória da sociedade, legitimada pelo Legislativo e sancionada pelo Executivo, com relação à chamada “Lei da Ficha Limpa”, fruto de iniciativa popular que reuniu 1 milhão e 600 mil assinaturas, com a participação decisiva da Igreja Católica e das entidades do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral.A conquista da Lei da Ficha Limpa mobilizou o povo brasileiro na esperança de ver banidas as práticas da corrupção no cenário político do País. Nesta perspectiva, a sociedade almeja a sua plena aplicação nas eleições de 2010.É histórico o fato de que 25% dos pedidos de impugnação tenham sido acatados pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Até o momento, foram 169 negações de registros de candidaturas que alcançaram candidatos aos cargos de Governador, Senador, Deputado Federal, Estadual e Distrital.Lamentamos que quatro dos vinte e sete TREs não tenham aplicado plenamente a Lei da Ficha Limpa, mas estamos seguros de que seus eventuais equívocos serão reparados pela posição segura do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesse passo, reconhecemos a atuação do TSE por haver confirmado a aplicabilidade imediata da Lei Complementar nº 135/2010 (Ficha Limpa).A Lei da Ficha Limpa nada mais fez que atender a uma necessidade de se fixar critérios objetivos para análise dos pedidos de registro de candidaturas. O parágrafo 9º do artigo 14 da Constituição Federal já estabelecia desde 1994, que fosse “considerada a vida pregressa do candidato”, para admissão do registro da candidatura.Assim, esperamos das instâncias do Poder Judiciário que têm a missão institucional de arbitrar as controvérsias em torno da aplicação da lei, marcadamente do Tribunal Superior Eleitoral e Supremo Tribunal Federal, o mesmo empenho efetivo que houve no Congresso Nacional na aprovação da iniciativa popular.Com as demais entidades que compõem o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, a CNBB convida a todas as pessoas de boa vontade a se unirem em vigília cidadã para que tenhamos eleições limpas e éticas, a fim de consolidar a democracia brasileira.Brasília (DF), 19 de agosto de 2010Dom Geraldo Lyrio Rocha – Arcebispo de Mariana – Presidente da CNBBDom José Alberto Moura, CSS – Arcebispo de Montes Claros – MG – Vice-Presidente da CNBB – Ad hocDom Dimas Lara Barbosa – Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro – Secretário-Geral da CNBBNota da CNBB em defesa do atual Código FlorestalA CNBB tem contribuído com a sociedade brasileira para a formação de uma consciência ecológica e defesa do meio ambiente, especialmente por meio das Campanhas da Fraternidade. Em 1979, com o tema, Fraternidade e Meio Ambiente; em 2002, Fraternidade e Povos Indígenas; em 2004, Fraternidade e Água; e, em 2007, Fraternidade e Amazônia.Neste momento, o Conselho Episcopal Pastoral da CNBB, reunido em Brasília/DF, torna públicas suas preocupações diante da proposta de alteração do Código Florestal Brasileiro (Lei nº 4.771 de 15 de setembro de 1965), apresentada à apreciação da Comissão Especial da Câmara dos Deputados, no dia 09 de junho de 2010.A referida proposta anistia a todos os produtores rurais que cometeram crime ambiental até o dia 22 de julho de 2008; desobriga a manutenção de reserva legal para propriedades de até quatro módulos fiscais, que representam em torno de 90% dos imóveis rurais do Brasil; transfere a legislação ambiental para a esfera estadual e municipal. Desta forma, a legislação federal, flexibilizada, deixará de exercer o controle sobre os rios e os biomas (amazônico, cerrado, mata atlântica, caatinga, pantanal, pampa), permitindo a redução da preservação das matas ciliares e das faixas fluviais; e ameaçando as áreas de proteção permanente, como encostas acentuadas e topos dos morros.Segundo parecer de renomados especialistas, o atual Código Florestal Brasileiro está baseado no princípio da função social da propriedade, no uso sustentável do solo e na preservação do meio ambiente, em consonância com a Constituição Federal.As alterações propostas, se aprovadas em definitivo, estarão em descordo com o compromisso de redução de gás carbônico, assumido pelo governo brasileiro em Copenhague, em dezembro de 2009, e transformado na lei nº 12. 187/ 09 (Política Nacional de Mudanças Climáticas).Coerentes com a tradição da CNBB em defesa do meio ambiente e promoção da vida, reafirmamos nosso posicionamento contrário à aprovação das alterações mencionadas e propomos um amplo debate com a sociedade civil e com especialistas. Incentivamos o engajamento de todos os cidadãos, no campo e na cidade, no processo de preservação do meio ambiente, conscientes da importância e urgência de preservar a natureza, mudando hábitos, por meio da educação ambiental, e realizando gestos concretos, como o plantio de árvores, utilização de material reciclável e eliminação de queimadas e desmatamento.Convocamos a todos a se empenharem, desde já, na promoção da Campanha da Fraternidade de 2011, cujo tema é: Fraternidade e a vida no Planeta e o Lema: A natureza geme em dores de parto.Sob a proteção de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil,Brasília – DF, 19 de agosto de 2010Dom Geraldo Lyrio Rocha – Arcebispo de Mariana – Presidente da CNBBDom José Alberto Moura, CSS – Arcebispo de Montes Claros – MG – Vice-Presidente da CNBB – Ad hocDom Dimas Lara Barbosa – Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro – Secretário Geral da CNBBFonte: CNBB

—————————————————————————————–

Virgem Maria que sobreviveu ao inferno atômico do Japão vira símbolo da paz

NAGASAKI, Japão (AFP) – Quando a bomba atômica americana “Fat Boy” destruiu Nagasaki há 65 anos, um dos prédios reduzidos a cinzas foi a Catedral Urakami, uma das maiores da Ásia.
A rajada de vento infernal da deflagração que devastou a cidade no dia 9 de agosto de 1945, fazendo mais de 70 mil mortos, pulverizou os vitrais e as paredes do edifício, queimou o altar e derreteu o sino.

Mas a cabeça da estátua de madeira da Virgem Maria sobreviveu ao fogo, permanecendo escondida entre os escombros da igreja românica. O evento foi qualificado pelos católicos japoneses de milagre.

O ícone conservou estigmas da guerra: os olhos ficaram queimados, deixando em seu lugar as duas órbitas negras, a face direita ficou enegrecida e uma rachadura ao longo do rosto lembra uma lágrima.

“Quando eu a vi pela primeira vez, pensei que a Virgem estivesse chorando”, contou Shigemi Fukahori, um paroquiano de 79 anos que conheceu a estátua antes da explosão.

“Era como se ela quisesse nos lembrar dos horrores da guerra, sacrificando-se”, acrescentou, lançando um olhar emocionado para a estátua. “É um símbolo importante da paz que deve ser preservado para sempre”.

A estátua mutilada fica exposta na nova igreja construída no mesmo local, a apenas 500 metros do ponto central onde a bomba de plutônio explodiu.

Mas a relíquia já fez inúmeras viagens ao redor do mundo como símbolo da paz. No último mês de maio, ela foi a Nova York, onde acontecia a conferência da ONU sobre o desarmamento nuclear, e foi exposta em missa na Catedral Saint Patrick da cidade.

Ao longo do caminho, os líderes religiosos de Nagasaki apresentaram a estátua no Vaticano, onde ela foi abençoada pelo Papa Bento XVI, e também durante uma cerimônia em Guernica, em memória às vítimas dos ataques aéreos nazistas durante a Guerra Civil Espanhola.

“Viajamos por toda a parte com a estátua, com esperança de que a Virgem Maria possa levar a paz”, declarou à AFP monsenhor Joseph Mitsuaki Takami, arcebispo de Nagasaki.

“Há várias formas de pedir paz, através de fotos, de filmes ou contando sobre o horror da guerra, mas a Virgem ‘nuclear’ parece ter um poder diferente”.

No momento do bombardeio, Nagasaki abrigava a maior comunidade cristã do Japão. Cerca de 8.500 deles foram mortos na explosão ou depois pela radiação e queimaduras.

Muitos dos sobreviventes tentam ver a tragédia como uma prova enviada por Deus, mas o sofrimento está profundamente enraizado em suas memórias.

“Estava triste demais para chorar, já que isto tudo era simplesmente desumano”, explicou Fukahori, que estava dentro de uma usina no momento que a nuvem atômica encobriu a cidade.

“Muitos sobreviventes ainda sofrem com os efeitos secundários da radiação”, continuou. “Eu espero que Nagasaki seja o último lugar a ser atingido por uma bomba atômica”.

Inúmeros americanos ainda estão convencidos de que os dois ataques nucleares contra Hiroshima e Nagasaki foram necessários para colocar um fim à guerra e evitar mais derramamento de sangue, mas Monsenhor Takami não concorda com este ponto de vista.

“O Japão matou milhões de pessoas na Ásia, mas isso não significa que a utilização de bombas atômicas fosse justificada”, disse. “A simples posse de armas nucleares já é um pecado”.

————————————————————————–

Papa envia 250 mil dólares para reconstrução de escola no Haiti

Oferta será entregue por ocasião do encontro da Fundação «Populorum Progressio»

Bento XVI vai oferecer 250 mil dólares para a reconstrução de uma escola na capital haitiana, Port-au-Prince, destruída pelo terramoto que atingiu o país em Janeiro deste ano e provocou mais de 220 mil mortos.

O donativo será entregue pelo Cardeal Paul Josef Cordes, presidente do Conselho Pontifício “Cor Unum”, que se desloca ao Haiti e à República Dominicana para uma reunião da Fundação “Populorum Progressio”.

Segundo comunicado divulgado pelo Vaticano, o Cardeal alemão irá ainda entregar um donativo à Cáritas haitiana “em nome do Santo Padre”.

A delegação vai também visitar os acampamentos geridos pela Igreja Católica que ainda acolhem as vítimas do terramoto e num deles será celebrada Missa.

O conselho de administração da Fundação reúne-se em Santo Domingo, para avaliar o financiamento de 230 projectos de desenvolvimento, 20 dos quais a favor do Haiti.

É a primeira vez que esta reunião acontece num país das Caraíbas.

A maior parte das propostas, dirigidas a comunidades indígenas, mestiças e afro-americanas, abrangem os sectores da agricultura, saúde, formação profissional ou educação.

A Fundação “Populorum Progressio”, do Vaticano, foi criada em 1992 por João Paulo II.

Segundo comunicado da Santa Sé, os projectos apresentados chegam do Brasil (57), Colômbia (41), Peru (21), Haiti (20), Equador (19), El Salvador (13), Bolívia (8), Chile (7), Argentina (6), República Dominicana (6), Costa Rica (4), México (4), Paraguai (4), Uruguai (3), Venezuela (3), Cuba (2), Panamá (2), Nicarágua (1) e Antilhas (1).

Cada projeto apresentado é sempre acompanhado de uma carta do Bispo local que garante que a necessidade é real, que a realização terá lugar no tempo assinalado e que a iniciativa conta com a sua aprovação e com os serviços diocesanos.

Ao financiar pequenos projectos de desenvolvimento na América Latina, a Fundação procura ajudar o maior número de comunidades possível. Desde 1992, a fundação aprovou e financiou cerca de 3 mil projectos, aos quais foram destinados mais de 26 milhões de dólares.

Internacional | Agência Ecclesia-Portugal | 2010-07-16 | 17:54:46 | 2606 Caracteres | Bento XVI

—————————————————————————————-

Arqueólogos acham pinturas mais antigas dos apóstolos de Jesus, em Roma

Qua, 23 de Junho de 2010 12:48 Radio Italiana

Arqueólogos e restauradores de arte usando nova tecnologia a laser descobriram o que acreditam ser as pinturas mais antigas dos rostos dos apóstolos de Jesus Cristo.

As imagens encontradas em um ramal das catacumbas de Santa Tecla, perto da Basílica de São Pedro, do lado de fora das muralhas da Roma antiga, foram pintadas no fim do século 4 ou início do século 5.

Arqueólogos acreditam que essas imagens podem estar entre as que mais influenciaram os retratos feitos por artistas posteriores dos mais importantes entre os primeiros seguidores de Cristo.

“São as primeiras imagens que conhecemos dos rostos desses quatro apóstolos”, disse o professor Fabrizio Bisconti, diretor de arqueologia das catacumbas de Roma, que pertencem ao Vaticano e são administradas por ele.

Os afrescos eram conhecidos, mas seus detalhes vieram à tona durante um projeto de restauração iniciado dois anos atrás e cujos resultados foram anunciados nesta terça-feira em coletiva de imprensa.

Os ícones de rosto inteiro incluem as faces de São Pedro, Santo André e São João, que fizeram parte dos 12 apóstolos originais de Jesus, e São Paulo, que se tornou apóstolo após a morte de Cristo.

As pinturas possuem as mesmas características de imagens posteriores, como a testa enrugada e alongada, a cabeça calva e a barbicha pontuda de São Paulo, o que indica que podem ter sido as imagens nas quais os retratos posteriores se basearam.

Os quatro círculos, com cerca de 50 centímetros de diâmetro, estão no teto do local do sepultamento subterrâneo de uma mulher nobre que se acredita que tenha se convertido ao cristianismo no fim do mesmo século em que o imperador Constantino legalizou a religião.

Bisconti explicou que as pinturas mais antigas dos apóstolos os mostram em grupo, com rostos menores cujos detalhes são difíceis de distinguir.

“Trata-se de uma descoberta muito importante na história das comunidades cristãs primitivas de Roma”, disse Bisconti.

Os afrescos dentro do túmulo, medindo cerca de 2 metros por 2 metros, estavam recobertos de uma pátina espessa de carbonato de cálcio pulverizado, provocada pela umidade extrema e a ausência de circulação de ar.

“Fizemos análises extensas e demoradas antes de decidir qual técnica empregar”, disse Barbara Mazzei, que chefiou o projeto. Ela explicou como usou um laser como “bisturi ótico” para fazer o carbonato de cálcio cair sem prejudicar a tinta.

“O laser criou uma espécie de miniexplosão de vapor quando interagiu com o carbonato de cálcio, levando este a se destacar da superfície.”

O resultado foi a clareza espantosa das imagens, antes opacas e sem nitidez.

As rugas na testa de São Paulo, por exemplo, estão nítidas, e a brancura da barba de São Pedro ressurgiu.

“Foi uma descoberta de forte impacto emocional”, disse Mazzei.Outras cenas da Bíblia, como a de Jesus convocando Lázaro a levantar-se dos mortos ou Abraão preparando-se para sacrificar seu filho, Isaac, também ficaram muito mais claras e nítidas.

“No que diz respeito a pinturas no interior de catacumbas, estamos acostumados a ver pinturas muito pálidas, geralmente brancas, com poucas cores. No caso das catacumbas de Santa Tecla, a grande surpresa foram as cores extraordinárias. Quanto mais avançamos, mais surpresas encontramos”, disse Mazzei.

Situado num labirinto de catacumbas sob um prédio moderno, o túmulo ainda não está aberto ao público devido às obras que continuam, à dificuldade de acesso e ao espaço limitado. Bisconti disse que as novas descobertas serão abertas apenas à visitação de especialistas, por enquanto (por Philip Pullella).

Fonte – http://www.radioitaliana.com.br/content/view/4351/37/

—————————————————————————-

19/06/2010 18.17.57

VATICANO ANUNCIARÁ NOVAS DESCOBERTAS ARQUEOLÓGICAS

Cidade do Vaticano, 19 jun (RV) – Na próxima terça-feira, dia 22, realizar-se-á uma entrevista coletiva, no curso da qual serão apresentadas as novas descobertas arqueológicas no interior das catacumbas romanas de Santa Tecla.

O evento terá lugar às 11h30 (hora local) nas dependências da Basílica de São Paulo “Fora dos Muros”, e terá a participação do presidente da Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra, Dom Gianfranco Ravasi, e do secretário do mesmo organismo vaticano, Mons. Giovanni Carrú, além do Superintendente Arqueológico das Catacumbas de Santa Tecla, prof. Fabrizio Bisconti, e da especialista em restauração, Drª. Barbara Mazzei.

As catacumbas de Santa Tecla têm sido um local propício para descobertas; recordamos que foi ali que se encontrou o ícone mais antigo de São Paulo.

A Pontifícia Comissão de Arqueologia Sacra tem estendido sua ação – além de Roma – a regiões como Nápoles, Sicília e Siracusa.

Após a apresentação, na terça-feira, das novas descobertas, será possível visitar as mesmas. (AF)

FONTE : Rádio Vaticano

——————————————

Padres ao lado dos mais pobres

Apelos no arranque do encontro internacional que decorre no Vaticano

O Cardeal Cláudio Hummes, prefeito da Congregação para o Clero, pediu que os padres partam “em missão, por toda parte”, em especial junto dos mais pobres.

Na homilia da Missa a que presidiu esta Quarta-feira, em São Paulo fora de muros, o membro da Cúria Romana colocou como desafios a enfrentar a descristianização dos países de antiga evangelização, além do primeiro anúncio de Jesus Cristo.

“Os destinatários da missão são todos, mas de maneira particular os pobres”, prosseguiu, recordando que hoje são ainda centenas de milhões de seres humanos obrigados a viver na pobreza e até mesmo na miséria e na fome.

“São marginalizados e excluídos da mesa dos bens materiais, sociais, culturais e muitas vezes também da mesa dos bens espirituais. São eles os primeiros que têm o direito de receber a boa notícia de que Deus é um Pai que os ama sem reservas e que Ele não aprova as condições desumanas em que os pobres são mantidos”, apontou o Cardeal brasileiro.

A evangelização e a verdadeira promoção humana não podem estar separadas, recordou ainda o prefeito da Congregação para o Clero.

O encontro internacional dos sacerdotes promovido por ocasião do encerramento do ano sacerdotal foi inaugurado pelo Cardeal Joachim Meisner, Arcebispo de Colónia, o qual afirmou que a perda do sacramento da reconciliação é a raiz de muitos males na vida da Igreja e na vida dos sacerdotes.

“Uma das perdas mais trágicas que a nossa Igreja sofreu, na segunda metade do século XX, é a perda do Espírito Santo no sacramento da reconciliação”, disse o cardeal alemão.

Perante milhares de sacerdotes de todo o mundo, D. Joachim Meisner referiu que “quando o padre já não é confessor, torna-se num agente social religioso”.

“Quando o padre se afasta do confessionário, entra numa grave crise de identidade”, acrescentou.

© 2009 Agência Ecclesia. Todos os direitos reservados

————————-

Dois jovens brasileiros na escola de astro-física do Vaticano

Cidade do Vaticano, 27 mai (RV) – A Escola de Verão do Observatório Vaticano, que se inicia no domingo, dia 31, e se estende até o dia 25 de junho, contará com a participação de dois jovens brasileiros. A iniciativa bienal busca oferecer a um grupo de estudantes com excelente desempenho acadêmico uma ocasião privilegiada para o aprofundamento de seus estudos astronômicos.

Os dois jovens brasileiros escolhidos para a Escola de Verão do Observatório Vaticano são o cearense Rafael Eufrásio, pesquisador da Universidade Católica da América e da NASA e a carioca Flávia Jasmim, do Departamento de Pós-Graduação do Observatório Nacional, no Rio de Janeiro.

As atividades da Escola de Verão têm lugar na sede do Observatório Vaticano, no interior dos jardins da residência pontifícia de Castelgandolfo, próximo a Roma. Participarão, no total, 27 estudantes, provenientes de 24 países, que aprofundarão este ano o tema “A Química do Universo”.

O dia-a-dia da Escola, além da parte de estudos, entre aulas teóricas e exercícios práticos, prevê também momentos de socialização entre professores e estudantes em início de carreira, favorecendo o diálogo e abertura entre ciência e fé.

O Observatório Astronômico Vaticano é um instituto de pesquisa científica que depende diretamente da Santa Sé, sendo um dos mais antigos do mundo, em matéria.

A origem da instituição remonta a segunda metade do século XVI, quando o Papa Gregório XIII, pediu que fosse construída, no Vaticano, a Torre dos Ventos e encarregou a jesuítas astrônomos que preparassem a reforma do calendário, promulgada em 1582. Diante da larga tradição e interesse eclesial nesse campo astronômico, o Papa Leão XIII, em 1891, fundou o Observatório dentro da Colina Vaticana, à época, logo atrás da Basílica de São Pedro. (RD)

FONTE: Rádio Vaticano

————————————————————–

26/05/2010 12.31.48

INVESTIGAÇÃO SOBRE CÉLULAS TRONCO

Cidade do Vaticano, 26 mai (RV) – O Pontifício Conselho para a Cultura e a sociedade bio-farmacêutica NeoStem Inc. anunciaram ontem uma iniciativa conjunta para ampliar a investigação e sensibilizar a opinião pública sobre as terapias com células estaminais adultas, que são moralmente corretas pois não geram a destruição de embriões humanos como no caso das células estaminais (células tronco) embrionárias.

Segundo comunicado publicado ontem, a Stem for Life Foundation, da NeoStem Inc., foi criada para sensibilizar sobre a possibilidade do uso de células estaminais adultas no tratamento de enfermidades, enquanto que a STOQ International (Science, Theology and the Ontological Quest), ligada ao Pontifício Conselho para a Cultura, trabalhará para fomentar a investigação desse tipo de células, explorar sua aplicação clínica no âmbito da medicina regenerativa e analisar a importância cultural dessa investigação, sobretudo de suas repercussões em matérias teológicas e éticas.

A colaboração do laboratório NeoStem Inc. e do Pontifício Conselho para a Cultura, assinala o texto, “se centralizará no desenvolvimento de programas educativos, publicações e cursos acadêmicos com um enfoque interdisciplinar nas faculdades de teologia e filosofia, além daquelas dedicadas à bioética, em todo mundo”.

Uma das iniciativas será uma conferência internacional no Vaticano sobre a investigação de células estaminais adultas, centrada na apresentação de investigações médicas e nas implicações teológicas e filosóficas dos progressos científicos. (SP)

FONTE: Rádio Vaticana

————————————————

http://www.bbc.co.uk/portuguese/cultura/2010/04/100412_beatlesvaticanog.shtml

Vaticano elogia os Beatles 40 anos após fim da banda

Atualizado em 12 de abril, 2010 – 12:13 (Brasília) 15:13 GMT

O Vaticano elogiou os Beatles por ocasião dos 40 anos da dissolução da banda britânica, lembrados neste ano.

Em um artigo intitulado Sete Anos que Abalaram a Música, o jornal do Vaticano L’Osservatore Romano chamou o grupo de “joia preciosa”.

