Modelos para a Vigília de Oração pela vida

Padre Demétrio Gomes da Silva

Diretor espiritual do Seminário São José de Niterói, e diretor do Instituto Filosófico e Teológico do mesmo Seminário, onde leciona disciplinas de filosofia e teologia – Assessor do Setor Juventude da Arquidiocese de Niterói, e diretor espiritual do Grupo de Casais Famílias em Cristo.

No último dia 14 de junho, o cardeal Antonio Cañizares, prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, e o cardeal Ennio Antonelli, presidente do Conselho Pontifício para a Família, enviaram uma carta a todos os presidentes das conferências episcopais para convidá-los a organizar uma solene “vigília pela vida nascente”.

Na carta, informa-se aos bispos que foi o próprio Pontífice quem havia tomado a iniciativa de realizar a vigília na Basílica de São Pedro, coincidindo com as Primeiras Vésperas do 1º domingo do Advento e perto do Natal de nosso Senhor Jesus Cristo.

Junto às vésperas, a carta propõe a adoração eucarística para “dar graças ao Senhor que, com a doação total de si mesmo, deu sentido e valor a toda a vida humana, e para invocar a proteção de todo ser humano chamado à existência”.

A Vigília pode ser celebrada: a) iniciando-se com a Exposição do Santíssimo Sacramento e com o canto das Vésperas; ou b) tendo as Vésperas e a Bênção com o Santíssimo Sacramento como ápice.

PRIMEIRO MODELO

Uma imagem da Virgem (Virgem da Esperança, com o Menino em seu puríssimo seio) se encontra em um lado do Altar, adornada com algumas luzes. Por se tratar do Tempo do Advento, não se aconselha uma decoração floral.

I. Procissão de entrada com o canto “Rorate Caeli” (Jubilate Deo n. 58, p. 63s.) ou outro à escolha.

Chegando ao Altar, é trazido o Santíssimo Sacramento para exposição. Pode-se conduzi-Lo acompanhado de crianças que tragam palmas ou ramos de oliveira nas mãos e com velas, enquanto se entoa um “canto popular” adequado. Expõe-se o Santíssimo segundo o previsto no Ritual (Lat. AAS 65 – 1973 – 610), cantando o “Ave verum…”.

Após uma breve adoração silenciosa, o presidente se dirige à cátedra, de onde participa das Primeiras Vésperas do I Domingo do Advento.

II. Oração das Primeiras Vésperas do I Domingo do Advento

Segue-se a recitação das Vésperas segundo a Liturgia das Horas. Na homilia, introduz-se e se explica o sentido desta Vigília no início de um novo Ano Litúrgico.

Terminado o canto das Vésperas, o presidente se põe a adorar silenciosamente, por algum tempo, a Santíssima Eucaristia.

III. Começando a súplica pela vida (Futuramente, será publicada a fórmula oficial para esta súplica).

Diante do Santíssimo Sacramento, dá-se início a esta parte da Vigília com uma “Oração inicial ao Senhor da Vida”.

Depois da Oração, seguem-se:

- Leitura (Gn 3, 9-15).

- Canto “Ave, Maris Stella” (Jubilate Deo n. 67, p. 75s.) ou outro canto à escolha.

- Explicação do presidente e introdução da meditação dos Mistérios Gozosos da Vida do Senhor com Maria.

-  Meditação dos Mistérios Gozosos do Senhor, recitação do Santo Rosário.

Segue-se a recitação dos cinco Mistérios segundo um mesmo esquema:

  • Leitura de trecho do Evangelho.
  • Momento de adoração, meditação e súplica pessoal, em silêncio.
  • Recitação do Pai-Nosso, 10 Ave-Marias e Glória, que pode ser cantado. Parece aconselhável distribuir a recitação de cada Mistério a pessoas de diferentes grupos (grávidas; crianças doentes com seus pais; família completa com os filhos; avós com netos; educadores).
  • Breve silêncio e oração conclusiva do Presidente.

Terminada a Contemplação dos Mistérios Gozosos, inicia-se a conclusão da Vigília com a Bênção e Reposição do Santíssimo Sacramento.

-  Bênção com o Santíssimo e Reposição.

Depois de um breve momento de silêncio, o presidente se aproxima do altar para recitar a Oração do Venerável Papa João Paulo II na “Evangelium Vitae” e concluir a exposição do Santíssimo Sacramento segundo o prescrito pelo Ritual.

- Introdução: pede-se à Bem-Aventurada Virgem Maria para apresentar a nossa oração a seu Filho, Vida do mundo.

- Oração da “Evangelium Vitae”.

- Canto “Tão Sublime Sacramento”.

- Oração.

- Bênção.

Segundo o uso, pode-se acompanhar a reposição da Eucaristia com um “canto popular” adequado e em seguida despede-se a Assembléia.