O texto lembra que, segundo alguns comentaristas, os Beatles divulgavam mensagens misteriosas, tidas por alguns até como “satânicas”.

“É verdade que eles tomaram drogas, viveram uma vida de excessos por causa do seu sucesso, e até disseram que eram mais famosos do que Jesus”.

“No entanto, ao ouvir suas canções, tudo isso parece distante e insignificante”.

“Eles podem não ser o melhor exemplo da juventude da época, mas não eram, de maneira nenhuma, o pior. Suas belas melodias mudaram a música e continuam a dar prazer”, diz o artigo.

Referindo-se à dissolução da banda em abril de 1970, o texto diz que “mais do que expressar tristeza pela separação deles, talvez a questão (a se refletir) deveria ser como a música pop teria sido sem os Beatles.”

Surpresa

Os elogios ao grupo britânico podem surpreender muitos católicos, já que a banda chegou a criticar religiões organizadas.

John Lennon causou grande polêmica em 1966 quando disse em uma entrevista à imprensa britânica que os Beatles eram mais populares do que Jesus.

“O cristianismo vai acabar (…) Eu não preciso argumentar, eu estou certo e isso será comprovado. Nós somos mais populares do que Jesus hoje em dia. Eu não sei o que vai acabar primeiro – o rock n’ roll ou o cristianismo.”

Há dois anos a Igreja Católica perdoou Lennon por este comentário. “A declaração de John Lennon, que provocou tanta indignação nos Estados Unidos, depois de todos estes anos soa como uma bravata de um jovem proletário inglês às voltas com um sucesso inesperado”, disse artigo publicado no L’Osservatore Romano em 2008.

————————————————————————————————-

SEGUNDO SANTO BRASILEIRO PODE SER DE BARRA DO PIRAÍ

O Vaticano abriu a possibilidade para que o Brasil tenha o seu segundo santo e ele deve ser novamente do Vale do Paraíba, o pelo menos, tem ligação com a região. Foi autorizada a abertura de processo de canonização de Franz de Castro Holzwarth, advogado morto a tiros na Cadeia Pública de Jacareí há 27 anos.

Holzwarth tinha apenas 38 anos e era vice-presidente da Apac (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados). Era um profissional que atuava nos municípios de Jacareí e São José dos Campos e, na época, sua morte chocou toda a região e repercutiu em todo o Brasil, porque defendia as pessoas humildes e dedicava-se aos oprimidos, principalmente no trabalho em defesa dos encarcerados.

O provável segundo santo brasileiro nasceu no dia 18 de maio de 1943 em Barra do Piraí, no Rio de Janeiro.Com apenas 20 anos de idade, Franz de Castro veio para Jacareí em 1962, onde estudou na Faculdade de Direito da antiga Fundação Valeparaibana de Ensino( atual UNIVAP), em São José dos Campos. Formou-se em 1968.

Sua morte bárbara aconteceu durante um motim na cadeia de Jacareí no dia 14 de fevereiro de 1981. Franz de Castro Holzwarth foi chamado para ser o mediador da rebelião e se ofereceu para ficar como refém, no lugar de um policial militar.

Logo após a libertação do policial, o carro que levava o advogado foi metralhado. Franz foi atingido com cerca de 30 tiros.

Assim, após Frei Galvão, o Brasil poderá ganhar mais um santo. Apesar de ser nascido no Estado do Rio, Franz Holzwart tem sua história ligada diretamente ao Vale do Paraíba.

Seu nome, em homenagem ao compromisso e militância na Advocacia, foi emprestado ao prêmio da OAB – SP. Também em Volta Redonda, foi homenageado com seu nome em uma unidade prisional no bairro Roma I: Casa de Custódia Franz de Castro Holzwarth.

http://www.agoravale.com.br/agoravale/noticias.asp?id=6892&cod=1

——————————————————————————————————–

Bento XVI envia mensagem de solidariedade à população do RJ

Nesta quinta-feira, 8, o papa Bento XVI enviou uma nota ao povo do Rio de Janeiro, que vem sofrendo desde a terça-feira, 6, com as fortes chuvas e deslizamentos que até o momento já matou mais de 180 pessoas e deixou mais de 160 feridos. No texto, o pontífice expressa seu afeto e oração a toda a comunidade fluminense, de modo especial, às famílias vitimadas e àqueles que, nestes dias, têm trabalhado no socorro.

Através do Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, a mensagem de Bento XVI chegou à arquidiocese do Rio de Janeiro, ontem, sinalizando a solicitude do papa.

Confira o texto, na íntegra

Exmo. Revmo. Dom Orani João Tempesta

Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro

Informado sobre as trágicas consequências das inundações que semearam luto e devastação em tantas famílias do Estado do Rio de Janeiro, o Sumo Pontífice deseja assegurar a toda comunidade local a sua solicitude, recomendando as vítimas à misericórdia de Deus e suplicando conforto e apoio para suas famílias, para os feridos e quantos perderam seus bens. Para todos os provados por este drama, sem esquecer-se das pessoas que participam na obra de socorro e assistência, Sua Santidade Bento XVI invoca reconfortantes graças divinas em penhor das quais lhes concede paterna benção apostólica.

Cardeal Tarcisio Bertone

Secretário de Estado de Sua Santidade

Copyright © 2010 CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

———————————————————————-

DOCUMENTOS DA SEGUNDA GUERRA PUBLICADOS NO SITE DO VATICANO

Cidade do Vaticano, 26 mar (RV) – A Sala de Imprensa da Santa Sé informou ontem em um comunicado a publicação no Web Site do Vaticano dos Atos Oficiais da Santa Sé e as coleções dos documentos do período da Segunda Guerra Mundial. O comunicado assinala que “importantes textos até a data disponíveis só em papel nas bibliotecas poderão ser consultadas agora online no Site Oficial da Santa Sé, http://www.vatican.va na Seção ‘Textos Fundamentais’”.

Destaca-se ainda que “se trata da coleção completa das “Ata Sanctae Sedis (ASES) e das Ata Apostolicae Sedis (AAS)”, ou seja, as Atas oficiais da Santa Sé desde 1865 até 2007, em formato pdf e da coleção dos 12 volumes das “Actes et Documents du Saint-Siège relatifs à la Seconde Guerre Mondiale” (Atas e Documentos da Santa Sé relativos à Segunda Guerra Mundial), publicados por desejo do Papa Paulo VI a partir de 1965. Foi encarregada do trabalho uma equipe especializada de quatro historiadores jesuítas.

“É um conjunto de documentos de incalculável valor colocado agora à disposição dos peritos e de todas as pessoas interessadas. Uma grande contribuição para a investigação e a informação sobre a Santa Sé, sua história e sua atividade”, conclui a nota. (SP)

Os Documentos (em português) podem vistos através dou seguinte link:

http://www.vatican.va/archive/atti-ufficiali-Santa-Sé/index_po.htm

—————–          ————-           ————-

Dom Cláudio Hummes é nomeado pelo Papa seu representante no XVI Congresso Eucarístico brasileiro

Publicado 2010/03/16

Autor: Gaudium Press

Secção: Brasil

Cidade do Vaticano (Terça-feira, 16-03-2010, Gaudium Press) O Papa Bento XVI nomeou neste sábado o prefeito da Congregação para o Clero, o cardeal brasileiro Dom Cláudio Hummes, seu enviado especial para o XVI Congresso Eucarístico Brasileiro.

A nomeação do Cardeal Hummes como representante do Santo Padre foi divulgada nesta sábado pela Sala de Imprensa da Santa Sé. O Congresso acontecerá em Brasília dos dias 13 a 16 de maio de 2010.

Congresso

O Congresso Eucarístico Nacional é realizado a cada quatro anos. O mais recente aconteceu em 2006 na cidade de Florianópolis e teve como tema “Ele está no meio de nós! e lema: Vinde e vede!” (Jo 1,39). O evento deste ano tem como fonte de inspiração o V Documento de Aparecida, emitido em 2007 pelo Conselho Episcopal Latinoamericano (Celam) após encontro com o Papa na cidade de Aparecida do Norte.

A organização “bebeu na fonte” do documento e abordará a evangelização e a formação pastoral. Aproveitando o ensejo da Eucaristia, empregará o seguinte tema: “Eucaristia, pão da unidade dos discípulos missionários”. Já o lema do congresso será “Fica conosco, Senhor!” (cf. Lc 24,29).

O evento ocorrerá ainda em meio às comemorações dos 50 anos de Brasília e de sua arquidiocese. Principal evento da comemoração desse meio século da arquidiocese, o Congresso Eucarístico Nacional de 2010 terá entre suas atividades uma retrospectiva histórica dos acontecimentos fundamentais da arquidiocese desde sua fundação, como a primeira missa celebrada no marco inicial da construção da cidade, em 1957, e outros Congressos Eucarísticos.

Estão programadas, ainda, atividades de reflexão e estudo sobre temas atuais e relevantes para a vivência de sacramento da Eucaristia. O Congresso contará com dois simpósios; um teológico, específico para o clero, mas que estará aberto ao público em geral, e outro cujo tema será a bioética, voltado para os leigos.

Toda a Igreja é convocada para essa celebração, que deverá contar com a presença de cardeais, bispos, sacerdotes, religiosos, diáconos permanentes, membros de institutos de vida consagrada, leigos e representantes de todas as dioceses do País.

—————————————————–

O corpo de Santo António será exposto ao público entre 15 e 20 de Fevereiro, por ocasião do retorno da sua urna ao espaço original, a Capela da Arca, que foi restaurada entre 2008 e 2009.

Durante aqueles dias espera-se que a cidade italiana de Pádua receba cem mil peregrinos provenientes de todo o mundo. A Basílica de Santo António estará aberta entre as 6h20 e as 19h00 (no último dia até às 19h45), hora local.

As imagens de uma câmara de vídeo direccionada para as relíquias serão permanentemente transmitidas pela Internet, através do site www.santantonio.org/ostensionedelsanto2010.

A exposição – ostensão – é um acontecimento epocal. A última vez que o corpo de Santo António foi apresentado aos fiéis ocorreu em 1981, por ocasião do 750.º aniversário da morte do frade franciscano. A iniciativa, que durou 29 dias, acolheu 650 mil peregrinos.

A urna foi transferida para permitir o restauro da Capela da Arca, embora não tenha sido aberta. “Desde então – afirmou o Pe. Enzo Poiana, reitor da Basílica de Santo António – multiplicaram-se os pedidos dos fiéis para poderem ver os restos mortais”.

Santo António nasceu em Lisboa no final do século XII. Foi recebido entre os Cónegos Regulares de Santo Agostinho. Pouco tempo depois da sua ordenação sacerdotal ingressou na Ordem dos Frades Menores, com a intenção de se dedicar à propagação da fé cristã entre os povos da África. Exerceu com grande fruto o ministério da pregação em França e na Itália, tendo convertido muitos hereges. Foi o primeiro professor de Teologia na Ordem dos Frades Menores. Morreu em Pádua no ano de 1231

© 2009 Agência Ecclesia. Todos os direitos reservados

—————————————————————–

http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u683730.shtml

23/01/2010 – 12h21

Papa defende que padres evangelizem com internet e multimídia

da France Presse, na Cidade do Vaticano

O papa Bento 16 incentivou os padres a explorarem “com sabedoria” todas as possibilidades da internet, em mensagem neste sábado (23).

Trata-se para os padres de “anunciar o Evangelho utilizando, junto com os meios tradicionais, a nova geração de meios audiovisuais (fotos, vídeos, animações, blogs, sites), ferramentas indispensáveis para a evangelização e a catequese”, explicou o Papa.

Os padres “devem explorar com sabedoria as peculiares oportunidades proporcionadas pela comunicação moderna”, estimou o Papa. “Que o Senhor lhes transforme em heróis apaixonados do Evangelho também no novo ‘agora’ criado pelos meios de comunicação atuais”, declarou.

Na mensagem, intitulada “O padre e a pastoral no mundo digital: os novos meios de comunicação ao serviço da Palavra”, Bento 16 elogiou “os novos meios de comunicação”, que “proporcionam perspectivas sempre novas e pastoralmente imensas”.

A “considerável influência” destes meios “torna seu uso no ministério sacerdotal sempre mais importante e útil”, acrescentou.

Para Bento 16, a palavra de Deus tem que “trilhar seu caminho nos inúmeros cruzamentos criados pela extensa rede de estradas que atravessam o espaço da internet” e “afirmar o direito de cidadania de Deus, qualquer que seja a época”.

O Papa advertiu, porém, para o risco de “considerar falsamente a internet apenas como um espaço a ser ocupado”, e recomendou aos padres que se mantenham “constantemente fiéis à mensagem evangélica”.

O Vaticano já utiliza a internet, e criou em janeiro um canal que pode ser acessado pelo site YouTube. Desde maio de 2009, o site http://www.pope2you.net permite receber mensagens do Papa através da rede social Facebook. Este site foi acessado quase dois milhões de vezes no dia do Natal, afirmou Claudio Maria Celli, presidente do Conselho Pontifical das Comunicações Sociais.

——————————————————————————————-

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,papa-nomeia-uma-mulher-para-cargo-no-conselho-pontificio,499257,0.htm

Papa nomeia uma mulher para cargo no Conselho Pontifício

Vaticano diz que nomeação ‘demonstra empenho da Igreja na promoção dos direitos da mulher no mundo’

CIDADE DO VATICANO – O papa Bento XVI designou a italiana Flaminia Giovanelli para a Subsecretaria do Pontifício Conselho Justiça e Paz, o que a torna a primeira mulher laica a ocupar o cargo neste dicastério.

Giovanelli, que há 36 anos está há serviço deste conselho, é de Roma e tem 62 anos. Além de ser formada em Ciências Políticas, ela também possui o diploma de Biblioteconomia, e fala corretamente o francês, o espanhol e o inglês.

No decorrer de sua carreira, Giovanelli se especializou nas políticas de desenvolvimento e trabalho da Organização Internacional do Trabalho (OIT), do Conselho da Europa, da União Europeia, do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (Ecosoc) e da Comissão Econômica da ONU para a Europa (Unece).

Em nota, o presidente deste Conselho Pontifício, cardeal Peter Kodwo Appiah Turkson, ressaltou a importância desta nomeação, que “confirma a grande confiança da Igreja e do Santo Padre Bento XVI na mulher”.

Uma escolha que “demonstra o empenho da Igreja na promoção da dignidade e dos direitos da mulher no mundo, questões das quais este Dicastério se ocupa”, completa o comunicado.

A primeira laica a desempenhar tal papel foi Rosemary Goldie, que em 1966 foi nomeada subsecretária do Pontifício Conselho para os Leigos. Atualmente, a irmã Rosanna Enrica desempenha a mesma função na Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.

——————————————————————————

Congregação para a Doutrina da Fé apresenta documento sobre questões de bioética

Seg, 15 de Dezembro de 2008 15:38 cnbb

Com o objetivo de atualizar a Donum vitae (1987), a Congregação Pontifícia para a Doutrina da Fé apresentou na sexta-feira passada, 12, a instrução Dignitas personae sobre algumas questões de bioética.

Com 33 páginas e publicada em inglês, francês, alemão, italiano, espanhol, português e polonês, a instrução é fruto de um estudo que teve início em 2002 pela Congregação para a Doutrina da Fé.“

O documento, aprovado pelo papa, faz parte do Magistério ordinário do sucessor de Pedro e é de natureza doutrinal”, explica o secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, o arcebispo Luis Francisco Ladaria.

“A instrução motiva a investigação biomédica que respeita a dignidade de todos os seres humanos e da procriação. Ao mesmo tempo, exclui como eticamente ilícitas diversas tecnologias biomédicas”, acrescenta.

Já o presidente da Pontifícia Academia para a vida, dom Rino Fisichella, disse que o documento expressa a “própria contribuição autorizada na formação da consciência não somente dos que crêem, mas dos que tratam de escutar as argumentações que se apresentam e debatê-las”.

A professora associada de Bioética da Universidade Católica do Sagrado Coração, Maria Luisa Di Pietro, disse que antes de examinar as questões que o documento apresenta como as técnicas de ajuda à fertilidade, a fecundação in vitro, o congelamento de embriões, “é necessário recordar os três bens fundamentais sobre o que rege cada uma dessas decisões: o reconhecimento da dignidade da pessoa humana desde a concepção até a morte natural; a unidade do matrimônio; os valores especificamente humanos da sexualidade”.

Já o presidente emérito da Pontifícia Academia para a Vida, dom Elio Sgreccia, acrescentou que o documento apresenta as novas propostas terapêuticas que compreendem a manipulação do embrião ou do patrimônio genético humano.

————————————————————————————-

http://www.estadao.com.br/vidae/not_vid482401,0.htm

Vaticano invalida casamento entre batizado e não batizado

Resolução foi aprovada pelo papa Bento XVI e faz parte das remodelações do Código de Direito Canônico

Efe

CIDADE DO VATICANO – O casamento entre duas pessoas em que uma seja batizada na Igreja Católica e a outra não é inválido, afirmou nesta terça-feira, 15, o Vaticano, que informou que o papa Bento XVI aprovou duas remodelações do Código de Direito Canônico, sobre diáconos e o casamento. As remodelações fazem parte do documento Omnium in mentem, divulgado nesta terça-feira no Vaticano.

Assim, o artigo 1986 do Código de Direito Canônico estabelece, a partir de agora, que “é inválido o casamento entre duas pessoas em que uma seja batizada na Igreja Católica ou nela amparada e a outra não”.

Também fica modificado o artigo 1124, que passa a estabelecer que “o casamento entre duas pessoas batizadas em que uma seja batizada na Igreja Católica ou nela amparada após o batismo e a outra inscrita em uma Igreja ou comunidade eclesiástica que não está em plena comunhão com a Igreja Católica não pode ser realizado sem autorização expressa da autoridade competente”.

Sobre os diáconos – homens, inclusive casados, dedicados ao serviço da Igreja – foram modificados os artigos 1008 e 1009, para especificar que eles não podem presidir as paróquias, logo, não poderão substituir o sacerdote ou o bispo.

Já o bispo e o sacerdote, segundo a modificação, recebem a missão e a faculdade de atuar em nome de Cristo, enquanto os diáconos “são capacitados para servir ao povo de Deus na diaconia da liturgia, da palavra e da caridade”. Os diáconos não podem realizar a eucaristia.

OBS.: Leia a Integra do documento do Papa neste blog

——————————————————————-

MADRI (Reuters) – A Igreja Católica espanhola negará a comunhão a parlamentares que votaram a favor de um projeto de lei que facilita o aborto, anunciou na sexta-feira o porta-voz da Conferência dos Bispos da Espanha.

“Esse é um aviso aos católicos de que eles não podem votar a favor disso e de que eles não poderão receber a comunhão a menos que peçam perdão”, disse Juan Antonion Martinez Camino numa entrevista coletiva. “Eles se encontram em um estado objetivo de pecado”.

O projeto patrocinado pelo governo, aprovado na primeira de uma série de votações do Parlamento na quinta-feira, permitirá o aborto até a 14a. semana de gravidez e, em casos de extrema deformidade fetal, em qualquer momento da gestação.

O projeto também permitirá que as mulheres façam abortos a partir dos 16 anos sem o consentimento dos pais, uma cláusula que tem gerado polêmica mesmo dentro do Partido Socialista (do governo).

Atualmente o aborto é permitido apenas em casos de estupro, má formação fetal ou se a gravidez coloca em risco a saúde física ou mental da mãe.

Na prática a Espanha tem uma taxa de aborto mais alta que alguns países com leis mais liberais porque muitos médicos espanhóis se dispõem a atestar o perigo à saúde psicológica da mãe.

Centenas de milhares de pessoas marcharam contra a lei do aborto em Madri no mês passado. O governo, porém, calcula que o projeto de lei tem amplo apoio entre os eleitores de esquerda.

Analistas dizem que o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, tenta concentrar o debate em questões sociais num momento em que o desemprego beira os 20 por cento.

(Reportagem de Raquel Castillo)

—————————————————————————————————————-

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,papa-reafirma-que-so-igreja-catolica-pode-interpretar-a-biblia,456614,0.htm

Papa reafirma que só Igreja Católica pode interpretar a Bíblia

Ansa

VATICANO – O Papa Bento XVI reiterou com firmeza, em um encontro com estudantes e professores do Pontifício Instituto Bíblico, que apenas a Igreja Católica pode interpretar “autenticamente” a Bíblia.

“À Igreja é destinado o trabalho de interpretar autenticamente a palavra de Deus escrita e transmitida, exercitando a sua autoridade em nome de Jesus Cristo”, defendeu o papa, ao se reunir com cerca de 400 estudantes, funcionários e docentes em comemoração aos cem anos da fundação da entidade pontifícia.

Bento XVI também destacou que, sem a fé e a tradição da Igreja, a Bíblia torna-se um livro “lacrado”.

“Se as exegeses querem ser também teologia, é preciso reconhecer que a fé da Igreja é aquela forma de simpatia, sem a qual a Bíblia torna-se um livro selado: a tradição não fecha o acesso à Escritura, mas, sobretudo, o abre”, disse.

De acordo com o pontífice, “por outro lado, é da Igreja, nos seus organismos institucionais, a palavra decisiva na interpretação da Escritura”, sendo esta “uma única coisa a partir de um único povo de Deus, que tem sido seu portador através da história”.

“Ler a Escritura com união significa lê-la a partir da Igreja como seu lugar vital e acreditar na fé da Igreja como a verdadeira chave da interpretação”, explicou Bento XVI.

O papa relembrou também que o aumento do interesse pelo livro sagrado católico no decorrer deste século ocorreu graças ao Concílio Vaticano II, especificamente à constituição dogmática Dei Verbum sobre a Revelação Divina.

Entre os presentes na reunião estavam o prefeito da Congregação para a Educação Católica, cardeal Zenon Grocholewski, e o padre Adolfo Nicolás Pachón, da Companhia de Jesus.

——————————————-

Novo documento da Santa Sé contra os abusos na Missa

2009 OUTUBRO 22

by Rafael Vitola Brodbeck

O Cardeal Cañizares entregou ao Papa ontem, 21 de outubro, uma cópia em latim do documento Compendium Eucharisticum, para ajudar os sacerdotes, ao redor do mundo, a celebrar mais piedosamente a Santa Missa.

Trata-se de uma coleção de materiais de estudo, orações e meditações, com o fim de que se promova um adequado culto litúrgico, impedindo os abusos na Missa. Desta vez, entretanto, ao invés de listar os erros e condená-los, são propostas reflexões que, se tomadas a sério, induzem a uma mentalidade mais coerente com o mistério celebrado, com a sacralidade que aquelas normas tanto pretendem resgatar.

No compêndio, fala-se das duas formas, igualmente dignas, do rito romano, e são transcritos os Ordinários da Missa, em latim, nessas mesmas duas formas. Também o Ofício da Solenidade de Corpus Christi, nas duas formas, em latim, é anexado, além de Missas votivas da Eucaristia, hinos e cânticos gregorianos, ladainhas, e o Rito da Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento.

As preces antes e depois da Missa, e as orações ao vestir os paramentos também estão lá, bem como excertos do Decreto sobre a Eucaristia do Concílio Ecumênico de Trento, da Imitação de Cristo, do Código de Direito Canônico, do Código de Cânones das Igrejas Orientais, e do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. Igualmente, comentários sobre as quatro orações eucarísticas da forma ordinária estão presentes.

Tomara que os padres brasileiros leiam e, os que ainda não fazem, passem a celebrar com a dignidade que requer não uma festa profana, tampouco uma mera reunião religiosa, mas o Santo Sacrifício da Missa, que torna a Cruz real e substancialmente presente sobre o altar. Que o latim seja valorizado, bem como toda a nossa rica tradição, e que a forma extraordinária seja disseminada na Terra de Santa Cruz, ao lado de uma forma ordinária cada vez mais fiel às rubricas.

——————————————————————-

Quarta-feira, 07 de outubro de 2009, 08h57

Dom Raymundo é nomeado membro da Comissão para América Latina

O Arcebispo de Aparecida (SP) e presidente do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), Dom Raymundo Damasceno Assis, foi nomeado pelo Papa Bento XVI membro da Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL). O mandato é de 5 anos.

Dom Damasceno está em Roma participando da II Assembleia Especial para o Sínodo da África. O Arcebispo de Mariana (MG) e presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio Rocha, também foi nomeado membro da CAL.

A Pontifícia Comissão para a América Latina é um órgão da Santa Sé que tem a função de estudar os problemas doutrinais e pastorais referentes à vida e ao desenvolvimento da Igreja na América Latina.

FONTE: CNBB

——————————————————————————————————-

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/09/19/milagre-da-liquefacao-do-sangue-de-sao-genaro-se-repete-767688270.asp

Milagre da liquefação do sangue de São Genaro se repete

NÁPOLES – O milagre da liquefação do sangue de São Genaro se repetiu, hoje, na catedral de Nápoles e foi anunciado, como acontece tradicionalmente, com o agitar de panos brancos. Os restos do santo descansam na catedral de Nápoles, onde o tradicional milagre, segundo a tradição católica, acontece três vezes por ano. Eram 9h57m da manhã quando Crescenzio Sepe, cardeal de Nápoles, cidade cujo padroeiro é São Genaro, anunciou aos fiéis a liquefação do sangue do santo que estava contido em um santuário, onde a maior parte do ano estava no estado sólido. Depois que concedeu permissão para que os fiéis beijassem o relicário, ele recomendou que todos tomassem as precauções de higiene e sanitárias por causa da gripe suína.

————————————————————————————-

Bento XVI contra padres na política

Bento XVI defendeu esta Quinta-feira, no Vaticano, que os padres devem “permanecer afastados” de um compromisso pessoal na política, campo que considerou reservado aos “fiéis leigos”.

A entrada dos padres na política, alertou, poderia comprometer “a unidade e a comunhão de todos os fiéis”.

Recebendo um grupo de Bispos do Nordeste do Brasil, o Papa defendeu que é “necessário evitar a secularização dos sacerdotes e a clericalização dos leigos”.

“Nessa perspectiva, portanto, os fiéis leigos devem empenhar-se em exprimir na realidade, inclusive através do empenho político, a visão antropológica cristã e a doutrina social da Igreja”, explicou.

Segundo Bento XVI, “é importante fazer crescer esta consciência nos sacerdotes, religiosos e fiéis leigos, encorajando e vigiando para que cada um possa sentir-se motivado a agir segundo o seu próprio estado”.

Aos 22 Bispos presentes, o Papa pediu maiores esforços para “despertar novas vocações sacerdotais e encontrar os pastores indispensáveis às vossas dioceses, ajudando-vos mutuamente para que todos disponham de presbíteros melhor formados e mais numerosos para sustentar a vida de fé e a missão apostólica dos fiéis”.

Bento XVI frisou que na Igreja nem todos têm a mesma função: “É isto que constitui a beleza e a vida do corpo”.

A falta de padres, afirmou, não é a verdadeira justificação para “uma participação mais ativa e numerosa dos leigos”. “Na realidade, quanto mais os fiéis se tornam conscientes das suas responsabilidades na Igreja, tanto mais sobressaem a identidade específica e o papel insubstituível do sacerdote como pastor do conjunto da comunidade, como testemunha da autenticidade da fé e dispensador, em nome de Cristo-Cabeça, dos mistérios da salvação”, apontou.

Internacional | Octávio Carmo | 2009-09-17 | 12:32:05 | 2344 Caracteres | Bento XVI, Brasil

© 2009 Agência Ecclesia. Todos os direitos reservados

————————————————————————–

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u611845.shtml

19/08/2009

11h14

Papa doa US$ 50 mil a vítimas de tufão Morakot na Ásia

da Ansa, na Cidade do Vaticano

O papa Bento 16 doou US$ 50 mil aos países da Ásia atingidos pelo tufão Morakot, em especial a Taiwan, considerada a nação mais devastada. A informação foi divulgada nesta quarta-feira pela agência de notícias Zenit.

Citando o jornal “China Post”, a agência informou que o papa enviou a doação no último dia 15, como gesto para estimular a solidariedade.

Na última semana, ao término de sua audiência geral, Bento 16 dirigiu uma mensagem às populações atingidas por Morakot nas Filipinas, em Taiwan, em algumas Províncias do sul da China e no Japão.

“Desejo manifestar minha proximidade espiritual àqueles que se encontram em condições de grave mal-estar e convido todos a rezarem por aqueles que perderam a vida”, afirmou o Papa na ocasião. “Espero que não lhes falte o alívio da solidariedade e a ajuda dos auxílios materiais”, completou.

————————————————————–

Caso da menina brasileira não muda ensinamento católico sobre aborto

Esclarecimento da Congregação para a Doutrina da Fé

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 10 de julho de 2009 (ZENIT.org).- Após as polêmicas surgidas sobre um artigo publicado no jornal vaticano pelo arcebispo presidente da Academia Pontifícia para a Vida sobre a menina brasileira que foi submetida ao aborto de gêmeos, a Santa Sé confirma que a doutrina da Igreja não mudou.

Explica-o um “Esclarecimento” publicado pela Congregação para a Doutrina da Fé, na edição diária de 11 de julho de L’Osservatore Romano, como o próprio documento explica, em resposta a “várias cartas, inclusive da parte de altas personalidades da vida política e eclesial, que informaram sobre a confusão que se criou em vários países, sobretudo na América Latina”.

“A Congregação para a Doutrina da Fé confirma que a doutrina da Igreja sobre o aborto provocado não mudou nem pode mudar”, sublinha o “Esclarecimento”.

O documento se refere ao artigo publicado pelo L’Osservatore Romano no dia 15 de março de 2009, com o título “A favor da menina brasileira”, no qual o arcebispo Rino Fisichella, presidente da Academia Pontifícia para a Vida, analisava o caso da menina que, aos 9 anos, vou estuprada repetidamente pelo seu jovem padrasto, ficando grávida de gêmeos e que depois foi obrigada a abortar no quarto mês de gestação.

No artigo, Dom Fisichella confirmava que “o aborto provocado sempre foi condenado pela lei moral”.

Pois bem, em resposta às crônicas publicadas pelos jornais, o arcebispo considerava que, segundo seu parecer, não era adequado que o bispo do lugar anunciasse de maneira tão pública e rápida a excomunhão – “algo que se aplica de maneira automática”, esclarecia – dos envolvidos, pois desta forma não se ajuda a mostrar o rosto materno da Igreja.

O “Esclarecimento” vaticano informa que, como foi possível saber depois, a menina “tinha sido acompanhada com toda delicadeza pastoral, em particular pelo então arcebispo de Olinda e Recife, sua excelência Dom José Cardoso Sobrinho”.

O próprio Dom Fisichella, em declarações posteriores à mídia, havia esclarecido que, antes de escrever o artigo, dada a urgência de responder rapidamente à enorme polêmica que havia sido suscitada, não tinha podido falar com Dom Cardoso Sobrinho, motivo pelo qual não estava informado deste fato.

O documento da Congregação para a Doutrina da Fé, cujo presidente é o cardeal americano Willian Levada, não entra nos detalhes concretos deste caso, mas se limita a ilustrar os textos de referência do magistério da Igreja sobre o aborto, em particular os números 2270-2272 do Catecismo da Igreja Católica.

O texto cita também várias passagens da encíclica Evangelium vitae, assinada por JoãoPaulo II no dia 25 de março de 1995, em particular o número 58, no qual se esclarece que o aborto provocado nunca pode ser justificado, ainda que aconteça em “situações difíceis e complexas”, seja para o bebê ou para a mãe.

No que se refere ao problema de determinados tratamentos médicos para preservar a saúde da mãe, o texto esclarece que “é necessário distinguir bem entre dois fatos diferentes: por um lado, uma intervenção que diretamente provoca a morte do feto, chamada em ocasiões de maneira inapropriada de aborto ‘terapêutico’, que nunca pode ser lícito, pois constitui o assassinato direto de um ser humano inocente”.

Algo totalmente diferente, continua indicando o “Esclarecimento”, é “uma intervenção não-abortiva em si mesma, que pode ter, como consequência colateral, a morte do filho”.

Para explicar este ensinamento da Igreja, a nota cita um famoso discurso de Pio XII, de 27 de novembro de 1951, no qual afirma: “Se, por exemplo, a salvação da vida da futura mãe, independentemente de seu estado de gravidez, requerer urgentemente uma intervenção cirúrgica, ou outro tratamento terapêutico, que teria como consequência acessória, de nenhum nenhum modo querida nem pretendida, mas inevitável, a morte do feto, um ato assim já não se poderia considerar um atentado direto contra a vida inocente”.

“Nestas condições, a operação poderia ser considerada lícita, igualmente a outras intervenções médicas similares, sempre que se trate de um bem de elevado valor –como é a vida– e que não seja possível postergá-la após o nascimento do filho, nem recorrer a outro remédio eficaz”, dizia o Papa Eugenio Pacelli nesse discurso.

No que se refere ao papel dos médicos nestes casos, o documento lhes recorda, com a Evangelium vitae (n. 89), “a intrínseca e imprescindível dimensão ética da profissão clínica, como já reconhecia o antigo e sempre actual juramento de Hipócrates, segundo o qual é pedido a cada médico que se comprometa no respeito absoluto da vida humana e da sua sacralidade”.

O documento vaticano não entra em detalhes sobre a aplicação automática da excomunhão no caso do aborto

© Innovative Media, Inc.

———————————————————————–

Observatório do Vaticano quer aproximar ciência e catolicismo

29 de junho de 2009 • 13h02 • atualizado às 13h34
Esta imagem de uma galáxia espiral há 102 milhões de anos-luz de distância da Terra foi realizada pelo Telescópio do Observatório do Vaticano

Esta imagem de uma galáxia espiral há 102 milhões de anos-luz de distância da Terra foi realizada pelo Telescópio do Observatório do Vaticano
29 de junho de 2009
The New York Times

“Réquiem” de Fauré está tocando no fundo, seguido pelo quarteto de cordas Kronos Quartet. De vez em quando, a música é interrompida por um arpejo eletromecânico – como um refrão de jazz no clarinete – enquanto os motores guiando o telescópio giram para cima e para baixo. Uma noite de contemplação da galáxia está prestes a começar no observatório do Vaticano em Mount Graham.

“Entendi. Certo, é alegre”, diz Christopher J. Corbally, o padre jesuíta que é vice-diretor do Grupo de Pesquisa do Observatório do Vaticano, sentado na sala de controle fazendo ajustes. A idéia não é procurar por presságios ou anjos, mas sim realizar astronomia profissional que combate a percepção de que a ciência e o catolicismo estão necessariamente em conflito.

No ano passado, durante o discurso de abertura de uma conferência em Roma, chamada “Ciência 400 anos após Galileo Galilei”, o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, elogiou o antigo antagonista da Igreja como sendo “um homem de fé que viu a natureza como um livro escrito por Deus.”

Em maio, como parte do Ano Internacional da Astronomia, um centro cultural jesuíta em Florência, Itália, conduziu “uma reexaminação histórica, filosófica e teológica” do tema Galileo. Mas em um esforço para reabilitar a imagem da Igreja, nada fala mais alto do que um artigo de um astrônomo do Vaticano em periódicos como The Astrophysical Journal ou The Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Em uma noite clara de primavera no Arizona, o foco não está na teologia, mas na longa lista de tarefas mundanas que dão vida ao telescópio. Enquanto monitora o céu, o instrumento enorme desliza sobre um anel de óleo pressurizado. Bombas devem ser ativadas, medidores checados, computadores reiniciados. O sensor eletrônico do telescópio, similar ao de uma câmera digital, deve ser resfriado com nitrogênio líquido para evitar que os megapixels se distorçam com o imenso barulho.

Enquanto Corbally corre de estação em estação ligando interruptores e virando discos, ele se parece mais com um engenheiro de manutenção do que com um padre ou até mesmo um astrônomo. Finalmente, quando tudo está pronto, a luz estelar recolhida por um espelho de 1,82 metros é fragmentada em bits eletrônicos, que são reconstituídos como luz em sua tela de vídeo.

“Muito da observação nos dias de hoje é assistir a monitores e operar computadores”, Corbally diz. “As pessoas dizem, ‘Ah, deve ser tão bonito ficar lá fora olhando para o céu.’ Digo a elas que é ótimo se você gosta de ver TV.”

Vestindo jeans e uma camisa de trabalho, ele não é um homem que usa sua religião na manga. Nenhuma prece é feita antes de um rápido jantar na cozinha do observatório. Na verdade, o único sinal de que o Telescópio de Tecnologia Avançada do Vaticano é fundamentalmente diferente de outros em Mount Graham, lar do complexo astronômico internacional operado pela Universidade do Arizona, é uma placa dedicatória na porta.

“Essa nova torre para o estudo das estrelas foi erguida neste local pacífico”, lê-se em latim. “Que aquele que aqui buscar, noite e dia, pelos distantes confins do espaço use-a alegremente com a ajuda de Deus.” E é nesse momento que a religião acaba e a ciência começa.

O interesse da Igreja Católica Romana nas estrelas começou por preocupações puramente práticas, quando o Papa Gregório XIII no século XVI recorreu à astronomia para corrigir o fato do calendário juliano não estar em sincronia com o céu. Em 1789, o Vaticano inaugurou um observatório na Torre dos Ventos, que posteriormente foi realocado para uma colina atrás da Cúpula de São Pedro. Nos anos 1930, os astrônomos da Igreja se mudaram para o Castelo Gandolfo, a residência de verão do Papa.

Com a propagação pela zona rural da iluminação de Roma, do tipo elétrico, a Igreja começou a procurar por um topo de montanha em um canto obscuro do Arizona.

A construção em Mount Graham foi uma luta. Índios apaches afirmaram que o observatório era uma afronta aos espíritos da montanha. Ambientalistas disseram que ele era uma ameaça a uma subespécie do esquilo-vermelho.

Ocorreram protestos e ameaças de sabotagem. Foi apenas em 1995, três anos após o edito da Inquisição contra Galileo ter sido revogado, que o novo telescópio do Vaticano fez suas primeiras observações científicas.

O alvo recente do telescópio foram as três galáxias espirais – números 3165, 3166, 3169 no Católogo de Objetos NGC – a cerca de 60 milhões de anos-luz da Terra, localizadas ligeiramente ao sul da constelação de Leão. Sentada em uma escrivaninha perto de Corbally estava Aileen O’Donoghue, uma astrônoma da Universidade St. Lawrence em Canton, Nova York, que está interessada em saber como essas massas gravitacionais puxam umas às outras, criando o equivalente estelar das marés.

“Expondo, 30 minutos”, ela diz. Enquanto canções célticas tocam na sala de controle, dados são armazenados em hard drives e uma coluna de números passa por sua tela de computador. O’Donoghue, de criação católica, é autora de “The Sky Is Not a Ceiling: An Astronomer’s Faith” (“O céu não é um teto: a fé de um astrônomo”, em tradução livre), no qual ela descreve como perdeu e então redescobriu Deus “na vastidão, estranheza, abundância, aparente falta de sentido e até mesmo violência desse universo inacreditável.”

Em pessoa, ela não é nem de perto tão intensa. Enquanto esperava uma imagem se formar na tela, ela foi até a varanda para olhar o céu não processado. No aglomerado de estrelas chamado “Presépio”, uma das coisas que Galileo viu com seu telescópio, está a brilhante constelação de Câncer. Ao lado dela, está a constelação de Leão, onde O’Donoghue procura por marés gravitacionais.

“É o céu de verdade que importa,” O’Donoghue diz. Ela descreve como faz seus alunos de graduação irem para fora olhar a Ursa Maior em diferentes pontos da noite. Eles voltam e dizem, ‘Ela se move!'” – palavras que Galileo lendariamente pronunciou após ter sido forçado a desmentir sua descoberta. “Você pode dizer aos alunos que a Terra está em rotação, mas até eles verem com seus próprios olhos, eles não estão fazendo ciência”, ela disse. “Seria a mesma coisa que ensinar teologia e a Escritura.”

De volta à sala de controle, O’Donoghue explica como as marés gravitacionais que está estudando poderiam ser berçários estelares. Quando uma galáxia toca outra, nuvens de gás são misturadas tão violentamente que dão vida a estrelas.

No relatório anual do Observatório do Vaticano, na parte em que uma corporação descreveria sua estratégia de negócio, está uma seção que delineia a diferença entre creatio ex nihilo (criação a partir do nada) e creatio continua: “o fato de que a cada instante, a existência contínua do próprio universo é deliberadamente determinada por Deus, que, desta forma, continuamente faz com que o universo permaneça criado.”

Teólogos chamam isso de “causas primárias”, aquelas que fluem a partir de um propulsor impassível. No topo dessa plataforma eterna está outra camada, “as causas secundárias”, que podem ser seguramente deixadas a cargo da ciência.

Corbally e O’Donoghue continuam trabalhando noite afora, coletando dados sobre causas secundárias – marés galácticas, nascimentos de estrelas. O descanso terá que esperar até a manhã e os pensamentos sobre as causas primárias ficarão para outra hora.

Tradução: Amy Traduções

—————————————————————————————————————–

27/06/2009 16.42.57

CARDEAL HUMMES: “NÃO HÁ LUGAR PARA PEDÓFILOS NO MINISTÉRIO SACERDOTAL”

Cidade do Vaticano, 27 jun (RV) – O prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Cláudio Hummes, qualificou a pedofilia como “um crime terrível”. Reconhecendo que a questão afeta 4% do clero, o purpurado precisou, todavia, que “não há lugar no ministério sacerdotal, para as pessoas que cometem tais crimes”.

Em entrevista à revista “Vida Nova”, o cardeal assinala que a Igreja “não pode fechar os olhos” diante desse problema. “Os culpados devem ser castigados, tanto pelas leis da sociedade civil quanto pelas normas canônicas” – sublinhou, ressaltando, porém, que a maioria do clero é “estranha a esse problema”.

O Cardeal Hummes disse que a Igreja “deve reagir e não aceitar” essa imagem do sacerdote católico; uma imagem formada a partir de um “preconceito negativo muito forte, que humilha e fere a imensa maioria dos sacerdotes”.

Falando acerca do celibato − condição que alguns sacerdotes não respeitam − o purpurado fez questão de precisar que a grande maioria dos presbíteros é formada por “homens dignos e honrados”, que “defendem a dignidade humana, os direitos humanos, a justiça social e a solidariedade para com os pobres”. (AF)

FONTE: Rádio Vaticano – RV

———————————————————————

Vaticano pode abrir sarcófago de São Paulo

Agência ANSA

CIDADE DO VATICANO – O cardeal Andrea Cordero Lanza de Montezemolo, arcipreste da Basílica de São Paulo Fora dos Muros, afirmou que o Vaticano analisa a ideia de abrir o sarcófago do apóstolo São Paulo.

- Há tempos se pensa na abertura do sarcófago de São Paulo. O papa não exclui a hipótese de um dia ordenar uma análise da tumba – contou o cardeal, ressaltando, no entanto, que é preciso considerar que o túmulo data de séculos passados e nunca foi aberto.

Montezemolo explicou que a abertura do sarcófago seria um ‘trabalho pesado, já que é enorme, e levaria à demolição do altar da Basílica de São Paulo Fora dos Muros’, localizada no Vaticano.

Em 2006, a Santa Sé anunciou a descoberta do sarcófago, depois de anos de escavações arqueológicas na basílica dedicada ao apóstolo. Acreditava-se que São Paulo tinha sido enterrado no local, mas não havia confirmações disto.

Segundo o arcipreste da Basílica de São Paulo Fora os Muros, alguns especialistas tentaram introduzir no túmulo aparelhos microscópicos sofisticados. No entanto, não foi possível concluir os trabalhos “porque o sarcófago tem uma espessura de 25 centímetros e não passa nada”.

São Paulo é o nome apostólico de Saulo, nascido na cidade de Tarso, e é considerado uma das figuras mais importantes do cristianismo.

Na última sexta-feira, o papa Bento XVI encerrou o Ano Paulino, período litúrgico dedicado aos dois mil anos do nascimento de São Paulo.

O Ano Paulino, iniciado em junho de 2008, foi marcado por uma série de eventos religiosos de exaltação e reflexão dos trabalhos do apóstolo.

10:55 – 26/06/2009

—————————————————————————————————————

” Fé e cosmos” em debate no Vaticano – 24/06/2009

O Pontifício Conselho para a Cultura e o Observatório Astronômico Vaticano promove esta quarta-feira o Seminário “Fé e Cosmos”.

Este encontro integra uma conferência internacional de duração de uma semana, organizada pelo Observatório, no contexto do Ano Internacional da Astronomia. Intitulada “Astronomia, terreno comum para compartilhar as dúvidas da humanidade”, o evento se realiza a dois anos, e reúne, como oradores, ex-alunos da Escola de Verão do Observatório.