SEGUNDO MODELO

Culminando com a celebração das Vésperas, pode seguir o seguinte esquema:

I. Procissão de entrada com uma imagem da Santíssima Virgem Maria.

Trata-se de uma procissão com todos ou com uma parte significativa dos participantes, levando uma imagem da Santíssima Virgem Maria, de preferência uma Virgem da Esperança (com o Menino em seu seio). A procissão segue pelo “Átrio” (ou uma praça ou igreja vizinha) até o Altar, e deve ter um caráter penitencial (por todos os atentados contra a vida, de sua concepção a seu fim natural). Pode-se cantar a litania lauretana com alguns títulos marianos e orações, estas acrescentadas segundo a conveniência.

- Monição inicial.

- Procissão com o “canto da litania”.

Entroniza-se a imagem da Santíssima Virgem Maria de um lado do altar e pode-se cantar a “Salve Rainha” como término da Procissão. A imagem pode ser incensada nesse momento. Algumas crianças podem colocar velas ao lado da imagem. Por se tratar do início do Advento, aconselha-se não usar flores.

- Saudação inicial do presidente.

- Leitura bíblica (todos sentados): Gn 3, 9-15.

- Canto: “Ave, maris stella” (Jubilate Deo n. 67, p. 75s.) ou outro canto à escolha.

- Breve monição, introdução da Vigília (Cristo, Evangelho da Vida).

II. Exposição do Santíssimo Sacramento

Expõe-se a Eucaristia sobre o Altar, segundo o Ritual. A procissão do Santíssimo da Capela para o Altar pode ser acompanhada por um cortejo de crianças com velas e palmas ou ramos de oliveira nas mãos. Um “canto popular” pode ser entoado até que o Santíssimo Sacramento chegue ao Presbitério.

- Exposição do Santíssimo Sacramento. Incensação.

- Canto: “Ave verum…”.

Depois do presidente chegar em silêncio à cátedra, inicia a meditação dos mistérios gozosos da vida do Senhor, guiados pela Virgem Maria.

Meditação evangélica com Maria – o Santo Rosário.

Inicia-se a meditação dos Mistérios Gozosos, sempre segundo o esquema:

  • Leitura de trecho do Evangelho.
  • Momento de silêncio, adoração e meditação pessoal.
  • Oração do Pai-Nosso, 10 Ave-Marias e Glória (O Glória pode ser cantado como em Fátima). Sugere-se que o Primeiro Mistério (Encarnação) seja recitado por alguns pais que estejam esperando o nascimento de um(a) filho(a); o Segundo Mistério (Visitação) por uma criança doente ou portadora de necessidades com seus pais; o Terceiro Mistério (Nascimento) por uma família com os filhos; o Quarto Mistério (Apresentação – Simeão e Ana) por alguns avós com os netos; o Quinto Mistério (Perda e Reencontro) por um ou mais educadores.
  • Breve momento de silêncio e oração conclusiva do Presidente.

Súplica pela VIDA.

Terminada a meditação dos Mistérios Gozosos da vida do Salvador, diante do Santíssimo Sacramento, faz-se uma súplica solene pela vida (cuja fórmula oficial será futuramente publicada).

  • Breve momento de silêncio.
  • Súplica pela Vida, que pode ser intercalada pela aclamação litânica de toda a comunidade e ser lida por uma ou mais pessoas.
  • Silêncio, adoração – oração pessoal.

-   Celebração das Primeiras Vésperas do Ano Litúrgico.

Pode-se usar como hino o “Rorate Caeli” (Jubilate Deo n. 58, p. 63s.) ou outro canto à escolha.

Depois da “Leitura Breve”, na Homilia se apresenta o significado desta “Vigília para a Vida”, na qual se celebram este ano as Primeiras Vésperas do Advento. Terminada a recitação das Vésperas com a oração Coleta, o presidente, em silêncio, dirige-se para diante do Santíssimo Sacramento, a fim de concluir a solene Vigília de Oração pela Vida.

- Conclusão da Vigília, Bênção com o Santíssimo Sacramento.

Ajoelhados diante do Santíssimo Sacramento, recita-se a Oração do Venerável Papa João Paulo II na “Evangelium Vitae”.

- Introdução: pede-se à Bem-Aventurada Virgem Maria para apresentar a nossa oração a seu Filho, Vida do mundo.

- Oração da “Evangelium Vitae”.

Depois de um breve momento de silêncio, procede-se à Bênção Eucarística, conforme previsto no Ritual.

a) Canto “Tão sublime sacramento”.

b) Oração.

c)  Bênção.

Terminada a Bênção, o Santíssimo Sacramento é recolocado no sacrário, enquanto se entoa um “canto popular” e se despede a comunidade reunida.

About these ads
por Católicos na Rede Postado em Artigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s