Do Seminário, participa o presidente do Pontifício Conselho, Dom Gianfranco Ravasi, que irá proferir uma palestra intitulada “No princípio, Deus criou o céu e a terra. A cosmologia bíblica”.

Um professor da Universidade de Milão, Marco Bersanelli, irá referir-se à “Beleza e vastidão do cosmos”. O Pe. George Coyne, diretor emérito do Observatório Astronômico, vai abordar o tema “A vida no universo: que maravilha, quantas dúvidas!”.

FONTE: Rádio Vaticano

———————————————————————————————

Campanha da Fraternidade 2011: escolhidos o tema e o lema

Aconteceu nos dias 15 e 16 a reunião do Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB (Consep), em Brasília. Esta reunião teve o intuito de avaliar a Campanha da Fraternidade 2009 (CF) “Fraternidade e Segurança Pública” e escolher os temas e lemas para a Campanha de 2011.

“A reunião acontece todos os anos e tem como finalidade avaliar a campanha do ano corrente, apresentar a campanha do ano seguinte e a escolha do tema e do lema para a campanha de dois anos depois”, afirmou o secretário executivo da CF, padre José Adalberto Vanzella.

Ficou escolhido então que em 2011 o tema será “Fraternidade e a vida no planeta” e o lema “A criação geme em dores de parto”. E em 2010, a Campanha será ecumênica e terá como tema “Economia e vida” e lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”, escolhido no ano passado.

A avaliação da CF 2009 é feita pelo Consep, juntamente com os responsáveis pela Campanha da Fraternidade nos Regionais e pelos assessores da CNBB.

O padre José Vanzella, apresentou os números da avaliação colhidos a partir de questionários enviados às dioceses e regionais. A análise dos dados, enviados pela internet, teve o auxílio da professora da Universidade Católica de Brasília (UCB), Maria Valéria. O resultado mostra que a Campanha foi realizada com êxito e que a Via Sacra foi um dos subsídios mais usados pelas paróquias.

Uma preocupação do Consep foi o baixo número de dioceses que participaram da avaliação, apenas 17% respondendo ao questionário. Segundo padre Vanzella, esse número aumentou em relação ao ano passado.

Ainda de acordo com o padre Vanzella, após a escolha dos temas o próximo passo será a realização de um seminário que acontecerá nos dias 10 e 11 de setembro, na sede da CNBB em Brasília, para estabelecer os assuntos e as estruturas para a Campanha de 2011 e, posteriormente, apresentá-las para aprovação dos bispos.

—————————————————————————————————————

Bento XVI condena  “pecados” dos padres

Ano Sacerdotal inaugurado no Vaticano, diante das relíquias do Santo Cura d’Ars

Bento XVI condenou esta Sexta-feira, no Vaticano, os “pecados dos pastores” da Igreja e pediu fidelidade aos que foram consagrados neste ministério. O Papa assinalava a abertura do Ano Sacerdotal, por ele convocado no 150.º aniversário do Santo Cura d’Ars, João Maria Vianney.Na homilia da celebração de Vésperas e diante da relíquia do coração do Cura d’Ars, o Papa disse aos padres presentes que “a nossa missão é indispensável para a Igreja e para o mundo” e que a mesma exige “fidelidade”.”Nada faz sofrer tanto a Igreja como os pecados dos seus pastores”, assinalou Bento XVI, numa cerimónia que decorreu na Basílica de São Pedro e para a qual estavam convidados os sacerdotes de todo o mundo.

Ao recordar as “promessas sacerdotais” que se pronunciam no dia da ordenação, o Papa alertou para os padres que se tornam “ladrões de ovelhas, seja porque as desviam com as suas doutrinas privadas, seja porque as sufocam com laços de pecado e de morte”.

Neste contexto, deixou um apelo à “conversão e ao recurso à Divina Misericórdia” para esconjurar o “terrível risco de prejudicar os que somos obrigados a salvar”.

O Papa falou do “coração de Deus”, “um Deus que se comove”, e da “ingratidão” com que o seu amor é várias vezes recusado. “O coração de Cristo expressa o núcleo essencial do Cristianismo”, indicou, aludindo a festa celebrada. Para Bento XVI, em Jesus está “toda a novidade revolucionária do Evangelho, o amor que nos salva e nos faz viver já na eternidade de Deus”.

Mais à frente, lembrou a “bela e comovente afirmação” do Cura d’Ars, que dizia que “o sacerdócio é o amor pelo coração de Jesus”. “Nós presbíteros fomos consagrados para servir, com humildade e autoridade, o sacerdócio comum dos fiéis”, indicou.

Bento XVI desafiou os presentes a fazer deste Ano Sacerdotal “uma ocasião para crescer na intimidade com Jesus, que conta connosco, seus ministros, para difundir e consolidar o seu reino”, sendo no mundo de hoje “mensageiros de esperança, reconciliação e de paz”.

“Para ser ministros ao serviço do Evangelho é útil, certamente, o estudo com uma apurada e permanente formação pastoral, mas é ainda mais necessária a ‘ciência do amor’ que se aprende só no ‘coração a coração’ com Cristo”, advertiu.

A Igreja, disse o Papa, “tem necessidade de sacerdotes santos, que ajudem os fiéis a experimentar o amor misericordioso do Senhor e sejam testemunhas convictas”.

No início da celebração, Bento XVI proclamou a oração para o ano sacerdotal, pedindo que “por intercessão do Santo Cura d’Ars, as famílias cristãs se tornem ‘pequenas igrejas’, nas quais as vocações e todos os carismas, dados pelo Espírito Santo, possam ser acolhidos e valorizados”.

Internacional | Octávio Carmo | 2009-06-19 | 18:09:01 | 3519 Caracteres | Ano Sacerdotal, Bento XVI

——————————————————————————————————-

http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/06/04/e040613416.asp

Vaticano reativará super acelerador de partículas

Agência ANSA

GENEBRA – O Vaticano negocia uma parceria entre seu laboratório de astronomia, o La Specola, e o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern), para reativar o acelerador de partículas LHC no segundo semestre deste ano.

O cardeal Giovanni Lajolo, presidente da Pontifícia Comissão para o Estado da Cidade do Vaticano, visitou o Cern, em Genebra, nos últimos dias. Ele se reuniu com o diretor-geral do centro, Rolf Heuer.

- O conhecimento sobre a origem do universo não pode deixar de interessar também a quem lida com as relações entre a fé e a razão – explicou o sacerdote.

O LHC, maior acelerador de partículas do mundo, foi colocado em funcionamento no dia 10 de setembro do ano passado, mas teve de ser desativado nove dias depois.

O equipamento apresentou um problema em um de seus supercondutores, que tinha a função de conduzir as partículas ao longo de seus 27 quilômetros.

O custo final para reparar o defeito é estimado entre US$ 26 milhões e US$ 35 milhões, de acordo com a direção do projeto.

Calcula-se que o investimento feito ao longo dos 12 anos de construção do acelerador de partículas tenha sido de 3,76 bilhões de euros.

17:21 – 04/06/2009

—————————————————-

Rio pode ser sede da JMJ 2013

Thiago Camara

20/05/2009

A cidade do Rio de Janeiro pode tornar-se candidata a sede da Jornada Mundial da Juventude, em 2013. Durante discurso na terça-feira dia 19 de maio, no lançamento do Christmas Festival – Circuito de Presépio, o governador do estado Sérgio Cabral mostrou interesse em apoiar a proposta feita pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, em conversa com o prefeito Eduardo Paes, antes da solenidade no Palácio da Cidade, em Botafogo.

- Essa cidade não se cansa de disputar candidaturas. Dom Orani estava lá na sala do prefeito pedindo o meu apoio e o dele e nós vamos assinar para que o Rio de Janeiro seja sede da Jornada Mundial da Juventude em 2013, com a presença do Papa, adiantou Cabral.

Depois de fazer discurso na abertura do Christmas Festival, Dom Orani Tempesta falou, com exclusividade ao Portal da Arquidiocese, que vê no evento uma oportunidade de evangelização.

- O presépio traz a mente das pessoas tudo o que é o mistério da encarnação e espalhado pelo Rio de Janeiro, esperamos que tanto ajude a todos a buscarem esse Cristo que nasceu para nós, como também estimule as pessoas a fazerem o bem cada vez mais, iluminados pelo Cristo.

O Christmas Festival foi lançado na noite desta terça-feira e a partir de 22 de novembro o Rio de Janeiro receberá 50 presépios em tamanho natural espalhados por praças, shoppings, aeroportos. Tânia Lemos, organizadora do evento, explica que o Christmas Festival é algo inusitado em todo mundo.

- Convidamos 15 artistas plásticos e outros já podem se inscrever através do site do evento. Nós temos uma curadoria que é da Associação Cultural da Arquidiocese do Rio de Janeiro que com um grupo de curadores selecionarão os outros 35 projetos, com isso estamos dando oportunidade a novos talentos.

Responsável pela Arte Sacra na Arquidiocese do Rio de Janeiro, Mons. José Roberto Devellard acredita que o evento ajude a valorizar o Natal como a festa do nascimento de Jesus.

- Não fazemos mais do que nossa obrigação em apoiar um evento como este. O que desejamos mais é que Jesus Cristo seja conhecido. Esta é uma oportunidade única para que isso aconteça.

FONTE: Arquidiocese do Rio de Janeiro

——————————————————————————————
30/04/2009 10.39.29

MANIFESTO DOS BISPOS EM FAVOR DA FAMÍLIA

FONTE: Rádio Vaticano
Itaici, 30 abr (RV) – Os bispos reunidos em Itaici, Indaiatuba (SP), aprovaram no final da tarde de quarta-feira, 29, o Manifesto em favor da família.

No Manifesto, a CNBB reafirma, entre outras coisas, a primazia da família. “A família tem prioridade em relação ao Estado e à sociedade, pois ela é a primeira e mais decisiva fonte onde se transmitem a vida e o seu significado e se experimentam os valores humanos para alcançar o bem da comunidade” – lê-se no texto.

No próximo dia 24 de maio, a Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB realizará uma grande peregrinação nacional em favor da família. Leia, abaixo, a íntegra do Manifesto.
Manifesto em favor da família Nós, Bispos do Brasil, reunidos na 47ª Assembleia Geral da CNBB, em Itaici, Indaiatuba (SP), nos dias 22 de abril a 1º de maio de 2009, a caminho da “Peregrinação Nacional em Favor da Família” ao Santuário Nacional de Aparecida, dia 24 de maio de 2009, nos deparamos com constantes ameaças à vida e à família. À luz da Palavra de Deus, do Magistério da Igreja e da experiência humana, reafirmamos que:

Deus criou o ser humano à sua imagem e semelhança, homem e mulher ele os criou (cf. Gn 1,27), destinando-os à plena realização na comunhão de vida, de amor e de trabalho. Por essa razão, o matrimônio e a família constituem um bem para os esposos e a sociedade. O amor conjugal aberto à geração e educação dos filhos proporciona a experiência de paternidade e maternidade através das quais os pais se tornam colaboradores do Criador. “O futuro da humanidade passa pela família” (João Paulo II);

O Estado e outras organizações civis estão a serviço, defesa e promoção da vida e da família. Ela é sujeito titular de direitos naturais e invioláveis. Sua legitimação se encontra na natureza humana e não no reconhecimento do Estado. A família tem prioridade em relação ao Estado e à sociedade, pois ela é a primeira e mais decisiva fonte onde se transmitem a vida e o seu significado e se experimentam os valores humanos para alcançar o bem da comunidade.

A família goza do direito de ser assistida por políticas públicas governamentais e sociais que possibilitem o seu acesso à vida digna, à alimentação, à saúde, à moradia, ao salário justo, à educação e escola para os filhos, à formação profissional, ao descanso, ao lazer e à infra-estrutura sanitária;

Cabe ao Estado proteger a família estável fundada no matrimônio, não por razões religiosas, mas porque ela gera relações decisivas de amor gratuito, cooperação, solidariedade, serviço recíproco e é fonte de virtudes para uma convivência honesta e justa;

Os meios de comunicação, os poderes públicos, os profissionais de saúde, as universidades, o sistema educacional, as empresas, as instituições e os organismos não-governamentais e todas as igrejas são conclamados a promover os valores da família e agirem como seus amigos;

A Pastoral Familiar, Movimentos, Serviços e Institutos sejam uma força intensa e vigorosa para anunciar o “Evangelho da vida e da família” e acolher aquelas que se encontram em situações especiais. Na verdade, a família contribui para que todos os povos reconheçam os laços fraternos que os unem, pois o mundo é chamado a ser uma grande família, um mundo de irmãos.

Pedimos a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Padroeira do Brasil, que abençoe e acompanhe a família brasileira a fim de que nela habitem a fé, a esperança e o amor tão próprios da Sagrada Família de Nazaré. “Dobremos os joelhos diante do Pai, de quem toda família no céu e na terra, recebe seu verdadeiro nome” (Ef 3,15).

Itaici, Indaiatuba-SP, 29 de abril de 2009

Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana-MG
Presidente da CNBB

Dom Luiz Soares Vieira
Arcebispo de Manaus-AM
Vice-Presidente da CNBB

Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro-RJ
Secretário-geral da CNBB

————————————————————————————–
Papa explica sentido da Semana Santa

Bento XVI explicou esta Quarta-feira o itinerário do Tríduo Pascal, o conjunto de celebrações mais importante do ano para a Igreja, “que que nos oferece a oportunidade para actualizar os mistérios centrais da Redenção”.

“A partir da tarde de amanhã, com a Missa da Ceia do Senhor, os solenes ritos litúrgicos nos ajudam a meditar de forma mais viva a paixão, morte e ressurreição do Senhor”, disse.

Na audiência geral desta semana, o Papa sublinhou que a Missa Crismal deste ano, em que se abençoam o óleo dos catecúmenos e dos enfermos e se consagra o Santo Crisma, “tem um significado particular, pois será quase como uma preparação ao Ano Sacerdotal, que eu convoquei por ocasião dos 150 anos da morte de Santo Cura de Ars, e que terá início no próximo dia 19 de Julho”.

Sobre a celebração da Ceia do Senhor, Quinta-feira à tarde, o Papa recordou que “esta celebração nos convida a dar graças a Deus pelo dom da Eucaristia, que devemos acolher com devoção e adorar com fé”.

Por sua vez, a Sexta-feira Santa, “comemorando a paixão e morte de Jesus na cruz, é um dia de tristeza, mas ao mesmo tempo o momento propício para despertar a nossa fé, reforçar a nossa esperança e coragem para levarmos a nossa cruz, com humildade e confiança em Deus, na certeza do seu apoio e da sua vitória”.

Finalmente, “no grande silêncio do Sábado Santo, a Igreja vela em oração, partilhando os sentimentos de Maria – de sofrimento e de confiança em Deus”.

“Este recolhimento vai-nos conduzir à Vigília pascal, onde explodirá a alegria da Páscoa. Será então proclamada a vitória da luz sobre as trevas, da vida sobre a morte e a Igreja se alegrará pelo reencontro com o seu Senhor”, indicou.

Na saudação aos diversos grupos de peregrinos presentes na Praça São Pedro, Bento XVI dirigiu-se aos participantes no Encontro Internacional UNIV, promovido pelo Opus Dei, exortando-os a responderem com alegria ao chamado do Senhor para dar um sentido à sua vida, através do estudo, no relacionamento com os colegas, em família e na sociedade. “

Aos peregrinos de língua portuguesa, o Papa deixou “os votos mais cordiais de uma feliz e santa Páscoa para cada um dos presentes, suas famílias e comunidades de estudo e de fé. Possam os dias do Tríduo Pascal fortalecer em todos a esperança e a coragem de levar a sua cruz com humildade, confiança e abandono em Deus, certos do seu apoio e da sua vitória. Com estes votos, dou-vos a minha Bênção Apostólica”.

Internacional | Agência Ecclesia| 08/04/2009 | 11:37 | 2456 Caracteres | 149 | Bento XVI

————————————————————-

Epidemiologista de Harvard diz que só preservativos não resolvem problema da Aids

Publicado 2009/03/28
Fonte: Gaudium Press

Bolívia (Sábado, 28-03-2009, Gaudium Press) “Não se pode resolver o flagelo da Aids com a distribuição de preservativos: ao contrário, o risco que se corre é o de aumentar o problema”. As palavras do Papa em Camarões, na primeira etapa de sua primeira visita à África, geraram polêmica planetária e suscitaram críticas de políticos, médicos e ONGs de diversos países. Apesar disso, alguns cientistas foram no sentido oposto ao de outros colegas, defendendo que Bento XVI não estava totalmente equivocado em suas declarações sobre a eficácia dos profiláticos. “A camisinha, por si só, não é a solução”, corroboraram.

Um desses cientistas é Edward C. Green, principal especialista em epidemiologia e Aids da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Em abril do ano passado afirmou à revista de pensamento “First Things” que a Aids havia sido reduzida em Uganda, Quênia, Haiti, Zimbábue, Tailândia e Camboja, e em zonas urbanas da Costa do Marfim, Etiópia, Zâmbia, e Malauí. Segundo ele, o comum entre todos estes lugares é que se havia reduzido o número de casais, aumentado a fidelidade, a monogamia e a abstinência.

Essa linha de tratamento fora defendida em 2004, quando foi traçado e publicado o “consenso Lancet” na revista médica “The Lancet” – a mesma que nesta semana pediu que o Papa se retratasse pelas declarações na África. Por meio dela, 140 especialistas de 36 países estabeleciam o ‘ABC’ (Abstinência”, “Be faithful” (seja fiel) e “Condom” (preservativo)) como linha comum de atuação no combate à epidemia.

O consenso deixava claro que o mais eficaz era o dueto “AB” e que o preservativo não eliminava o risco, mas apenas o reduzia. Em outra recente entrevista para o “National Review Online”, Green explicou a “compensação do risco”:

“Quando se usa uma tecnologia de redução de risco, como no caso do preservativo, para os benefícios do tratamento frequentemente se perdem, e se assume um risco maior que se alguém não usar essa tecnologia”, explica. “Também me dei conta de que o Papa disse que a monogamia era a melhor resposta à Aids na África. Nossas investigações mostram que a redução do número de casais é a mais importante mudança de comportamento associada à redução das taxas de contágio da Aids na África”, afirma.

Segundo Green, o mais eficaz para a África é educar para a abstinência e a monogamia, como, afirma, demonstram há anos Uganda e, recentemente, Quênia, países que investiram nesses valores e viram os contágios serem reduzidos. O epidemiologista sustenta que o modelo na luta contra a Aids é o de Uganda, onde o governo local adotou um programa nos anos 80 que dizia “fique com o seu parceiro ou seja fiel”.

“Ali, os programas tentaram modificar os comportamentos sexuais em um nível mais profundo. E funcionaram”, conclui.

——————————————————————————-
Preservativo não foi solução para AIDS na África do Sul

Um vídeo confirma as palavras do Papa
JOHANNESBURGO, quarta-feira, 25 de março de 2009 (ZENIT.org).- Um novo site oferece documentários nos quais se mostra como é possível lutar contra a AIDS desde uma perspectiva cristã e mostra como, a partir da experiência sul-africana, o preservativo não está detendo a epidemia.

A iniciativa, recém-lançada na rede, publica os documentários audiovisuais, produzidos por Metanoia Media, «Semear entre lágrimas», merecedor de vários prêmios, assim como «Chegou a mudança», no qual se apresentam imagens e testemunhos inéditos dos ativistas católicos na luta contra a AIDS, na África do Sul e na Uganda.

Norman Servais, diretor da companhia de produção sul-africana, explicou à Zenit que «meu país, como se sabe, é a capital mundial da AIDS, de maneira que podem falar-nos de preservativos, se quiserem, mas nós lhes responderemos que não são a solução».

O bispo Hugh Slattery, de Tzaneen, na África do Sul, promoveu a produção destes vídeos como parte de um programa para responder à AIDS a partir de uma perspectiva católica.

Em uma entrevista com Zenit, Dom Slattery explica que o objetivo do segundo documentário consiste em mostrar que «a abstinência antes do casamento e a fidelidade no casamento deterão rapidamente a difusão da AIDS».

Um terceiro documentário da série, «Chamados a prestar ajuda», enfrentará o tema da «assistência aos enfermos, aos que vão morrer, e aos órfãos da AIDS», explica o produtor.

O quarto vídeo, que será divulgado ao final deste ano, mostrará «o casamento e a família como a autêntica solução à pandemia da AIDS».
Mais informação em http://www.catholicportal.co.za/AIDS/The_Change_Is_On.htm
Data da publicação: 25/03/2009

FONTE: Prof. Felipe Aquino – http://www.cleofas.com.br

—————————————–

Vaticano publicará novo documento sobre a Internet – 25/03/2009 – 09:46

O Pontifício Conselho das Comunicações Sociais está preparando um documento sobre a Internet, ressaltando o grande potencial da rede no campo da evangelização e alertando para os riscos que podem derivar da utilização indevida.

“Considerando o desenvolvimento deste meio – explica o Arcebispo Claudio Maria Celli, Presidente do Pontifício Conselho – começamos a refletir sobre um novo documento. Resumindo, será uma atualização da Instrução Pastoral Aetatis Novae, escrita em 1992, quando a Internet praticamente não existia”. Para Dom Celli, “as novas tecnologias induzem a novos comportamentos, novas sensibilidades”. “Assim sendo – esclarece, numa entrevista concedida ao Serviço de Informação Religiosa – embora os princípios fundamentais da Aetatis Novae permaneçam válidos, novas orientações são necessárias”.

Fonte: Radio Vaticano

http://www.acidigital.com/noticia.php?id=15587

Campanhas a favor do preservativo só desinformam sobre o AIDS, advertem médicos

BUENOS AIRES, 24 Mar. 09 / 10:25 am (ACI).- O Consórcio de Médicos Católicos de Buenos Aires, aderiu-se às palavras do Papa Bento XVI sobre a epidemia do HIV-AIDS e indicou que as campanhas a favor do uso dopreservativo “induzem a engano” porque “ocultam informação e não colabora à prevenção”.
Através de um comunicado, o consórcio advertiu que as campanhas de saúde
“apoiadas na distribuição de preservativos para evitar o AIDS”, contribuem mas bem “a uma maior difusão das condutas de risco, já que implicam que as autoridades sanitárias estão dando sua aprovação às condutas e estilos devida que são responsáveis pela epidemia”.
Por isso, o texto lamentou “os dizeres de algumas autoridades de saúde que consideram ‘perigosas’ as declarações do Papa Bento XVI. Pareceria que quer impor totalitariamente um pensamento único, politicamente correto, desdenhando os dados que a ciência nos proporciona”.
Nesse sentido, os médicos católicos lembraram que a mesma Organização Mundial da Saúde, em um estudo de 2000 afirmou que o preservativo tem uma taxa de falha de 14 por cento.
“Ao mesmo tempo -acrescentou-, a Internacional Planned Parenthood Federation (IPPF), uma das promotoras das campanhas chamadas de sexo seguro, situa a taxa de falha no 30%, e a esta se deve acrescentar que ‘o risco de contrair AIDS durante o chamado ‘sexo protegido’ se aproxima a 100% na medida que o número de relações sexuais se incrementa'”.
Do mesmo modo, advertiu que “devido à promiscuidade sexual que alentam as campanhas chamadas de ‘sexo seguro’, tornaram a aparecer enfermidades de transmissão sexual que se acreditavam quase extintas”.
Por isso, os médicos católicos respaldaram as palavras de Bento XVI de que a solução à epidemia do AIDS passa por humanizar a sexualidade, “uma renovação espiritual e humana que tenha aparelhada uma forma nova de comportar-se”.
Finalmente, chamaram “os médicos, educadores, pais de família e às autoridades públicas para que entre todos voltemos a valorar a ordem natural, sem concessões ao ‘mal menor’, vivendo e difundindo um comportamento realmente humano apoiado no exercício das virtudes da moderação, a castidade e a continência”.


 
 
 
VATICANO CONFIRMA POSIÇÃO DA IGREJA CATÓLICA EM RELAÇÃO AOS PRESERVATIVOS

ROMA, 18 MAR (ANSA) – O Vaticano confirmou a posição da Igreja católica em relação ao uso de preservativos contra a Aids, “não considerando que a apostar essencialmente por uma ampla difusão dos preservativos seja realmente o melhor caminho”.
“A Igreja concentra o seu empenho não considerando que a apostar essencialmente por uma ampla difusão dos preservativos seja realmente o melhor caminho, mais prudente e eficaz para combater o flagelo da Aids e guardar a vida humana”, diz o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, em uma nota que visa esclarecer a posição da Santa Sé em relação ao tema.
O padre divulgou o comunicado após a declaração do Papa sobre a Aids ter repercutido entre órgãos civis, imprensa e autoridades de diversos países.
Na terça-feira, a bordo do avião o levou para a África, o Pontífice afirmou que a Aids “é uma tragédia que não pode ser superada com o dinheiro e nem com a distribuição de preservativos, que podem aumentar os problemas”. Em Camarões para a primeira etapa de sua viagem, o Papa também defendeu que a doença só pode ser curada com uma renovação moral no comportamento humano.
Na nota, o Vaticano aponta três diretrizes principais da Igreja católica. A primeira seria a “educação e responsabilidade das pessoas no uso da sexualidade e a reafirmação do papel essencial do matrimônio e da família”. A outra linha se refere às “pesquisas e aplicações de medicamentos eficientes contra a Aids por meio de iniciativas de instituições sanitárias” e o último ponto à “assistência humana e espiritual dos portadores da doença, como de todos os atingidos, que sempre estarão no coração da Igreja”.
“Estas são as diretrizes da Igreja” católica, afirma a nota assinada por Lombardi. (ANSA)
18/03/2009 13:03

FONTE:http://www.ansa.it/ansalatinabr/notizie/fdg/200903181303341415/200903181303341415.html

 
 
Papa não poderia trocar tesouros do Vaticano por comida para África

A proposta lançada no Facebook é mais complicada do que parece

Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 13 de março de 2009 (ZENIT.org).- «Trocar tesouros do Vaticano por comida para a África. Topa?». Com esta mensagem um internauta abriu um espaço no Facebook. Em poucos dias, até esta sexta-feira pela manhã, 32.146 membros haviam aderido.

O cardeal Paul Josef Cordes, presidente do Conselho Pontifício Cor Unum, esclarece que, independentemente do aspecto provocador ou ideológico da proposta, o Papa não poderia aplicá-la, pois o direito internacional o impede.

O presidente do organismo da Santa Sé responsável pela orientação e coordenação entre as organizações e as atividades caritativas promovidas pela Igreja Católica explicou a situação à Zenit em um encontro com jornalistas.

A iniciativa do Facebook foi lançada por um jovem espanhol, Alberto Juesas Escudero, que explica a proposta com alguns argumentos. Alguns deles são: «Porque é uma vergonha ver as riquezas do Vaticano e depois o noticiário».

Outros dos argumentos são: «Porque não admitem seus erros jamais. Porque não pregam com o exemplo. Porque Jesus nasceu em uma manjedoura e vivia em pobreza».

A motivação conclui com expressões ofensivas: «Que vergonha o Vaticano! Que vergonha a religião católica!».

Em sua resposta à pergunta da Zenit, o cardeal Cordes explica que ele escuta este tipo de propostas há 40 anos, e que antes elas se repetiam até mais.

Explica que quando João Paulo II o chamou a Roma para colaborar com ele na Cúria Romana, «o clima era muito forte contra o Vaticano. Então, naquela época, eu me informei e descobri que a Igreja não pode fazer o que quer com as obras de arte que estão no Vaticano».

Na realidade, esclarece, a Igreja «tem a tarefa de conservar as obras de arte em nome do Estado Italiano. Não pode vendê-las».

O purpurado não só cita a teoria, mas sobretudo se refere à realidade. Explica que, quando nos anos 60 um benfeitor alemão fez uma doação para restaurar o Colégio Teutônico, que se encontra dentro do Vaticano, a direção dessa residência, como gesto de agradecimento, deu-lhe uma estátua simples, que não tinha um valor comparável a outras que se encontram nos Museus Vaticanos, que se encontrava dentro do colégio.

Essa pessoa teve muitíssimos problemas com o Estado italiano, pois foi acusado de subtrair bens que a Itália deve custodiar, explicou o cardeal.

«Em todas as nações há medidas para a defesa das obras de arte, porque o Estado deve mantê-las», declara, recordando que os bens da Santa Sé também fazem parte da história cultural da Itália.

O cardeal recorda, por outro lado, que sem a obra da Igreja Católica, o sistema de saúde e educativo de algumas regiões da África não existiria.

«Presidentes africanos reconhecem quando vêm encontrar com o Papa», explica o cardeal Cordes.

Sem a Igreja na África, uma parte dos portadores do HIV ficaria abandonada, pois a Igreja, com sua rede de hospitais, é a instituição que acolhe o maior número de pessoas com este vírus.

Segundo explica o cardeal Cordes, ao atrair o interesse dos meios de informação do mundo por sua próxima viagem à África (Camarões e Angola), de 17 a 23 de março, o Papa centrará a atenção nas necessidades que a África vive, impulsionando ao mesmo tempo medidas concretas de autêntica solidariedade e respeito.

Papa convoca «Ano Sacerdotal»

Bento XVI anunciou esta Segunda-feira a convocação de um “ano sacerdotal” especial, de 19 de Junho 2009 a 19 de Junho de 2010, que terá como tema: “Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote”.

A iniciativa ocorre nos 150 anos da morte do Santo Cura d’Ars, João Maria Vianney, “verdadeiro exemplo de Pastor ao serviço do rebanho de Cristo”.

O anúncio do Papa foi feito na audiência concedida aos participantes na assembleia plenária da Congregação para o Clero, do Vaticano.

Segundo Bento XVI, competirá a esta Congregação, de acordo com os bispos diocesanos e com os superiores dos Institutos religiosos, “promover e coordenar as várias iniciativas espirituais e pastorais que pareçam úteis para fazer perceber cada vez mais a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja e na sociedade contemporânea”.

Um comunicado divulgado pela Sala de Imprensa da Santa Sé revela que o Papa abrirá este “ano sacerdotal”, presidindo à celebração das Vésperas, a 19 de Junho, solenidade do Coração de Jesus, na presença da relíquia de Cura d’Ars trazida pelo Bispo de Belley-Ars.

Bento XVI encerrará esta iniciativa a 19 de Junho de 2010, participando num “Encontro Mundial Sacerdotal”, na Praça S. Pedro, do Vaticano.

Ainda de acordo com o comunicado, durante este ano jubilar, Bento XVI proclamará São João Maria Vianney como “Padroeiro de todos os sacerdotes do mundo”.

Além disso, será publicado o “Directório para os Confessores e os Directores Espirituais”, juntamente com uma colectânea de textos do actual Papa sobre temas essenciais da vida e da missão sacerdotal nos dias de hoje.

São João Maria Vianney, ou Cura d’Ars, nasceu em Dardilly, França, em 1786. Ordenado sacerdote, foi enviado para uma insignificante aldeia, com cerca de 230 paroquianos.

Mais tarde, João Maria Vianney tornou-se o cura de Ars-sur-Formans, no Leste de França. Rezava, fazia penitência, pregava e fazia caridade, cumprindo zelosamente o seu ministério sacerdotal. Permanecia horas e horas a fio atendendo em confissão os peregrinos que a ele acorriam de toda a França, a fim de pedir orientações. Morreu no ano de 1858.

Internacional | Agência Ecclesia| 16/03/2009 | 12:25 | 2136 Caracteres | 87 | Bento XVI

——————————————————————————————————-

Dom Orani Tempesta é o Arcebispo do Rio de Janeiro

Cidade do Vaticano, 27 fev (SIR) – O Santo Padre bento XVI nomeou novo Arcebispo de S ão Sebastião do Rio de Janeiro dom Orani João Tempesta, O. Cist., até agora arcebispo de Belém do Pará. Dom Orani sucede ao card. Eusébio Osacar Scheid, S.C.I., que apresentou sua renuncia ao governo pastoral da Arquidiocese carioca por limite de idade.

Dom Orani João Tempesta, O. Cist., nasceu no dia 23 de junho de 1950 em São José do Rio Pardo, na Diocese de São João da Boa Vista, no Estado de São Paulo. Terminados os estudos secundários em São José do Rio Pardo, em 1967 entrou no mosteiro cisterciense de São Bernardo naquela cidade no interior paulista. Estudou filosofia no Mosteiro de São Bento, em São Paulo, e teologia no Instituto Teológico Salesiano Pio IX, sempre em São Paulo. Emitiu a Profissão Religiosa na Ordem dos Cistercienses a 02 de fevereiro de 1969 e foi ordenado sacerdote a 07 de dezembro de 1974. A partir de 1984 foi eleito prior de seu mosteiro; ao mesmo tempo assumiu a paróquia de São Roque, em São Roque, a São José do Rio Pardo; foi coordenador das Com unicações e da Pastoral diocesana e professor no Seminário ‘Coração de Maria’ em São João da Boa Vista. Em setembro de 1996, quando o mosteiro de São Bernardo foi elevado a abadia, ele foi eleito primeiro Abate. A 26 de fevereiro de 1997 foi nomeado Bispo de São José do Rio Preto (SP) e recebeu a ordenação episcopal a 25 de abril do mesmo ano. No Regional Sul 1 da CNBB foi o responsável pela Pastoral das Comunicações Sociais. A 13 de outubro de 2004 foi nomeado Arcebispo de Belém do Pará e em 2007 participou, como delegado, da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe. Atualmente é vice-presidente do Regional Norte 2 da CNBB, presidente da Comissão nacional para a Cultura, a Educação e as Comunicações Sociais e membro do Conselho Permanente, do Conselho Pastoral e do Conselho Econômico da CNBB. No Rio de Janeiro, dom Orani contará com a colaboração de seis bispos auxiliares, entre os quais o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa

Nova encíclica do Papa analisará atual crise econômica Anunciou Bento XVI esta Quinta-feira, aos sacerdotes de Roma
Bento XVI está a preparar uma encíclica sobre a crise econômica e os problemas sociais. O anúncio foi feito pelo Papa durante o tradicional encontro na Quaresma com os sacerdotes da diocese de Roma.

O encontro com os participantes decorreu sob a forma de diálogo e foi questionado sobre o que poderá a Igreja fazer para ajudar as muitas famílias que passam necessidades, que Bento XVI sublinhou a tarefa que a Igreja tem de denunciar os problemas sociais e econômicos.

A encíclica vai abordar “a importância de falar com consciência ética”, explicou.

Segundo o Papa “precisamos de denunciar de forma concreta sem moralizar. Precisamos perceber de forma concreta como mudar esta situação”, para além de “procurar razões para o mundo econômico e iluminá-lo com a fé”.

“Hoje a razão é escura. A raiz da avareza é o egoísmo que escurece a razão”, apontou.

Segundo o Papa a falência dos grandes bancos norte-americanos é uma consequência da “avareza humana e da idolatria ao dinheiro”.

Bento XVI afirmou ainda que a “justiça não pode ser construída apenas com base em bons modelos econômicos”. “A justiça só pode ser alcançada com os que se comprometem com as humildes e diárias tarefas de converter os corações. Por isso o trabalho realizado pelos sacerdotes é fundamental para a humanidade”, concluiu.

Com SIR
Internacional | Agência Ecclesia| 27/02/2009 | 10:48 | 1331 Caracteres | 22 | Bento XVI

————————-
————————————————————-CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL
Conselho Episcopal de Pastoral – 12ª Reunião
Brasília – DF, 11 a 13 de fevereiro de 2009
Brasília-DF, 13 de fevereiro de 2009
P – Nº 0078/09NOTA DA CNBB EM DEFESA DOS DIREITOS SOCIAIS BÁSICOS
SOB AMEAÇA NA PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA”O que os apóstolos nos recomendaram foi somente que nos lembrássemos dos pobres”
(Cf. Carta de São Paulo aos Gálatas 2,10).
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em defesa da Seguridade Social e em atenção à articulação de várias entidades nacionais, reunidas em Brasília, no dia 05 de fevereiro de 2009, para discutir este assunto, volta a se pronunciar sobre a Proposta de Reforma Tributária nos termos seguintes.
Face às iminentes mudanças inseridas na Proposta de Emenda Constitucional – PEC nº 233/08, relativa à Reforma Tributária, que inviabilizam o atual ordenamento dos direitos sociais da Constituição Federal de 1988, particularmente do seu sistema de Seguridade Social, fica patente a necessidade de esclarecer e difundir as implicações sociais e políticas da reforma em discussão.
No que se refere à Seguridade Social, a proposta oriunda do Executivo e já aprovada na Comissão Especial da Câmara Federal, afetará diretamente os usuários do Sistema Único de Saúde, bem como a vida de 32 milhões de titulares de benefícios da Previdência Social, Assistência Social e Seguro Desemprego cujo valor, para os 2/3 desses beneficiários, é um salário mínimo.
O cerne da preocupação da CNBB em relação à proposta de reforma, ora em tramitação na Câmara, é a perda de garantia de recursos necessários ao atendimento dos direitos sociais básicos. Se aprovada na forma atual, a PEC 233/08 quebrará salvaguardas constitucionais, acabando com a garantia de destinação exclusiva de recursos para a Seguridade. Na medida em que transforma contribuições sociais em impostos, modifica a natureza das fontes de recursos atualmente assegurados pelo art. 195 da Constituição para o financiamento da Seguridade Social.
Essa nova versão do art. 195 desmorona a construção constitucional que assegura direitos sociais, com prioridade de recursos para o atendimento das legítimas demandas atuais e futuras. Na proposta de emenda desaparece a garantia de proteção aos pobres e de busca da igualdade. Os recursos das contribuições anteriormente destinadas à Seguridade Social são remetidos à competição entre setores financeiros, empresariais e políticos com peso e poder econômicos bem maiores que os dos credores preferenciais de todo sistema de proteção social no mundo moderno – órfãos, viúvas, desempregados, idosos e incapacitados para o trabalho.
Almejamos que a Reforma Tributária tenha o sentido de justa distribuição da renda, minorando as desigualdades e venha resgatar os valores da solidariedade e os princípios de equidade social. A PEC 233/08 caminha no sentido oposto, inviabilizando o financiamento de direitos sociais. Por esta razão é inaceitável.
Entendemos que a PEC 233/08 não pode seguir sua tramitação no Parlamento e não deveria ser submetida a voto. É imprescindível que haja esclarecimentos e correções sobre suas conseqüências e efeitos para os direitos sociais básicos.
Brasília-DF, 13 de fevereiro de 2009Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana
Presidente da CNBB
Dom José Alberto Moura, CSS
Arcebispo de Montes Claros
Vice-Presidente da CNBB em exercíciohttp://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2009/02/56019-papa+pede+que+brasil+mantenha+proibicao+a+celulas+tronco.htmlPapa pede que Brasil mantenha proibição a células-tronco
09/02/2009 – 11h48 ( – Agência EFE)
Em discurso ao novo embaixador do Brasil para a Santa Sé, Luiz Felipe de Seixas Corrêa, o papa Bento XVI pediu que o Governo brasileiro mantenha a proibição ao aborto, à eutanásia e às pesquisas com células-tronco embrionárias.Ele apelou para o Governo “fomente os valores humanos fundamentais, a família e a proteção do ser humano desde o momento de sua concepção até a morte natural e exigiu, respeito aos experimentos biológicos, que se proteja o direito do embrião a nascer”.Bento XVI ressaltou as boas relações entre a Santa Sé e o Brasil dizendo que ambos coincidem na defesa do bem comum para a nação, na qual os católicos formam a maioria da população.O papa se disse satisfeito pelas políticas “de desenvolvimento, de luta contra a pobreza e de renovação tecnológica” do Governo brasileiro e encorajou para consiga “uma melhor distribuição da renda e maior justiça social para o bem da população”.Vaticano convoca famílias para o México
Encontro Mundial de 2009, sem a presença do Papa, fala de aborto, divórcio, matrimónio e também de consciência ecológicaA transmissão de valores humanos e cristãos na família será o tema central do VI Encontro Mundial das Famílias (EMF), que, de 14 a 18 de Janeiro, deve reunir dezenas de milhares de pessoas na Cidade do México. Para a cerimónia conclusiva espera-se a presença de um milhão de fiéis.Na apresentação do evento, esta Sexta-feira, o Vaticano lembrou temas como o aborto, o divórcio, a eutanásia e questões de bioética. “A família dos nossos dias deve enfrentar, com criatividade e espírito propositivo, o desafio de uma cultura individualista e mercantilista, baseada na produção e no consumismo”, refere o comunicado oficial.”Temos um conceito errado de liberdade, entendida como autonomia fechada em si própria; privilegiam-se outras formas de convivência que ofuscam o valor da família, baseada no matrimónio de um homem e uma mulher”, aponta a nota, frisando que “colocar-se ao serviço da vida e da educação dos filhos torna-se hoje muito difícil”.No México estarão representados 98 países, incluindo Portugal. Marcam presença 30 Cardeais, 200 Bispos e mais de 300 jornalistas.A Igreja Católica quer mostrar, no EMF, o seu “grande esforço de evangelização, apoiando as famílias cristãs nos seus valores e apoiando-as numa vasta estratégia de promoção, de defesa da vida desde a sua concepção à morte natural, bem como dos direitos da família, também no âmbito político, cultural, económico e social.Para celebrar o EMF foi preparado o “Mosaico das famílias”, com mais de 7000 fotos de famílias de todo o mundo que forma, como num mosaico, a imagem de Bento XVI.Além disso, haverá a “Floresta das Famílias”, iniciativa que consiste na reflorestação de algumas zonas do globo por iniciativa dos participantes no EMF do México, um meio para “incrementar a consciência ecológica” tão promovida pelo actual Papa.No EMF, as famílias encontram-se para dialogar e aprofundar temas da actualidade, procurando conhecer e partilhar o papel da família cristã na nova evangelização. Esta foi uma criação de João Paulo II, em 1994, que se repete de três em três anos, juntando milhares de famílias para rezar, dialogar, aprender, compartilhar e aprofundar o entendimento do papel da família cristã.Cada EMF é organizado pelo Conselho Pontifício para a Família com a colaboração da diocese eleita como sede.Para o Cardeal Ennio Antonelli, presidente do referido Conselho Pontifício, “a família e os jovens são duas prioridades para a Igreja em qualquer parte do mundo” e este EMF no México é “um acontecimento muito importante que Bento XVI segue com particular atenção e afecto”.Num encontro com a imprensa, no Vaticano, o Cardeal Antonelli lembrou que, apesar de não marcar presença pessoalmente na Cidade do México, o Papa intervirá em directo na missa conclusiva, no dia 18.Antes das grandes iniciativas do EMF, terá lugar um congresso teológico-pastoral (14-16 de Janeiro), que conta já com 5700 inscrições.Posteriormente, será a Basílica de Guadalupe o centro das celebrações, com evento festivo a 17 de Janeiro e a Missa conclusiva no dia seguinte.O Vaticano espera que o EMF 2009 venha a ser uma “experiência notável de fraternidade universal”, com povos de culturas diversas “unidos na fé em Cristo e no amor à Igreja Católica”.Para este acontecimento, o Papa nomeou como seu enviado o Cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano e seu mais directo colaborador, que irá encerrar o congresso teológico-pastoral e presidir às cerimónias de 17 e 18.No passado dia 28 de Dezembro, Bento XVI pediu orações “para este importante evento eclesial” e por “cada família, especialmente as mais afectadas pelas dificuldades da vida e pelas chagas da incompreensão e da divisão”.Foi em Valência, em Julho de 2006, que o Papa anunciou que o próximo Encontro Mundial das Famílias seria celebrado neste ano de 2009, na Cidade do México. “À amada Igreja que peregrina na nobre Nação mexicana e na pessoa do Senhor Cardeal Norberto Rivera Carrera, Arcebispo daquela cidade, expresso desde já a minha gratidão pela sua disponibilidade”, disse então.Lançando o tema do VI EMF, “A família, formadora nos valores humanos e cristãos”, Bento XVI diria mais tarde que “Como primeira escola de vida e de fé, e como ‘Igreja doméstica’, a família está chamada a educar as novas gerações nos valores humanos e cristãos para que, orientando a sua vida segundo o modelo de Cristo, forjem nelas uma personalidade harmoniosa”.Internacional | Octávio Carmo| 09/01/2009 | 13:26 | 4538 Caracteres | 176 | FamíliaVaticano participa no Ano Internacional da Astronomia Mais de 130 países vão este ano celebrar o Ano Internacional da Astronomia. Também o Vaticano está envolvido nesta iniciativa.O Ano Internacional da Astronomia foi estabelecido pelas Nações Unidas para coincidir com o 400º aniversário da primeira vez que Galileu Galilei usou o telescópio para observar o cosmos.O Vaticano junta-se à celebração e envolve também os Museus Vaticanos, o Observatório Vaticano e serviços irão participar em diversas iniciativas.Em Dezembro, Bento XVI enviou saudações a todos os que estarão envolvidos na celebração anual. O Papa tem repetidamente rezado por Galileu, recordando-o como “um homem de fé que viu a natureza como um livro escrito por Deus”. Bento XVI afirmou ainda que a descobertas da ciência e da astronomia podem ajudar as pessoas a “apreciar melhor as maravilhas da criação divina”.
Internacional | Agência Ecclesia| 05/01/2009 | 12:43 | 846 Caracteres | 14 | Santa Sé

Papa nomeia bispo para a diocese de Guiratinga

em 24/12/2008 09:47:00

Hoje, 24, o papa Bento XVI nomeou bispo para a vacante diocese de Guiratinga (MT) o padre Derek John Christopher Byrne, SPS (Sociedade Missionária de S. Patrício), consultor da diocese de Juína (MT).

Padre Derek nasceu no dia 17 de janeiro de 1948. Fez seus estudos primário e  colegial na Irlanda. É bacharel em Artes e Filosofia pela University College Cork da Irlanda; fez Teologia na ST. Patrick’s College, Kiltegan, Co. Wicklow, na Irlanda. Foi ordenado sacerdote no dia 09 de junho de 1973 na Sociedade Missionária de São Patrício.

Esteve no Brasil de 1973 a 1980, quando atuou na paróquia de Cotia, da arquidiocese de São Paulo. De 1980 a 1990, esteve em Nova Jérsei nos Estados Unidos; de 1990 a 2002, foi membro do Conselho Geral da sua congregação, na Irlanda; em 2004, trabalhou na paróquia da Castanheira, na diocese de Juína.

FONTE: CNBB

———————————————————————————————-

Sexta, 12 de dezembro de 2008, 10h23
Vaticano volta a condenar clonagem humana

O Vaticano condena a clonagem humana, a fecundação assistida, o congelamento de embriões e de óvulos, a eliminação voluntária de embriões, a pílula do dia seguinte e o uso de células-tronco embrionárias para a pesquisa.
Assim assinala uma instrução (documento vaticano) sobre questões de bioética preparada pela Congregação para a Doutrina da Fé e apresentada por seu secretário, o jesuíta Luis Francisco Ladaria Ferrer, de 64 anos.

O documento atualiza o anterior sobre o mesmo tema, de 1987, e dá ao embrião a categoria de pessoa.

Nesse sentido, ressalta que “o ser humano tem que ser respeitado e tratado como pessoa desde o instante de sua concepção e que por isso a partir desse mesmo momento deve ter reconhecido seus direitos de pessoa”.

O texto assinala que a origem da vida humana tem seu “autêntico contexto no casamento e na família, onde é gerada por meio de um ato que expressa amor recíproco entre homem e mulher”.

Sobre as técnicas de procriação, o Vaticano considera que só são lícitas “as que respeitam o direito à vida e à integridade física de cada ser humano, a unidade do casamento, que envolve o direito dos cônjuges de se tornar pai e mãe”.

Além disso, manifesta que a Igreja reconhece o desejo legítimo de um filho e o sofrimento dos casais que não os podem ter, mas precisa que o desejo de uma criança “não justifica a produção” e, da mesma forma, a rejeição a ter uma não justifica o abandono ou o aborto.

FONTE: Portal Terra Notícias

—————————————————————————–

Papa faz nova mudança na Cúria Romana

Bento XVI nomeou hoje como novo prefeito da Congregação do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos o Cardeal Antonio Cañizares Llovera, Arcebispo de Toledo desde 2002 e Primaz de Espanha. Trata-se na sexta mudança na liderança das Congregações da Cúria Romana, que são nove.

O Cardeal espanhol substitui no cargo o nigeriano Francis Arinze, que apresentou a sua resignação por ter ultrapassado o limite de idade estabelecido pelo Direito Canónico (75 anos).
A Congregação do Culto Divino ocupa-se da regulamentação e promoção da liturgia, em primeiro lugar dos Sacramentos. Conforme determina a Constituição Apostólica “Pastor Bonus”, de João Paulo II – que redifiniu o funcionamento da Cúria -, esta Congregação “favorece e tutela a disciplina dos Sacramentos, de modo especial em tudo aquilo que diz respeito à válida e lícita celebração dos mesmos”
A Congregação promove com meios eficazes e adequados a acção pastoral litúrgica, de modo particular naquilo que se refere à celebração da Eucaristia e assiste os Bispos diocesanos, para que os fiéis participem cada vez mais activamente na sagrada liturgia.
O novo prefeito, Cardeal Cañizares Llovera, nasceu em Outubro de 1945. Foi ordenado sacerdote em 1970 e destacou-se na investigação teológica.
Foi ordenado Bispo em 1992 e criado Cardeal pelo actual Papa em 2006. Na Conferência Episcopal do seu país desempenhou os cargos de vice-presidente, membro do comité executivo e da comissão permanente e presidente da comissão responsável pela área do ensino e da catequese.
Na Cúria Romana é membro da Congregação para a Doutrina da Fé e da Comissão Pontifícia “Ecclesia Dei”.
Internacional | Octávio Carmo| 09/12/2008 | 11:36 | 1653 Caracteres | 38 | Bento XVI © Copyright Agência Ecclesia

Celebração do rito da paz está em análise
Cardeal Francis Arinze apresentou ao Papa a terceira edição do Missal Romano

Bento XVI recebeu, neste sábado, o prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, o Cardeal Francis Arinze. O cardeal nigeriano apresentou ao Papa a terceira edição do Missal Romano, que contém orações e indicações teológicas, pastorais e espirituais para a celebração da liturgia. Não se trata de uma nova edição, mas somente de pequenos ajustes.

Em entrevista ao jornal L’Osservatore Romano, o cardeal falou que a celebração do rito da paz está em análise. O papa está a consultar o episcopado de todo o mundo para saber se convém inserir o rito da paz durante o ofertório.

“Muitas vezes, não se compreende o pleno significado desse gesto. As pessoas pensam que é uma ocasião para apertar a mão dos amigos. Na verdade, é uma maneira de dizer para quem está do nosso lado que a paz de Cristo, presente realmente no altar, está também com todos os homens. A mudança de transferir o rito para o ofertório seria uma maneira de criar um clima mais íntimo enquanto nos preparamos para a comunhão”, disse o cardeal.

Comentando o próximo Sínodo para a África, em 2009, o cardeal nigeriano definiu-o como um “evento providencial”, porque a África necessita de mais justiça e de paz. “É bom entender que nem tudo vai mal: há sociedades pacíficas e nações democráticas. Mas ainda há demasiada violência entre grupos étnicos, massacres e corrupção. E não podemos fingir que não sabemos de nada.”

Além de apresentar a nova edição do missal, o cardeal Arinze recebeu as felicitações do papa pelos seus 50 anos de sacerdócio, que foram celebrados neste sábado, na Basílica de S. Pedro.

Com Rádio Vaticano

Internacional | Agência Ecclesia| 22/11/2008 | 17:21 | 1635 Caracteres | 191 | Santa Sé

Dois jovens transformam Sínodo e são transformados por ele
Falam os ouvintes Silvia Sanchini (25 anos) e Daniele Boscaro (28 anos)
Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 28 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- Foram os dois participantes mais jovens no Sínodo dos Bispos e ambos confessam que foram transformados por esta assembléia. Não sabem que eles também transformaram a assembléia.

São Silvia Sanchini, presidente nacional feminina da Federação Universitária Católica Italiana (FUCI), de 25 anos, e Daniele Boscaro, chefe de clã da Associação de Guias e Escoteiros Católicos Italianos de Pádua, de 28 anos.

Bento XVI os nomeou como ouvintes da XII Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, celebrada de 5 a 26 de outubro sobre «A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja».

Silvia, cabelo intensamente negro e sorriso espontâneo, confessa à Zenit que não esperava esta nomeação do Papa. «Uma moça tão jovem!» «De fato, a FUCI nunca havia sido convidada. É uma novidade, uma linda novidade», reconhece.

Ao fazer um balanço destas três semanas, nas quais participou das congregações gerais e dos grupos de trabalho lingüísticos (círculos menores), explica: «Para mim foi muito importante ter um panorama da Igreja universal, pois enriquece a Itália».

Quando se vêem os problemas de outras pessoas se valoriza a própria realidade, confessa. «O problema de muitos fiéis do mundo que não podem ler a Bíblia para nós parece um problema que não existe. Nós temos as possibilidades, mas não as aproveitamos.»

Daniele também está fascinado com sua participação no Sínodo. Nas pausas durante o café, o Papa pôde saudar os participantes. O chefe de clã revela com um sorriso: «O Papa me dedicou mais tempo que aos bispos. Apresentou-me o cardeal Angelo Bagnasco, presidente da Conferência Episcopal Italiana, que participou dos escoteiros, e o Papa nos disse: ‘Obrigado pelo que fazeis como escoteiros’».

«O que um chefe de clã faz em um Sínodo?» «Como educadores, como leigos comprometidos, interessa-nos o amor pela Palavra», responde.

De fato, na Itália, os escoteiros organizam há 50 anos acampamentos sobre a Palavra de Deus para os educadores, «para que se convertam em anunciadores da Palavra viva, não da letra morta», declara.

Tanto Silvia como Daniele foram porta-vozes dos jovens no Sínodo e a eles dedicaram sua intervenção na assembléia.

Silvia pediu aos padres sinodais «propostas sérias e qualificadas para favorecer o encontro dos jovens com a Palavra».

Em particular, propôs promover a Lectio Divina (a leitura orante da Escritura), como instrumento para a oração pessoal e comunitária, assim como «jornadas e semanas de estudos bíblicos dirigidas aos jovens, de preferência em colaboração com as comunidades monásticas».

Daniele, em sua intervenção na assembléia, pediu que o Sínodo da Palavra sirva para despertar os leigos, o «gigante adormecido» da Igreja.

O cardeal Óscar Rodríguez Maradiaga, arcebispo de Tegucigalpa, ao fazer com Zenit um balanço deste Sínodo, reconheceu que as intervenções de Silvia e Daniele ajudaram os padres sinodais a pensarem nos jovens.

Em particular, explica, refletiu-se nos grupos de trabalho e nos passeios em como promover grupos de Lectio Divina particularmente entre universitários, como Silvia propôs.

————————————————

Sábado, 25 de outubro de 2008, 13h03
Participantes do Sínodo recebem fac-símile de Papiro do século II

Rádio Vaticano

Na sessão da tarde de ontem, 24, foi entregue ao Santo Padre e aos participantes do Sínodo um fac-símile do Papiro Bodmer XIV-XV.

Este papiro contém quase todo o Evangelho de Lucas e mais da metade daquele de João. Confrontado com outros manuscritos, o código Bodmer foi datado entre 175 e 225 d.C. e é, atualmente, a obra mais preciosa da Biblioteca Apostólica Vaticana.

No fac-símile entregue aos padres sinodais, constam duas folhas que contêm o Prólogo do Evangelho de João e a oração do Pai-nosso do Evangelho de Lucas.

Segundo o bibliotecário e arquivista da Santa Igreja Romana, Cardeal Raffaele Farina, o texto do Novo Testamento participa, mesmo que instrumentalmente, do mistério da Encarnação de Cristo. Assim sendo, a Biblioteca Vaticana deu ao mundo uma contribuição única para a conservação e a transmissão integral dos textos originais da Sagrada Escritura, de modo especial do Novo Testamento.

O Papiro Bodmer XIV-XV chegou ao Vaticano em 22 de novembro de 2006. É constituído de 51 folhas (num total de 102 páginas) inteiras ou fragmentárias. O seu texto é muito semelhante ao atestado, durante o império de Constantino, pelo código B (o célebre Vaticano grego 1209). Este, com o código Sinaítico, é o mais antigo testemunho de toda a Bíblia grega.

———————————————————

‘Igreja é uma comunidade, não uma associação’, defende Papa
Plantão | Publicada em 15/10/2008 às 13h02m

O Globo
CIDADE DO VATICANO – O Papa Bento XVI lembrou nesta quarta-feira que a Igreja é o corpo vivo de Cristo na fé, assembléia convocada por Deus em todo lugar e tempo, e não “um simples edifício” nem uma soma de igrejas locais.

O Pontífice fez esta declaração diante dos cerca de 25 mil fiéis que acompanhavam a audiência geral de hoje, partindo do conceito de Igreja (do grego Ekklesía) introduzido pelo apóstolo Paulo para indicar uma assembléia querida por Deus.

A Igreja, ao chegar à consciência da unidade na fé, seguiu o Pontífice, pôde renunciar a seus símbolos distintivos, como a circuncisão, “porque todos os povos começavam a ser em sua variedade a Igreja de Cristo”.

Segundo o Papa, “Paulo não apenas sabia que não se vira cristão por coerção, mas que, na nova formação, o componente institucional da Igreja estava vinculado a um anúncio dirigido a todos os povos que os une como único povo de Deus”.

Trata-se de um conceito, especificou o Papa, que reflete a sociologia da época, a qual descrevia a sociedade como um corpo único que, no cristianismo, adquire nova realidade, pois a “Ekklesía” se transforma em corpo e sangue de Cristo pelo sacramento da Eucaristia.

“Em resumo, Paulo fez justiça ao mesmo tempo às diversidades presentes no corpo eclesial e à estrutura que o protege dos riscos de desordem e também de desagregação”, continuou.

Trata-se, segundo Bento XVI, de um povo que também é “família”, lugar íntimo e afetuoso de relações interpessoais, e ainda sempre uma comunidade querida por Deus. “Paulo sabe e nos lembra que a Igreja não é sua nem nossa, mas corpo de Cristo e Igreja de Deus”, completou.

Encíclica social do Papa deverá ser publicada até final do ano
A encíclica social do Papa Bento XVI deverá ser publicada até final deste ano. O anúncio foi feito pelo presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e os Itinerantes (CPPMI), Cardeal Renato Raffaele Martino, durante a conferência de imprensa de apresentação da mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, 2009, realizada ontem na sala de imprensa da Santa Sé.

Respondendo à pergunta de um jornalista se existe a possibilidade da publicação de uma encíclica social de Bento XVI, o Cardeal Martino respondeu: “Mais do que uma possibilidade, isso é uma realidade, um projecto já concretizado e esperamos que o Papa possa publicá-la antes do final deste ano”.
Ainda durante o encontro com os jornalistas, este responsável deu o seu parecer favorável à construção de mesquitas na Europa. “Os imigrantes que chegam aos nossos países e contribuem para a manutenção do nosso nível económico, têm necessidade de lugares para rezar, e a isso ocorre prover de maneira decente”, afirmou. “Eu sei que também as Igrejas locais estão a trabalhar neste sentido”, completou.
“A Igreja – recordou – não pode deixar de auspiciar que a dignidade humana das pessoas seja respeitada, pois todos, residentes, refugiados ou imigrante temos os mesmos direitos, porque todos pertencemos à raça humana”.
Para o presidente do CPPMI, “é necessário exigir que os imigrantes aceitem a cultura e as leis do país aonde chegam. É, porém, importante que exista colaboração cultural, e naturalmente, se há pessoas de cultura e religião diversas, é necessário prover também às suas exigências”.
Já D. Agostino Marchetto, secretário CPPMI, precisou que também é tarefa da Igreja católica “ajudar os irmãos imigrantes a conservar a dimensão transcendente da vida”.
Internacional | Rádio Vaticano| 09/10/2008 | 13:18 | 1785 Caracteres | 96 | Bento XVI

———————————-

Jogador de futebol deixa os gramados para ser padre
SRZD – Fé | 24/07/2008 18:36:00 |
Quem pensa que a transação da semana passada no futebol foi a ida de Ronaldinho Gaúcho, do Barcelona para o Milan, provavelmente desconhece a decisão de Chase Hilgenbrinck de trocar o New England Revs pela Igreja Católica. O jogador deixou o time para iniciar os seis anos de aprendizado que o farão padre.

O zagueiro, de 26 anos, havia acabado de se transferir de volta ao futebol dos Estados Unidos, depois de quatro temporadas jogando no Chile, e anunciou sua decisão de trocar o futebol pelo estudo da teologia e da filosofia.

Hilgenbrinck afirma que não está desiludido com o futebol, mas que esperar o final natural de sua carreira antes de se dedicar ao sacerdócio já não era mais viável. “Eu pensei nisso. Continuo muito apaixonado pelo esporte, e não o deixaria por nenhum outro emprego. Mas estou trocando o futebol pelo Senhor”, declarou Hilgenbrinck.

A Igreja e o futebol não são antagônicos. O Papa João Paulo II jogou como goleiro em sua Polônia natal, e continuou a acompanhar o esporte pelo resto da vida. O Vaticano tem uma equipe amadora, que joga de amarelo e branco, e o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado da Igreja, é torcedor dedicado da Juventus e entusiasta do futebol entre os jovens religiosos.

Criado em uma família católica devota, em Bloomington, Illinois, Chase Hilgenbrinck se transferiu como profissional ao Chile depois de defender a Universidade Clemson e não ser selecionado por nenhuma equipe profissional da Major League Soccer, a liga profissional de futebol dos Estados Unidos, em 2004.

“Houve um momento em que achei que minha vocação talvez fosse o futebol profissional. Mas descobri que minha alma anseia por outra coisa”, Hilgenbirnck concluiu.

——————————————————————-

Vaticano é admitido por unanimidade na Interpol
07/10 – 06:50 – EFE

Moscou, 7 out (EFE).- O Vaticano foi admitido hoje por unanimidade na Interpol durante a 77ª Assembléia Geral dessa organização internacional, que começou nesta terça-feira em São Petersburgo.

A cooperação do Estado vaticano com a Interpol estará a cargo da Gendarmaria e da Guarda Suíça, disse o representante da Santa Sé ao discursar aos delegados do fórum na Rússia, informou a agência local “Interfax”.

A Gendarmaria vaticana, o corpo militar que realiza os trabalhos da Polícia e de segurança no Estado do Vaticano, poderá trocar informação com o resto de policiais e atualizar seus conhecimentos sobre procedimentos operacionais para combater o crime.

“É possível que nossa participação pareça simbólica para alguns, mas desejamos realmente tirar proveito de nossa cooperação”, indicou o representante do papa Bento XVI.

EFE

Cidade do Vaticano, 05 out (RV) – Depois da missa na Basílica de S. Paulo Fora dos Muros, Bento XVI voltou ao Vaticano para rezar o Angelus com fiéis e peregrinos na Praça S. Pedro.

O papa dedicou a alocução que precede a oração mariana ao Sínodo dos Bispos, explicando sua criação e finalidade: “Trata-se de um organismo importante, instituído em 1965 pelo meu venerado predecessor o servo de Deus Paulo VI, durante a última fase do Concílio Vaticano II. O Sínodo tem as seguintes finalidades: fornecer informações diretas e exatas acerca da situação e dos problemas da Igreja; favorecer o consenso sobre a doutrina e a ação pastoral; e enfrentar temáticas de grande importância e atualidade”.

Essas tarefas são coordenadas por uma Secretaria permanente, que atua em direta e imediata dependência da autoridade do Bispo de Roma.

Bento XVI acrescentou que a dimensão sinodal é constitutiva da Igreja: “Ela consiste no ‘con-vir’ de todos os povos e culturas para se tornar um em Cristo e caminhar juntos atrás d’Ele, que disse: ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida'”.

De fato, continuou o pontífice, a palavra grega sýnodos, composta da preposição syn, ou seja, “com”, e por odós, que significa “caminho, estrada”, sugere a idéia do “caminhar juntos”, e é justamente esta a experiência do Povo de Deus na história da salvação.

“Para a Assembléia sinodal ordinária que tem início hoje, escolhi, acolhendo pareceres de especialistas, o tema da Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja, para ser aprofundada em perspectiva pastoral.”

Bento XVI recordou que a participação na fase preparatória por parte das Igrejas particulares de todo o mundo foi muito ampla. Elas enviaram suas contribuições à Secretaria do Sínodo, a qual, por sua vez, elaborou o Instrumentum laboris, o documento sobre o qual os 253 Padres sinodais irão se confrontar: 51 da África, 62 da América, 41 da Ásia, 90 da Europa e 9 da Oceania.

A eles, acrescentam-se inúmeros especialistas e auditores, homens e mulheres, como também os “delegados fraternos” de outras Igrejas e comunidades eclesiais e alguns enviados especiais.

Por fim, o Santo Padre convidou todos a sustentar os trabalhos do Sínodo com a oração, invocando especialmente a materna intercessão de Nossa Senhora, perfeita Discípula da Palavra divina. Ouça sua bênção apostólica:

Após a oração do Angelus, Bento XVI saudou os fiéis em várias línguas. Em italiano, ele recordou que tem início hoje a iniciativa “Bíblia dia e noite”, promovida pela RAI (televisão pública italiana).
O papa explicou que se trata da leitura contínua de toda a Bíblia, por sete dias e sete noites, até o próximo sábado, 11 de outubro. A sede será a Basílica romana da Santa Cruz em Jerusalém, e os leitores são quase 1.200, de 50 países. Dentre eles, o arcebispo de S. Paulo, Card. Odilo Pedro Scherer. (BF)

—————————————————————————-

Sexta, 3 de outubro de 2008, 07h09

Papa reitera condenação da Igreja à anticoncepção

CIDADE DO VATICANO, 3 Out 2008 (AFP) - O Papa Bento XVI reiterou nesta sexta-feira a condenação da Igreja Católica à anticoncepção, por ocasião dos 40 anos da polêmica encíclica “Humanae vitae” de Paulo VI sobre o tema, que fechou a porta a qualquer evolução.
“Excluir a possibilidade de dar a vida por meio de uma ação destinada a impedir a procriação significa negar a verdade íntima do amor conjugal”, afirma o Papa em uma mensagem dirigida aos participanes de um colóquio sobre a “Humanae Vitae” e publicada pelo serviço de imprensa do Vaticano.

O único método contraceptivo admitido pela Igreja Católica, quando o casal passa por “circunstâncias graves” que justificam atrasar os nascimentos é “a observação dos ritmos naturais da fertilidade da mulher” (ou seja a abstinência no período de fertilidade), acrescenta o Sumo Pontífice.

A encíclica “Humanae vitae” provocou em 1968 um terremoto na Igreja Católica e causou o afastamento de muitos fiéis de uma instituição que para eles não levava em consideração as realidades da vida.

—————————————————————————–

É possível superar crises matrimoniais, assegura Papa

Recuperar a esperança para que a chama do amor volte a arder

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 26 de setembro de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI não só está convencido de que é possível superar as crises matrimoniais, mas também constata que a relação dos casais que conseguem isso se torna mais profunda, seu amor fica reforçado.

Porém, para que a chama do amor volte a arder, o Papa constata a necessidade de pessoas que apóiem os cônjuges nos momentos de escuridão, sobretudo dando-lhes esperança, contra a corrente comum hoje em dia de apresentar o divórcio como a solução.

Assim explicou o pontífice nesta sexta-feira, ao receber os participantes do encontro internacional do movimento Retrouvaille (http://www.retrouvaille.org), iniciativa surgida da «providencial intuição» – assim a qualificou o Santo Padre – do casal canadense Guy e Jeannine Beland, em 1977, para ajudar os casais em grave crise.

O bispo de Roma considerou que a crise conjugal – falava de «crises sérias e graves» – constitui uma realidade «com duas faces».

Por um lado, explicou, «apresenta-se, especialmente em sua fase aguda mais dolorosa, como um fracasso, como a prova de que o sonho acabou ou se transformou em um pesadelo e, infelizmente, ‘não há nada a fazer’».

No entanto, segundo o Papa «há outra face, que nós desconhecemos com freqüência, mas que Deus vê. Toda crise, de fato – a natureza nos ensina -, constitui o passo a uma nova fase da vida. Ainda que no caso das criaturas inferiores isso aconteça de maneira automática, no ser humano implica a liberdade, a vontade e, portanto, uma ‘esperança maior’ que o desespero».

É nesse momento que o trabalho de pessoas como as que participam no movimento Retrouvaille é necessária, indicou o Papa.

«Nos momentos mais escuros, os cônjuges perderam a esperança; então se dá a necessidade de outras pessoas que a custodiem, de um ‘nós’, de uma companhia de autênticos amigos que, com o máximo respeito, mas também com sincera vontade de bem, estejam dispostos a compartilhar algo de sua própria esperança com quem a perdeu. Mas não de maneira sentimental ou superficial, e sim organizada e realista.»

Deste modo, no momento da ruptura, oferecem ao casal «uma referência positiva na qual confiar frente ao desespero».

«De fato, quando a relação se degenera, os cônjuges caem na solidão, tanto individual como de casal. Perdem o horizonte da comunhão com Deus, com os demais e com a Igreja. Então, vossos encontros oferecem o ‘amparo’ para não se perder totalmente e para voltar a subir pouco a pouco a montanha.»

Por este motivo, apresentou às pessoas que ajudam os casais em Cristo como «custódios de uma esperança maior para os esposos que a perderam».

«Quando um casal em dificuldade ou – como demonstra vossa experiência – inclusive já separado, se encomenda a Maria e se dirige Àquele que fez dos dois ‘uma só carne’, pode estar seguro de que a crise se converterá, com a ajuda do Senhor, em um momento de crescimento e que o amor será purificado, amadurecido, reforçado.»

Isso, advertiu Bento XVI, «só Deus pode fazer, Ele que quer servir-se de seus discípulos como de válidos colaboradores para aproximar-se dos casais, escutá-los, ajudá-los e redescobrir o tesouro escondido do matrimônio, o fogo que foi sepultado sob as cinzas».

«Reaviva e faz que volte a arder a chama; certamente, não como no enamoramento, mas de uma maneira diferente, mais intensa e profunda: porém, é sempre a mesma chama», afirmou.

O Programa Retrouvaille, segundo explica em seu site, consiste em viver um fim de semana combinado com uma série de 6 a 12 sessões de fim de semana durante três meses.

Oferece instrumentos para ajudar o casal a reordenar a sua vida. O programa sublinha particularmente a comunicação no matrimônio entre o homem e a mulher, dando aos esposos a oportunidade de redescobrir-se mutuamente e de examinar suas vidas juntos de uma maneira positiva e nova.

—————————————————————

CNBB: Nota sobre a doação de órgãos

Reunidos em Brasília nos dias 24 a 26 de setembro de 2008, nós – Bispos do Conselho Permanente da CNBB – desejamos esclarecer a posição da Igreja Católica a respeito da doação de órgãos de pessoas com morte encefálica comprovada. A questão tem sua relevância, dado o grande número de pessoas que estão à espera de algum tipo de órgão.
Recordamos antes de tudo a Palavra do Senhor, que diz: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mc 10,45). Guiados pela luz do evangelho, vemos na doação voluntária de órgãos um gesto de amor fraterno em favor da vida e da saúde do próximo. É uma prova de solidariedade, grandeza de espírito e nobreza humana.
O magistério da Igreja tem se manifestado favorável à doação voluntária de órgãos. O Catecismo da Igreja Católica afirma: “a doação gratuita de órgãos após a morte é legítima e pode ser meritória” (n. 2301). A encíclica Evangelium Vitae ensina: “merece particular apreço a doação de órgãos feita segundo normas eticamente aceitáveis para oferecer possibilidades de saúde e de vida a doentes, por vezes já sem esperança” (n. 86). O Papa João Paulo II por ocasião do 18º Congresso Internacional sobre Transplantes de Órgãos, dizia: “A doação de órgãos é uma decisão livre de oferecer, sem recompensa, uma parte do próprio corpo em benefício da saúde e do bem-estar de outra pessoa”. (Roma 29 de agosto de 2000).
Manifestamos nossa solidariedade para com milhares de pessoas que estão em lista de espera, na expectativa de receber algum órgão para sua sobrevivência, recuperação e saúde. Encorajamos as pessoas e especialmente as famílias a que – livre, conscientemente e com a devida proteção legal – doem órgãos como gesto de amor solidário em consonância com o evangelho da vida. Certamente estamos diante de um gesto nobre e comovente: um sim à vida. Aproveitamos a ocasião também para recordar que a moral católica considera lícita não apenas a doação voluntária de órgãos, bem como os transplantes. Encorajamos a todos a colaborarem sempre mais com as doações de sangue e de medula óssea, tão necessárias.
No entanto, destacamos que a doação de órgãos exige rigorosa observância dos princípios éticos que proíbem a provocação da morte dos doadores, a comercialização e o tráfico de órgãos. Sejam conscienciosamente respeitadas a inviolabilidade da vida e a dignidade da pessoa. A ética determina, ainda, que o consentimento do doador ou de sua família seja livre e consciente, após ter recebido todas as informações requeridas.
A Lei Federal nº 10.211 de 23 de março de 2001, determina que a família tem o direito de decidir a doação de órgãos da pessoa em estado de morte encefálica; assim, aqueles que se dispõem à doação, devem manifestar previamente aos familiares a sua intenção. O Sistema Nacional de Transplantes é que decide sobre os critérios de destinação justa dos órgãos doados e sobre a organização das listas de espera, evitando e coibindo toda tentativa de comércio de órgãos.
A doação de órgãos não contraria à fé cristã na ressurreição final, pois “Deus dá vida aos mortos e chama à existência o que antes não existia” (Rm 4,17). Todos aqueles que se dispõem a doar órgãos aos irmãos, tenham a certeza de que o amor e tudo o que se faz por amor permanecerão para sempre: “o amor jamais acabará” (1Cor 13,8).
Brasília-DF, 25 de setembro de 2008
Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana
Presidente da CNBB
Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário-Geral da CNBB
FONTE: CNBB
———————————————————————–
Bento XVI esclolhe três Bispos Brasileiros para funcionar como membros dos trabalhos Sinodais
Cidade do Vaticano, -A Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos publicou, no ultimo dia 06, os nomes dos Membros, dos Peritos e dos Auditores escolhidos pelo Santo Padre, para participarem da XII Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que se realizará no Vaticano, de 5 e 26 de outubro, sobre “A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja”.

Membros para os trabalhos sinodais
Dentre os 32 membros o Papa escolheu três brasileiros: Dom Odilo Pedro Scherer, cardeal-arcebispo de São Paulo, que, recordamos, também é um dos três Presidentes Delegados do Sínodo); Dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida e Presidente do CELAM, Conselho Episcopal Latino-americano); e Dom Filippo Santoro, bispo de Petrópolis (RJ).

Peritos sinodais
Dentre os 41 membros, Bento XVI escolheu dois brasileiros: Luís Henrique da Silva, Coordenador da Revisão da Bíblia e Assessor da Comissão Episcopal de Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB; e o Padre John Maria Herman Konings, docente de Sagrada Escritura, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Auditores nos trabalhos do Sínodo
Enfim dentre estes 37 membros, estão dois brasileiros: Moysés Louro de Azevedo Filho, Fundador e Moderador Geral da Comunidade Católica “Shalom”; e Ari Luís do Valle Ribeiro, docente de Teologia no Seminário diocesano de Santo Amaro (SP). (MT)
Fonte: Radio Vaticano.

Bento XVI: rito extraordinário em latim não se opõe ao Concílio
13/09/2008 Mais uma vez o Papa afirmou que a missa em latim nada tem contra o Concilio Vaticano II e muito menos significa uma volta a trás. Em 12 de setembro de 2008 (ZENIT.org), o Papa disse que “É infundado ver na publicação do «motu proprio» sobre o rito extraordinário da missa em latim, como se celebrava antes do Concílio Vaticano II, uma volta atrás”, afirmou aos jornalistas que o acompanhavam durante o vôo papal à França.

Diante da pergunta que se é um retrocesso para a Igreja a publicação do ´motu proprio´ “Summorum Pontificum” sobre o rito extraordinário em Latim na missa (7 de julho de 2007), o Papa explicou que «é um medo infundado, pois este ‘motu proprio’ é simplesmente um ato de tolerância, com um objetivo pastoral, para pessoas que foram formadas nesta liturgia, que a amam, que a conhecem e querem viver com esta liturgia».

«É um pequeno grupo, pois supõe uma formação em latim, uma formação em certa cultura. Mas me parece uma exigência normal da fé e da pastoral para um bispo de nossa Igreja ter amor e tolerância por estas pessoas e permitir-lhes viver com esta liturgia», reconheceu o Papa.

«Não há oposição alguma entre a liturgia renovada pelo Concílio Vaticano II e esta liturgia. Cada dia, os padres conciliares celebraram a missa segundo o rito antigo e, ao mesmo tempo, conceberam um desenvolvimento natural para a liturgia em todo este século, pois a liturgia é uma realidade viva, que se desenvolve e que conserva em seu desenvolvimento sua identidade.»

«Portanto, há certamente acentos diferentes, mas uma identidade fundamental que exclui uma contradição, uma oposição entre a liturgia renovada e a liturgia precedente. Creio que existe uma possibilidade de enriquecimento pelas duas partes.»

«Está claro que a liturgia renovada é a liturgia cotidiana do nosso tempo», concluiu.

Com essas palavras do Papa fica claríssimo que ele nada tem contra o Concílio Vaticano II, ao contrário, dele participou ativamente e reconhece a sua importância para a Igreja. Logo, é preciso que cessem as vozes dissonantes que confundem os fiéis querendo fazê-los crer que o Papa trás a Igreja de volta ao passado, como se o Espírito Santo a tivesse conduzido com engano. Ora, não se pode duvidar que desde Pentecostes Ele conduz e guia a Igreja sem erro. Os católicos verdadeiramente fiéis ao Papa e ao Magistério da Igreja devem refutar essa mentalidade de “volta ao passado” como se a Igreja tivesse errado o caminho. O Espírito não se contradiz.

FONTE:Prof. Felipe Aquino – www.cleofas.com.br

——————————————————————-

Para o Vaticano, morte cerebral não caracteriza morte do ser humano Plantão | Publicada em 02/09/2008 às 17h37m – O Globo

CIDADE DO VATICANO – O jornal do Vaticano Osservatore Romano defendeu hoje em seu editorial que a declaração de “morte cerebral” não pode mais ser parâmetro para definir o fim de uma vida, e deve ser revista em virtude dos novos avanços científicos. A declaração contraria o “Relatório de Harvard”, que há 40 anos modificou a definição de morte. Na época, paradas cardíacas, circulatórias e respiratórias eram o que definia a morte, mas o relatório demonstrou que o parâmetro deveria ser a morte encefálica.

Na época, a Igreja Católica havia aceitado a definição, proclamando-se favorável à retirada dos órgãos dos pacientes com morte cerebral. Posteriormente, porém, foi demonstrado que a “morte cerebral não corresponde à morte do ser humano”, ressaltou o Osservatore Romano. Atualmente, a Igreja se encontra em uma situação delicada, pois “a idéia de que a pessoa deixe de existir quando o cérebro pára de funcionar considera a existência do ser levando em conta somente o funcionamento cerebral”, defendeu o jornal. O editorial explicou ainda que “este fato entra em contradição com a concepção católica da existência e, desta forma, com as orientações da Igreja no que se refere aos casos de coma profundo”.

O artigo levantou a possibilidade de que a definição de morte “tenha sido motivada mais por interesse, ou pela necessidade, de transplante de órgãos do que por um real avanço científico”. Segundo o Osservatore Romano, muitos médicos, juristas e filósofos norte-americanos estão de acordo que “a morte cerebral não é a morte do ser humano”. As informações são da Ansa

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

CNBB lança Diretório da Liturgia 2009 – 22/08/2008 – 16:04

As Edições CNBB lançaram, nesta semana, o novo Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil, edição 2009. Publicado anualmente, o Diretório traz a relação das dioceses, bispos e as datas litúrgicas referentes a 2009

Já está pronta a nova edição do Diretório da Liturgia e da Igreja no Brasil, ano 2009. Segundo o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, o livro é uma síntese do Ano Litúrgico. “Os mistérios de Cristo no decorrer do ano, desde a encarnação e nascimento até a ascensão, ao Pentecostes e à expectativa da feliz esperança da vinda do Senhor”. O livro traz, também, uma síntese da organização da Igreja no Brasil.

“Trata-se de um subsídio indispensável para as dioceses, paróquias e comunidades”, explica dom Dimas. Este livro deve auxiliar as pessoas durante o Ano B, dedicado ao apóstolo Marcos, bem como tirar dúvidas sobre os regionais da CNBB, dioceses, bispos, entre outros.

O novo Diretório Litúrgico tem 420 páginas, com acabamento em brochura e pode ser encontrado nas Edições CNBB, em Brasília, no Setor de Embaixadas Sul, Quadra 801, Conjunto B. Informações pelo telefone (61) 2103-8383; site: www.edicoescnbb.com.br; e-mail: vendas@edicoescnbb.com.br.

———————————————————————–

Projeto “PADROEIRA DO BRASIL” Arquivado

Proposição: PL-2623/2007 Clique para obter a íntegra -> Íntegra disponível em formato pdf
Autor: Professor Victorio Galli – PMDB /MT Clique para obter os detalhes do autor.

Data de Apresentação: 12/12/2007
Apreciação: Proposição Sujeita à Apreciação Conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II
Regime de tramitação: Ordinária
Situação: MESA: Arquivada.

Ementa: Altera a redação da Lei nº 6.802, de 30 de junho de 1980.

Explicação da Ementa: Altera a redação da Lei para compatibilizar o feriado nacional do dia 12 de outubro para homenagem oficial à Nossa Senhora Aparecida, Padroeira dos brasileiros católicos apostólicos romanos, em contraposição ao termo “Padroeira do Brasil”.

Indexação: Alteração, lei federal, feriado nacional, religião, Igreja Católica.

Despacho:
30/1/2008 – Às Comissões de Educação e Cultura e Constituição e Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD) – Art. 24, II Proposição Sujeita à Apreciação Conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II Regime de Tramitação: Ordinária

Legislação Citada

Pareceres, Votos e Redação Final
– CEC (EDUCAÇÃO E CULTURA)
PAR 1 CEC (Parecer de Comissão) Clique para o detalhe da proposição.
PRL 1 CEC (Parecer do Relator) – Átila Lira Clique para o detalhe da proposição.
Última Ação:
22/8/2008 – Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA) - Arquivado nos termos do artigo 133 do RICD.

Obs.: o andamento da proposição fora desta Casa Legislativa não é tratado pelo sistema, devendo ser consultado nos órgãos respectivos.
Andamento:
12/12/2007 PLENÁRIO (PLEN)
Apresentação do Projeto de Lei pelo Deputado Professor Victorio Galli (PMDB-MT). Clique para obter a íntegra
30/1/2008 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)
Às Comissões de Educação e Cultura e Constituição e Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD) – Art. 24, II Proposição Sujeita à Apreciação Conclusiva pelas Comissões – Art. 24 II Regime de Tramitação: Ordinária Clique para obter a íntegra
30/1/2008 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)
Encaminhamento de Despacho de Distribuição à CCP para publicação.
6/2/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Recebimento pela CEC.
7/2/2008 COORDENAÇÃO DE COMISSÕES PERMANENTES (CCP)
Encaminhada à publicação. Publicação Inicial no DCD de 8/2/2008.
27/3/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Designado Relator, Dep. Átila Lira (PSB-PI)
28/3/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Prazo para Emendas ao Projeto (5 sessões ordinárias a partir de 31/03/2008)
9/4/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Encerrado o prazo para emendas ao projeto. Não foram apresentadas emendas.
10/6/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Apresentação do Parecer do Relator, PRL 1 CEC, pelo Dep. Átila Lira Clique para obter a íntegra
10/6/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Parecer do Relator, Dep. Átila Lira (PSB-PI), pela rejeição. Clique para obter a íntegra
9/7/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Aprovado por Unanimidade o Parecer.
9/7/2008 Comissão de Educação e Cultura (CEC)
Encaminhamento de Parecer à CCP para publicação – Ofício n° 371/2008-CEC.
10/7/2008 COORDENAÇÃO DE COMISSÕES PERMANENTES (CCP)
Parecer recebido para publicação.
5/8/2008 COORDENAÇÃO DE COMISSÕES PERMANENTES (CCP)
Encaminhada à publicação. Parecer da Comissão de Educação e Cultura publicado no DCD de 06/08/08, Letra A.
6/8/2008 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)
Sujeito a arquivamento, nos termos do art. 133 do RICD. Prazo para apresentação de recurso, nos termos do § 1º do art. 58 do RICD (5 sessões ordinárias a partir de 07/08/2008).
21/8/2008 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)
Encerramento automático do Prazo de Recurso. Não foram apresentados recursos.
22/8/2008 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)
Arquivado nos termos do artigo 133 do RICD.

Fonte:http://www2.camara.gov.br/proposicoes

————————————————

Católicos a favor do aborto não devem comungar, precisa Prefeito da Assinatura Apostólica VATICANO, 19 Ago. 08 / 06:10 am (ACI).- O Prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica da Santa Sé, Arcebispo Raymond L. Burke, precisou que os católicos, especialmente os políticos que publicamente defendem o aborto não devem comungar; e se referiu também à responsabilidade de caridade que têm os ministros da comunhão de negar-lhes a mesma, se a solicitarem, “até que tenham reformado a própria vida”.

Em uma entrevista concedida à revista Radici Cristianize (Raízes Cristãs), Dom Burke, quem fora até recentemente Arcebispo de Saint Louis (Estados Unidos), explicou que os católicos não têm o direito de receber a Eucaristia.

“Quem pode reivindicar um direito a receber o Corpo de Cristo? Tudo é um ato sem medida do amor de Deus. Nosso Senhor se faz Ele mesmo disponível em seu Corpo e em seu Sangue mas não podemos dizer jamais que temos o direito de recebê-lo na Santa Comunhão. Cada vez que nos aproximamos dele, devemos fazê-lo com uma profunda consciência de nossa indignidade”, explicou o Prefeito.

Depois de comentar que entre os fiéis se vêem às vezes atitudes de irreverência ao receber a Comunhão, o Arcebispo destacou que “receber indignamente o Corpo e o Sangue de Cristo é um sacrilégio. Se o fizer deliberadamente em pecado mortal é um sacrilégio”.

“Se tivermos um pecado mortal na consciência, devemos primeiro nos confessar desse pecado e receber a absolvição, e só depois nos aproximar do Sacramento Eucarístico”, ressaltou.

Seguidamente pôs como exemplo deste sacrilégio o caso de qualquer “funcionário público que com conhecimento e consentimento sustenta ações que estão contra a lei moral Divina e Eterna. Por exemplo, apoiar publicamente o aborto procurado, que comporta a supressão de vidas humanas inocentes e indefesas. Uma pessoa que comete pecado desta maneira deve ser admoestada publicamente de modo que não receba a Comunhão até que não tenha reformado a própria vida”.

“Se uma pessoa que foi admoestada persiste em um pecado mortal público e se aproxima de receber a Comunhão, o ministro da Eucaristia tem a obrigação de negar-lhe a mesma, por que? Sobre tudo pela salvação da própria pessoa, lhe impedindo de realizar um sacrilégio”, adicionou.

O Prelado vaticano indicou logo que negar a Comunhão nestes casos impede que se gere o escândalo; “em primeiro lugar, um escândalo referente a nossa disposição para receber a Santa Comunhão”.

Quer dizer, disse, “deve-se evitar que a gente seja induzida a pensar que se pode estar em estado de pecado mortal e aproximar-se da Eucaristia. Em segundo lugar, poderia existir outra forma de escândalo, consistente em levar às pessoas a pensar que o ato público que esta pessoa está fazendo, que até agora todos acreditavam que era um pecado sério, não o é tanto se a Igreja lhe permite receber a Comunhão”.

“Se tivermos uma figura pública que aberta e deliberadamente sustenta os direitos abortistas e que recebe a Eucaristia, o que terminará pensando a gente comum? Pode chegar a acreditar que é correto até certo ponto suprimir uma vida inocente no seio materno”, advertiu.

O Prefeito da Assinatura Apostólica disse também que quando um bispo ou autoridade eclesiástica impede que um abortista receba a comunhão “não tem nenhuma intenção de interferir na vida pública mas no estado espiritual do político ou do funcionário público que, se for católico, deve seguir a lei divina também na esfera pública”

“Portanto, é simplesmente ridículo e errado tratar de silenciar a um pastor acusando-o de interferir em política para que não possa fazer o bem à alma de um membro de sua grei”, disse o Prelado vaticano.

Depois de afirmar que é “simplesmente errôneo” pensar que a fé deve reduzir-se ao privado abandonando o âmbito público, o Arcebispo alentou a “dar testemunho de nossa fé não só no privado dos nossos lares mas também em nossa vida pública com outros para dar um forte testemunho de Cristo”.

FONTE: CNBB

——————————————————————-

Bento XVI convida teólogos luteranos para refletir sobre Jesus – 18/08/2008 – 14:55

Com vista à preparação do seu segundo livro sobre Jesus de Nazaré, o Papa pediu a dois teólogos luteranos para um encontro para discutirem sobre assuntos que Bento XVI irá escrever. Martin Hengel e Peter Stuhlmacher, ambos professores reformados de Teologia protestante na Universidade de Tubingen, na Alemanha, foram convidados a estar junto do Papa, no próximo dia 30 de Agosto, para um encontro em Castel Gandolfo.

Entre os dias 29 e 31 de Agosto terá lugar o encontro anual de Bento XVI com os estudantes, conhecido como o «círculo de estudantes».

Estes encontros foram iniciados pelo ainda Cardeal Joseph Ratzinger em 1978.

Martin Hengel manifestou a sua alegria por poder participar neste encontro. A reflexão do Papa vai incidir em «Questões sobre Jesus de Nazaré histórico: considerações depois de ter escrito um livro sobre Jesus».
FONTE: Agencia Ecclesia-Portugal

———————————————————–

CNBB lança material da CF 2009

A CNBB faz o lançamento dos subsídios da Campanha da Fraternidade de 2009. Para esse próximo ano a Igreja propõe o tema: “Fraternidade e Segurança Pública” sendo o lema: “A Paz é fruto da justiça”. O lançamento ocorreu às 15 h na programação do 5º CONAGE (Congresso Nacional de Gestão Eclesial), evento anexo a 6ª ExpoCatólica, realizado na pavilhão amarelo do Expo Center em São Paulo-SP

O lançamento foi dirigido pelo secretário-geral da CNBB, Dom Dimas Lara Barbosa. Estiveram presentes autoridades civis e religiosas, como o ministro da Justiça, Tarso Genro, o secretário Adjunto de Segurança, Guilherme Bueno de Carvalho, o arcebispo metropolitano de São Paulo, Dom Odilo Pedro Cardeal Scherer e o dirigente e fundador da Comunidade Canção Nova, Monsenhor Jonas Abib.

Dom Dimas ressalta que, a novidade desse ano está em disponibilizar o material com bastante antecedencia, para que o mesmo esteja nas mãos de todas as comunidades a fim de uma melhor preparação e reflexão do tema.

Para o Cardeal Scherer, a Campanha da Fraternidade propõe uma parceria em busca de uma serurança e comundade de paz. O tema aponta um grande interesse a toda a sociedade. A Igreja quer com essa Campanha participar da educação e cultura, ou seja, da formação de consciência que busca uma cultura de paz, respeito, direito, para vencer essa escala emergente de violência na sociedade.

O ministro Tarso Genro, ascena a importância do tema proposto pela Igreja do Brasil, para que a Segurança Pública reconheça a dignidade do ser humano, contra a violência.

Durante a solenidade também foi lançada a obra resultante da parceria entre as Edições CNBB e a Editora Canção Nova: Novo Testamento e Salmos, pelo Mons. Jonas Abib. Para o Mons. Jonas, na dinâmica do ver, julgar e agir, nessa campanha a Igreja quer refletir esse julgar à luz da Sagrada Escritura, ou seja, sobre os critérios da Palavra de Deus.

Os padres da Diocese de Presidente Prudente, Pe. Evandro Carbonário, Pe. Éverton Aparecido da Silva e Pe. Nivaldo Vitorino da Silva, e as secretárias da Paróquia São Francisco de Assis Tatiana Aparecida Santos Ferreira e Jaqueline Ignácio Evangelista, participantes do 5º CONAGE, puderam presenciar o evento.

O Material estará disponivel pela CNBB, pelo site: http://www.edicoescnbb.org.br

FONTE: Pe. Evandro Carbonário

quarta-feira, 30 de julho de 2008, 12:25 | Online

Papa Bento 16 concede dispensa a presidente eleito do Paraguai

REUTERS

ASSUNÇÃO – O Vaticano anunciou na quarta-feira uma decisão histórica. O papa Bento 16 concedeu uma dispensa ao ex-bispo e presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, eliminando sua autoridade religiosa.

Lugo foi bispo em San Pedro, uma paupérrima região ao norte do Paraguai, durante mais de uma década, mas renunciou no fim de 2006 para dedicar-se à política. A decisão foi criticada pela Igreja.

Em abril, Lugo foi eleito presidente para um mandato de 5 anos. Ele assume o governo no dia 15 de agosto.

“É a primeira vez que se faz isso (a dispensa). Ela foi aceita porque o povo o elegeu e seu pedido foi reconsiderado porque não é compatível com seu estado clerical ocupar também a Presidência da República”, disse o núncio apostólico, Orlando Antonini, em uma coletiva em Assunção.

“O Santo Padre concede o pedido de dispensa do estado clerical… agora é laico, então, não há mais essa situação (de sanção por rebeldia)”, acrescentou.

(Por Daniela Desantis)

———————————————————–

OLIVEIRA DE JOÃO PAULO II DÁ FRUTOS ENQUANTO AS OUTRAS MURCHAM

JERUSALÉM, 29 Jul. 08 / 08:24 pm (ACI).- Em 2000, quando o lembrado Servo de Deus João Paulo II peregrinou a Terra Santa, deu-se um tempo para benzer um olivo no Monte das Bem-aventuranças. Recentemente um trabalhador do Fundo Nacional Judeu (JNF) informou que esta é a única árvore do bosque de oliveiras que cuida que está dando frutos este ano.
Segundo Uri Shani, Diretor de Águas do Israel, o país está confrontando “a pior crise em 80 anos. As principais fontes de água do Israel, incluindo o Mar da Galiléia e a montanha aqüífera, estão debaixo das ‘linhas vermelhas’, quer dizer que não podem ser fontes de água”.
Por esta razão, o trabalhador do JNF, Yossi Karni, comentou à imprensa local que este fato da oliveira abençoada por João Paulo II, e as azeitonas que está produzindo “é um milagre”.
Seguidamente explicou que tudas as árvores na zona são tratados de maneira similar e que os que não foram bentos não deram frutos este ano. “Recebem igual cuidado, igual quantiddade de água”, explicou e acrescentou que alguns das outras árvores inclusive começaram a murchar.
Ao responder sobre o que vai fazer com os frutos, Karni assegurou ao canal 10 de Israel que vai comercializar seu “azeite santo”.

——————————————————————————————————————

——————————————————————-

Sexta-feira, 25 de Julho de 2008
Pedra do Mar Morto confirma divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo

Cientistas israelenses analisaram cuidadosamente uma laje de pedra com perto de 100 centímetros de altura que contém 87 linhas em hebraico. Ela data de vários lustros antes do nascimento de Jesus Cristo.

A descoberta abalou os círculos de arqueologia bíblica hebraicos porque prova que os judeus alimentavam a expectativa de um Messias que haveria de vir e que ressuscitaria três dias depois de morto.

Para os católicos a pedra é mais uma confirmação da Fé e das Escrituras. Porém, a descoberta semeou consternação entre os judeus, pois é uma prova da divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O achado deixa em situação incomoda à Sinagoga que O crucificou e os que compartilham o deicídio.

A placa foi achada perto do Mar Morto e é um raro exemplo de inscrição em tinta sobre pedra em duas colunas como a Torá (é o equivalente nas escrituras hebraicas ao Pentateuco, i. é, os cinco primeiros livros da Bíblia).

Para Daniel Boyarin, professor do Talmude na Universidade de Berkeley, a peça é mais uma evidência de que Jesus Cristo corresponde ao Messias tradicionalmente esperado pelos judeus. Ada Yardeni e Binyamin Elitzur, especialistas israelenses em escrita hebraica, após detalhada análise, concluíram que datava do fim do primeiro século antes de Cristo. O professor de arqueologia da Universidade de Tel Aviv, Yuval Goren fez uma análise química e acha que não se pode duvidar de sua autenticidade.

Israel Knohl, professor de estudos bíblicos da Universidade Hebraica, defende que a pedra prova que a “a ressurreição depois de três dias é uma idéia anterior de Jesus, o que contradiz praticamente toda a atual visão acadêmica”. Compreende-se a confusão e a contradição que a descoberta cria no judaísmo.

FONTE: http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com/2008/07/pedra-do-mar-morto-confirma-divindade.html

—————————————————————————

23/07/2008 14.14.37

OLIMPÍADAS: PADRES ESTRANGEIROS VÃO CELEBRAR MISSAS PARA TURISTAS EM PEQUIM

Pequim, 23 jul (RV) – As igrejas católicas de Pequim vão poder contar com padres estrangeiros para celebrar missas e, assim, atender à demanda dos turistas presentes na China para assistir aos Jogos Olímpicos. O anúncio foi feito ontem pela agência de notícias Xinhua, citando autoridades eclesiásticas.

As missas serão celebradas em francês, italiano e alemão. “Apesar de os padres chineses serem capazes de falar vários idiomas, os padres estrangeiros têm mais facilidade de celebrar as missas em suas línguas”, disse Yu Shuqin, da diocese de Pequim.

O Conselho Cristão da China encomendou 100 mil cópias da Bíblia e do Novo Testamento com o logotipo das Olimpíadas na capa. Alguns dos livros já foram enviados para a Vila Olímpica e para igrejas da capital e de outras cidades onde ocorrerão alguns eventos dos Jogos, afirmou Xinhua.

A China conta cerca de 40 milhões de cristãos praticantes. Esse total divide-se entre os que freqüentam as igrejas sancionadas pelo governo e os que freqüentam igrejas consideradas “ilegais”, como a Igreja Católica fiel ao Vaticano. (BF)

FONTE: Radio Vaticano

——————————————————————————-

Papa nomeia Antônio Emidio Vilar como bispo de São Luiz de Cáceres

Cidade do Vaticano, 23 jul (EFE).- O papa Bento XVI nomeou Antônio Emidio Vilar como bispo de São Luiz de Cáceres (MT), em substituição de José Vieira de Lima, que renunciou ao cargo devido a limites de idade, informou hoje o escritório de imprensa do Vaticano Antônio Emidio Vilar nasceu em 1957 em Guardinha (MG), foi ordenado sacerdote em 1986 e atualmente era responsável da paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora e diretor da comunidade salesiana em Bom Retiro (SP). EFE

 

“Chega agora o momento de vos dizer adeus, ou melhor, até logo. Agradeço-vos por terem participado na Jornada Mundial da Juventude de 2008, aqui em Sydney, e espero que voltemos a nos ver em três anos”, disse Bento XVI ao se despedir dos mais de 200 mil jovens que participaram da XXIII Jornada Mundial da Juventude em Sydney. “A Jornada Mundial da Juventude de 2011 acontecerá em Madri, na Espanha”, anunciou Bento XVI sob a explosão de gritos e aplausos de milhares de espanhóis que balançaram bandeiras vermelhas e amarelas.

O anúncio foi feito neste domingo, 20, após a missa de encerramento da JMJ, que teve inicio no dia 15. Esta será a segunda vez que a Espanha aconherá os jovens para o encontro com o papa. Em 1989, Santiago de Compostela sediou o evento que teve a presença do papa João Paulo II.

FONTE: CNBB

Bento XVI confirma bispos brasileiros para o Sínodo de outubro
sábado: 12 de julho de 2008

O papa Bento XVI homologou os nomes dos bispos brasileiros que participarão do Sínodo dos Bispos, que acontece em Roma, no próximo mês de outubro. Os nomes foram indicados pela assembléia da CNBB, realizada em Itaici-Indaiatuba (SP) no mês de abril.

Participarão do Sínodo o arcebispo de Mariana (MG) e presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha; o arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo; o arcebispo de Ribeirão Preto e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, dom Joviano de Lima Júnior e o bispo de Goiás (GO) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-catequética da CNBB, dom Eugène Lambert Adrian Rixen.

No dia 24 de junho, o papa já havia nomeado o arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer, um dos presidentes delegados do Sínodo que começa no dia 5 de outubro e termina no dia 26 do mesmo mês.

Foram confirmados também como suplentes o bispo da Prelazia do Xingu (PA), dom Erwin Kräutler, e o bispo de Tubarão (SC), dom Jacinto Bergmann.

Esta é a 12ª Assembléia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos e terá como tema A Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja.

Fonte: CNBB

——————————————————————————

Papa vai lançar a leitura integral da Bíblia na televisão ROMA (AFP) – O Papa Bento XVI vai dar início a um ciclo de leitura integral da Bíblia, durante uma semana seguida, na televisão pública italiana RAI, anunciou esta última nesta quinta-feira.

Durante uma semana, de 5 a 11 de outubro, 1.200 pessoas vão se apresentar diante das câmeras do canal educativo da RAI para ler ao vivo e sem interrupção os 73 livros da Bíblia, da Gênese ao Novo Testamento.

Bento XVI será o primeiro leitor desta iniciativa original com o primeiro livro da Gênese. Ainda não foi estabelecido se falará ao vivo, como os demais, ou será gravado, mas para que tenha o máximo de audiência sua intervenção será transmitida pela RaiUno, a mais assistida dos canais públicos.

O secretário de Estado do Papa, o cardeal Tarcisio Bertone, encerrará o ciclo com o 22º capítulo do Apocalipse.

Além dos fiéis, vão participar da leitura dezenas de bispos que estão em Roma a convite do Papa para o evento.

Bento XVI se mostrou convencido da importância deste projeto, que se limita “a um puro anúncio da Palavra” (de Deus), destacou monsenhor Gianfranco Ravasi, presidente do conselho pontifício pela Cultura.

——————————————————————————-

DIVULGADO O TEMA DO 42° DIA MUNDIAL DA PAZ 2009: “COMBATER A POBREZA, CONSTRUIR A PAZ” Cidade do Vaticano, 1º jul (RV) – A Mensagem de Sua Santidade Bento XVI para o 42º Dia Mundial da Paz, que se celebrará no dia 1º de janeiro de 2009, será dedicado ao tema: “Combater a pobreza, construir a paz”.

O tema escolhido pelo Santo pretende sublinhar a necessidade de uma resposta urgente da família humana à grave questão da pobreza, entendida como problema material, mas antes de tudo moral e espiritual.

Também recentemente o Santo Padre denunciou o escândalo da pobreza no mundo: “… como se pode permanecer insensíveis aos apelos daqueles que, nos diversos continentes, não conseguem alimentar-se suficientemente para viver? Pobreza e desnutrição não são uma mera fatalidade, provocada por situações ambientais adversas ou por desastrosas calamidades naturais… as considerações de caráter exclusivamente técnico ou econômico não devem prevalecer sobre os deveres de justiça para com todos aqueles que padecem a fome” (Mensagem de Sua Santidade Bento XVI à FAO – 2 de junho 2008).

O escândalo da pobreza manifesta a ineficácia dos atuais sistemas de convivência humana na promoção e realização do bem comum (cfr Concilio Vaticano II, Cost. past. Gaudium et spes, 69). Por isso torna necessária uma reflexão sobre as profundas raízes da pobreza material, portanto também sobre a “miséria espiritual” que torna o homem indiferente aos sofrimentos do próximo.

A resposta deve então ser buscada antes de tudo na conversão do coração do homem ao Deus da Caridade (cfr Benedetto XVI, Lett. enc. Deus caritas est), para conquistar assim a “pobreza de espírito” segundo a Mensagem de salvação anunciada por Jesus no “Discurso da Montanha”: “Bem-aventurados os pobres de Espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mt 5,3). (SP)

Fonte: Rádio Vaticano

———————————————————-

Quinta-feira, 26 de Junho de 2008
O Papa continuará distribuindo comunhão de joelhos e na boca
Explica o mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 26 de junho de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI distribuirá habitualmente a comunhão aos fieis de joelhos e na boca, anunciou o mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias.

Em uma entrevista concedida a edição italiana de 26 de junho do «L’Osservatore Romano», Dom Guido Marini responde a quem pergunta se o Papa manterá esta prática que pôde ser vista em sua última viagem à Itália, às localidades de Santa Maria de Leuca e Brindisi.

«Creio realmente que sim – considera -. Neste sentido, não se deve esquecer que a distribuição da comunhão na mão continua sendo ainda, do ponto de vista jurídico, um indulto à lei universal, concedido pela Santa Sé às conferências episcopais que o tenham pedido».

«A modalidade adotada por Bento XVI tende a sublinhar a vigência da norma válida para toda a Igreja», declara.

Esta modalidade de distribuição do sacramento, diz, «sem tirar nada da outra, sublinha melhor a verdade da presença real na Eucaristia, ajuda à devoção dos fiéis, introduz com mais facilidade no sentido do mistério. Aspecto que em nosso tempo, pastoralmente falando, é urgente sublinhar e recuperar», declara.

A quem acusa Bento XVI de querer impor modelos pré-conciliares, o mestre das celebrações litúrgicas explica que «termos como ‘pré-conciliar’ e ‘pós-conciliar’ me parece que pertencem a uma linguagem que já foi superada e, se são utilizados com o objetivo de indicar uma descontinuidade no caminho da Igreja, considero que são equivocados e típicos de visões ideológicas muito redutivas».

«Há ‘coisas antigas e coisas novas’ que pertencem ao tesouro da Igreja de sempre e como tais devem ser consideradas. Quem é sábio sabe encontrar em seu tesouro tanto umas como outras, sem ter outros critérios que não sejam evangélicos e eclesiais».

«Nem tudo o que é novo é verdadeiro, como tampouco o é tudo que é antigo. A verdade atravessa o antigo e o novo e a ela devemos tender sem preconceitos».

«A Igreja vive segundo essa lei da continuidade, em virtude da qual, conhece um desenvolvimento arraigado na tradição. O importante é que tudo esteja orientado a uma celebração litúrgica que seja verdadeiramente a celebração do mistério sagrado, do Senhor crucificado e ressuscitado, que se faz presente em sua Igreja, reatualizando o mistério da salvação e chamando-nos, segundo a lógica de uma autêntica e ativa participação, a compartilhar até suas últimas conseqüências sua própria vida, que é vida de dom de amor ao Pai e aos irmãos, vida de santidade».

———————————————————————-

ORDENAÇÃO DE MULHERES

A ordenação sacerdotal conferida a uma mulher, para além de ser inválida, comporta automaticamente a excomunhão para o bispo ordenante e para a mulher “ordenada”: estabelece um Decreto da Congregação para a Doutrina da Fé, publicado hoje (30 de Maio) no jornal da Santa Sé, “L’Osservatore Romano”.
“A Congregação para a Doutrina da Fé, para tutelar a natureza e a validade do sacramento da sagrada ordem, em virtude da especial faculdade que lhe foi conferida pela autoridade suprema. Decreta que tanto aquele que tiver intentado o conferir da ordem sagrada a uma mulher, como também a mulher que tiver intentado receber a ordem sagrada, incorrem na excomunhão latae sententiae, reservada à Sé Apostólica”.
Tal disposição é válida para todos os ritos em comunhão com Roma. De fato, prossegue o texto, “se aquele que tiver intentado o conferir a ordem sagrada a uma mulher ou a mulher que tiver intentado receber a ordem sagrada é um fiel sujeito ao Código dos Cânones das Igrejas Orientais, seja punido com a excomunhão maior, cuja remissão permanece reservada à Sé Apostólica.
O Decreto (que remonta à sessão de 19 de Dezembro passado da Congregação para a Doutrina da Fé) “entra imediatamente em vigor a partir do momento da sua publicação no “L’Osservatore Romano”.

Internacional | Rádio Vaticano| 30/05/2008 | 12h37min | 1273 Caracteres | 35 | Santa Sé

———————————————————-

—————————————————————————-
NO ANGELUS, PAPA EXPLICA A FINALIDADE DO SÍNODO

————————————————————–

Papa diz a Nancy Pelosi que católicos não podem apoiar aborto

Plantão | Publicada em 18/02/2009 às 14h57m

Reuters/Brasil OnlinePor Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Bento 16 disse à presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, nesta quarta-feira, que políticos e deputados católicos não podem apoiar o aborto, reforçando a posição do Vaticano sobre um tema que divide a população norte-americana.

Pelosi, que é católica e defende o direito da mulher poder escolher abortar ou não, foi acusada por bispos norte-americanos de distorcer os ensinamentos da Igreja sobre o aborto.

“Sua Santidade aproveitou a oportunidade para falar sobre as exigências da lei natural e moral e o consistente ensinamento da Igreja sobre a dignidade da vida humana desde a concepção até a morte natural”, disse um comunicado do Vaticano.

O documento afirma que o ensinamento “ordena que todos os católicos, e especialmente legisladores, juristas e os responsáveis pelo bem comum da sociedade, trabalhem em cooperação com todos os homens de boa vontade na criação de um sistema justo de leis capazes de proteger a vida humana em todos os estágios de seu desenvolvimento”.

Considerada uma das mulheres mais poderosas dos EUA, Pelosi encontrou o papa rapidamente no meio de uma visita à Itália, país de origem de sua família.

Mais tarde, Pelosi divulgou um comunicado, mas não mencionou a questão do aborto, dizendo ter tido a chance de “louvar a liderança da Igreja na luta contra a pobreza, a fome e o aquecimento global”.

Durante a campanha presidencial dos EUA, bispos norte-americanos acusaram Pelosi e o então senador Joe Biden, agora vice-presidente, de distorcer o ensinamento da Igreja sobre o aborto. Biden também é católico. Ambos disseram que o aborto é uma decisão pessoal.

Um mês antes da eleição, o arcebispo norte-americano Raymond Burke disse que o Partido Democrata arriscava “transformar-se em um ‘partido da morte'” por causa de suas escolhas sobre questões bioéticas e sobre o aborto.

Católicos conservadores elogiaram o arcebispo, mas outros acusaram o Vaticano de tentar interferir na eleição.

Pelosi enfrentou uma chuva de críticas dos católicos conservadores em agosto, quando disse em um programa de televisão que a questão sobre exatamente quando a vida começa “não deveria ter um impacto no direito de escolha da mulher.”

Ela afirmou que a questão sobre quando a vida começa ainda era “um assunto de controvérsia” na Igreja e que “Deus nos deu, a cada um de nós, o livre arbítrio e a responsabilidade de responder por nossas ações”.

Alguns dias depois da posse, o presidente Barack Obama, com o apoio de Pelosi, reverteu uma proibição do governo Bush para o financiamento de grupos no exterior que fornecem serviços de aborto. Autoridades do Vaticano criticaram a mudança.

Igreja nega comunhão a políticos pró-lei do aborto na Espanha

Reuters/Brasil Online

Um comentário em “Notícias da Igreja

  1. Boa noite, Paz e Bem!

    Fico feliz em ver sites como este que divulgam tantas coisas ricas, textos atualizados com informações pautadas na evangelização. Obrigada, Deus os abençoe, Amém!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s